Campeão Farroupilha

Guerra dos FarraposA população do estado do Rio Grande do Sul comemora hoje os 173 anos da Revolução Farroupilha, movimento separatista deflagrado pelos gaúchos em 20 de setembro de 1835. Na época, a então Província de São Pedro do Rio Grande do Sul declarou independência do governo imperial do Brasil. O movimento durou até 1845.

Em 1935, o Campeonato Gaúcho – que ainda era regionalizado, com os campeões citadinos disputando a fase decisiva – foi disputado com muita festa, pois era o centenário da Guerra dos Farrapos. O então Grêmio Atlético do 9º Regimento de Infantaria, da cidade de Pelotas, venceu o Novo Hamburgo na semifinal (3 x 2) e o Grêmio de Porto Alegre numa final melhor-de-três. Na partida decisiva (em 27 de outubro), triunfo do time do interior por 2 x 1, com gols de Cerrito e Cardeal.

Grêmio Atlético FarroupilhaO “Campeão Farroupilha” foi recebido com muita festa em Pelotas, onde chegou no navio Itassucê. O clube – fundado em 26 de abril de 1926 – sempre esteve ligado aos militares. O tal 9º regimento do exército existe e fica em Fragata, bairro onde o time foi fundado. No entanto, o nome da agremiação mudou para Grêmio Atlético Farroupilha (escudo ao lado) em 1941, depois que o então presidente da República, Getúlio Vargas, proibiu que unidades militares emprestassem os seus nomes para associações civis.

Mas a ligação com o exército segue estreita, tanto que os comandantes do batalhão local (hoje o 9º regimento motorizado de Tuiuti) são empossados como presidentes de honra. O Farroupilha disputou a 1ª divisão do Campeonato Gaúcho pela última vez em 2006, quando não passou da primeira fase e acabou sendo rebaixado. Neste ano, ficou em 13º na segunda divisão. O time joga no estádio Nicolau Fico, com capacidade para apenas 5.411 espectadores.

Obs. O time rivaliza na cidade com o Brasil – que segue firme e forte na atual Série C – e com o Pelotas. Curiosamente, cada um dos três tem apenas um título gaúcho.

Versão moderna do Canal 100 no Recife

Entre 1923 e 1931, a capital pernambucana virou um verdadeiro pólo do cinema mudo nacional, com uma grande produção de longas-metragens. O movimento, que ficou conhecido como Ciclo do Recife, teve como maior destaque a película de 35mm “Aitaré da Praia”, um filme sobre jangadeiros, exibido em 1926. No anos 70, o Recife viveu outro bom momento na telona, com uma série de documentários, no Super 8. Não que esteja ocorrendo uma terceira onda cinéfila, mas o fato é que em três anos, quatro títulos, entre filmes e documentários relacionados ao futebol local, foram produzidos e lançados em DVD.

DVD do Grêmio - Inacreditável - A batalha dos AflitosO primeiro foi Inacreditável – A batalha dos Aflitos, mostrando a saga do Grêmio na Série B de 2005, quando o Tricolor conseguiu vencer o Náutico, nos Aflitos, com apenas 7 jogadores, numa partida na qual o adversário ainda teve dois pênaltis a favor. O documentário gáucho, dirigido por Beto Souza, tem 87 minutos de duração e foi lançado no final de 2006. O DVD foi um sucesso de vendas em Porto Alegre e, curiosamente, no Recife.

Aqui, o filme deve ter sido comprado por tricolores e rubro-negros, que depois “presentearam” amigos e parentes alvirrubros. Apesar da derrota trágica em 26 de novembro de 2005, o Náutico conseguiu juntar os cacos e fez uma campanha avassaladora na Segundona do ano seguinte, quando conseguiu o subir para a elite nacional depois de 12 anos.

DVD do Náutico - Batalha dos Aflitos 2 - A volta por cimaE assim os alvirrubros deram o troco, lançando em 24 de abril de 2007 a Batalha dos Aflitos 2 – A volta por cima. O filme de 90 minutos – dirigido pelos também torcedores do Timbu Carlos Renato e Teta Barbosa – tem como ponto alto a vitória por 2 x 0 sobre o Ituano, novamente nos Aflitos, que dessa vez explodiu de alegria.

O palco do aguardado lançamento primeiro DVD sobre o inédito título rubro-negro da Copa do Brasil de 2008 foi propício, com o evento na loja Espaço Sport. Filme sobre a conquista do Sport em 11 de junho, sobre o Corinthians, em uma Ilha do Retiro repleta por 34 mil torcedores. A “Reconquista do Brasil” foi produzida e editada por Tiago Medeiros. O filme é uma co-produção entre a Rede Globo e o Sport. Ao todo, 10 mil cópias foram feitas. O filme está sendo vendido em bancas de jornal da cidade por R$ 19,90.

DVD do Sport - A reconquista do BrasilO Leão, por sinal, ainda tem outro DVD sobre o mesmo tema, o “Sport Club do Brasil”, com imagens inéditas dos bastidores do título e imagens da torcida, que foi a maior a arma da equipe durante a competição. Esses exemplos refletem apenas uma tendência nacional, apontada diretamente para o marketing. Muitos clubes já faturam bastante com a produção de DVDs, como o São Paulo.

O Tricolor Paulista tem, inclusive, um contrato de três anos com a gigante norte-americana Warner Bros (de R$ 3 milhões), para a produção de futuros filmes sobre o clube. Manchester United e Milan também têm contrato com WB. Além de filmes, a empresa também fica responsável pelos souvenires, sempre projetando um faturamento maior a partir algo imprescindível para um clube: história.

DVD Sport Club do Brasil, de 2008Curiosidade: Antigamente, a produção de vídeos sobre os times do Recife era algo raríssimo. Em 1994, o próprio Sport lançou uma fita VHS contando a boa temporada do Rubro-negro, que foi campeão do Estadual, da Copa do Nordeste e  11º lugar na Série A. A fita foi produzida pela empresa RWM.

Obs. Para quem não entendeu o título “Canal 100″, clique aqui. Se entendeu e gostava, clique também. É base de todos os filmes sobre futebol no país, a partir da estética e narrativa, inconfundíveis.