Gasolina já está custando quase R$ 3,30 no Recife

Gasolina aumento. Crédito: Pedro Santos/CortesiaOs motoristas que trafegam pelo Recife devem ter ficado com os cabelos em pé nesta sexta-feira, que é 30, mas parece 13. É que os postos de combustíveis já cobram quase R$ 3,30 pelo litro da gasolina. Sim, você não leu errado. Veja a foto acima, enviada pelo designer Pedro santos. É do posto BR da Avenida Conselheiro Aguiar, em Boa Viagem: R$ 3,29 pela gasolina comum e R$ 3,39 pela aditivada. Na Avenida Norte tem posto cobrando R$ 3,27, como relatou a jornalista Rosa Falcão.

Os postos estão se antecipando à mudança na tributação que incide sobre o produto. O decreto presidencial 8.395, publicado na quinta (29), determina a elevação do PIS e da Cofins tanto sobre a gasolina quanto sobre o diesel a partir deste domingo (1º de fevereiro). Segundo a Receita Federal, o impacto do aumento da tributação será de R$ 0,22 para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel. A Petrobras já tinha confirmado que iria repassar o valor dos impostos nas refinarias.

As distribuidoras, naturalmente, repassam todos os aumentos para os postos. E os postos repassam para o consumidor. Só não se sabia ainda qual seria o impacto nas bombas. Agora a gente já sabe o tamanho do prejuízo para o nosso bolso. Conversei com o presidente do sindicato das revendas (Sindicombustíveis-PE), Alfredo Pinheiro. Ele confirmou a antecipação. Segundo Pinheiro, as distribuidoras já retiraram, inclusive, os descontos que davam aos postos.

“No último aumento, em novembro, os postos aumentaram os preços para perto de R$ 2,99. Mas depois a concorrência fez com que os valores baixassem. Agora, se não aumentarmos, vamos vender os estoques hoje e não teremos o mesmo dinheiro para comprar produto novo na segunda-feira, porque ele estará bem mais caro”, disse o presidente do Sindicombustíveis-PE.

A explicação faz sentido. Mas a gente não deixa de se assustar com o tamanho do aumento. Hoje pela manhã o litro gasolina podia ser encontrado por R$ 2,69. E à noite fica R$ 0,60 mais caro? Alfredo Pinheiro lembrou que em maio sobe a Cide (lembra dela?). Segundo o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, as alíquotas do PIS e da Cofins serão reduzidas na mesma proporção. “Mas será mesmo que vão baixar? Pode ser que o governo desista”, questionou Pinheiro. Não sei se isso pode mesmo acontecer legalmente, mas o governo está louco para aumentar os ganhos do cofre…

No caso do óleo diesel, que está sendo vendido no posto da foto por R$ 2,69, o aumento deve impactar também nas contas de luz. É que o diesel abastece as usinas termelétricas da Região Norte do país. Para quem não sabe, o custo da compra desse combustível é subsidiado. Assim, parte dele é dividido entre todos os consumidores do país. A gente paga a conta através de uma contribuição que incide sobre a tarifa de eletricidade.

Pernambuco encerra 2014 com 13,04 milhões de linhas ativas de celular

Uso celular. Crédito: Ana Amaral/DN/D.A. PressPernambuco terminou 2014 com 13.042.116 de linhas ativas de telefones celulares. Houve um crescimento de 4,8% na comparação com as 12.441.544 de linhas que existiam em dezembro de 2013. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (30) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O crescimento em Pernambuco foi maior que o nacional, de 3,55%. O país terminou 2014 com 280,731 milhões de linhas ativas. Já a teledensidade, ao final do ano, era de 137,96 acessos por cem habitantes. A Pernambuco é um pouco maior. Terminou o ano em 140,17. Tem mais celular que gente por aqui.

Pernambuco é o estado com maior teledensidade no Nordeste. E só perde em volume para a Bahia e suas 18,71 milhões de linhas. Os dados da Anatel mostram também que só um estado tem mais gente que celular: o Maranhão, cuja teledensidade é de 97,11.

O Distrito Federal encerrou 2014 com a mais elevada teledensidade, de 217,82 acessos móveis para cada grupo de cem habitantes. E São Paulo, como não poderia deixar de ser, fechou o ano com a maior fatia do bolo: 68,102 milhões de acessos móveis, ou mais de 24% do total de celulares de todo o país.

