Nasa quer que você fique 70 dias na cama

Nasa. Crédito: Reprodução da InternetJá pensou em ganhar US$ 18 mil (cerca de R$ 45 mil) para ficar na cama? Pois a Nasa, a agência especial norte-americana, vai pagar esse dinheiro para algumas pessoas. Para levar essa grana sem fazer esforço será preciso ficar 70 dias na cama fazendo testes dentro do projeto “Contramedidas e testes funcionais em descanso inclinado na cama”.

Enquanto estiver deitada, a pessoa pode ler, assistir à TV, usar a internet. Mas não pode nem pensar em ir ao banheiro (será que eles têm um fraldão tecnológico para isso?). Acho que em 70 dias dá para ver todas as temporadas de suas séries favoritas.

O objetivo do estudo é conseguir mais dados sobre como as viagens ao espaço, sem gravidade, impactam no corpo humano. Para concorrer a uma das vagas de “voluntário remunerado” é preciso morar nos Estados Unidos. As inscrições podem ser feitas no site da Nasa. Conhece alguém nos States que seria perfeito para participar? Então dê a dica.

“Esse estudo vai mostrar o quanto o seu corpo, inclinado com a cabeça para baixo e com os pés para cima por 70 dias, 24 horas por dia, sem sair da cama, exceto por momentos limitados para testes específicos, é como o corpo de um astronauta durante a leveza de um voo espacial”, diz o anúncio divulgado no site da Nasa.

Acho que esses testes devem deixar qualquer um louco. Quero nada!

Primeiras moedas das Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio serão lançadas nesta sexta

Moedas Olimpíadas. Crédito: Banco Central/DivulgaçãoAs primeiras nove moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 serão lançadas pelo Banco Central nesta sexta-feira (28). Ao todo serão 36 moedas, que serão lançadas até 2016. Esta primeira série vai contar com uma moeda de ouro, quatro de prata e quatro de circulação comum.

A moeda de ouro homenageia, além do Cristo Redentor, a corrida de 100 metros rasos, um dos esportes que representa o lema Olímpico “Citius, Altius, Fortius” (mais rápido, mais alto, mais forte). Preparado (a) para desembolsar R$ 1.180? Pois é quanto essa moeda vai custar. A tiragem máxima será de 5 mil moedas.

Já as moedas de prata homenageiam o Rio de Janeiro. São ilustradas com paisagens conhecidas pela prática de esportes como remo, corrida, ciclismo e vôlei de praia. Elas vão custar R$ 195 e terão tiragem máxima de 25 mil moedas.

Os esportes Olímpicos e Paralímpicos estarão nas moedas de circulação comum, de R$ 1. No primeiro lançamento, atletismo e natação representam dois dos esportes em que o Brasil conquistou mais medalhas em Jogos Olímpicos. Já o golfe e paratriatlo, as duas modalidades que passarão a fazer parte dos Jogos de 2016, são as outras duas.

O preço da “cartela” será de R$ 13 e a tiragem máxima será de 200 mil cartelas. Segundo o Banco Central, as moedas de R$ 1 vão entrar em circulação pela rede bancária e uma parte será vendida em embalagens especiais para coleção, informou o Banco Central.

Depois do lançamento, as moedas poderão ser adquiridas no site do Banco do Brasil, pagando através de boleto bancário ou, no caso de correntistas do BB, débito em conta. As moedas também estarão à venda em algumas agências do Banco do Brasil. Quem comprar nas agências do BB, só poderá pagar em dinheiro.

Receita Federal no Aeroporto terá sua própria Black Friday a partir de sexta

Black Friday Receita. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A PressNão é só a Black Friday que vai rolar nesta sexta-feira (28). A Receita Federal do Aeroporto do Recife vai fazer, pela segunda vez, a sua própria Operação Black Friday. O objetivo é fiscalizar o cumprimento da legislação de importação dos bens da bagagem de passageiros em voos internacionais, especialmente depois da Black Friday que acontece nos Estados Unidos.

A operação não tem prazo para acabar. Ou seja, se você vai aos States encher as malas de produtos, melhor levar a família inteira para dividir as compras. Segundo a Receita, 100% das malas dos voos escolhidos durante a operação serão escaneadas antes da devolução aos passageiros. As malas serão escaneadas à medida em que são colocadas na esteira de devolução, enquanto os passageiros ainda estão na imigração.

