Os campeões do Nordeste e a antiga discussão sobre a chancela dos títulos

Os campeões da Copa do Nordeste: 1994 (Sport), 1997 (Vitória), 1998 (América-RN) e 1999 (Vitória); 2000 (Sport), 2001 (Bahia), 2002 (Bahia) e 2003 (Vitória); 2010 (Vitória), 2013 (Campinense), 2014 (Sport) e 2015 (Ceará)

Post atualizado 25/05/2017

Desde 1946, quando foi realizado um quadrangular em Natal, vencido pelo Fortaleza, foram disputados 38 torneios de futebol de amplitude regional no Nordeste – com pesos diferentes, naturalmente. A antiga discussão acerca da chancela oficial dos títulos segue com a CBF, que evita tocar no assunto sobre as competições anteriores a 1994, data da primeira Copa do Nordeste, também denominada de ”Taça Governador Geraldo Bulhões”. Curiosamente, foi a única reconhecida posteriormente, quando a confederação passou a cuidar da Lampions League. Em setembro de 2014 o presidente da liga, Alexi Portela, encaminhou à direção de competições da entidade uma lista de “campeões oficiais”, incluindo o Torneio José Américo de 1975 e 1976. Até hoje, sem resposta.

Em 2012, devido à publicação do Guia Oficial da CBF, com os títulos informados pelos próprios clubes presentes, o Vitória passou a se proclamar pentacampeão nordestino, somando a taça de 1976. No entanto, o próprio site do clube se contradiz ao considerar o título de 1997 como o primeiro (veja aqui).

Historicamente, o Nordestão – alcunha popular há décadas – sempre foi  intermitente no calendário. Retomado em 2013, após um acordo na justiça entre a Liga do Nordeste e a CBF (que escapou de uma indenização milionária), o torneio está garantido pelo menos até 2022. Cada vez maior, saltando para 20 clubes e premiação de R$ 18,5 milhões em 2017, a Copa do Nordeste já surge como um título mais qualificado e desejado que o Estadual. Até hoje, apenas sete clubes ergueram a taça. A “orelhuda dourada”, aliás, já teve outros nove modelos oficiais. Entretanto, vale relembrar as demais disputas com tradição reconhecida, algumas até no período da precursora CBD. No levantamento do blog, seriam onze torneios, considerando até a recém-criada Taça Asa Branca. 

Nordeste:

Copa Cidade de Natal – 1946 
O torneio foi realizado para celebrar a instalação do sistema de iluminação do estádio Juvenal Lamartine, em Natal, que abrigou todas as partidas.

1946 Fortaleza (4 participantes)

Torneio dos Campeões do Nordeste – 1948
Foi o primeiro torneio com representantes de cinco estados. Todos os jogos ocorreram no Recife. O Santa Cruz , campeão pernambucano no ano anterior, estreou na semifinal.

1948 Bahia (6)

Torneio José Américo de Almeida Filho – 1975/1976
A competição foi organizada em homenagem ao estádio homônimo, o Almeidão, em João Pessoa, inaugurado no mesmo ano. Na temporada seguinte, o torneio foi ampliado, com direito à curiosa participação do Volta Redonda, do Rio de Janeiro.

1975 CRB (6)
1976 Vitória (12)

Copa do Nordeste – 1994/2015 (oficial)
Em 1994, a FPF firmou uma parceria com o governo de Alagoas para organizar a “1ª Copa do Nordeste”, como a competição foi lançada. Com o sucesso, acabou ganhando a chancela da CBF, que passou tomar conta do regional em seu período mais duradouro, a partir de 1997, conferindo ao campeão, inclusive, uma vaga na Copa Conmebol. Desde 2014, o campeão vai à Sul-Americana.