Ainda de acordo com Anatel, do total de linhas, o Brasil fechou dezembro de 2014 com 6,76 milhões de acessos móveis LTE (de quarta geração). Isso representa um crescimento de 416,55% em relação a dezembro de 2013, quando havia 1,31 milhão de linhas ativas de 4G.

Outro dado divulgado pela Anatel foi que, da quantidade de acessos móveis em operação no fim de dezembro, os pré-pagos totalizavam 212,93 milhões (75,85% do total) e os pós-pagos, 67,80 milhões (24,15%).

Acompanhe abaixo a divisão de mercado por operadora:

Vivo    79,93 milhões (28,47%)

TIM    75,72 milhões (26,97%)

Claro    71,10 milhões (25,33%)

Oi    50,91 milhões (18,14%)

Troque milhas por abadás para o carnaval de Salvador

Carnaval Salvador. Crédito: Margarida Neide/DivulgaçãoQuem morre de vontade de brincar o carnaval em Salvador atrás do trio elétrico, mas está sem grana, pode comprar um abadá com outra moeda: milhas. A Gol divulgou que os participantes do programa de fidelidade Smiles podem resgatar as milhas para comprar abadás de blocos e camarotes do carnaval soteropolitano. A companhia fechou uma parceria com a Central do Carnaval, responsável pela venda desses produtos tão cobiçados (não por mim, mas por um monte de gente).

Para comprar os abadás é preciso fazer o login no site www.smiles.com.br e clicar em Shopping Smiles. Na loja virtual você entra na categoria “Viagens” e acessa a Central do Carnaval. Aí é escolher os blocos e camarotes da lista, de acordo com a quantidade de milhas acumuladas. Confira abaixo algumas das opções que existem no site:

* Bloco Nana Banana e Eva – a partir de 13 mil milhas

* Bloco Timbalada – a partir de 23 mil milhas

* Bloco Camaleão – a partir de 34 mil milhas

* Camarote Nana – a partir de 23 mil milhas

* Camarote Skol – a partir de 25 mil milhas

* Camarote Brahma – a partir de 31 mil milhas

* Camarote Harém – a partir de 35 mil milhas

O resgate dos abadás para blocos e camarotes do carnaval de Salvador com milhas poderá ser feito até o próximo dia 9 de fevereiro.

Petrobras lança edital de Programa de Estágio 2015

Petrobras. Crédito: Agência Petrobras de NotíciasA Petrobras não vive os seus melhores momentos, vamos combinar. Mas ainda é uma das maiores empresas do país. Por isso deve ter grande procura o Programa de Estágio de Estudante 2015, que foi lançado nesta quinta-feira (29). Segundo a companhia, o processo oferece vagas para cadastro de reserva em várias formações de nível médio, técnico e superior. O edital está disponível no site da Petrobras e lá o interessado pode conferir toda a lista de cursos. A remuneração vai de R$ 473,97 a R$ 1.853,27.

O programa de estágio envolve as unidades da empresa em todo o país. Ao todo, as vagas contemplam 45 cidades de 17 estados. Em Pernambuco, quem for aproveitado vai estagiar no Recife e em Ipojuca. Os estudantes poderão se inscrever entre os dias 3 e 26 de fevereiro, no próprio site da estatal, para até três vagas, indicando a ordem de prioridade (vai da mais prioritária para a menos prioritária).

Para estágio de nível médio e técnico, quando for convocado, o estudante deverá (obviamente) estar cursando ensino médio ou técnico com matrícula e frequência regular. Já para o estágio de nível superior, quando da convocação, é preciso estar cursando no mínimo o terceiro período. A carga horária do estágio poderá ser de 20 ou 30 horas semanais (condicionado aos requisitos dispostos em cada vaga).

De acordo com a Petrobras, os estágios de 40 horas semanais serão permitidos exclusivamente para estudantes matriculados em cursos que alternem aulas teóricas e práticas, nos períodos em que não estão programadas aulas presenciais, desde que esteja previsto no projeto pedagógico do curso e da instituição de ensino.

O processo de recrutamento e seleção será executado em conjunto com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE). Haverá duas etapas de caráter seletivo, eliminatório e classificatório. A primeira etapa será realizada online e é composta da análise de pré-requisitos e avaliação de conhecimentos básicos. Os inscritos deverão fazer uma prova online nos dias 28 de fevereiro e 1º de março, das 8h às 18h (horário de Brasília).

