Lelé da Cuca

A temporada na Série A de 2008 tem sido horrorosa para o técnico Cuca. Apesar de badalado por boa parte da imprensa, o treinador – cujo perfil é conhecido por armar equipes que jogam bonito – não vem conseguindo bons resultados no Brasileirão. E olhe que ele já teve várias chances. E em três clubes diferente. Atualmente, comanda o Fluminense (onde chegou em 17 de agosto), lanterna da competição.

Aos 45 anos, o paranaense Alexis Stival participou de 25 das 27 rodadas da Série A (ficou de fora apenas da 4ª e da 19ª). Ele tem um aproveitamento de 36%. Caso Cuca tivesse treinado um único time no período, hoje ele teria 29 pontos com esse índice, e estaria em 15º lugar. Curiosamente, nas duas rodadas em que ele “folgou”, o clube que o demitiu também perdeu, ambas para o Náutico, que bateu Botafogo (3 x 0) e Santos (1 x 0).

Cuca em 3 momentos em 2008: Botafogo, Fluminense e SantosBotafogo – 3 jogos
4 pontos – 44,4%
1 vitória
1 empate
1 derrota

Santos – 14 jogos
13 pontos – 30,95%
3 vitórias
4 empates
7 derrotas

Fluminense - 8 jogos
10 pontos – 41,6%
2 vitórias
4 empates
2 derrotas

Total - 25 jogos – 27 pontos – 36%
6 vitórias
9 empates
10 derrotas

Tí-tu-los di-vi-di-dos

Metade da taça... Alegria pela metade?O esforço foi o mesmo, mas a conquista acaba sendo divididaAlgumas competições já tiveram apenas 2 times… Outras já passaram da barreira dos 500 clubes, como a tradicional Copa da Inglaterra. Por mais que pouquíssimos times tenham alguma chance de fato, todos eles entram na disputa pelo “título”, com o sonho de escrever o nome na galeria de campeões. Poisé… Mas nem sempre a história é assim.

Regulamentos confusos, campeonatos paralelos, polêmica na final, ou até mesmo contagem errada na disputa de pênaltis… Esses são alguns dos motivos que já levaram a várias divisões de título em inúmeras competições Brasil afora.

Até o “recorde” é dividido. O Torneio Rio-São Paulo de 1966 e o Campeonato Cearense de 1992 tiveram 4 campeões. Abaixo, algumas divisões históricas.

4 campeões

  • Torneio Rio-SP, 1966: Corinthians, Santos, Botafogo e Vasco – Falta de datas para as finais, e também por causa da proximidade da Copa do Mundo, que desfalcaria bastante os participantes.
  • Ceará, 1992: Ceará, Fortaleza, Icasa e Tiradentes – Fortaleza (que ganhou 2 turnos) e Ceará (1) fizeram a final, mas o STJD puniu o Fortaleza com a perda de 5 pontos no 1º turno. Assim, a primeira etapa ficou com o Tiradentes. Pelo regulamento, teria que haver um quadrangular final, com a presença do Icasa (índice técnico). A diretoria do Fortaleza entrou na Justiça Comum (algo proibido pela Fifa), mas a federação cearense declarou os 4 como campeões. Simples.

2 campeões

  • Torneio Rio-SP, 1964: Botafogo e Santos. Jogaram apenas a primeira partida da decisão (Fogão 3 x 2), e depois foram excursionar na Europa…
  • São Paulo, 1973: Santos e Portuguesa – O árbitro Armando Marques errou na contagem na decisão por penaltis e declarou o Peixe campeão. No entanto, a Lusa, que deixou logo o Morumbi, ainda tinha chance. No dia seguinte, a federação paulista (FPF) deu a taça para os dois.
  • Carioca, 1907: Botafogo e Fluminense – As duas torcidas esperaram 90 anos para saber o veredicto da federeção do Rio de Janeiro (Ferj), que declarou os rivais como campeões em 97, após o julgamento no STJD. Em 1907, eles não entraram em acordo na disputa da final e o título ficou sub judice.
  • Ligas paralelas de SP: 1913, 14, 15, 16, 26, 27, 28, 29, 35 e 36, os anos com mais de um campeonato (link com a lista com os vários campeões).
  • Ligas paralelas do RJ: 1912, 24, 33, 34, 35, 36 e 37, os anos com mais de um torneio (link com a lista com os inúmeros vencedores).

Sub judice

Carioca, 2002: O Fluminense foi o campeão estadual no ano do seu centenário. O Bangu, porém, entrou na justiça, pois na semifinal, entre os dois times, o goleiro Eduardo marcou o gol da vitória do time do subúrbio carioca no último minuto da prorrogação. O juiz, de maneira inacreditável, alegou que o lance foi com a mão! Neste ano, a Ferj tirou o nome do Flu da lista de campeões e colocou “sub judice“. Uma decisão poderá proclamar 3 vencedores. O Americano, vice, também seria beneficiado.

Bem mais que 1 ponto

Alvirrubros lutaram muito, mas encontraram um adversário fortíssimo do outro ladoEm um jogo duríssimo, Náutico e Palmeiras não mexeram no placar, na tarde do domingo, nos Aflitos. Os dois times até tiveram chances claras de gol, mas por algum detalhe sempre presente no futebol, o resultado foi mesmo 0 x 0. Ponto fundamental para o Timbu, diante de um adversário técnico e forte, e que também saiu satisfeito pelo empate.

Também pudera, já que após 13 rodadas consecutivas com o Grêmio na liderança, o Verdão tomou o lugar e agora está na ponta da Série A, com a mesma pontuação do clube gaúcho (50). Os paulistas levam vantagem no número de vitórias (15 x 14).

Pentacampeão brasileiro como técnico, Luxemburgo já mira a 6ª estrelaO Palmeiras é o 5º time a liderar o Brasileirão deste ano. Também já ocuparam o lugar Flamengo (10 vezes), Cruzeiro (2) e o próprio Alvirrubro, na 2ª rodada. Com o resultado, o Alviverde entrou de vez na briga pelo título nacional.

Apesar de contestado por causa de algumas atitudes extra-campo, a verdade é que Vanderlei Luxemburgo (foto) é o maior campeão como técnico da Série A. Com 5 troféus no currículo, Luxa caminha para a 6ª conquista. Ele já foi campeão em 1993, 1994 (ambos com o Palmeiras), 1998, (Corinthians), 2003 (Cruzeiro) e 2004 (Santos).

Fotos: Alexandre Gondim/DP