Brasileiro gasta mais com compra do que com comida em Miami

Shopping Miami. Crédito: Simon Malls/DivulgaçãoBrasileiro adora ir para Miami fazer compras. Se alguém ainda tinha dúvida de quanto se gasta por lá, um levantamento feito pelo Greater Miami Convention & Visitors Bureau (GMCVB), entidade de turismo da cidade, dá a dimensão: US$ 1,68 bilhão em 2013.

A fama de compradores compulsivos não é a toa. A maior parte dos gastos é mesmo com compras: US$ 498 milhões. Compra-se mais do que se come. Os gastos com refeições no ano passado somaram US$ 473 milhões.

Já os custos com hospedagem ficaram em US$ 331 milhões. Ainda segundo o GMCVB, as despesas com entretenimento somaram US$ 229 milhões e as com transporte ficaram em US$ 151 milhões.

O levantamento mostra também que os gastos com compras foram os que mais cresceram entre 2012 e 2013: 29,6%. Em 2013, Miami recebeu 755.550 turistas brasileiros. Desde 2011, quando passamos o Canadá, somos o país que envia mais turistas para lá.

No ano anterior, os brasileiros já tinham se tornado os primeiros estrangeiros a alcançar a marca de US$ 1 bilhão em gastos em Miami num só ano. Na lista de preferência dos compradores estão os artigos de luxo, como roupas e acessórios.

Mega-Sena acumula de novo e deve sortear R$ 135 milhões no sábado

Bolas da loteria. Crédito: Reprodução da InternetJogou na Mega-Sena na esperança de ficar milionário e dar um beijinho no ombro para o Eike Batista? Então melhor jogar de novo. Ninguém acertou os seis números sorteados nesta quarta-feira (19): 07 – 16 – 33 – 42 – 50 – 58. O prêmio (que seria de R$ 81.631.387,14) ficou acumulado pela sétima vez. Para o sorteio do próximo sábado (22), a expectativa da Caixa Econômica é de sortear R$ 135 milhões.

Se esse valor for batido, será o maior prêmio já pago em um sorteio regular da loteria. O atual recorde de prêmio pago em um sorteio regular da Mega-Sena é de outubro de 2010. O prêmio pago foi de R$ 119 milhões, após oito sorteios sem vencedor. Só um bilhete acertou as dezenas. O sortudo foi da cidade gaúcha de Fontoura Xavier.

No sorteio desta quarta-feira, 249 apostadores acertaram a quina e levam R$ 34.739,50 cada. Já 19.592 jogadores acertaram a quadra e faturam R$ 630,73. A arrecadação total foi R$ 147,7 milhões, informou a Caixa Econômica. Se você não levar a premiação acumulada agora, não se preocupe. Ainda resta a Mega da Virada, que este ano deve pagar R$ 240 milhões. O sorteio será em 31 de dezembro.

Brasileiro precisa trabalhar 160 horas para comprar o novo iPhone

Iphone 6. Crédito: Apple/DivulgaçãoO modelo mais barato do iPhone 6, com 16 gigabytes, que começou a ser vendido no Brasil na semana passada, custa R$ 3.199. O valor mais caro do mundo, quando convertido em dólar e comparado com os preços praticados em outros países. Por isso, para que consiga levar um aparelho desses para casa, o brasileiro precisa trabalhar 160 horas. São seis vezes mais que um norte-americano (26 horas) ou japonês (29 horas), por exemplo.

O economista Samy Dana, professor da Fundação Getulio Vargas, fez o cálculo à pedido do jornal Folha de São Paulo. Usou dados de um estudo do banco suíço UBS e os preços de lançamento dos novos iPhones. O brasileiro precisa trabalhar as 160 horas para pagar o aparelho porque a hora média de trabalho por aqui é US$ 7,70 (ou R$ 20) e o aparelho sai por US$ 1.233.

Já nos Estados Unidos, a hora trabalhada custa US$ 25,20 e o aparelho, US$ 649, bem mais em conta. No Japão, a hora de trabalho sai por US$ 22,80 e o iPhone, por US$ 651. Pelos cálculos de Samy Dana, o lugar onde é preciso trabalhar mais para comprar o novo brinquedinho da Apple é a Índia. São 376, já que a hora trabalhada sai por US$ 2,30 e o preço do aparelho é US$ 865.

Cinco fatores que mais contam na hora de escolher um hotel

Enotel. Crédito: Cecilia de Sa Pereira/ Especial para o DP/ DA PressQuando você vai viajar, o que conta mais na hora de escolher o lugar onde ficar? Será que é só o preço? O local? Ou isso e mais um pouco? A Mapie Consultoria fez uma pesquisa justamente sobre isso. Confira os cinco fatores principais apontados pelos entrevistados (dava para escolher mais de um):

Localização                                                                         84,54%

Qualidade da estrutura                                                       83,08%

Preço                                                                                   77,46%

Experiências anteriores positivas de clientes ou parceiros    75%

Bom relacionamento com o hotel                                      68,26%

Os entrevistados também relataram itens importantes de satisfação, como a preferência por café da manhã incluso na diária (57,7%), hotéis com internet gratuita (49,39%) e opções de hospedagem sem sistema de tarifas flutuantes (48,69%). Eles apontaram ainda o que poderia ser melhorado na relação com os hotéis: respostas mais rápidas, tarifas acordo e atendimento eficaz.