1994 Sport (16)
1997 Vitória (17)
1998 América-RN (16)
1999 Vitória (16)
2000 Sport (16)
2001 Bahia (16)
2002 Bahia (16)
2003 Vitória (12)
2010 Vitória (15)
2013 Campinense (16)
2014 Sport (16)
2015 Ceará (20)
2016 Santa Cruz (20)
2017 Bahia (20)

Taça Asa Branca – 2016
É a única disputa com apenas dois clubes envolvidos, com um jogo. Além do caráter amistoso. Ainda assim, mesmo questionável (no entendimento do blog), a Asa Branca se faz presente por um critério claro: é organizada pela Liga do Nordeste. A taça reúne o atual campeão nordestino (o mandante) e um convidado – o Flamengo foi o primeiro convidado. Em 2017 foi chamado o campeão da Copa Verde (por sinal, essa evolução para “Recopa N-NE” funcionaria melhor).

2016 Ceará (2)
2017 Santa Cruz (2)

Norte e Nordeste:

Torneio dos Campeões do Norte-Nordeste – 1951/1952
A premissa do torneio era uma ampliação da competição realizada na capital pernambucana em 1948. Três anos depois, o Norte foi incorporado, com o Remo chegando na final contra o Ypiranga, campeão baiano pela última vez. No ano seguinte, o Náutico, campeão estadual em 1951, entrou na semifinal do torneio, realizado no Recife.

1951 Ypiranga (8)
1952 Náutico (8)

Copa dos Campeões do Norte – 1966
Apesar do nome, a copa reuniu os vencedores da fase Norte-Nordeste da Taça Brasil. Até 1966, apenas clubes nordestinos haviam vencido. Todos os participantes se enfrentaram em jogos ida e volta na Fonte Nova, PV, Aflitos e Ilha do Retiro.

1966 Náutico (5)

Torneio Hexagonal Norte-Nordeste – 1967
Apesar das duas regiões envolvidas, foram incluídos apenas três estados, com dois pernambucanos, dois cearenses e dois paraenses em jogos de ida e volta.

1967 Santa Cruz (6)

Taça Almir de Albuquerque – 1973
A competição foi, na verdade, a primeira fase do Brasileirão. Na ocasião, foi criado um troféu ao melhor time em homenagem ao atacante Almir Pernambuquinho, revelado pelo Sport em 1956 e que faleceu justamente em 1973. A taça foi instituída a pedido da FPF.

1973 América-RN (16)

Copa Norte – A fase Norte-Nordeste da Taça Brasil – 1959/1968
Agora unificada ao Brasileirão, a pioneira Taça Brasil surgiu em 1959 como a competição que indicaria o representante do país à Taça Libertadores do ano seguinte. Com a precária estrutura de deslocamento de um país continental, o torneio de mata-mata foi regionalizado. Na fase Norte, que compreendia o Norte-Nordeste, o campeão tinha direito a vaga na semi ou na final nacional – sem definição prévia. Os vencedores do zonal celebravam as conquistas regionais, ainda que não fossem um torneio à parte.

1959 Bahia (8)
1960 Fortaleza (9)
1961 Bahia (9)
1962 Sport (11)
1963 Bahia (10)
1964 Ceará (11)
1965 Náutico (11)
1966 Náutico (11)
1967 Náutico (10)
1968 Fortaleza (11)

Torneio Norte-Nordeste – 1968/1970 (oficial)
Paralelamente ao Torneio Roberto Gomes Pedrosa, agora unificado ao Brasileirão, a CBD organizou o interregional oficial para movimentar os clubes, uma vez que não havia sistema de divisão, ou mesmo de classificação, pois a participação no Robertão era via convite.

1968 Sport (23)
1969 Ceará (26)
1970 Fortaleza (36)

Campeões oficiais do Nordeste e do Norte-Nordeste (17):
4 – Vitória e Sport
3 – Bahia
2 – Ceará

1 – Fortaleza, América-RN, Campinense e Santa Cruz

Estados: Bahia (7), Pernambuco (5), Ceará (3), Rio Grande do Norte (1) e Paraíba (1)

Campeões do Nordeste e do Norte-Nordeste, oficiais e não-oficiais (38):
7 – Bahia
5 – Náutico, Vitória e Sport
4 – Fortaleza e Ceará
3 – Santa Cruz
2 – América-RN

1 – Ypiranga, CRB e Campinense 

Estados: Pernambuco (13), Bahia (13), Ceará (8), Rio Grande do Norte (2), Alagoas (1) e Paraíba (1)

15 thoughts on “Os campeões do Nordeste e a antiga discussão sobre a chancela dos títulos

  1. É realmente você está certo a taça testifica o valor do título, agora as dos outros clubes campeões do nordeste fazem as mesmas referências!?

