Ranking dos pênaltis e das expulsões (6)

Pernambucano 2016, 6ª rodada: Náutico 1x1 Sport. Foto: Paulo Paiva/DP

A 6ª rodada do Estadual movimentou bastante os rankings de pênaltis e cartões vermelhos registrados na fase principal do torneio, o hexagonal do título. Se o jogo entre Santa e Central passou em branco (literalmente), nos outros dois ocorreram duas penalidades e duas expulsões. Com a marcação na arena, convertida por Ronaldo Alves (o zagueiro é o artilheiro), o Alvirrubro assumiu a lista de marcações a favor. No Sertão, o Mequinha seguiu a sina, cometendo a terceira infração na grande área. O goleiro Delone havia defendido as anteriores, mas desta vez não deu, com Nilson fechando o placar para o Carcará. Ainda entram na conta as expulsões do alvirrubro Gastón (injusta) e do alviverde Ewerton (segundo amarelo). Na média, um pênalti e uma expulsão por rodada…

Confira a atualização do blog após a 6ª rodada do Pernambucano 2016:

Pênaltis a favor (6)
3 pênaltis – Náutico
2 pênaltis – Salgueiro
1 pênalti – Santa Cruz

Sem penalidade – Sport, Central e América

Salgueiro desperdiçou um pênalti
Santa Cruz desperdiçou um pênalti

Náutico evitou uma penalidade e desperdiçou outra
América evitou duas penalidades

Pênaltis cometidos (6)
3 pênaltis – América
1 pênalti – Santa Cruz, Náutico e Sport

Sem penalidade – Salgueiro e Central

Cartões vermelhos (6)
1º) Santa Cruz – 2 adversários expulsos, 1 cartão vermelho
2º) Salgueiro – 1 adversário expulso, nenhum vermelho
2º) Sport – 1 adversário expulso, nenhum vermelho
4º) Náutico – 1 adversário expulso, 1 vermelho
5º) Central – nenhum adversário expulo, 1 vermelho
6º) América – 1 adversário expulso, 3 vermelhos

Resumo da 6ª rodada do Pernambucano

Pernambucano 2016, 6ª rodada: Náutico 1x1 Sport, Santa Cruz 3x0 Central e Salgueiro 3x0 América. Fotos: Paulo Paiva/DP (Arena), Antônio Melcop/Santa Cruz e Pedro Leandro/CarcaráNet (Cornélio)

Os 3.345 torcedores que foram ao Cornélio de Barros, no ensolarado domingo no Sertão, viram o Salgueiro golear o Mequinha e assumir a liderança do hexagonal, virtualmente classificado a mais uma semifinal do Pernambucano. Ultrapassou o Náutico pelo saldo (6 x 4), beneficiado pelo empate no Clássico dos Clássicos, com apenas 7.041 espectadores. Aliás, um público decepcionante na arena, mesmo com transmissão na tevê aberta. O borderô foi inferior, inclusive, ao insosso empate entre Santa e Central, com 9.116 torcedores no Arruda. O fim de semana também marcou o desfecho do hexagonal da permanência, com o rebaixamento do Porto, vice-campeão em 1997 e 1998, e do Pesqueira, que cai sem receber jogos de Santa e Sport.

Hoje, as semifinais seriam Salgueiro x Santa Cruz e Náutico x Sport. 

Em 18 jogos nesta fase do #PE2016 saíram 38 gols, com média de 2,11. Em relação à artilharia, que a FPF considera apenas os dados do hexagonal e o mata-mata, Ronaldo Alves (Náutico) e Jhon (Salgueiro) lideram com 3 gols.

Santa Cruz 0 x 0 CentralSe no fim da Série B o Tricolor jogava “decisões”, o (mesmo) time agora atuar em “amistosos”. Sem pressa, sem objetividade. 

Náutico 1 x 1 Sport – O resultado foi justo, com os dois times mostrando muita vontade. Tecnicamente, o clássico ficou devendo um pouco.

