Acordo muda classificação do Nordestão, com vagas via títulos estaduais e ranking

Formatos da Copa do Nordeste de 2018 e 2019. Crédito: Thiago Minhoca/divulgação (@ThiagoMinhoca)

A distribuição das vagas no novo Nordestão, num gráfico de Thiago Minhoca.

Em 2018, a Copa do Nordeste deve incorporar uma etapa no estilo “Pré-Libertadores”, elaborada para que a fase principal volte a ter 16 clubes. Trata-se da solução entre três frentes, envolvendo federações, Liga do Nordeste e o G7, grupo formado pelos sete maiores clubes (Náutico, Santa, Sport, Bahia, Vitória, Ceará e Fortaleza). Desde a ampliação da Lampions de 16 para 20 times, há três temporadas, os organizadores detectaram um excesso de jogos sem apelo, buscando, a partir desta visão, um critério técnico (necessário, é bom frisar) para manter as principais forças na disputa e a atratividade da competição, cuja premiação passou de R$ 5,6 mi para 18,5 milhões em cinco anos.

Qual era o impasse entre federações, liga e G7:
1) As federações estaduais queriam a mudança de calendário ou redução do torneio, tanto que conseguiram, para o calendário de 2017, a redução de 12 para 8 datas no regional – as 12 originais foram mantidas como “concessão”.

2) A Liga do Nordeste travava uma disputa de bastidores com as federações por acordos comerciais, tentando contemplar mais clubes. Se baseava no acordo judicial junto à CBF, que garante a Copa do Nordeste até 2022.

3) O G7 do Nordeste, à parte da própria liga, vinha propondo um torneio com 12 clubes e turno único, com critérios distintos para a classificação, evitando o “risco” de ausências – caso do Vozão neste ano. Em 2016 foram seguidas reuniões entre os dirigentes, projetando até a criação da Série B do Nordestão.

Num ano que começou com o presidente da FPF, Evandro Carvalho, ameaçando o torneio de extinção, ao que parece chegou-se a um entendimento. Primeiro, o presidente da Liga do Nordeste, Alexi Portela, adiantou a transformação em entrevista a Vitor Villar, do jornal baiano A Tarde.

 ”(…) para 2019 vamos precisar mudar o formato. Talvez garantir alguns times direto na fase de grupos e pegar terceiros e quartos colocados de cada Estadual e fazer um mata-mata antes da fase de grupos. É uma ideia, mas não tem nada fechado ainda. A ideia do novo formato é ter jogos mais atraentes desde a 1ª fase, com times de maior apelo popular.”

Depois, o presidente da federação cearense, Mauro Carmélio, esmiuçou todas as mudanças na Rádio Verdes Mares, de Fortaleza, com o processo de mudanças em dois anos. Em 2018, no formato. Em 2019, nos participantes.

A divisão das 20 vagas na Copa do Nordeste em 2018 e 2019. Quadro: Thiago Minhoca/divulgação (@ThiagoMinhoca)

O acordo triplo para o novo Nordestão:
1) A Copa do Nordeste tende a ser realizada num período distinto do campeonato estadual (ou antes ou depois, mas não mais simultaneamente). Possivelmente abrindo o ano. Ponto para as federações.

2) A competição mantém a mesma distribuição de vagas para os nove estados (20, somando a pré) e as 12 datas (na fase principal) utilizadas desde a volta oficial do torneio, em 2013. Ponto para a Liga.

3) O torneio de fato volta a ter 16 clubes, com 4 grupos de 4 times, com todos os vice-líderes avançando às quartas, além de adotar critérios de proteção (na prática) sobre as vagas. Ponto para o G7, que abdicou da segundona.

Ainda que a CBF não tenha chancelado a transformação da copa, vamos às principais mudanças das duas próximas edições, já com o “Pré-Nordestão”…

Formato de 2018:
Respeitando os regulamentos dos campeonatos estaduais em andamento, as 20 vagas (3 de PE, 3 da BA e 2 para os demais) estão asseguradas através desses torneios locais. Porém, apenas 12 times estariam garantidos na fase de grupos (os 9 campeões estaduais e os vices de PE, BA e CE), com 8 times disputando a fase preliminar (demais vices e os 3º colocados de PE e BA). Ou seja, quatro mata-matas, com os vencedores entrando na fase principal.