Segundo o edital, a avaliação será composta de 60 questões objetivas, sendo 20 de Língua Portuguesa, 20 de Raciocínio Lógico e 20 de Conhecimentos Gerais. Será que vai ter pergunta sobre a operação Lava Jato ou o balanço não auditado da estatal? Acho que não. Os resultados desta etapa estarão disponíveis no site da Petrobras no dia 9 de março.

A segunda etapa será presencial e composta de entrevista para avaliação de conhecimentos específicos e habilidades. “De acordo com a conveniência e a necessidade da Petrobras, os candidatos poderão, durante a vigência do processo de seleção e recrutamento, ser convocados para esta etapa, observada a classificação obtida na prova online e a prioridade indicada pelo candidato na inscrição”, diz a Petrobras na nota de divulgação do processo de seleção.

As convocações para a segunda etapa serão realizadas pelo CIEE por e-mail e/ou contato telefônico. Por isso, já no ato da inscrição o candidato deverá informar e-mail e telefones válidos e ativos que deverão ser mantidos atualizados até o final do processo. Os candidatos convocados e aprovados para as entrevistas serão encaminhados para a realização do exame admissional.

Estágio Petrobras

Vendas de imóveis residenciais despencaram na RMR em 2014

Predios Boa Viagem. Crédito: Blenda Souto Maior/DP/D.A PressO volume de imóveis vendidos na Região Metropolitana do Recife em 2014 caiu consideravelmente. De acordo com dados do Índice de Velocidade de Vendas (IVV), divulgados nesta terça-feira (27) pela Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiepe, foram comercializadas no ano passado 6.032 unidades na RMR. Uma redução de 23,7% em relação às 7.912 vendidas em 2013.

A média mensal de unidades habitacionais vendidas entre janeiro e dezembro de 2014 foi de 503. Um volume 25,6% menor que as 676 registradas em 2013, informou a Fiepe. A situação em dezembro foi ainda pior: apenas 445 unidades foram comercializadas, 38% a menos que o número de vendas de novembro (718).

Os números do IVV também reforçam o encolhimento dos imóveis vendidos na RMR. No ano passado, o tamanho médio dos imóveis ficou em 59,5 metros quadrados. Em 2013, a média foi 62,5 metros quadrados. Desde 2003, o ano mais antigo da série divulgada pela Fiepe, o tamanho médio só vem diminuindo. Além de refletir os preços mais caros dos imóveis, também deve ter impacto do Minha Casa, Minha Vida. Confira abaixo:

2003    104,1 m2
2004    97 m2
2005    99,2 m2
2006    93,9 m2
2007    90,5 m2
2008    82 m2
2009    73,1 m2
2010    71,7 m2
2011    71,7 m2
2012    64,6 m2
2013    62,5 m2
2014    59,4 m2

Políticos russos consideram que a crise é uma boa oportunidade para se fazer dieta

balançaAparentemente, não é apenas no Brasil que os políticos e técnicos do governo se transormam em piadistas em momentos de crise e mandam o povo comer ovo quando o preço da carne aumenta. Na Rússia, Ilia Gaffner, um deputado da região de Sverdlovsk, na Sibéria, deu o seguinte conselho a uma senhora que não pode comprar açúcar para o filho: “Se o dinheiro não der, lembre que somos russos, que superamos a fome e o frio, que temos que pensar na nossa saúde e comer menos”.

Depois que um monte de gente se revoltou contra a declaração, o deputado pediu desculpas publicamente. Mas outro político abriu o bocão e sugeriu que os russos aproveitem a crise para fazer dieta. “Vamos superar todos os obstáculos no nosso país, vamos comer menos, gastar menos energia”, disse o vice-primeiro-ministro Igor Shuvalov no Fórum de Davos.

De acordo com a Agência France Presse, só em 2014, os preços subiram mais de 11%. No caso dos alimentos, houve um aumento de aproximadamente 15%. E a situação vai piorar. Carne, pescado, açúcar, repolho, queijo, ovos e arroz aumentaram entre 10% e 50% por causa das sanções ocidentais e da queda do preço do petróleo.

2015 chegou chegando

O gritoNão foram poucos os que deram suspiros de alívio quando 2014 finalmente acabou. Pense num ano esquisito, de muitas perdas, brigas entre amigos e parentes causadas pelo calor das eleições, de uma economia cambaleante, com inflação alta e crescimento pífio. E então chegou 2015 para mostrar que qualquer coisa que está ruim sempre pode ficar pior. Seja em Brasília, São Paulo ou Pernambuco.

