Análise da semifinal pernambucana de 2016 – Salgueiro

Pernambucano 2016, hexagonal: Salgueiro 3x0 Santa Cruz. Foto: Vandinho Dias/SG10

O Salgueiro virou figurinha carimbada no mata-mata estadual. Esta é a quarta vez, desde 2010, que o Carcará chega à fase decisiva, um recorde absoluto no interior. Vice-campeão pernambucano em 2015, o clube mantém a base, já conhecida do torcedor pernambucano, com nomes como Tamandaré, Rodolfo Potiguar, Moreilândia… Falta a glória máxima. Por mais simpatia que tenha dos torcedores rivais para alcançar o objetivo, desde que não enfrente o time de cada um, claro, o time precisará passar por uma prova de fogo, tendo que eliminar dois grandes da capital em sequência.

Com a vantagem de decidir em casa, após a segunda colocação no hexagonal, o Salgueiro terá a seu favor o forte calor no Sertão, onde tornou-se um adversário duríssimo para o Trio de Ferro. Neste ano, goleou o Santa e venceu o Sport – novamente adversário na fase semifinal, de boas lembranças no último ano e com duas vitórias no hexagonal desta temporada.

Comandado por Sérgio China, o mesmo técnico na último campanha, o time usa bastante as laterais, com um meio-campo povoado, de muita pegada e buscando Jhon, de porte semelhante a Fabrício Ceará, outrora dono da “9″ no Cornélio. Começou liderando a artilharia, mas já enfrenta uma seca de gols.

Desempenho na semifinal (2010/2015)
3 participações e 1 classificação

Formação básica do Salgueiro no Estadual 2016. Crédito: this11.com com arte de Cassio Zirpoli/DP

Destaque
Rodolgo Potiguar. O volante chegou a ser especulado como o melhor jogador do Estadual 2015, perdendo para o tricolor João Paulo. Neste ano, segue dando consistência ao meio-campo sertanejo, com marcação forte e arremates de longa distância.

Aposta
Cássio Ortega. O camisa 10, de 25 anos, soma três gols no torneio e vem tendo cada vez mais liberdade para armar as jogadas do Carcará, tamanha a confiança depositada pelo técnico Sérgio China. Até porque a sua cobertura é feita por dois volantes.

Ponto fraco
Jefferson Berger. O ponta-direita ainda não balançou as redes na competição, se limitando às assistências para Jhon. Precisa ter um papel mais abrangente no setor ofensivo.

Campanha no hexagonal (10 jogos)
20 pontos (2º lugar)
6 vitórias (2º que mais venceu)
2 empates (2º que mais empatou)
2 derrotas (2º que menos perdeu)
13 gols marcados (3º melhor ataque)
5 gols sofridos (2ª melhor defesa)

Melhor apresentação: Salgueiro 3 x 0 Santa Cruz, em 13 de março, no Cornélio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>