“Os números reforçam a importância dos hotéis oferecerem experiências positivas e práticas a seus hóspedes, pois existe uma disposição notória de pagar pela estrutura e serviços de qualidade, mas desde que o cliente seja satisfeito em suas necessidades durante a estada”, afirma em nota a sócia-diretora da Mapie, Carolina Sass de Haro.

2015 de casa nova?

Carteira trabalho. Crédito: Kleber Sales/CB/D.A PressOs trabalhadores brasileiros estão doidos para mudar. Mudar de emprego. Uma pesquisa realizada pela consultoria Hays e o Insper com mais de 8 mil pessoas e divulgada na última semana aponta que 79,17% dos profissionais estão considerando trocar de emprego no próximo ano.

Um dos motivos para essa possível debandada é salarial. Metade dos entrevistados acha que está ganhando menos do que deveria. Um aumento de seis pontos percentuais na comparação com a pesquisa do ano passado (44%). E 58% deles disseram que não receberam aumento de salário em 2014.

Segundo a pesquisa, 35,30% dos entrevistados deixariam o trabalho atual se encontrassem em outro lugar melhores perspectivas de desenvolvimento pessoal e profissional. Com 22,1% das citações, a remuneração aparece em segundo lugar. Já o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho foi citado por 12,9% como um motivo para deixar o emprego.

Mas apesar de pensarem em arrumar as malas e partir para outro lugar, 59,29% ainda não iniciaram as buscas por um novo emprego. Quem sabe eles não ficam, se as empresas se dispuserem a melhorar as condições de trabalho, dar um upgrade na remuneração e oferecer cursos de aperfeiçoamento.

Isso talvez não seja tão fácil de acontecer em 2015. Os pesquisadores também entrevistaram representantes de 483 empresas. Elas foram questionadas sobre as dificuldades do atual panorama econômico. E 68% responderam “falta de confiança na economia”. Mais que o dobro dos 33% do ano passado.

Fernando de Noronha segue bombando no turismo

Fernando de Noronha. Crédito: CVC/DivulgaçãoPassar as férias em Fernando de Noronha não é barato, a gente sabe. Mas os brasileiros continuam sonhando com o paraíso. A Kayak, empresa de tecnologia voltada a criar ferramentas para simplificar o processo de pesquisas de viagens online, fez uma pesquisa para saber quais localidades tiveram aumento na procura por destinos para as férias de verão.

Adivinha só qual foi o principal destino nacional? Noronha, claro. A procura cresceu 44% na comparação com o ano passado. Já entre os destinos internacionais, uma surpresa: as praias de Oranjestad, capital de Aruba, tiveram uma procura 86% superior a de 2013. Cartagena e Punta Cana vêm depois, as duas com um aumento de 84%.

Gol abre vagas para copilotos em todo o país

Avião da Gol. Crédito: DivulgaçãoA companhia aérea Gol está com inscrições abertas para vagas de copiloto em todo o Brasil. Os interessados podem se inscrever até o próximo dia 30 (clique aqui). Quem for selecionado deve ser contratado em fevereiro de 2015. Atualmente a companhia tem uma frota com 114 aviões dos modelos Boeing 737-700 e Boeing 737-800. Não foi informado o número de vagas ou o salário que será pago.

Para se candidatar o interessado (ou interessada) deve ter ensino médio completo e inglês de nível avançado. Segundo a empresa, também é desejável falar outros idiomas em nível intermediário. E, claro, é preciso ter as certificações que comprovem a aptidão para pilotar. São elas:

* Habilitação de Voo por Instrumento (IFR) válida (Obrigatório)

* Habilitação para Aeronaves Multimotoras válida (Obrigatório)

* Licença de Piloto Comercial válida (Obrigatório)

* Certificado Médico Aeronáutico (CMA) de Primeira Classe válido (Obrigatório)

* É desejável possuir licença de piloto de linha aérea

A Gol também exige experiência de voo dos candidatos. Quem tem ensino médio completo é preciso ter, no mínimo, 500 horas de voo. Já quem tem ensino superior completo precisa ter pelo menos 250 horas de voo.

De acordo com a empresa, a experiência não deve ser, necessariamente, como piloto comercial. Se o candidato for estrangeiro precisa ter o RNE (Registro Nacional de Estrangeiro).

