As arquibancadas recifenses sem o TCN

Todos com a Nota

Náutico, Santa Cruz e Sport já jogaram oito vezes com o mando de campo no Estadual.

O blog vem acompanhando rodada a rodada a média de público da competição, considerando os dados absolutos (veja aqui).

Esse post, contudo, vai focar apenas o público pagante. A alta média do Campeonato Pernambucano de 2012 foi tema de um debate no programa Redação SporTV.

“Acho que (o TCN) distorce um pouco. Eu não sou contra, não, mas a gente fica sem saber realmente o quanto o torcedor tiraria do bolso se tivesse que assistir ao jogo”

Esse foi o questionamento de um dos jornalistas presentes na mesa, André Fontenelle, chefe de redação do SporTV em São Paulo (veja aqui).

Eis os dados dos grandes clubes considerando somente a arquibancada “paga”.

Santa Cruz
Santa CruzPúblico pagante: 89.656 pessoas
Média: 11.207 (44,5% do público total)
Renda: R$ 1.465.265
Média do bilhete: R$ 16,34

Sport
SportPúblico pagante: 65.570 pessoas
Média: 8.196 (46,9% do público total)
Renda: R$ 1.055.240
Média do bilhete: R$ 16,09

Náutico
NáuticoPúblico pagante: 24.384 pessoas
Média: 3.048 (27,1% do público total)
Renda: R$ 451.470
Média do bilhete: R$ 18,51

Vamos a algumas observações sobre os números, disponíveis no site oficial da FPF.

1) A média coral seria alta de todo jeito, em qualquer torneio regional do país.
2) O Rubro-negro teve a maior participação de público pagante no número total.
3) O ingresso praticado nos Aflitos é o mais caro da capital. Dois reais a mais.

4) O mais importante. Os números acima devem ser analisados com a ponderação de que ainda há uma gama enorme de torcedores que vão através do Todos com a Nota.

Nada indica que todos esses torcedores deixariam de ir aos jogos. Em 2007, na única edição sem subsídio desde 1998, devido à transição do Futebol Solidário para o Todos com a Nota (TCN), o torneio acabou sendo realizado apenas com ingressos pagos.

A média do Sport foi de 18.824, seguido por Santa (8.812) e Náutico (7.176). Portanto, a promoção não pode ser apontada como desculpa para o fiasco de outros Estaduais…

Paul McCartney. Ex-beatle no Arruda, com choque de datas

Paul McCartney

Secretário de Turismo do Recife, o ex-presidente timbu André Campos confirmou a realização de dois shows de Paul McCartney em Pernambuco. Informação via Twitter.

Dias 21 e 22 de abril. O estádio do Arruda foi o local escolhido. Palco de grande porte, até porque o público deve passar de 50 mil pessoas. Em cada apresentação…

À parte do site oficial do cantor – que ainda não confirmou -, vamos às consequências.

O anúncio encerra uma expectativa que vinha desde maio do ano passado (veja aqui).

Ao Santa Cruz, que ainda não foi comunicado, a receita através do aluguel do Mundão e de parte da bilheteria. A arrecadação do clube deverá passar de R$ 500 mil. O São Paulo, que realizou o mesmo show recentemente, faturou R$ 1 milhão.

O luco vem acompanhado de um pequeno empecilho no calendário futebolístico.

Caso o Tricolor se classifique em 3º ou 4º, terá que jogar a primeira partida da semifinal do Estadual em casa. Na tabela oficial, o jogo seria num domingo, 22 de abril.

Não adiantaria antecipar a semifinal para o sábado, obviamente.

Então, o jogo poderia ser antecipado para a quarta, uma vez que a fase classificatória do certame local terminará no dia 15 de abril, correto? Em tese, sim. Mas…

Neste dia, o calendário reserva os jogos da segunda fase da Copa do Brasil.

Vamos tentar outra alternativa. O jogo poderia ser adiado? Talvez. Porém, o calendário reserva a quarta seguinte às oitavas de final. No domingo, o jogo de volta da semi.

O show do ex-beatle tem tudo para ser um dos maiores da história do estado, mas Sir Paul já vai aterrissar no Recife mudando até o futebol. Tem crédito para isso, diga-se.

Nove gols na Bombonera. E não deu Boca

Um dos maiores jogos de futebol na Argentina nos últimos tempos…

Boca Juniors 4 x 5 Independiente, com mais de 50 mil pessoas na Bombonera, no domingo. O Rojo abriu 3 x 1, mas permitiu a virada no placar, no segundo tempo.

Aos 44, começou a reescrever a história. Vídeo para curtir, sem mais.

O fim (parcial) da ditadura do futebol brasileiro

Ricardo Teixeira, presidente da CBF de 1989 a 2012. Foto: CBf/divulgação

Após a saída na surdina com a licença médica, o comunicado oficial da renúncia, através de uma carta, nesta segunda. Ricardo Teixeira não é mais o presidente da CBF.

Ficou 23 anos e dois meses no poder. Veja a matéria da Placar sobre a sua posse aqui.

A ditadura militar do país, só para citar um mau exemplo, durou 21 temporadas. A diferença é que o regime realmente mudou no Brasil depois daquela era.

Na Confederação Brasileira de Futebol, a estrutura segue com os mesmos nomes…

Eis uma boa oportunidade para que os clubes assumam o poder. Mas sem articulação? Se uma liga não sair agora, então realmente será por falta de interesse/força.