Nosso novo governador, Paulo Câmara, iniciou a gestão com números negativos do Pacto Pela Vida, a menina dos olhos azuis de Eduardo Campos. Houve aumento na quantidade de homicídios pela primeira vez em sete anos. Também temos assistido a rebeliões a granel nos presídios e ficamos assustados com a ameaça de uma nova greve dos policiais militares. Já na política, tivemos de assistir ao show de horrores dos deputados estaduais.

As excelências deram uma pausa nas férias para reajustar os próprios salários de R$ 20 mil para R$ 25,2 mil. Pior do que isso foi a justificativa dada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchôa. Ele disse (falando sério) que o salário mínimo havia aumentado mais de 40% em quatro anos, enquanto o subsídio dos nossos estimados representantes tinha subido “apenas” 26,34%. Coisa linda.

Já em São Paulo, o estado que é o motor do país, o governador Geraldo Alckmin inventou mil e uma formas de “tucanar” o racionamento d’água. “Restrição hídrica”, a mais recente, foi realmente de doer. Curioso é que durante a campanha eleitoral era tudo lindo e maravilhoso. “Jamais” haveria racionamento de água em Sampa. Ou mudança dos direitos trabalhistas. “Nem que vaca tussa”, bradou a presidenta. Parece que a vaca teve uma pneumonia braba.

A vaquinha foi para o brejo, assim como os discursos de campanha. Dia após dia, vemos sair coisa nova do “saco de maldades” do governo federal. Juros mais altos para o financiamento imobiliário, aumento do IOF nas operações de crédito, corte no orçamento de todos os ministérios, incluindo o da Educação (nossa “pátria educadora” chora). E, claro, aumento na conta de luz.

Se fosse só a luz ficar mais cara… Na última quinta-feira, o governo (leia-se o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga) falou explicitamente – pela primeira vez – sobre a possibilidade de racionamento de energia, algo que o antecessor dele, Edison Lobão, negava terminantemente. A presidente Dilma deve ter caído d-e-s-m-a-i-a-d-a. Braga disse que o “ponto de corte” do racionamento é o nível dos reservatórios das hidrelétricas cair para 10%.

Hoje ele está na casa dos 17%, segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS). O corte de energia parece uma realidade distante? O ministro falou só por falar? Quem dera. Em 2001, quando passamos pelo racionamento, os reservatórios do sistema Sudeste/Centro-Oeste (que respondem por cerca de 70% da capacidade nacional de geração de eletricidade) estavam com 28,55% da capacidade.

O apagão de energia elétrica entre 2001 e 2002 custou R$ 45,2 bilhões ao país, segundo o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU). Os efeitos foram sentidos por empresas, pelo governo e, claro, pelos consumidores, que arcaram com a maior parte do prejuízo (60%, por meio do aumento nas contas de luz). Um saco de maldades ainda mais recheado virá por aí. Será que 2015 já pode acabar?

O recifense está pedindo mais a nota fiscal eletrônica

Nota fiscal eletrônicaO início dos sorteios de prêmios em dinheiro para quem pede a nota fiscal eletrônica no Recife parece ter surtido o efeito desejado pela prefeitura. Entre 2013 e 2014, houve um aumento de 17,32% nas emissões para pessoas físicas, segundo dados da Secretaria de Finanças do município. Enquanto em 2014 foram emitidas 4.872.130 notas, no ano passado foram 5.715.864. Ou 843.734 notas a mais.

Quem pede a nota fiscal eletrônica, não custa reforçar, também pode usar os créditos de ISS (Imposto Sobre Serviços) gerados para abater até 50% do valor do IPTU. Em 2014, 7,2 mil imóveis foram indicados para receber descontos, gerando R$ 4,6 milhões em créditos, uma média de R$ 642,54 por imóvel. Em 2013 foram 5.180. Em 2012 foram 4.164.

Entre os estabelecimentos que devem oferecer a nota fiscal eletrônica estão: estacionamentos, academias de ginástica, escolas particulares, colégios e faculdades, cursos preparatórios para concursos e vestibulares, cursos de idiomas, lavanderias, cabeleireiros, salões de beleza, clínicas de estética, hotéis, pousadas e motéis, oficinas mecânicas, hospitais, clínicas e laboratórios, gráficas, buffets, casas de recepções, festas infantis.