“Também será dada especial atenção às mercadorias ocultas em fundos falsos de malas, ou mesmo escondidas por baixo da roupa ou jogadas dentro das sacolas do free shop. Ocultação de mercadoria é considerada crime e, além de o passageiro perder o produto, sofrerá processo penal pelos crimes de contrabando, descaminho e contra a ordem tributária”, destaca a Receita em nota.

Na operação do ano passado foram apreendidas várias peças de vestuário, como camisas masculinas, roupas íntimas femininas (lingerie) e bolsas, além perfumes e suplementos alimentares, “todos com clara destinação comercial”. Também foram descobertos iPhones ocultos junto ao corpo do viajante, em fundo falso de malas ou jogados dentro da sacola do free shop.

Atenção para as cotas de quem vai viajar para fora do país:

Isentos de taxa de importação

* itens de uso pessoal desde que usados na viagem e compatíveis com sua duração, destino e motivo
* livros e periódicos
* bens para atividades profissionais, desde que com termo de responsabilidade pelo uso
* presentes e itens novos que somem, no máximo, US$ 500
* uma máquina fotográfica, um celular e um relógio de pulso, desde que usados na viagem
* compra de, no máximo, US$ 500 feita em free shops na entrada do Brasil.

Sujeitos à taxa de importação

* presentes e itens novos que ultrapassem US$ 500
* compra feita em free shops na entrada do Brasil que ultrapasse US$ 500.
* filmadoras, computadores, tablets e bicicletas, mesmo que usados na viagem

Limite quantitativo para isenção

* 12 litros de bebidas alcoólicas
* 10 maços de cigarros, com 20 unidades cada
* 25 unidades de charutos ou cigarrilhas
* 250 gramas de fumo
* 20 unidades de produtos que custaram menos de US$ 10, sendo que, no máximo, 10 iguais
* 20 unidades de demais produtos, desde que não mais do que três iguais

Quem ultrapassar as cotas deve fazer a Declaração de Bens de Viajante, através do site da Receita Federal ou pelo app “Viajantes”, disponível para download gratuito, nas versões para iOS ou Android. O viajante que estiver obrigado a declarar e não fizer a declaração, além do imposto de 50% sobre o que ultrapassar a cota de US$ 500, estará sujeito a uma multa adicional pela não declaração, no valor de 25% a 50% sobre o valor tributado.

Trabalhadores dos Correios podem entrar em greve nos próximos dias

Greve funcionários dos Correios. Crédito: Gilson Teixeira /OIMP/D.A PressDepois de ficarem só na ameaça em setembro, os trabalhadores dos Correios no estado prometem cruzar os braços nos próximos dias. Eles farão uma assembleia geral extraordinária na noite desta terça-feira (25) e podem entrar em estado de greve.

De acordo com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (Sintect-PE), “a empresa não quer dialogar com os ecetistas a respeito da Participação nos Lucros e Resultados (PLR)”.

Segundo o Sintect-PE, a PLR de 2013 deveria ter sido paga desde maio deste ano. “Já são seis meses de atraso e inúmeras reuniões no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

Na última semana, houve mais uma rodada de negociações e não houve consenso”, informa o sindicato em nota. Os trabalhadores agora vão deliberar sobre a possibildiade de haver paralisação.

Ainda segundo o sindicato, a mobilização é nacional. A Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect) emitiu informativo orientando os sindicatos a realizarem assembleias até esta terça-feira (25).

A última greve dos funcionários do Correios no estado aconteceu entre 29 de janeiro e 13 de março deste ano. Durou 43 dias. Só terminou depois que que o Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerou a paralisação ilegal.

Imóveis encolhem e encalham na Região Metropolitana do Recife

Imoveis. Crédito: Helder Tavares/DP/D.A PressOs imóveis vendidos na Região Metropolitana do Recife seguem em seu processo de encolhimento. De acordo com dados IVV (Índice de Velocidade de Vendas), divulgado pela Fiepe nesta segunda-feira (24), as unidades estão sendo vendidas com 60,4 metros quadrados em 2014, em média.

No ano passado, a média de tamanho dos imóveis vendidos na RMR foi de 62,5 metros quadrados. Dez anos atrás, os moradores da RMR compravam imóveis com 97 metros quadrados, em média. Ou seja, 37 metros quadrados a mais!

O efeito “ovo” deve ter relação com o aumento das vendas de imóveis dentro do programa Minha Casa, Minha, do governo federal. Geralmente, esses imóveis têm tamanhos mais “enxutos” (a grande maioria vem com dois quartos).