Salgueiro 3 x 0 América – Atual vice-campeão, o time sertanejo segue mostrando força no torneio local, liderando após 60% do hexagonal.

Destaque – Jhon. O centroavante revelado no Náutico marcou duas vezes, assumiu a artilharia e ajudou o Salgueiro a chegar na liderança.

Carcaça – José Woshington. Entrou na arena com a pressão natural de uma estreia em clássicos. Disciplinarmente, comprometeu a partida.

Próxima rodada
12/03 (17h00) – Sport x Central, Arena Pernambuco
13/03 (16h00) – Salgueiro x Santa Cruz, Cornélio de Barros
14/03 (20h30) – Náutico x América, Arena Pernambuco

A classificação atualizada do hexagonal do título após a 6ª rodada.

A classificação do hexagonal do título do Pernambucano 2016 após 6 rodadas. Crédito: Superesportes

A classificação final do hexagonal da permanência após 10 rodadas.

A classificação do hexagonal da permanência do Pernambucano 2016 após 10 rodadas. Crédito: Superesportes

Empate no Clássico dos Clássicos com Náutico e Sport na bronca com o árbitro

Pernambucano 2016, 6ª rodada: Náutico 1x1 Sport. Foto: Paulo Paiva/DP

O segundo Clássico dos Clássicos no ano foi bem mais disputado. Desta vez com dois times vivos numa partida franca na arena, sem tanta importância para a classificação de ambos, mas com a rivalidade presente. Se o Leão buscava a sexta vitória seguida no confronto, o Timbu queria recuperar a confiança da torcida, após a última apresentação. Tecnicamente, o jogo teve limitações, mas o destaque negativo ficou mesmo para o árbitro José Woshington. Estreante em clássicos, o carpinense de 27 anos fez apenas o seu quarto jogo no torneio. O juiz não agradou a ninguém no 1 x 1, sobretudo disciplinarmente.

No primeiro tempo, não quis conversa, tratando qualquer lance mais duro com cartão amarelo – se bem que o primeiro foi justo, com Lenis tentando simular um pênalti. No segundo, assinalou uma penalidade bem duvidosa de Matheus Ferraz em Caíque Valdívia, caindo antes do contato – na visão do blog. No fim, com os jogadores nervosos, já pela falta de critério nas faltas, Woshington encerrou a sua jornada dando um vermelho direto para Gastón, pra lá de injusto. Ele se enroscou com Samuel Xavier numa disputa de bola na lateral.

Pernambucano 2016, 6ª rodada: Náutico 1x1 Sport. Foto: Paulo Paiva/DP

Voltando ao “jogo”, o Sport entrou com os seus três volantes, com Rithely, recuperado, sendo a surpresa. Se no primeiro duelo o trio dominou, desta vez foi diferente. Havia uma peça-chave de volta, Rodrigo Souza, que fortaleceu a marcação timbu e a saída de bola. Ainda assim o visitante começou se impondo e desperdiçando uma chance incrível. Após troca de passes, um cruzamento de Xavier para Xavier. De Samuel para Gabriel, livre, bater por cima. A partir daí, o Alvirrubro equilibrou e levou perigo à meta de Danilo Fernandes, sobretudo pela direita, com Walber (no lugar do improvisado, e machucado, Rafael) e Rony.

Apesar da intensidade, faltava espaço, com faltas, cartões e reclamações em interpretações distintas. Na segunda etapa, os gols. Aos 9, Ronaldo Alves se manteve 100% em pênaltis no ano, mandando no cantinho. Porém, a vantagem só durou cinco minutos, com Niel marcando contra – e o árbitro deu o gol a Rithely, que sequer estava no lance. Após a igualdade, o Sport se mostrou satisfeito, tentando encaixar contragolpes e evitando desgaste na maratona. Se o Náutico não chegou ao gol, ao menos mereceu os aplausos de sua torcida. Clássico dos Clássicos em 2016, agora, só num possível mata-mata…

Pernambucano 2016, 6ª rodada: Náutico 1x1 Sport. Foto: Paulo Paiva/DP