As chances de Sport e Santa Cruz para ir à Sul-Americana de 2016 via Copa do Brasil

Copa Sul-Americana

Com o sorteio da Copa do Brasil de 2016, definindo o chaveamento até a 3ª fase, já é possível projetar as chances dos clubes pernambucanos para obter a classificação à Copa Sul-Americana desta temporada. Na prática, isso vale para o Santa Cruz, pois o Sport já tem a pré-vaga, tendo “apenas” que ser eliminado até o terceiro mata-mata. Se isso acontecer, já entra na Sula como “Brasil 1″.

Já no caso coral, caso não conquiste a Lampions League de 2016, será preciso torcer por vários resultados. Mas, como já aconteceu antes, é algo bem plausível. Primeiro, relembre a fila. Depois vamos às possibilidades…

Fila de espera para as seis primeiras vagas do país (Brasil 1 a Brasil 6)
1º) Sport (6º na Série A)
2º) Santos (7º na Série A)
3º) Cruzeiro (8º na Série A)
4º) Atlético-PR (10º na Série A)
5º) Ponte Preta (11º na Série A)
6º) Flamengo (12º na Série A)
7º) Fluminense (13º na Série A)
8º) Chapecoense (14º na Série A)
9º) Coritiba (15º na Série A)
10º) Figueirense (16º na Série A)
11º) Botafogo (1º na Série B)
12º) Santa Cruz (2º na Série B)
13º) Vitória (3º na Série B)
14º) América-MG (4º na Série B)
15º) Avaí (17º na Série A)
16º) Vasco (18º na Série A)
17º) Goiás (19º na Série A)
18º) Joinville (20º na Série A)

Em 12º na fila, o Santa torce para que seis dos onze à sua frente avancem às oitavas de final. Assim, ficaria ao menos com a sexta vaga internacional via Brasileiro/Copa do Brasil – as outras duas, completando oito representantes, vêm da Copa do Nordeste e da Copa Verde. Em 2015, essa conta deu certo, com a última vaga ficando com a Ponte Preta, vice da Série B. Agora, em três casos dois concorrentes diretos ficaram na mesma chave. Ao Tricolor, isso é ótimo. Num hipotético confronto na terceira fase, um dos dois times seria “obrigado” a passar, deixando a briga pela Sula, naturalmente. Para forçar o confronto, basta torcer para não haver tropeço nas duas primeiras fases.

Atlético-PR ou Chapecoense
Sport ou Fluminense
Ponte Preta ou Figueirense

Os outros cinco concorrentes estão “isolados” em suas chaves. No caso do Peixe, é difícil imaginar uma eliminação precoce. No caso do Fla, um caminho bem mais complicado, com Fortaleza, América Mineiro e Bahia. Confira os adversários de cada um e os pitacos do blog sobre um possível carrasco.

Santos
1ª fase – Santos-AP
2ª fase – Rio Branco-AC ou Galvez-AC
3ª fase – ABC-RN, Goianésia-GO, América-RN ou Gama-DF
A chance de tropeço: ABC

Cruzeiro
1ª fase – Campinense-PB
2ª fase – Londrina-PR ou Parauapebas-PA
3ª fase – Vitória-BA, Náutico-RR, Portuguesa-SP ou Paranahyba-PI
A chance de tropeço: Vitória

Flamengo
1ª fase – Confiança-SE
2ª fase – Fortaleza-CE ou Imperatriz-MA
3ª fase – Bahia-BA, Globo-RN, América-MG ou Red Bull-SP
A chance de tropeço: Bahia

Coritiba
1ª fase – Guarany-CE
2ª fase – Juventude-RS ou Tocantinópolis-TO
3ª fase – Criciúma-SC, Operário-PR, Paysandu-PA ou Independente-PA
A chance de tropeço: Paysandu

Botafogo
1ª fase – Coruripe-AL
2ª fase – Cuiabá-MT ou Juazeirense-BA
3ª fase – Avaí-SC, Operário-MT, Bragantino-SP ou Brasília-DF
A chance: Avaí

Levando em conta que três times se classifiquem nas chaves com dois concorrentes, então seria preciso que três dos cinco “isolados” avancem. Santos, Cruzeiro e Botafogo têm boas chances. Logo, o Santa Cruz também… à Sul-Americana. Indo além, no sorteio, a possibilidade de Sport x Santa seria de 25%, pois seria Brasil 1 x Brasil 5, 6, 7 ou 8. Já pensou?