Ainda segundo o IVV, neste ano foram vendidas 4.869 unidades na RMR. O metro quadrado mais caro, entre R$ 7 mil a R$10 mil, fica em Boa Viagem. É justamente em Boa Viagem, na Imbiribeira, no Pina e em Setúbal que está concentrada a maior quantidade de imóveis ofertados.

A pesquisa traz outro dado interessante. No mês passado foram vendidos 442 imóveis, 22% a menos que em setembro. Para se ter uma ideia de como outubro foi ruim para as vendas, a média mensal no ano estava em 487 unidades. Também, com preços tão caros, quem tem dinheiro para comprar mesmo, não é?

Bolha imobiliária, é você?

Os cuidados que você deve ter na Black Friday

Promoção Pinóquio. Crédito: Caio Gomez/CB/D.A PressAposto que seus dedos estão coçando para caçar as “ofertas” da Black Friday, que acontece no próximo dia 28 na web brasileira. Pela primeira vez, a expectativa é de que a ação ultrapasse R$ 1 bilhão em vendas. Bom para as lojas. E para o consumidor? A promessa é que, desta vez, os descontos sejam mais verdadeiros e você não tenha de encarar uma Black Fraude.

Para fortalecer a confiança do consumidor, a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara E-net) reeditou um código de ética que garante o selo “Black Friday Legal” ao site que aderir. Funciona assim: a empresa que ganhar o selo se compromete a oferecer descontos de verdade e não maquiar preços durante a promoção. Então tá.

A expectativa é que 150 empresas topem assinar o termo, que, segundo o presidente da Câmara E-net, Ludovino Lopes, é uma tentativa de “separar o joio do trigo”. A gente torce que isso aconteça mesmo. Mas, por via das dúvidas, sempre é bom ficar de olho nas dicas dos órgãos de defesa do consumidor.

O Procon-SP, por exemplo, reforça que, antes de tudo, é preciso se programar com antecedência. Fazer uma lista do que precisa (quer) ajuda a não se perder no mundo de “ofertas”. Ter um orçamento em mente também é interessante, para que você evite os excessos e depois se arrependa da conta do cartão de crédito.

E não é só isso. Confira outras cinco dicas:

1. Compare os preços
Antes de comprar, compare os preços dos produtos em oferta com os de outras lojas participantes e até com os de lojas que não estão oferecendo descontos.

2. Conheça o site
Procure no site a identificação da loja (razão social, CNPJ, endereço e canais de contato). Se o fornecedor não possuir essas informações, escolha outro.

3. Conheça as regras
Leia a política de privacidade da loja virtual para saber quais compromissos ela assume quanto ao armazenamento e manipulação de seus dados.

4. Guarde documentos
Imprima e/ou salve todos os documentos (telas) que demonstrem a compra e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc.).

5. Desconfie sempre
Evite sites que exibem como forma de contato apenas um telefone celular. Prefira fornecedores que são recomendados por amigos ou familiares.

Se mesmo assim você encontrar coisa errada na Black Friday, bote a boca no trombone e denuncie. Uma opção é o site Reclame Aqui. O pessoal do site alerta que uma prática comum observada nas edições anteriores foi o aumento do frete cobrado. Atenção, portanto. Também dá para denunciar ao Procon. Os telefones do Procon Pernambuco são (81) 3181-7000 e 0800-28-21-512.

Brasileiro gasta mais com compra do que com comida em Miami

Shopping Miami. Crédito: Simon Malls/DivulgaçãoBrasileiro adora ir para Miami fazer compras. Se alguém ainda tinha dúvida de quanto se gasta por lá, um levantamento feito pelo Greater Miami Convention & Visitors Bureau (GMCVB), entidade de turismo da cidade, dá a dimensão: US$ 1,68 bilhão em 2013.

A fama de compradores compulsivos não é a toa. A maior parte dos gastos é mesmo com compras: US$ 498 milhões. Compra-se mais do que se come. Os gastos com refeições no ano passado somaram US$ 473 milhões.

Já os custos com hospedagem ficaram em US$ 331 milhões. Ainda segundo o GMCVB, as despesas com entretenimento somaram US$ 229 milhões e as com transporte ficaram em US$ 151 milhões.

O levantamento mostra também que os gastos com compras foram os que mais cresceram entre 2012 e 2013: 29,6%. Em 2013, Miami recebeu 755.550 turistas brasileiros. Desde 2011, quando passamos o Canadá, somos o país que envia mais turistas para lá.

