Clássico dos Clássicos na Ilha tem maior audiência do Ibope em 16/04: 32 pontos

Pernambucano 2017, semifinal: Sport 3 x 2 Náutico. Crédito: Rede Globo/reprodução

A vitória do Sport sobre o Náutico por 3 x 2, na Ilha do Retiro, registrou a maior audiência média do Brasil em 16 de abril. O horário das 16h no domingo foi reservado às fases decisivas dos campeonatos estaduais, em todos os casos através da Rede Globo e suas afiliadas. Segundo dados do Kantar Ibope, que mensura a audiência televisiva nas 15 principais regiões metropolitanas, incluindo Recife, Salvador e Fortaleza, o Clássico dos Clássicos teve 32 pontos. Isso corresponde a 786.996 telespectadores.

Foi a segunda maior audiência do Campeonato Pernambucano de 2017, superada apenas pelo segundo clássico entre Sport e Santa, também na Ilha, com 33 pontos e 801 mil pessoas sintonizadas na partida. Em termos absolutos, naturalmente a audiência da semifinal paulista foi superior. Afinal, a Grande São Paulo tem uma população cinco vezes maior que a do Grande Recife (20 mi x 4 mi). Ou seja, foram quase 4 milhões de telespectadores.

Porém, a medição clássica na televisão aponta o duelo pernambucano à frente entre os oito exibidos nos mercados estudados pelo instituto.

E foi apenas o primeiro jogo do mata-mata local, finalmente valendo algo…

Pontos no Ibope por Região Metropolitana em 16/04
32,4 – Sport 3 x 2 Náutico (Recife)
29,2 – Grêmio 1 x 1 Novo Hamburgo (Porto Alegre)
25,7 – Ponte Preta 3 x 0 Palmeiras (Campinas)
25,5 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Manaus)
23,8 – Ceará 2 x 0 Guarani (Fortaleza)
23,5 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Belém)
23,2 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Rio de Janeiro)
21,9 – América 1 x 1 Cruzeiro (Belo Horizonte)
21,7 – Ponte Preta 3 x 0 Palmeiras (São Paulo)
19,6 – Atlético-GO 1 x 2 Goiás (Goiânia)
17,6 – Vitória da Conquista 1 x 1 Vitória (Salvador)
17,2 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Florianópolis)
15,5 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Vitória)
14,6 – Vasco 2 x 0 Botafogo (Brasília)
13,5 – Ponte Preta 3 x 0 Palmeiras (Curitiba)

As 10 maiores audiências do futebol pernambucano em 2017* (até 16/04)
33,0 – Sport 1 x 1 Santa Cruz (Estadual, 26/03)
32,4 – Sport 3 x 2 Náutico (Estadual, 16/04)
31,0 – Santa Cruz 1 x 1 Sport (Estadual, 18/02)
30,1 – Sport 2 x 1 Joinville (Copa do Brasil, 12/04)

27,6 – Boavista 0 x 3 Sport (Copa do Brasil, 08/03)
26,4 – Sport 1 x 0 Boavista (Copa do Brasil, 15/03)
26,2 – Náutico 1 x 0 Santa Cruz (Nordestão, 12/03)
23,6 – Salgueiro 0 x 1 Santa Cruz (Estadual, 05/03)
23,5 – Central 1 x 3 Sport (Estadual, 09/04)

21,4 – Sport 1 x 1 Náutico (Estadual, 01/03)
* Entre os jogos divulgados pelo Ibope e pela Globo

7 thoughts on “Clássico dos Clássicos na Ilha tem maior audiência do Ibope em 16/04: 32 pontos