Participações pernambucanas na Copa Sul-Americana:
Sport – 2013, 2014 e 2015
Náutico – 2013

Lionel Messi, cinco vezes o melhor jogador de futebol do mundo

Lionel Messi, o melhor do mundo em 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015. Fotos: Fifa/divulgação

“Espero apanhar o Messi já na próxima época.”

Vai ter que esperar alguns anos, Cristiano Ronaldo…

Com um português de raiz, Cristiano Ronaldo havia dito há um ano qual seria o seu objetivo em 2015. Declaração dada com a Bola de Ouro nas mãos, a sua terceira. Caso conquistasse o badalado prêmio mais uma vez, empataria com o seu grande rival no futebol, Lionel Messi.

Com cinco títulos na temporada, comandando o Barcelona e o brilho de sempre, após se recuperar de uma grave lesão, o gênio argentino não deixou margem alguma para dúvidas na escolha do melhor jogador do mundo na temporada. Chegou a cinco nomeações, recorde absoluto.

Após as premiações de 2009 a 2012, La Pulga volta ao topo de fato e de direito. Sim, porque mesmo nos dois anos em que o craque português foi o escolhido o público parecia cético quanto à realidade nos gramados. Seja definindo ou dando o último passe, Messi participou diretamente de 78 gols em 61 jogos no ano (1,27). Ao todo, foram 61 jogos, 52 gols e 26 assistências.

De poucas palavras, Messi disse que ainda pode melhorar.

“Já se passou muito tempo desde 2009. Eu cresci e aprendi algumas coisas. Nos crescemos e aprendemos em todos lugares. Eu ainda estou tentando melhorar o meu jogo.” 

Imagine quando isso acontecer!

Ranking de premiações do “melhor do mundo” (1991-2015):
8 – Brasil (Ronaldo 3, Ronaldinho 2, Romário 1, Rivaldo 1 e Kaká 1)
5 – Argentina (Messi 5)
4 – Portugal (Cristiano Ronaldo 3, Luís Figo 1)
3 – França (Zidane 3)
2 – Itália (Baggio 1 e Cannavaro 1)
1 – Alemanha (Matthäus)
1 – Holanda (Van Basten)
1 – Libéria (Weah)

Também presente na festa em Zurique, Neymar figurou pela primeira vez entre os três melhores, o que não ocorria com um brazuca desde 2007. Com 62 jogos, 45 gols e os mesmo cinco títulos do amigo argentino, Neymar deu o primeiro passo para quebrar a hegemonia Messi/CR7, que já dura oito anos…

Lionel Messi, o melhor do mundo em 2009, 2010, 2011 e 2012. Fotos: Fifa/divulgação

Pernambuco na Copa do Brasil com 86 classificações e 66 eliminações até 2015

Copa do Brasil. Crédito: CBF/site oficial

As estreias pernambucanas na Copa do Brasil de 2016 estão definidas. São quatro representantes, com os seguintes jogos: Santa Cruz x Rio Branco-ES, Salgueiro x Ferroviária-SP, Sport x Aparecidense-GO e Náutico x Vitória da Conquista-BA.

Confira os destalhes sobre os chaveamentos dos times locais aqui.