Formato de 2019:
Repete o regulamento, mas muda a forma de classificação, mais excludente. Seriam apenas 9 vagas via estaduais, todas para os campeões. As outras 11 seriam via Ranking da CBF, com 2 vagas por ranking para PE e BA (por que não o vice nesses dois casos?) e 1 vaga para os demais estados. Com 11 classificados via ranking, a presença de zebras tende a diminuir bastante. 

Como curiosidade, eis a simulação da Nordestão 2017 com os dois novos formatos (abaixo). Em 2018, o Náutico, por exemplo, teria disputado a fase pré. Com a versão de 2019, o Ceará, 5º no estadual, entraria já na fase de grupos. Por sinal, seriam cinco participantes diferentes: Uniclinic/Ceará, CSA/ASA, Itabaiana/Confiança, Juazeirense/Vitória da Conquista e Altos/Parnahyba..

Em Pernambuco, com a implantação do modelo definitivo, um time do interior só conseguirá a vaga em caso de título (o que nunca ocorreu em 103 anos), uma vez que o Trio de Ferro detém as três melhores colocações no ranking… Justo?

Como ficaria o Nordestão de 2017 com os modelos de 2018 e 2019. Quadro: Thiago Minhoca/divulgação (@ThiagoMinhoca)

27 thoughts on “Acordo muda classificação do Nordestão, com vagas via títulos estaduais e ranking

  1. Volto ao espaço de conceituado folhetim para deixar uma sugestão, embora pareça não ter haver com a matéria em questão, sendo apenas o fato de aproveitar o “gancho”. Acho que já passa da hora dos nossos lideres (governantes, poderes públicos de justiça, etc) deixarem um pouco de lado a pobre casta de nosso país, que é composta de aposentados, trabalhadores de baixa renda, pequenos empresários e outros tantos, partindo para abrir a “caixa preta” do futebol, dos carnavais e dos políticos.Tenho a simpática impressão que será bastante compemsador. Fica a dica.

  2. Cada vez entendo menos. Vejo aí uma virada de mesa, fins proteger os mais “fortes” (nem tanto). Mas logo nós, nordestinos, que levamos a vida em reclamar que somos discriminados pelos poderosos do sul maravilha. Como vamos agora, cometer injustiças contra nós mesmos. Como pode… falaram do Uniclinic ter classificado e tirado o Ceará ? Paciência, foi na bola. E o que está afastando torcidas dos estádios, nada mais, nada menos é : má gestão do futebol. A pessoa se sente como um “abestado”, ainda mais se levar em conta os altos custos para se manter uma equipe. A renda dos torcedores é apenas o trocado para comprar o pão. Estão na iminência de acabar com os estaduais (para depois ficarem choramingando), depois será a vez dos regionais. Vejam que uma das chances de clubes de menor expressão (favor ler: clubes que a famigerada CBF não gosta), era a copa Brasil. Pois bem, ranquearam e agora os queridinhos da cbf (letra minúscula mesmo, não vale a pena escrever da forma correta), únicos privilegiados a participarem das “liberta”, fazem a farra na disputa dos melhores lugares, em deprimento dos trouxas do resto (resto mesmo) do Brasil, que apenas ficam a aplaudir, que é o papel dos que limpam as sujeiras das sobras dos banquetes, limitando-se apenas a comerem os restos. Portanto, façam isso cum noçois irmão nordestinos não, meus sinhô. dexe de querê apirsiguí os piqueno. Fica minha humilde sugestão : passem a fazer um campeonato só para vocês. Se são doze, quatorze, vinte, sei lá, premiem com mesmo número de troféus, declarando todos campeões, todo ano.

  3. O futebol baiano não tem condições de ter uma terceira vaga. Os times do interior da Bahia são clubes amadores.

  4. E assim, protege-se a mediocridade, pois sem que as vagas sejam conquistadas via estaduais, aqueles que se acham “as-pregas-de-odete” não precisam se esforçar em campo para se ter o direito de jogar…
    A qualidade do futebol apresentado vai cair, e muito! Por mais perronha que seja o atleta, basta ser escalado nos “irrebaixáveis-do-olimpo-da-baixa-da-égua” que vão se tornar em torcedores de luxo: Assistindo o jogo de dentro do campo!
    Preparem-se: Acabaram com o que restava do futebol local. Vou cancelar minha assinatura da TV paga >:-/

  5. Campeonato (torneio regional) (Copa do Nordeste)com muito clube sem torcida nunca sera rentavel!
    é repetir o erro dos campeonatos estaduais.!
    Tem que ter so clube Grande sim! e um tipo de acesso p um ou dois clubes no maximo.
    Uma OBS:uma absurdo esse prefeito geraldo cobrar aumento de 100% no IPTU !! 2017..pelo menos p meu imovel.