  2. Sejamos honestos colocar o Sport-PE 4, Ceará 2 e Fortaleza 1 como Títulos oficiais agora sua subjetividade têm valor oficial. Quero que diga onde vc vê essas referências como oficiais em SITES OFICIAIS DA CBF.

    Nota do blog

    Herbert, basta ver as fotos do troféu do Torneio Norte-Nordeste 1968: http://tinyurl.com/ycybw34w e http://tinyurl.com/ycho6vlg

    Se a galeria no site da CBF for a única prova, boa sorte. Até porque, hoje, não há lista de torneio algum… Abraço.

  3. Só pra repetir um pouco kkkkkk

    Eu sei que você nao concorda, Cássio, pois já falamos disso. Mas, em 1968 e 1970, o Sport foi Campeão da FASE NORDESTE do Torneio Norte-Nordeste. Em 68, o Sport também foi campeão do Norte-Nordeste. Assim como o Ceará em 69. Já em 70, foi somente do Nordeste, sendo o Fortaleza o campeão do Norte-Nordeste.Penso assim porque, como esta análise é Subjetiva (Não Oficial), e também a FASE NORDESTE da taça Brasil entra nesta subjetividade, por que não Incluir a fase NORDESTE do Torneiro Norte-Nordeste? Seria exatamente o Mesmo Critério.Outro motivo seria que a FASE NE e FASE NO eram torneiros totalmente diferentes, com quantidades de equipes diferentes, com critérios diferentes, até com regulamentos diferentes. Inclusive com volta olímpica e com gritos de “É CAMPEÃO”. Como pode não se considerar vencedor deste torneio?Ou seja, SE QUEREMOS ANALISAR SOMENTE A COPA DO NE Subjetivamente e seus campeões não oficiais, a lista completa teria que incluir este item:Torneio Norte-Nordeste – FASE NORDESTE DA COMPETIÇÃO – 1968/19701968 Sport (14)1969 Ceará (14)1970 Sport (30)E o item Campeões do Nordeste e do Norte-Nordeste, oficiais e não-oficiais (38)seria assim:7 – Sport6 – Bahia5 – Náutico, Vitória e Ceará4 – Fortaleza2 – América-RN1 – Ypiranga, Santa Cruz, CRB e CampinenseEstados: Pernambuco (13), Bahia (12), Ceará (9), Rio Grande do Norte (2), Alagoas (1) e Paraíba (1)_________________________________________________________Obs.: A taça José Américo de Almeida Filho de 75 foi considerada a SERIE B da Copa do NE, somente pra movimentar os times que nao estavam na liga nacional. Sendo o campeão considerado o campeao da serie B do NE. Creio que isso vc já sabe.

  4. Campeonato brasileiro foi de 1971 para cá , e ponto final. Essa regra foi mudada pela CBF ( antro de corruptos, casa de quengas, Bangu V, etc ), só para agradar o caduco do Pelé e beneficiar o santos, time safado, que a parir de 71 não venceu quase mais nada a nível nacional. Essa mudança de regra, e título do lixport de 87 soam como ” la stessa cosa “.

  5. Eu sei que você nao concorda, Cássio, pois já falamos disso. Mas, em 1968 e 1970, o Sport foi Campeão da FASE NORDESTE do Torneio Norte-Nordeste. Em 68, o Sport também foi campeão do Norte-Nordeste. Assim como o Ceará em 69. Já em 70, foi somente do Nordeste, sendo o Fortaleza o campeão do Norte-Nordeste.