Até hoje, os clubes pernambucanos já disputaram 152 confrontos na história da Copa do Brasil, iniciada em 1989, com 86 classificações. Confira abaixo o retrospecto completo dos times locais, com sucesso e decepção a cada 180 minutos de bola rolando.

O atual troféu, inspirado na Liga dos Campeões da Uefa, foi instituído há quatro anos. Reveja os outros oito modelos de taças de 1989 a 2012.

Sport – 21 participações (168 pontos, 54,9%)
102 jogos (163 GPC e 106 GC, +57)
48 vitórias
24 empates
30 derrotas
34 classificações e 20 eliminações (62,9% de aproveitamento nos confrontos)

Título – 2008
Vice – 1989
Semifinal – 1992 e 2003
Quartas de final – 1998
Oitavas de final – 1991, 1993, 2007 e 2010
16 avos de final – 1995, 1997, 1999, 2001, 2002, 2004, 2012 e 2015
32 avos de final – 2000, 2011, 2013 e 2014
Eliminações na 1ª fase: 2000 e 2011

Náutico – 20 participações (138 pts, 52,8%)
87 jogos (134 GP e 110 GC, +24)
40 vitórias
18 empates
29 derrotas
26 classificações e 20 eliminações (56,5% de apt. nos confrontos)

Semifinal – 1990
Quartas de final – 2007
Oitavas de final – 1989, 1993, 2003, 2006, 2008, 2009 e 2011
16 avos de final – 1992, 1995, 2000, 2002, 2005, 2010, 2012 e 2015
32 avos de final – 2001 e 2014
64 avos de final – 2013
Eliminações na 1ª fase: 1992, 2001 e 2013

Santa Cruz – 21 participações (112 pts, 47,8%)
78 jogos (105 GP e 101 GC, +4)
32 vitórias
16 empates
30 derrotas
20 classificações e 21 eliminações (48,7% de apt. nos confrontos)

Oitavas de final – 1990, 1991, 1994, 1997, 2004, 2005 e 2010
16 avos de final – 1996, 2001, 2002, 2006, 2011 e 2014
32 avos de final – 1999, 2000, 2003, 2007, 2008, 2009, 2012 e 2013
Eliminações na 1ª fase: 1999, 2003, 2007, 2008, 2009 e 2012

Salgueiro – 2 participações (12 pts, 40,0%)
10 jogos (13 GP e 12 GC, +1)
2 vitórias
6 empates
2 derrotas
4 classificações e 2 eliminações (66,6% de apt. nos confrontos)

Oitavas de final – 2013
32 avos de final – 2015

Central – 2 participações (6 pts, 33,3%)
6 jogos (4 GP e 9 GC, -5)
1 vitória
3 empates
2 derrotas
2 classificações e 2 eliminações (50% de apt. nos confrontos)

16 avos de final – 2008 e 2009

Porto – 1 participação (0 pt, 0%)
2 jogos (0 GP e 3 GC, -3)
2 derrotas
1 eliminação e nenhuma classificação (0% de apt. nos confrontos)

32 avos de final – 1999
Eliminações na 1ª fase: 1999

Pernambuco – 67 participações (436 pts, 50,9%)
285 jogos (419 GP e 341 GC, +78)
123 vitórias
67 empates
95 derrotas
86 classificações e 66 eliminações (56,5% de apt. nos confrontos)

Título – 2008
Vice – 1989
Semifinal – 1990, 1992 e 2003
Quartas de final – 1998 e 2007
Oitavas de final – 1989, 1990, 1991 (2), 1993 (2), 1994, 1997, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 (2), 2011 e 2013
16 avos de final – 1992, 1995 (2), 1996, 1997, 1999, 2000, 2001 (2), 2002 (3), 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012 (2), 2014 e 2015 (2)
32 avos de final – 1999 (2), 2000 (2), 2001, 2003, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013 (2), 2014 (2) e 2015
64 avos de final – 2013
Eliminações na 1ª fase: 1992, 1999 (2), 2000, 2001, 2003, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012 e 2013

A primeira rodada de Santa, Salgueiro e Sport e Náutico na Copa do Brasil 2016

Sorteio da Copa do Brasil. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Um sorteio na sede da CBF, no Rio, definiu o caminho dos pernambucanos na Copa do Brasil de 2016 até a terceira fase, pois só depois entram os representantes do país na Libertadores. E poderemos ter um Clássico das Emoções já na segunda fase. Até hoje, nunca houve um confronto local.

