Atlético, Newell´s, Santa Fé e Olimpia na reta final do sonho da Libertadores

Semifinal da Taça Libertadores da América 2013: Atlético-MG x Newell´s Old Boys e Independiente Santa Fé x Olimpia. Fotos: Conmebol/divulgação

Brasil x Argentina, na versão Atlético Mineiro x Newell´s Old Boys.

Colômbia x Paraguai, com Independiente Santa Fé versus Olimpia.

As semifinais da Taça Libertadores da América irão confrontar quatro países num misto de técnica, catimba, garra e desejo por glória.

A melhor campanha, o melhor jogador, um caldeirão implacável e uma equipe encaixada. Difícil não imaginar o Atlético Mineiro como o  favorito ao título, ainda mais com o status de único brasileiro – o país venceu as últimas três edições. Liderado por Ronaldinho, o alvinegro vem trucidando os times em BH. Passou apuros diante do Tijuana, mas avançou no estilo copeiro e já mira a taça conquistada pelo rival Cruzeiro. Caso avance à final terá que jogar no Mineirão. Precisará conter a ansiedade de títulos importantes, desde 1971..

Na Argentina, o Newell´s Old Boys visa reparar a lacuna deixada pelos traumáticos vice-campeonatos continentais em 1988 e 1992. Quer fortalecer a alcunha de maior clube do interior do país. É o que detém mais títulos nacionais, cinco, e pode ser tornar o primeiro a erguer uma Libertadores. O time dirigido por Gerardo Martino – vice-campeão pelo Newell´s como jogador – tem atletas experientes como Scocco, Heinze e Maxi Rodriguez.

Na outra chave, o “azarão”. A cada jogo em Bogotá a torcida do Santa Fé abre uma enorme bandeira que cobre quase toda a arquibancada. Ato de uma hinchada que suportou um hiato de 37 anos sem taças. O enorme jejum só acabou em 2012, com o 7º título colombiano e volta à Libertadores. Se na Colômbia o Santa Fé é um dos mais tradicionais, nunca rebaixado, no exterior passa à paisana. Igualar as Libertadores de Atlético Nacional (1989) e Once Caldas (2004) ainda é um sonho. Cada vez mais próximo.

Já o Olimpia só aumenta a sua mística no Paraguai. O alvinegro de Assunção é o mais popular do país vizinho e também o maior campeão nacional. Além disso, é o único com títulos da Libertadores. E nunca foi um surpresa, tanto que já é tricampeão. Por sinal, o Olimpia, atuando com uma boa dose de catimba no Defensores del Chaco, pode se tornar o primeiro clube da história a conquistar o torneio em quatro décadas diferentes. Venceu em 1979, 1990 e 2002.

3 thoughts on “Atlético, Newell´s, Santa Fé e Olimpia na reta final do sonho da Libertadores

  1. Bacana seu texto. Mas não concordo que há uma ansiedade por “títulos importantes” desde 1971. Nesse ínterim, o Galo conquistou 2 Copas Conmebol, 1 em cima do supracitado Olímpia do Paraguai e outra contra o Lanús da Argentina. A primeira em 1992 e a segunda em 1997 de forma invicta. Em 1978, o clube foi Campeão dos Campeões Brasileiros, até fazendo justiça ao Campeonato de 1977 que o clube perdeu de forma invicta e injusta. Até o final da década de 80, os estaduais valiam muito e o Galo foi soberano em Minas Gerais, conquistando 1 Hexacampeonato de 78 a 83, e vários Campeonatos e Bicampeonatos. Temos ansiedade em voltar a ganhar o Brasileirão e ganhar a Libertadores inédita, isso é verdade.
    Que assim seja.
    PS: Desconsidere os 2 posts anteriores com erros de digitação.

  2. A melhor campanha, o melhor jogador, um caldeirão implacável e uma equipe encaixada. Difícil não imaginar o Atlético Mineiro como o favorito ao título, ainda mais com o status de único brasileiro – o país venceu as últimas três edições. Liderado por Ronaldinho, o alvinegro vem trucidando os times em BH. Passou apuros diante do Tijuana, mas avançou no estilo copeiro e já mira a taça conquistada pelo rival Cruzeiro. Caso avance à final terá que jogar no Mineirão. Precisará conter a ansiedade de títulos importantes, desde 1971..

    Bacana seu texto. Mas não concordo que há um ansiedade por títulos importantes de 1971. Nesse ínterim, o Galo conquistou 2 Copas Conmebol, 1 em cima do supracitado Olímpia do Paraguai e outra contra o Lanús da Argentina. A primeira em 1992 e a segunda em 1997 de forma invicta. Em 1978, o clube foi Campeão dos Campeões Brasileiros, até fazendo justiça ao Campeonato de 1977 que o clube perdeu de forma invicta e injusta. Até o final da década de 80, os estaduais valiam muito e o Galo foi soberano em Minas Gerais, conquistando 1 Hexacampeonato de 78 a 83, e vários Campeonatos e Bicampeonatos. Temos ansiedade em voltar a ganhar o Brasileirão e ganhar a Libertadores inédita, isso é verdade.
    Que assim seja.