Obviamente, a campanha da PCR pela não existe só porque ela boazinha. O ISS é a principal fonte de receita própria da prefeitura. Ano passado a arrecadação foi de R$ 710.661.464,19. Um aumento de 11,72% em relação a 2013. Bem depois vem o IPTU, com R$ 287.183.092,88.

Um ranking com os salários mínimos pagos mundo afora

Dinheiro. Crédito: Fábio Cortez/DN/D.A PressO novo salário mínimo brasileiro entrou em vigor no último dia 1º de janeiro. Como a presidente Dilma não fez arredondamento, o mínimo para este ano ficou em R$ 788. É pouco? É muito? Tá de bom tamanho?

A Federação de Empregadores Internacionais (The Federation of International Employers – FedEE Global) fez um levantamento (a pedido do portal G1) com comparando salários pagos em 47 países.

Levando em conta os países que pagam melhor, como Austrália e Luxemburgo, a gente passa uma vergonha danada. No geral, ficamos em 32º lugar. Mas poderia ser pior, como no Senegal ou na Moldávia. Confira abaixo o ranking:

1    Austrália    R$ 5.991,87
2    Luxemburgo    R$ 5.856,64
3    Nova Zelândia    R$ 5.044,48
4    Bélgica        R$ 4.754,08
5    Holanda        R$ 4.578,54
6    Irlanda        R$ 4.571,01
7    Alemanha    R$ 4.491,74
8    França        R$ 4.406,53
9    Reino Unido    R$ 4.350,31
10    Islândia    R$ 4.063,68
11    EUA        R$ 3.297,10
12    Áustria        R$ 3.048,70
13    Andorra        R$ 2.932,85
14    Chipre        R$ 2.817,00
15    Eslovênia    R$ 2.389,14
16    Malta        R$ 2.141,16
17    Venezuela    R$ 2.036,27
18    Espanha        R$ 1.977,39
19    Grécia        R$ 1.785,87
20    Taiwan        R$ 1.605,25
21    Portugal    R$ 1.539,59
22    Argentina    R$ 1.438,85
23    Turquia        R$ 1.350,01
24    Croácia        R$ 1.195,58
25    Polônia        R$ 1.184,40
26    Estônia        R$ 1.082,29
27    Eslováquia    R$ 1.073,14
28    Rep. Tcheca    R$ 1.004,64
29    Letônia        R$ 975,58
30    Hungria        R$ 968,211
31    Chile        R$ 938,92
32    Brasil        R$ 788,00
33    China        R$ 767,68
34    Marrocos    R$ 686,00
35    Colômbia    R$ 685,61
36    Peru        R$ 643,36
37    Macedônia    R$ 600,76
38    Montenegro    R$ 588,40
39    Kosovo        R$ 518,28
40    Sérvia        R$ 499,45
41    Bulgária    R$ 467,64
42    Albânia        R$ 455,28
43    Belarus        R$ 276,64
44    Rússia        R$ 224,44
45    Ucrânia        R$ 200,85
46    Moldávia    R$ 200,85
47    Senegal        R$ 166,76

TJPE está com inscrições abertas para juiz substituto

concurso. Crédito: Janine Moraes/CB/D.A PressComeçaram nesta segunda-feira (19) as inscrições para o novo concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). No total, o concurso etá oferecendo 50 vagas para preenchimento imediato para o cargo de juiz substituito, além de formação de cadastro reserva. Do total de vagas, três estão reservadas a candidatos com deficiência. O salário do posto é de R$ 19.383,88.

As inscrições seguem até 19 de fevereiro no site da banca organizadora, a Fundação Carlos Chagas. A taxa de participação é de R$ 193,83. Segundo o edital, a seleção é válida por dois anos, podendo ser prorrogada por igual período.

Para participar, candidatos devem ser bacharéis em direito e ter exercido, no mínimo, três anos de atividade jurídica. O concurso também terá prova discursiva, prova de sentença, inscrição definitiva, sindicância de vida pregressa e investigação social, exame de sanidade física e mental, exame psicotécnico, prova oral e avaliação de títulos.

A prova objetiva deve ser realizada no dia 29 de março, no Recife. O concurso para juiz substituto do TJPE foi lançado por conta da carência de magistrados no estado. Foi um dos compromissos assumidos pelo atual presidente da Corte Estadual, desembargador Frederico Neves quando tomou posse, em fevereiro de 2014. Atualmente, há 200 cargos vagos no estado.