Acervo de Carlos Celso: a história do Sport em números desde 1905

Números do Sport. Arte: Maria Eugênia Nunes/DP

De Guilherme de Aquino, na introdução do futebol no Recife, passando por nomes como Ademir Menezes, Raúl Betancor, Dadá, Roberto Coração de Leão, Leonardo, Durval e Magrão, o Sport escreveu mais de um século de história no futebol. Sobretudo, em sua casa, a Ilha do Retiro, quase octogenária, de uma tradição incomparável para a sua torcida. Mergulhando no acervo de Carlos Celso Cordeiro, vamos a um apanhado de números dão consistência à história do Leão, com o retrospecto geral do clube no Campeonato Pernambucano, no Brasileirão e na Copa do Brasil, além do rendimento leonino atuando na Ilha do Retiro, os maiores artilheiros, quem mais vestiu a camisa rubro-negra e os maiores públicos.

Primeiro jogo: Sport 2 x 2 Englis Eleven, em 22/06/1905, no Derby.

Confira também as estatísticas de Náutico e Santa Cruz.

Dados atualizados até 25 de janeiro de 2016

Estadual 1915-2015 (ranking: 1º)
2.183 jogos (4.904 GP, 2.029 GC, +2.875)
1.384 vitórias (63,39%)
425 empates (19,46%)
374 derrotas (17,13%)
99 participações
40 títulos (entre 1916 e 2014)

Série A 1971-2015 (ranking: 17º)
819 jogos (941 GP, 987 GC, -46)
280 vitórias (34,18%)
232 empates (28,32%)
307 derrotas (37,48%)
34 participações
1 título em 1987

Copa do Brasil 1989-2015
102 jogos (163 GPC e 106 GC, +57)
48 vitórias (47,05%)
24 empates (23,52%)
30 derrotas (29,41%)
21 participações
1 título em 2008

Histórico em decisões no Estadual
Sport 12 x 11 Santa Cruz
Sport 11 x 6 Náutico

Sport na Ilha do Retiro (1937/2016)
2.081 jogos
1.284 vitórias (61,70%)
453 empates (21,76%)
344 derrotas (16,53%)

Maiores artilheiros
202 gols – Traçaia
161 gols – Djalma Freitas
136 gols – Leonardo
108 gols – Luís Carlos
105 gols – Naninho

Quem mais atuou
Magrão – 572 jogos

Clássico das Multidões (1916-2015)
544 jogos
227 vitórias do Sport
153 empates
164 vitórias do Santa

Clássico dos Clássicos (1909-2015)*
542 jogos
208 vitórias do Sport
154 empates
179 vitórias do Náutico
*Um jogo disputado em 29 de março de 1931, no Torneio Abrigo Terezinha de Jesus, possui resultado desconhecido.

Maiores públicos
Clássico
80.203 – Náutico 0 x 2 Sport, no Arruda (Estadual, 15/03/1998)

Outros adversários (torcida única)
56.875 – Sport 2 x 0 Porto, na Ilha (Estadual, 07/06/1998)

6 thoughts on “Acervo de Carlos Celso: a história do Sport em números desde 1905

  1. Como é que o Flamengo e o Internacional jogaram com os principais times do Brasil, iriam decidir o título com dois times que jogaram com times de varzea.PACIÊNCIA, só o Bahia é campeão Brasileiro disputou com o São Paulo e não com o Guarani de Camaragibe.

  2. asterisco em 1987??? a justiça desportiva, a fifa, a justiça comum, todos credenciam o Sport como campeão de 1987. so a imprensa sulista, o rj que colocam asterisco. e claro, os bestas dos nacruz que ficam com esse mimimi exaltando o flamidia, a escoria do futebol honesto e justo!!!

  3. ESTE, sim, É UM GIGANTE NACIONAL. A partir de 1987, quando levantou A TAÇAÇA DAS BOLINHAS, com sua réplica na MEGASALA DE TROFÉUS DO FABULOSO, não parou aí. Em 1988, representou o BRASL na Libertadores daquele ano. Não parou aí. Em 1989, CAMPEONÍSSIMO DA SEGUNDELA, em cima do ATLÉTICO DO PARANÁ. Aí, parou também non. Em 1990, VICE-CAMPEÃO DA COPA BRASL, a primeira. Só não foi o seu real campeão, por um juizinho ladron da p… deixar de marcar um penalti, aos 43 minutos do segundo tempo. bola visivelmente na mão, contra o Gremio. Jogava por um empate. Aí parou. PAROU, UM OOOOOOVO! Continuou deslumbrando o país. Em 2008, LEVANTOU O CANECAÇO DA COPA DO BRASIL, após uma trajetória de arrepiar: LASCOU O BRASILIENSE, CAPOU O INTERNACIONAL, DEGUSTOU O PALMEIRA, CACETEOU O V ASCO, e numa final petrificante, CACETEOU, impiedosamente, o CORINTHIAS. Até JUJU KFOURI, no seu bloguinho, explodiu SPORT, UM IMENSO CAMPEÃO. Cacilda! Alguns clubecos aparecem esporadicamente, mas como chegou, desaparecem NUMA VELOCIDADE. E carimbo, apenas, de clubes pequenos nacionais. Não dão continuidade a uma série de glórias. Aparecem e, meteoricamente, desaparecem. Com o MAIOR DO NORDESTE E ÚNICO CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1987. o oposto. Continua no trilho de conquistas assombrosamente espetaculares. EM 2015, foi a SENSAÇÃO DO FUTEBOL BRASILEIRO. Não fossem seguidos roubos praticados por juizinhos comprometidos, o GIGANTE FABULOSO estaria, hoje, na fichinha da LIBERTADORES. CLUBE GIGANTAÇO É OUTRA COISA! COMO TAMBÉM CLUBECOS QUE COLOCAM O CABEÇOTE FORA DO BURACO E IMEDIATAMENTE O COLOCA NELE, TAMBÉM É OUTRA COISA! Puts! PELO MAGNÍFICO, UMA RAZÃO PARA VIVER, TUDO!!!

  4. 1987 é Nosso, 2008 também,
    Não somos as Tricobarbies,
    Que NUNCA ganharam de ninguém.

    O Choro é livre Çarnentada e semelhantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>