Poupando três titulares, Santa perde em Medellín e vê situação difícil no Arruda

Sul-Americana 2016, oitavas de final: Independiente Medellín x Santa Cruz. Foto: Raul Arboleda/AFP

O adversário era dos mais complicados nas oitavas da Sul-Americana, o atual campeão colombiano, investindo em seu primeiro título internacional. Ainda assim, esse cartaz foi sumindo durante o jogo, numa atuação bem irregular do Independiente Medellín. Errando passes no ataque, sem tanta cobertura no meio-campo. E mesmo assim construiu uma vantagem considerável jogando em casa, 2 x 0. Para isso, um Santa Cruz sem força ofensiva, resguardado na defesa durante os noventa minutos e penalizado mais uma vez no fim. Apesar do comunicado oficial da direção coral, na véspera, negando a formação mista, o qual o blog não concordou, a ausência de Keno, João Paulo e Léo Moura, sobretudo os dois primeiros, foi bastante sentida pelo time.

Não houve escape. À frente, Grafite batalhou pela bola, mas sequer finalizou, chegando a 13 jogos sem balançar as redes. Bruno Moraes ficou no banco e lá permaneceu até o fim, numa decisão controversa de Doriva – afinal, se viajou, tinha condições de jogar. Com uma formação 4-1-4-1, mas marcando bem atrás da linha da bola, a peça mais próxima ao Grafa foi Arthur, limitado uma (boa) cobrança de falta no primeiro tempo. Cumpriu o papel tático de combater a saída de jogo do DIM, mas não agrediu a meta a adversária.

Sul-Americana 2016, oitavas de final: Independiente Medellín x Santa Cruz. Foto: Raul Arboleda/AFP

Após a pressão inicial dos colombianos, com a bandinha tocando sem parar no Atanasio Girardot, os corais esfriaram o jogo. E justamente neste momento saiu o gol do mandante, aos 38, numa ótima infiltração. Caicedo tocou para Hechalar, que, cara a cara com Tiago Cardoso, bateu rápido, sem chances. Apesar de ter ido para o vestiário em desvantagem, o time pernambucano, em sua primeira apresentação oficial fora do país, jogava de forma organizada. Faltava Keno no contragolpe. Ou seja, faltava tudo. E era preciso também diminuir erros nas laterais, sobretudo na esquerda, com Allan Vieira – a cada má atuação, aumenta a lamentação pela longa contusão de Tiago Costa.

Se não levava perigo, lá atrás Néris e Danny Morais tiravam tudo. Mas a recorrente deficiência na bola cruzada se fez presente, de forma cruel. Aos 42, outra vez com a bola de pé em pé, o Independiente virou o jogo para a direita, com o cruzamento de lá à pequena área. Falha de marcação de Danilo Pires, bem distante de Cortés, que cabeceou no contrapé do goleiro coral. O time foi vazado após os 40 minutos do segundo tempo em 4 dos últimos 5 jogos, numa situação que vem minando a confiança. Dentro de uma semana, o Santa precisará de confiança, de Keno, João Paulo, Léo Moura e de sua torcida. Talvez essa soma empurre o time às quartas, feito ainda inédito para o Nordeste.

Sul-Americana 2016, oitavas de final: Independiente Medellín x Santa Cruz. Foto: Raul Arboleda/AFP

2 Replies to “Poupando três titulares, Santa perde em Medellín e vê situação difícil no Arruda”

  1. O TREINADOR, TE QUE TIRAR O GRAFITE ELE TÁ ACABANDO COM TODO TIME…. SERÁ QUE NINGUÉM VER ISSO ?… NO JOGO DE VOLTA DÁ SIM PARA SE CLASSIFICAR !!!!!

  2. Isso, esse time da Colômbia é irregular. Mas a minhoca é mais desgraçada. O Independiente está na próxima fase.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*