Mas, é verdade, não será nada fácil acabar com vícios antigos na entidade. Uma cortesia aqui, uma ajuda ali. Assistencialismo à frente do profissionalismo.

Quem assume o posto é o paulista José Maria Marin, de 79 anos, então vice-presidente. No começo do ano flagraram o dirigente colocando no bolso uma medalha de premiação da Copa São Paulo de Juniores… Só para ilustrar o nível, claro.

Ele chega ao topo não só da CBF, com sede no Rio de Janeiro, como do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014.

Por sinal, vale a pergunta… Acabou a ditadura ou mudou o ditador?

Até o Mundial, com Teixeira enfraquecido, cabe ao governo federal tomar as rédeas. E Teixeira, como se especulava há semanas, vai mesmo ver a Copa de Miami…

Saiu pela porta dos fundos. Embarcou com inúmeras denúncias de corrupção.

Pois pode começar a contar o tempo, sem pressa, até que essas denúncias resultem em algo concreto para o cidadão, com CPIs no currículo.

Um dia histórico na CBF, certamente. Mas a continuidade não é nada animadora.

José Maria Marin, presidente da CBF de 2012 a 2015. Imagem: ESPN

Cobral Coral e Carcará em busca da Série B

A final do Estadual está marcada para o dia 13 de maio.  O tempo de preparação para a Série C será de duas semanas. Depois, 18 jogos na primeira fase.

Com um calendário mais digno na competição, Santa Cruz e Salgueiro serão os representantes pernambucanos na Terceirona, com quatro vagas à Série B de 2013.

A CBF publicou nesta segunda-feira a tabela básica do torneio, cuja fase inicial vai até 23 de setembro. Serão quatro meses de disputa. Depois, mata-mata (veja aqui).

Algoz na Série D 2010, o Guarany de Sobral visitará o Santa na estreia, no Arruda. Já o Carcará começa voando para longe, até o Acre, para enfrentar o Rio Branco.

Santa e Salgueiro estão no grupo A, ao lado de Guarany/CE, Paysandu/PA, Luverdense/MT, Fortaleza/CE, Águia/PA, Cuiabá/MT e Icasa/CE.

Estadual mais enxuto para ceder espaço ao Nordestão?

Nordestão

Não havia dúvida alguma de que a volta do Campeonato do Nordeste ao calendário oficial da CBF acabaria modificando a estrutura do Estadual.

Nenhum matemático conseguiria encontrar a solução para colocar um arrastado certame local com 26 datas ao lado do regional antes do início do Brasileiro, em maio.

Inicialmente, há três meses, se pensou num número mais enxuto de clubes no Pernambucano, com dois turnos (veja aqui).

Agora, se fala em 14 times, mas com turno único. Nos dois casos, menos partidas na tabela, além da presença do retorno do Nordestão, garantido via acordo judicial entre Liga do Nordeste e CBF por pelo menos uma década.

Por sinal, este é o tema da nova enquete do blog… Participe!

Você é a favor da redução do número de jogos no Estadual para a implantação do Nordestão no primeiro semestre de 2013?

  • Sport - Sim (43%, 536 Votes)
  • Sport - Não (15%, 186 Votes)
  • Santa Cruz - Sim (15%, 183 Votes)
  • Náutico - Sim (14%, 169 Votes)
  • Santa Cruz - Não (9%, 106 Votes)
  • Náutico - Não (4%, 58 Votes)

Total Voters: 1.238

Loading ... Loading ...

Ranking dos pênaltis e dos cartões vermelhos (16)

Se não fosse a expulsão do volane Pio, do Salgueiro, após a agressão sobre o ala Renatinho, do Santa, a atualização do ranking dos pênaltis e dos cartões vermelhos do Estadual contaria com os mesmos dados da rodada anterior.

Nenhuma penalidade foi marcada nesta 16ª rodada. Confira as duas listas.

Pênaltis a favor (36)
5 pênalti – Serra Talhada
4 pênaltis – Santa Cruz, Porto, Petrolina e Central
3 pênaltis – Sport, Náutico e América
2 pênaltis – Salgueiro e Araripina
1 pênalti – Belo Jardim e Ypiranga

Pênaltis cometidos
7 pênaltis – Araripina
4 pênaltis – Belo Jardim e Serra Talhada
3 pênaltis – Ypiranga, Sport, América e Santa Cruz
2 pênaltis – Central, Porto, Salgueiro e Náutico
1 pênalti – Petrolina

Observações
América defendeu 1 pênalti e perdeu 2 pênaltis
Araripina defendeu 1 pênalti e perdeu 1 pênalti
Belo Jardim defendeu 1 pênalti
Central defendeu 1 cobrança e 1 perdeu pênalti
Náutico defendeu 1 cobrança
Petrolina perdeu 1 pênalti
Porto perdeu 1 pênalti
Santa Cruz perdeu 2 pênaltis
Serra Talhada desperdiçou 1 pênalti e defendeu 1 pênalti
Sport defendeu 1 cobrança
Ypiranga defendeu 2 cobranças

Cartões vermelhos (só para os grandes)

1º) Santa Cruz – 6 adversários expulsos; 1 jogador recebeu o vermelho
2º) Náutico – 4 adversários expulsos; 2 jogadores receberam o vermelho
3º) Sport – 3 adversários expulsos; 2 jogadores receberam o vermelho