  1. Caros jornalistas e leitores. Sempre vejo falarem sobre a extinção dos campeonatos estaduais. Creio que deveria se pensar em uma maneira de melhorar tais eventos. No caso do pernambucano, que a cada ano se torna menos atrativo, quero acreditar que tal fato se deve a uma série de fatores que acontecem nos bastidores. Tem um ditado antigo, “malandro demais, se atrapalha”, que cabe como uma luva, senão vejamos. Divisão irregular e desproporcional das verbas entre os participantes (até concordo que alguns mais tradicionais recebam a mais, porém nunca uma diferença simplesmente avassaladora). Esse ano deixou claro tudo isso, é só ver as rendas e públicos nos estádios. Bem sabemos que para alguns, a renda do jogo é o “dinheiro do pão”, pois já programaram seu ano. E os primos pobres, como ficam ? Simplesmente não ficam e o prejuízo anda a passos largos, junto com uma falência que a cada dia aumenta entre os clubes de futebol. Aos que dirigem essa mina de ouro, aproveitem a vaca enquanto existe o leite, pois essa mina está fadada a proporcionar o ouro de tolo. É visível tal acontecimento em todo país. Lembro de grandes momentos, nos campeonatos estaduais, tais como o paulista, onde até os “times menores” eram grandes dores de cabeça. No carioca, sempre tinha a disputa final entre vencedores dos turnos e um terceiro que se destacava. no baiano, além da dupla BA-VI, tinha os que correm por fora, mas davam uma dor de cabeça daquelas. no nosso pernambucano, lembro de um Ferroviário valente, um América dando trabalho e o Central sempre tentando chegar. Juntamente com os três da capital, faziam um campeonato quase “parelho”. Deixar essas festas acabarem, é abrir espaços para acabar também os regionais, depois o nacional que já anda decadente. Basta ver os estádios cada vez mais vazios. Um cordial abraço a todos.

  2. Olá Sr. que assina com o pseudônimo de Zeca Gado. Obrigado pelos bons comentários a respeito de meus escritos. Tento ser imparcial, pois acredito que dessa maneira é possível sim haver sempre cordialidade entre as pessoas. Tenho grandes amigos que torcem por diversos times, cujas paixões encontram barreiras quando se trata de respeitar o próximo e isso é saudável. Sempre leio notícias sobre diversos temas, mas sempre tenho como referência o futebol. Talvez por ser paixão nacional. Noto que dentre os que aqui escrevem, a falta de respeito por parte de muitos torcedores do Sport, é frequente e em maior número, como se tivessem numa arena repleta de gladiadores. Ora, quando um time ganha um título, os verdadeiros campeões são os jogadores e os que dirigem, onde após o evento, além da boa grana que irão colocar nos bolsos, festejarão em grande estilo nas melhores casas, deliciando a boa culinária de cada lugar. Ao torcedor, que deveria ser tratado como bom cliente, cabe ficar em área restrita, sair muitas vezes dos estádios aos empurrões, topar transito e riscos diversos (brigas de torcidas e tal, muito comuns nos dias atuais). Depois de tudo isso, será que vale a pena o desrespeito de uns para com os outros ? Já não basta a crise que atravessa o país por causa da política, onde os mais prejudicados, são a classe trabalhadora desse nosso querido Brasil, verdadeiros heróis anônimos. Um grande abraço a todos.

  3. Capiba, o compositor pernambucano de Frevo, estava certo quando dizia que o melhor time do mundo é o Santa Cruz. O problema é que os jogadores dos times adversários não deixam a Equipe jogar. (Contado por Ariano Suassuna, torcedor do Sport Clube do Recife, esse outro timaço da capital pernambucana, que inspirou a criação do traje chamado “Sport Fino” usado em situações especiais, conforme explicava o mesmo Ariano). Depois aparecem o Náutico, o América, o Salgueiro, o Ferroviário e por ultimo claro o Ibis, este o maior patrimônio cultural futebolístico do planeta, mais interessante que o Barcelona e arquirrival do Real Madrid.(E fora o Flamengo que é uma instituição horrível que descumpre contrato, quer ser campeão a pulso, fraudando os tribunais).

  4. Recife e Porto Alegre precisam ser estudadas! Destoam muito entre as demais, verdadeiras ilhas!
    Destaque negativo para Salvador, baixíssima audiência. E para Goiânia, que mesmo com clássico mostra que é de longe a praça local menos importante da Globo.

  5. Sport é o clube que chama todas as atenções, todos querem ver a seleção destruindo seus adversários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>