Enquete: Felipe e Kuki aprovados

Ataque letal: Felipe e KukiQuem diria, hein… O atacante alvirrubro Kuki já não vinha mais sendo aproveitado pelo técnico Roberto Fernandes, enquanto Felipe estava amargando o banco de reservas. O primeiro voltou ao time e marcou o seu primeiro gol pela Série A (além de mostrar muita vontade em campo).

Já o segundo entrou no segundo tempo na partida do último sábado, contra o Ipatinga, e marcou os dois (belos) gols da vitória. O suficiente para a afinada dupla de 2006 – quando o Alvirrubro conseguiu o acesso à elite depois de 12 anos – voltasse a ser a preferida da torcida do Náutico.

Com 41% dos votos (18), a dupla Felipe e Kuki (foto acima) venceu a enquete do blog sobre a melhor formação para o ataque timbu. Ao todo, foram oito opções – todas utilizadas nesta Série A, diga-se. A opção “Felipe e Wellington” ficou em segundo lugar, com 25% da preferência dos internautas. Os dois são os artilheiros do time na competição, com 5 gols cada. Wellington, porém, se transferiu para o futebol alemão. Acredito que a maioria da torcida acertou na escolha sobre a melhor formação. Um é extremamente dedicado ao clube, enquanto o outro tem um ótimo faro de gols.

Números da votação
41% – Kuki e Felipe
25% – Felipe e Wellington
11% – Kuki e Gilmar
9% – Felipe e Gilmar
7% – Wellington e Warley
2% – Wellington e Gilmar; William e Felipe; Warley e Felipe

Tem nova enquete no ar. Participe!

Foto: Arquivo/DP

De algum lugar no Quênia…

Mapa do blogA internet é mesmo uma das maiores – senão a maior – ferramentas de aproximação da atualidade. Só isso mesmo para explicar o fato de internautas de 23 países já terem acessado o blog, que está no ar há pouco mais de um mês.

Ao lado, o mapa com as visitações (a cor verde indica a origem dos internautas). Claro que a maioria é formada por brasileiros (97%), mas o que me chamou a atenção, entre os internautas do exterior, foram as duas visitas do Quênia… Duas visitas da capital Nairóbi. Mas o que teria levado alguém de tão longe, de uma região tão sofrida na África, a entrar nesse endereço? Olimpíadas, futebol brasileiro? Será que foi ‘sem querer’ (via google)? Não sei. Mas foi bacana.

No Quênia, apenas 1,6% da população tem acesso à internet. Com certeza, trata-se de uma das conseqüências da pobreza do país, que tem uma renda per capta de apenas 1.000 dólares (e é conhecido pelos seguidos escândalos de corrupção). Por isso, como agradecimento (a todos os visitantes, aliás), esse post vai falar um pouco sobre o futebol queniano. Para começar, a Federação de Futebol do Quênia quase foi suspensa neste ano pela Fifa…

A decisão eliminaria a seleção das eliminatórias africanas para a Copa do Mundo de 2010. O motivo seria a interferência do governo federal na federação, algo proibido pela Fifa. No entanto, o Quênia segue na disputa pela inédita vaga no Mundial. A missão, porém, segue complicada, como admitiu o técnico da seleção, Francis Kimanzi, em uma entrevista ao site da Fifa. “Eu não estou olhando para o grupo de qualificação ainda. Tudo o que eu quero é fazer com que o grupo fique o mais competitivo possível”, disse.

A disputa ainda está na primeia fase, ao lado de mais 47 nações. O Quênia está na liderança do grupo 2, com 10 pontos. No sábado, a equipe venceu a Namíbia por 1 x 0, em casa. Time base: Ayuko; Owino, Ochieng, Mwangi e Ouma; Oliech, Opondo, Makacha e Wanjohi; Mariga e Mambo.

Federação de Futebol do QuêniaLIGA – O primeiro campeonato nacional aconteceu em 1963, logo no ano da independência do país em relação ao Reino Unido. O Nakuru All-Stars venceu a liga, com 10 equipes naquele ano. O Leopards e o Mahia são os maiores campeões, com 12 taças cada. Na atual temporada, o Mathare United, de Nairóbi, lidera com 41 pontos, quatro a mais que o vice-líder, Sony Sugar, de Awendo.

A próxima rodada da competição será em 13 de setembro. Além do baixo nível técnico, o futebol do país ainda é bastante desorganizado. Para se ter uma idéia, em 2004 foram realizadas duas ligas, uma pirata e uma oficial (esvaziada), vencidas por Utalii e Coast Stars, respectivamente.

Foi feito então um terceiro campeonato, para decidir a vaga para a Copa dos Campeões Africanos, e o vencedor foi Ulinzi, que acabou sendo considerado o campeão queniano de 2004. No entanto, o Ulinzi desistiu da competição continental e foi substituído pelo vice, o Tusker. Como punição, a Confederação Africana de Futebol (CAF) excluiu o Ulinzi de qualquer campeonato por 3 anos.

Simples, né?!

Seleção do QuêniaRepública do Quênia
Independência: 1963
Área: 582.650 quilômetros quadrados
Capital: Nairóbi
Idiomas: inglês e suaíli
Moeda: shilling
População: 31.138.735 habitantes
Renda per capta: US$ 1.020
Jogadores de futebol: 75.102
Clubes: 711

Ranking da Fifa: 86º (395 pontos)
A melhor posição do país foi em fevereiro de 2004, quando ficou em 70º. A pior foi em julho de 2007, quando caiu para o 137º lugar. Na foto acima, Mcdonald Mariga (de branco) em ação pelas Eliminatórias da Copa.

Você pode ver todo o ranking de seleções da Fifa AQUI.

Já nas Olimpíadas, o país é uma potência no atletismo. O Quênia terminou em15º lugar nos Jogos de Beijing, com 5 ouros, 5 pratas e 4 bronzes. Todas as medalhas do país foram no atletismo, com destaque para as douradas, obtidas pelos fundistas do Quênia (nas provas entre 800 metros e a maratona).

Em breve, mais um post no mesmo estilo, mas com uma análise das visitações no Brasil.

Scorpions ou ‘Lions’?

Klaus exibe camisa do Sport durante show do Scorpions no RecifeOs fãs da banda Scorpions foram ao delírio durante o grande show no último domingo, no Chevrolet Hall. Os torcedores do Sport ainda tiveram outro motivo para curtir.

Isso porque, logo no começo do show, o vocalista Klaus Meine pegou uma camisa do Leão - que um fã havia jogado no palco - e ficou mostrando a camisa para a multidão (15 mil pessoas).

Muitos vaiaram – é claro -, mas o cazá-cazá foi bem mais alto. Vários torcedores do Sport aproveitaram a chance para tirar dezenas de fotos e gravar vídeos nos celulares. A cena aconteceu durante a música Bad Boys Running Wild. Uma dessas fotos que já circulam na internet é essa acima, de autoria (ainda) desconhecida.

Post com a colaboração de Adriana Reis e Tarcísio Ferraz.