No ano anterior, os brasileiros já tinham se tornado os primeiros estrangeiros a alcançar a marca de US$ 1 bilhão em gastos em Miami num só ano. Na lista de preferência dos compradores estão os artigos de luxo, como roupas e acessórios.

Mega-Sena acumula de novo e deve sortear R$ 135 milhões no sábado

Bolas da loteria. Crédito: Reprodução da InternetJogou na Mega-Sena na esperança de ficar milionário e dar um beijinho no ombro para o Eike Batista? Então melhor jogar de novo. Ninguém acertou os seis números sorteados nesta quarta-feira (19): 07 – 16 – 33 – 42 – 50 – 58. O prêmio (que seria de R$ 81.631.387,14) ficou acumulado pela sétima vez. Para o sorteio do próximo sábado (22), a expectativa da Caixa Econômica é de sortear R$ 135 milhões.

Se esse valor for batido, será o maior prêmio já pago em um sorteio regular da loteria. O atual recorde de prêmio pago em um sorteio regular da Mega-Sena é de outubro de 2010. O prêmio pago foi de R$ 119 milhões, após oito sorteios sem vencedor. Só um bilhete acertou as dezenas. O sortudo foi da cidade gaúcha de Fontoura Xavier.

No sorteio desta quarta-feira, 249 apostadores acertaram a quina e levam R$ 34.739,50 cada. Já 19.592 jogadores acertaram a quadra e faturam R$ 630,73. A arrecadação total foi R$ 147,7 milhões, informou a Caixa Econômica. Se você não levar a premiação acumulada agora, não se preocupe. Ainda resta a Mega da Virada, que este ano deve pagar R$ 240 milhões. O sorteio será em 31 de dezembro.

Brasileiro precisa trabalhar 160 horas para comprar o novo iPhone

Iphone 6. Crédito: Apple/DivulgaçãoO modelo mais barato do iPhone 6, com 16 gigabytes, que começou a ser vendido no Brasil na semana passada, custa R$ 3.199. O valor mais caro do mundo, quando convertido em dólar e comparado com os preços praticados em outros países. Por isso, para que consiga levar um aparelho desses para casa, o brasileiro precisa trabalhar 160 horas. São seis vezes mais que um norte-americano (26 horas) ou japonês (29 horas), por exemplo.

O economista Samy Dana, professor da Fundação Getulio Vargas, fez o cálculo à pedido do jornal Folha de São Paulo. Usou dados de um estudo do banco suíço UBS e os preços de lançamento dos novos iPhones. O brasileiro precisa trabalhar as 160 horas para pagar o aparelho porque a hora média de trabalho por aqui é US$ 7,70 (ou R$ 20) e o aparelho sai por US$ 1.233.

Já nos Estados Unidos, a hora trabalhada custa US$ 25,20 e o aparelho, US$ 649, bem mais em conta. No Japão, a hora de trabalho sai por US$ 22,80 e o iPhone, por US$ 651. Pelos cálculos de Samy Dana, o lugar onde é preciso trabalhar mais para comprar o novo brinquedinho da Apple é a Índia. São 376, já que a hora trabalhada sai por US$ 2,30 e o preço do aparelho é US$ 865.

Cinco fatores que mais contam na hora de escolher um hotel

Enotel. Crédito: Cecilia de Sa Pereira/ Especial para o DP/ DA PressQuando você vai viajar, o que conta mais na hora de escolher o lugar onde ficar? Será que é só o preço? O local? Ou isso e mais um pouco? A Mapie Consultoria fez uma pesquisa justamente sobre isso. Confira os cinco fatores principais apontados pelos entrevistados (dava para escolher mais de um):

Localização                                                                         84,54%

Qualidade da estrutura                                                       83,08%

Preço                                                                                   77,46%

Experiências anteriores positivas de clientes ou parceiros    75%

Bom relacionamento com o hotel                                      68,26%

Os entrevistados também relataram itens importantes de satisfação, como a preferência por café da manhã incluso na diária (57,7%), hotéis com internet gratuita (49,39%) e opções de hospedagem sem sistema de tarifas flutuantes (48,69%). Eles apontaram ainda o que poderia ser melhorado na relação com os hotéis: respostas mais rápidas, tarifas acordo e atendimento eficaz.

“Os números reforçam a importância dos hotéis oferecerem experiências positivas e práticas a seus hóspedes, pois existe uma disposição notória de pagar pela estrutura e serviços de qualidade, mas desde que o cliente seja satisfeito em suas necessidades durante a estada”, afirma em nota a sócia-diretora da Mapie, Carolina Sass de Haro.