Só na Dinamarca as mulheres ganham mais que os homens

Mulheres na Dinamarca. Crédito: Fábio Knoll/Divulgação Leitora do blog, se você quiser ganhar mais do que um homem, vá para a Dinamarca. Segundo um levantamento do Fórum Econômico Mundial (WEF), é o único país onde a renda estimada das mulheres é maior que a dos homens.

Enquanto elas ganham US$ 43.316 por ano, em média, eles recebem US$ 42.226. O cálculo é feito pela paridade de poder de compra. Em todos os outros 141 países pesquisados, a situação é oposta.

Ainda assim, na Austrália a diferença é quase nula. A renda média das mulheres equivale a 96% da dos homens: US$ 44.621 para eles contra US$ 43.023 para elas.

E no Brasil? Bem, por aqui a situação é periclitante. O país aparece na 69ª colocação. As mulheres ganham, em média, 59% dos salários dos homens (US$ 10.821 para elas e US$ 18.402 para eles).

Cuidado com os gastos do fim de ano

Contas. Crédito: J.Cesar/DB/D.A PressEstamos perto do Natal e do réveillon e não dá para não chamar atenção para as despesas desse período. A gente pode até dizer que não quer gastar muito, que vai comprar só umas “lembrancinhas” e tal. Mas, no fim das contas, desembolsa mais do que pretendia. Tudo bem se for um pouquinho a mais. Mas só um pouquinho, até porque 2015 está aí e todo começo de ano a gente tem que encarar uma série de compromissos financeiros. É IPTU, IPVA, anuidade de conselho profissional, fatura do cartão com os gastos pré-Natal. Quem tem filho ainda precisa pagar escola, comprar fardamento e material. E muita gente ainda sai de férias em janeiro.

O educador financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro Terapia financeira, tem algumas orientações para quem quer (ou precisa) gastar, mas pretende ficar longe do endividamento e ainda conseguir poupar. Se você não está nem aí para suas finanças, acha que “tudo acaba dando certo”, só posso lamentar. Mas se estiver atrás de dicas, dê uma lida até o final. Alguns conselhos são até óbvios, mas são sempre válidos.

1. Evite as compras por impulso

Faça algumas perguntas antes de comprar: Estou comprando por necessidade real ou movido por outro sentimento, como carência ou baixa autoestima? Se não comprar isso hoje, o que acontecerá? Tenho dinheiro para comprar à vista? Se comprar a prazo, terei o valor das parcelas? O acúmulo de parcelas coloca em risco a realização dos sonhos priorizados com a família?

2. Planeje o seu fim de ano

Liste os ganhos do período (renda e ganhos extras como 13º, bonificações e férias). Liste as despesas, tanto as fixas quanto as variáveis. Avalie sua situação financeira. Há margem para novos gastos? Há pendências financeiras? Faça um esforço para identificar excessos, que geralmente representam 30% das despesas das famílias brasileiras. Avalie também quanto poderá reservar para comprar presentes, artigos das festas de fim de ano, preferencialmente à vista.

3. Planeje-se para 2015

É fundamental evitar parcelamentos das compras de final do ano. Na empolgação do consumismo típico da época, esquece-se que os rendimentos extras, também típicos do período, não persistirão pelo ano seguinte. Mas se o parcelamento for inevitável, faça uma planilha em que o valor já comprometido esteja previsto nos meses correspondentes. Sem esse controle, é certo o acúmulo de dívidas e o risco da inadimplência.

Não é tão difícil, vamos combinar. Quer outra dica? Peça desconto na hora de comprar. Tem vergonha de pechinchar? Então vire um ator ou atriz por alguns minutos. Você não vai ganhar o Oscar, mas pode sair da loja com alguns reais a mais no bolso.

Proteste lança gibi para ensinar a criançada a lidar com a mesada

Gibi da Mesada. Crédito: Reprodução/InternetNão sabe o que fazer com o seu filho consumista que gasta a mesada inteira em uma única saída com os amigos? Um gibi lançado pela Proteste Associação de Consumidores pode lhe ajudar. O Gibi da Mesada é voltado às crianças e traz dicas para elas aprenderem a lidar com esse “primeiro salário”.

Segundo o pessoal da Proteste, o objetivo é mostrar para a criança que ela deve gastar somente o valor que os pais disponibilizam para valorizar o que ganha. Outro objetivo é mostrar a diferença entre necessidades e desejos para que limites sejam estabelecidos.

“Afinal, na idade adulta, os cidadãos colocam em prática o que aprenderam na infância e na adolescência”, lembra Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste. Ela reforça que, se a lição for bem-sucedida, os adultos do futuro darão valor ao dinheiro, conquistado com muito estudo e trabalho.

Para receber a publicação gratuita, de 16 páginas, basta entrar em contato pelo telefone 0800-9400-534 ou pelo acessar o site http://gibimesada.proteste.org.br/. O envio será feito pela Proteste.