A diferença no custo do novo estádio do Peñarol em relação aos projetos do Recife

Estádio "Campeón del Siglo", do Peñarol, na inauguração, em 28/03/2016. Foto: Peñarol/twitter

O Peñarol inaugurou o estádio Campeón del Siglo, após 25 meses de obras, consumindo 40 milhões de dólares. Palco mais moderno de Montevidéu, que tinha o tradicional Centenário e o reformado Parque Central, do rival Nacional, como principais estádios, a nova casa carbonera impressiona pelo custo, sobretudo para os brasileiros, com estádios caríssimos para a Copa do Mundo de 2014. A cancha do clube pentacampeão Libertadores, construída do zero, num terreno a 19 quilômetros do centro da cidade, atende às normas básicas do Padrão Fifa, seguindo a quinta versão do dossiê “Estádios de futebol – Recomendações técnicas e os requisitos”, com 420 páginas.

Não foi uma obra pensada para o Mundial, mas para a sua torcida, o mais importante. Para bancar o projeto, o clube tentou um empréstimo de US$ 25 milhões. O banco só aprovou US$ 18 mi. E a direção tocou a obra, sem luxo. Não por acaso, à parte de instalações modernas, como a fachada, o museu, o restaurante e o auditório, o empreendimento conta com adequações voltadas para o público local. Com 17 entradas, a arquibancada é espaçosa, mas apenas uma das quatro tribunas são cadeiradas. As demais, não, até porque boa parte da torcida “alenta” em pé – aos poucos, a mudança chega ao Brasil, com setores sem cadeiras nas arenas de Corinthians e Grêmio.

A princípio, não foi colocada uma cobertura, que encareceria bastante o projeto – porém, a estrutura foi pensada para uma reforma futura. Simples, mas funcional, o estádio – curiosamente já visitado e aprovado pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino – apresenta um custo mais em conta. Basta comparar com os cinco projetos apresentados no Recife, sendo quatro construções e uma reforma. A partir do valor original de cada um, na época do lançamento, o blog enumerou dois quadros, equiparando os dados na moeda americana, em números absolutos, e na moeda brasileira, com correção monetária, através do IGP-M.

Independentemente da escolha, as projeções locais estão muito acima. Até a Arena Coral, que não começaria do zero. No caso do Sport, o orçamento do estádio – sem shopping e hotéis – seria suficiente para erguer cinco campos iguais ao do Peñarol. Cinco! E o que dizer da Arena Pernambuco? Em valores corrigidos, R$ 110 mi x R$ 817 mi. Não estaria na hora de considerar o perfil torcedor pernambucano, em vez dos gastos astronômicos do pleno “Padrão Fifa”? Sem surpresa, aqui, só um saiu do papel, com custo ainda indefinido…

Campeón del Siglo
Local: Montevidéu
Lançamento: 19/12/2013
Capacidade: 40.000
Custo: R$ 93.156.000
Dólar: US$ 40 milhões (cotação*: R$ 1,76)
Correção**: R$ 110.029.262

Arena Sport
Local: Ilha do Retiro (Recife)
Lançamento: 17/03/2011
Capacidade: 45.000
Custo: R$ 400 milhões (depois, o complexo subiu para R$ 750 milhões)

Dólar: US$ 238.663.484 (cotação*: R$ 1,67)
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 496%
Correção**: R$ 551.618.560
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 401%

Arena Timbu
Local: Engenho Uchôa (Recife)
Lançamento: 18/11/2009
Capacidade: 30.000
Custo: R$ 300 milhões

Dólar: US$ 174.825.174 (cotação*: R$ 1,76)
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 337%
Correção**: R$ 468.083.640
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 325%

Arena Pernambuco
Local: Jardim Penedo (São Lourenço da Mata)
Lançamento: 15/01/2009
Capacidade: 46.214
Custo: R$ 532 milhões (toda a Cidade da Copa custaria R$ 1,59 bilhão)