    Nao votarei jamais em Geraldo Julio, jurou q nao aumentaria impostos.!!

  6. Beleza , então ! Nós , do Nordeste não podemos mais reclamar das cotas que a TV paga aos clubes do Eixo Sul – Sudeste (principalmente SP e RJ) !
    Li gente dizendo que não quer ver Itabaiana , Uniclinic e etc , na Copa do Nordeste , mas , eles não conseguiram a vaga pelos méritos de ter chegado a final dos estaduais que disputam ?
    Vocês acham que o G 12 do futebol brasileiro quer algum time nordestino na 1 . Divisão ?
    Esses mesmos presidentes um dia vão pedir o fim da Copa do Nordeste .
    E a torcidas desses clubes irão no mesmo caminho .

  7. Sem dúvida, o critério de utilização do ranking é mais justo. Mesmo assim ainda acho que os 8 melhores ranqueados automaticamente já deveriam estar na competição, independente de estado.

  8. A mudança era necessária mas poderia ser melhor, ainda acho que deveria ter uma serie B com 12 clubes ( 1 clube de cada estado mais três rebaixados). E esse ranking atrelado aos estados não ficou legal, seria melhor solto como disse abaixo o colega.

  9. Espanholização da Lampions League? Logo nós que reclamamos da distribuição de cotas em nível nacional? Patético!

  10. Muito ruim. Nós reclamamos tanto do que é os clubes do Sul/sudeste fazem com a chancela da globo e da CBF e vamos fazer a mesma coisa no regional?!?!

  11. Tricolores, alvirubros clubes menores (serie B)
    deveriam se preocupar com a bagunça que impera nas administrações dos seus clubes…!! salarios atrasados , falta lanche ,falta esparadrapos…uma Lastima!

    Esquecam o melhor clube do Nordeste.!!

    Voces estão perdidos no espaço!! e no Tempo..!!

    7ridículos!…hehehhe

  12. Mas quem inventou uma coisa assim? Melhor seria uma copa do nordeste com 16 times, mas com séries A e B. Por exemplo, por que a Bahia tem 3 vagas, se o seu terceiro representante nunca passou da primeira fase? O mais justo seria Pernambuco ter 4 vagas e os demais estados apenas 2.

    Até concordo com a fase previa em 2018, mas para 2019 é um absurdo. Coloquem 16 equipes na série A e 16 na série B (que seria estilo mata-mata). Os últimos colocados de cada grupo seriam rebaixados para a série B do ano seguinte. Logicamente a série B de 2020 teria 12 clubes através de estadual e os 4 rebaixados. Acredito ser mais honesto desta forma.

  13. Eu não espero que esse formato ajude a eliminar os Itabaianas, Rivers e etc… Esses times tem tanto direito a participar da Copa do Nordeste quanto o seu santa cruz, Sr Stavros. É bonitinho tricolor clamando por igualdade em relação ao Sport, mas querendo se distanciar de times menores. Parece o mesmo pensamento de uma certa classe média de um certo Brasil.

  14. Horrível essa ideia da liga em classificar pelo ranking. assim, times médios, como o Salgueiro, nunca participarão da competição. desta forma, o futebol na região jamais evoluirá.
    Com certeza, isso é uma involução.

  15. Se a Copa do Nordeste classificar campeões estaduais mais 11 times de ranking solto (OLHEM OQUE EU ESTOU DIZENDO), não precisa nem reduzir de 20 para 16 clubes, todo jogo será atrativo comercialmente.

    Olhem 5 grupos:

    Pote 1: SPORT, BAHIA, VITÓRIA, CEARÁ eSANTA CRUZ
    Pote 2: Náutico,ABC,América, CRB e Sampaio.
    Pote 3: Fortaleza, ASA, Botafogo/PB, Salgueiro e Icasa
    Pote 4: Confiança, Campinense, Treze, Globo e CSA.