    Penso assim porque, como esta análise é Subjetiva (Não Oficial), e também a FASE NORDESTE da taça Brasil entra nesta subjetividade, por que não Incluir a fase NORDESTE do Torneiro Norte-Nordeste? Seria exatamente o Mesmo Critério.

    Outro motivo seria que a FASE NE e FASE NO eram torneiros totalmente diferentes, com quantidades de equipes diferentes, com critérios diferentes, até com regulamentos diferentes. Inclusive com volta olímpica e com gritos de “É CAMPEÃO”. Como pode não se considerar vencedor deste torneio?

    Ou seja, SE QUEREMOS ANALISAR SOMENTE A COPA DO NE Subjetivamente e seus campeões não oficiais, a lista completa teria que incluir este item:

    Torneio Norte-Nordeste – FASE NORDESTE DA COMPETIÇÃO – 1968/1970
    1968 Sport (14)
    1969 Ceará (14)
    1970 Sport (30)

    E o item Campeões do Nordeste e do Norte-Nordeste, oficiais e não-oficiais (38)seria assim:

    7 – Sport
    6 – Bahia
    5 – Náutico, Vitória e Ceará
    4 – Fortaleza
    2 – América-RN
    1 – Ypiranga, Santa Cruz, CRB e Campinense

    Estados: Pernambuco (13), Bahia (12), Ceará (9), Rio Grande do Norte (2), Alagoas (1) e Paraíba (1)

    _________________________________________________________
    Obs.: A taça José Américo de Almeida Filho de 75 foi considerada a SERIE B da Copa do NE, somente pra movimentar os times que nao estavam na liga nacional. Sendo o campeão considerado o campeao da serie B do NE. Creio que isso vc já sabe.

  6. Cássio, por que o Náutico não participou desse torneio de 1968? E o Fortaleza? Eram os melhores times do Nordeste e estavam na competição nacional. Se esse torneio era pra não deixar alguns clubes parados, como considera-lo oficial?

    Nota do blog

    O torneio foi oficial, sim. Organizado pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD), precursora da CBF, o que tira qualquer dúvida sobre o assunto (fotos abaixo). Inclusive, em 1968, foi organizado um torneio dos campeões com os vencedores da Taça Brasil, Torneio Roberto Gomes Pedrosa, Torneio Norte-Nordeste e Torneio Centro-Sul (este, organizado só uma vez). O Náutico não participou do N/NE porque estava no Robertão.

    Fotos da troféu…
    Taça inteira: http://blogs.diariodepernambuco.com.br/esportes/wp-content/uploads/2014/03/20/sport_campeao_trofeu_torneio_norte_nordeste_1968_280.jpg

    Base da taça (com a sigla da CBD): http://blogs.diariodepernambuco.com.br/esportes/wp-content/uploads/2010/12/Torneio-N-NE-1968.jpg

  7. Meu Caro,
    Parabéns, sou cearense torcedor do Ceará e sempre acompanho o seu blog adoro números e estatísticas não é atoa que sou estudante de matemática, esta sua explicação foi perfeita vai tirar a dúvida de muito torcedor desavisado que eu conheço, obrigado.

  8. É apenas um detalhe e posso estar enganado, mas acho que em 2001 e 2002 a competição se denominou campeonato e não copa.

    Nota do blog

    Anderson, você está certo sim. Foi apenas uma denominação, mas sem mudar a chancela. Optei por manter como Copa do Nordeste, que é como sempre foi chamado (inclusive na época, com as 2 formas sendo usadas pelos jornais). Abraço.

  9. 2000 e 2001 o torneio virou campeonato do Nordeste onde todos se enfrentavam e os 4 melhores disputavam as finais. Fugiu do padrão copa onde predominava o mata-mata. Mesmo hoje a maioria dos participantes só joga 6 partidas.


    Nota do blog

    Igor, você está certo sim. Foi apenas uma denominação, mas sem mudar a chancela junto á CBF. Optei por manter como Copa do Nordeste, que é como sempre foi chamado (inclusive na época, com as 2 formas sendo usadas pelos jornais). Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>