Dólar: US$ 229.053.646 (cotação*: R$ 2,32)
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 472%
Correção**: R$ 817.164.821
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 642%

Arena Coral
Local: Arruda (Recife)
Lançamento: 28/06/2007
Capacidade: 68.500
Custo: R$ 190 milhões

Dólar: US$ 98.911.968 (cotação*: R$ 1,92)
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 147%
Correção**: R$ 341.207.985
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 210%

Arena Recife-Olinda
Local: Salgadinho (Olinda)
Lançamento: 29/05/2007
Capacidade: 45.500
Custo: R$ 335 milhões

Dólar: US$ 172.209.941 (cotação*: R$ 1,94)
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 330%
Correção**: R$ 601.844.183
Aumento sobre o estádio do Peñarol: 446%

* A conversão foi calculada do dia do lançamento para 29 de março de 2016
** Correção através do IGP-M do dia do lançamento para fevereiro de 2016

Estádio "Campeón del Siglo", do Peñarol, na inauguração, em 28/03/2016: Peñarol 4x1 River Plate-ARG. Foto: Peñarol/twitter

9 thoughts on “A diferença no custo do novo estádio do Peñarol em relação aos projetos do Recife

  1. Projetos sérios foram os de grêmio, palmeiras e atlético paraense. Foram caros mas, não foram usados recursos públicos ou tiveram poucos isentivos fiscais. Vão ter que trabalhar muito pra pagar os seus estádios e gera muita discussão entre seus conselheiros e dirigentes. Os estádios e arenas públicos foram feitos com dinheiro publico e os custos não voltam para os cofres do governo, além de apresentarem muitos problemas que tem que ser consertados. E quem vai pagar essa nova conta. A arena do grêmio é a maior arena multiuso da América Latina. Tem muitos vídeos e fotos dessa arena na internet . Comparem pra ver se estou errado.

  2. Não sei se vc tem conhecimento mas o dolar no Uruguai esta 29,50 pesos uruguaios para 1 dolar americano. Portando o estádio custou em reais 1,2 bilhões. Muito caro.

  3. Você esta computando o custo Brasil, mão de obra, material, impostos, encargos?, esses números precisam melhor avaliação, não é só transformar dólar/real e comparar.

  4. O Brasil tem que parar com essa ideia de fazer o estádio 100% padrão FIFA, a FIFA com todo respeito não está nem ai pro Brasil e America do Sul, os clubes Argentinos e Uruguaios mostram que se preocupados com seus torcedores e não com FIFA, o estádio do Newlls também é novo, bonito, confortável mas não é 100% FIFA.

  5. Grandes construções no Brasil viraram sinônimo de corrupção. Mesmo envolvendo clubes de futebol (cujas administrações são verdadeiras caixas pretas).

  6. Cássio
    Como sempre, seus posts são interessantes. Agora existe vários pontos que teriam que ser revistos para este barateamento que não sei se serão aceitos pelos torcedores hoje, dado o padrão Fifa que existe em quase todas capitais do Brasil como cobertura, 100% de cadeiras, flexibilidade para outros eventos, infra de apoio,etc.
    Talvez no Brasil pós Lava Jato as empreiteiras possam fazer projetos mais em conta..

  7. E o que os nossos clubes poderiam fazer pra copiar isso? As empresas procuradas para as reformas, não conseguiriam trabalhar nesses valores do estadio do penarol?

  8. Cássio, no caso do Sport, qual seria a serventia de um estádio nos moldes do Campeón del Siglo? 40.000 lugares, apenas um setor com cadeiras…a Ilha está muito longe disso?

    Nota do blog

    Mateus, não necessariamente o estádio precisa custar R$ 110 milhões. Poderia custar R$ 200 mi e ser todo cadeirado, mais luxuoso, com cobertura, como o clube quiser. E ainda assim seria bem mais barato que o projeto apresentado, ainda em vigor. O objetivo do post foi só apresentar outras possibilidades além dos caríssimos projetos 100% fiéis ao “Padrão Fifa”. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>