    Pode simular um sorteio aí, o único com mercado fraco é o GLOBO, que nordestinos que estejam fazendo mais bonito em competição nacional.

  16. Agora vejam como uma competição com 9 Campeões e 7 via ranking solto (pode até ser 11 de mantiver esse mata mata aí) é mais justa:

    Cenário hipotético:de Campeões:
    PE: SPORT
    BA: VITÓRIA
    CE: FORTALEZA
    RN: ABC
    SE: CONFIANÇA
    PB: CAMPINENSE
    MA: SAMPAIO CORREA
    PI: RIVER
    AL: CSA

    Classificados via ranking: (7)
    - Bahia (21º)
    - Ceará (23º)
    - Santa Cruz (26º)
    - Náutico (29º)
    - América/RN (34º)
    - ASA (43º)
    - Botafogo/PB (46º)
    ou com 11
    + Salgueiro (49º)
    + Icasa (54º)
    + Treze (69º)
    + Globo (77º)

  17. A Copa do NE no inicio do ano não é bom. Os clubes não estão entrosados ainda. Para a TV e o campeonato em si, seria melhor disputar a Copa do NE mais para frente, com os times já entrosados. Que bom seria ver os três de PE junto com Bahia, Vitoria, Ceará e Fortaleza todos com os times entrosados. O campeonato ganharia em qualidade. A Copa do NE bem no começo do ano não é boa comercialmente. Sabemos que os nossos clubes só estão com a força máxima quando já está próximo do Brasileirão. Comercialmente deveria ser uma liga mesmo com Sport, Santa, Náutico, Bahia, Vitória, América/RN, ABC, Fortaleza, Ceará e CRB. Os outros seis vem da pré-copa.

  18. Vou colocar aqui alguns CENÁRIOS BIZARROS que o planejamento de 2019 causaria:

    A nível local: que existem 3 vagas
    Sport, Campeão Pernambucano, Salgueiro Vice.
    Náutico e Santa classificados com campanhas desastrosas
    (classificar 1, pelo ranking, ok aceitável, os 2, a priori de um heroico Salgueiro, uma injustiça tremenda)

    A Nível Regional:
    Cenário: River Campeão Piauiense. (CENÁRIO MUITO PROVÁVEL)
    Iria para Copa NE: o Parnahyba/PI (100º do Ranking) – DETALHE, esse time poder ter feito uma campanha bizarra na PIAUENSE!!!!!!!!

    Ele está classificado pelo Ranking por ser do Estado do PIAUI, enquanto um Salgueiro fazendo uma série C decente estando 46º no Ranking a frente de todos os piauienses e sergipanos, Estando a frente de segundos colocados de ranking como AL,MA e PB, estará fora se não vencer o PERNAMBUCANO. E se vencesse, quem estaria fora seria o NÁUTICO!!!

    O REGULAMENTO DE 2019 é MUITO FURADO!!

    Se quiserem classificar times por ranking, que a classificação seja “solta” e independa do Estado.

  19. Curti o de 2018.

    Seria o mais justo, colocando em prática os melhores nas pontuações de classificação.

    >> Nesse arremedo fica claro o samba criado para atender ao CEP do G7.

    Para uma região acostumada a reclamar de CEP, particularmente em PE e BA, é hipocrisia demais.

  20. essa fórmula é espetacular. …tem que participar os times grandes….os menores tem que fazer uma pré seleção. ..o Ceará de fora em 2017 para a participação DO Uniclinic é uma aberração. PST

  21. Espero que esse formato ajude a eliminar os Itabaianas, Rivers, etc. da vida, que tanto desvalorizam e desmotivam o campeonato.

  22. Pronto, além de não ter mais chances de rebaixamento no estadual, o Sport agora também não ficará mais de fora de copa do Nordeste, visto que desde que eu me entendo por gente o Sport está no topo do ranking da CBF em Pernambuco.

    Seria melhor manter o formato de 2018 para os anos seguintes, essa coisa de classificação por ranking só tende a enfraquecer a competição, visto que vai ser encarado como uma virada de mesa determinada no regulamento.

    Pelo lado positivo, nada mais prende o Sport em usar o time principal na copa do nordeste do ano que vem, só em eventual rebaixamento com acesso simultâneo de Santa e Náutico, e passados alguns anos assim para o Sport cair para terceiro de Pernambuco no ranking da CBF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>