Confira o chaveamento completo clicando aqui.

Campeão pernambucano em 2015, o Santa irá estrear contra o campeão capixaba, o Rio Branco. Já o Náutico, que só teve a sua vaga confirmada em dezembro, sendo um dos dez beneficiados pelo ranking da CBF, irá encarar o Vitória da Conquista, na viagem mais curta na primeira etapa. Participa com a necessidade de fazer dinheiro. Ou seja, somar as cotas de participação a cada fase. Sobre o possível clássico, em 1999, na Ilha, os rivais disputaram uma seletiva da Copa do Brasil. Na ocasião, o Tricolor venceu por 1 x 0.

Na condição de segundo representante do estado devido ao vice-campeonato no certame local, o Salgueiro pega a Ferroviária de São Paulo. É a terceira participação sertaneja em quatro anos. Curiosamente, também poderá sair um confronto estadual aí, mas na terceira fase, contra o Sport. Único nordestino com uma taça do torneio, em 2008, o Leão jogará contra o Aparecidense, vice-campeão goiano. Mais uma vez terá que “escolher” entre Copa do Brasil e Sul-Americana no segundo semestre, devido ao bizarro critério da confederação.

Possíveis adversários:

Santa Cruz (campeão estadual)
1ª fase – Rio Branco-ES
2ª fase – Náutico ou Vitória da Conquista-BA
3ª fase – Vasco, Remo, CRB ou Ivenhema-MS

Salgueiro (vice-campeão)
1ª fase – Ferroviária-SP
2ª fase – Fluminense ou Tombense-MG
3ª fase – Sport, Aparecidense-GO, Atlético-GO ou Ypiranga-RS

Sport (3º lugar)
1ª fase – Aparecidense-GO
2ª fase – Atlético-GO ou Ypiranga-RS
3ª fase – Fluminense, Tombense-MG, Salgueiro ou Ferroviária-SP

Náutico (Ranking da CBF)
1ª fase – Vitória da Conquista-BA
2ª fase – Santa Cruz ou Rio Branco-ES
3ª fase - Vasco, Remo, CRB ou Ivenhema-MS

Distâncias aéreas:
1.839 km – Sport (Recife) x Aparecidense (Aparecida-GO)
1.810 km – Salgueiro (Salgueiro) x Ferroviária (Araraquara-SP)
1.484 km – Santa Cruz (Recife) x Rio Branco (Cariacica-ES)
998 km – Náutico (Recife) x Vitória (Vitória da Conquista-BA)

A última vez que um representante local caiu logo na eliminatório foi em 2013, com o Náutico despachado pelo Crac nos Aflitos. Aquele ano marcou o início do regulamento que obriga o clube a sair da Copa do Brasil no máximo até a terceira fase para poder disputar a Sul-Americana. Com a pré-vaga internacional na ocasião, a direção timbu abriu logo mão do torneio nacional.

Desempenho na 1ª rodada da Copa do Brasil (1989-2015):

Santa Cruz
21 participações
15 classificações (71%)
6 eliminações (última em 2012)

Salgueiro
2 participações
2 classificações (100%)

Sport
21 participações
19 classificações (90%)
2 eliminações (última em 2011)

Náutico
20 participações
17 classificações (85%)
3 eliminações (última em 2013) 

Total*
67 participações
55 classificações (82%)
12 eliminações (última em 2013)
*Incluindo as participações de Central (2) e Porto (1)