O patrimônio dos clubes pernambucanos através dos balanços financeiros de 2016

Aflitos, Ilha do Retiro e Arruda. Crédito: Google Maps/reprodução

O patrimônio do Trio de Ferro consiste em 209 mil metros quadrados de área no Recife. Dado referente às sedes sociais, à parte dos centros de treinamento no subúrbio. Mensurar o valor dos terrenos e das (enormes) estruturas não é tão simples, devido aos números apresentados por Náutico, Santa e Sport em seus balanços. Considerando os demonstrativos financeiros de 2016, divulgados em abril, a soma patrimonial seria de R$ 331.233.365 – hoje, inferior ao passivo acumulado, de 343 milhões de reais. No mercado, seria uma pechincha. Para explicar, vamos às ressalvas. Tanto o alvirrubro quanto o tricolor congelaram (dentro da lei) os valores, ignorando a especulação imobiliária, sobretudo nos Aflitos. Idem com o Sport, que, por outro lado, calculou a depreciação dos bens construídos, com queda de 19,6% num ano, ou R$ 32,4 milhões a menos. Como consequência, o patrimônio leonino tornou-se menor que o alvirrubro (133 mi x 134 mi). 

Um ponto interessante sobre a depreciação é o caráter meramente contábil, não relacionado, necessariamente, ao valor real de mercado. Como exemplo, o Arruda. A comissão patrimonial do Santa encomendou uma avaliação independente do estádio, sem contar os terrenos do CT Waldomiro Silva, em Beberibe, e CT Ninho das Cobras, na Guabiraba (ambos sem estrutura). Nesta análise, o Mundão valeria R$ 274 milhões, num aumento de 330% em relação ao balanço oficial, com a cifra pregada há anos. Pela falta de atualização, o patrimônio coral ficou abaixo do Central. Localizado num bairro nobre de Caruaru, Maurício de Nassau, o estádio alvinegro é sondado por construtoras de forma recorrente. Valeria R$ 88 milhões.

A lista abaixo apresenta os clubes locais acima de R$ 1 milhão, considerando imóveis, como sede, estádio, ginásios, parque aquático, centros de treinamento, terrenos etc. Vale destacar que Náutico e Sport não consideram os CTs nos ajustes patrimoniais, ainda atrelados como bens paralelos. E olhe que alguns clubes informam até maquinário, equipamentos eletrônicos e veículos. O Sport, por exemplo, soma R$ 5 milhões neste quesito, desconsiderado aqui. Em tempo: nada está à venda.

Patrimônio social
1º) Náutico, R$ 134.489.197 (Aflitos e clube)
2º) Sport, R$ 133.005.168 (Ilha do Retiro e clube)
3º) Central, R$ 96.400.000 (Lacerdão e terreno)
4º) Santa Cruz, R$ 63.739.000 (Arruda e clube)
5º) Sete de Setembro, R$ 18.000.000 (Gigante do Agreste e terreno)
6º) América, R$ 1.700.319 (imóvel)*
7º) Porto, R$ 1.610.293 (CT e imóveis)
* Dados de 2015, os últimos presentes no site da FPF

Observações:
1) A lista milionária poderia ser maior caso Centro Limoeirense e Ypiranga detalhassem seus respectivos estádios, o José Vareda e Limeirão.

2) O casarão na Estrada do Arraial é alvo de disputa pelo América, que perdeu o imóvel em 2012 num leilão para abater uma dívida. O clube tenta anular o processo. De toda forma, em 2015, passou a ser classificado como Imóvel Especial de Preservação (IEP) e não pode mais ser demolido.

Área dos clubes no Recife
1º) Ilha do Retiro, 110 mil m²
2º) Arruda, 58 mil m²
3º) Aflitos, 41 mil m²

Área dos principais centros de treinamento
1º) Wilson Campos (Náutico), 49 hectares
2º) Ninho do Gavião (Porto), 20 hectares
3º) Ninho das Cobras (Santa), 10,5 hectares (em construção)

4º) José de Andrade Médicis (Sport), 8,4 hectares

8 thoughts on “O patrimônio dos clubes pernambucanos através dos balanços financeiros de 2016

  1. A solução para o Timbu seria um melhor aproveitamento de sua sede. Transformar em um shopping, hoteis e centros empresariais. Aumentaria e muito sua arrecadação.Mandaria seus jogos para a arena. O nautico tem uma torcida pequena. consequentemente, arrecada menos em socio torcedor, direitos de imagem e bilheteria, que os có-irmaos sport e santa. Torço pelo sport, mas nao desejo o pior para nautico. Somos adversarios em campo, mas não inimigos. Sucesso ao nautico.

  2. O Náutico tem tudo pra ser tão grande ou até maior que muitos clubes do sudeste… basta apenas boas administrações como vimos nos anos 90 e 2000 no popoti…
    O timba está no fio da espada… ou se organiza administrativamente e cresce ou se continuar com as falcatruas e vaidades internas vai acabar caindo pra serie C.

  3. papai da cidade??

    kakakakakkakakakakakakakakaka!!

    as barbies delíram!!!!

    e as receitas?

    hã??????

    terreno tem “baixíssima liquidez!!!!”

    investimento de menor liquidez qualquer um sabe disso…kkkk

    delirem barbies!!!

    futebol “deste tamaminhooooooo”..pequeno,pequeno vai desaparecendo……..aos poucos…..

    corre risco da serie C

    2017……………………………………………………..hã?

  4. CLUBE NAUTICO CAPIBARIBE, O GIGANTE DE PATRIMÔNIO EM PERNAMBUCO, SE NÃO FOSSE OS MÃOS BOBAS QUE ADMINISTRARAM O CLUBE, NÓS ALVIRRUBROS NÃO TERIAMOS CHEGADO A ESSA SITUAÇÃO, AINDA HOJE ESTOU ESTARRECIDO COM A QUEDA DO CNC, PARA A 2ª DIVISÃO COM 57 MILHÕES NA GESTÃO DO EX FALIDO E AGORA MILIONÁRIO PAULO WNDERLEY, QUE APÓS DEIXAR AS TETAS DO CNC, SUAS EMPRESAS VOLTARAM AS CONSTRUÇÕES, CADÊ A AUDITORIA QUE O SENHOR GUSTAVO VENTURA PROMETEU PARA QUE FOSSE ELEITO JUNTO COM A MUITAS MENTIRAS ( MTA ), SE OS APROVEITADORES DAS FINANÇAS DO CNC CONTINUAREM A QUERER ENTRAR PARA PASSAR AS MÃOS NAS FINANÇAS DO CLUBE, A TENDÊNCIA É FECHAR O CNC.

  5. O Náutico como sempre gigante em PE. Basta ter dirigentes do mesmo tamanho também para ser o papai da cidade como sempre foi antigamente.

  6. Se fosse bem administrado, CNC permaneceria na Série A de forma sólida e sem sustos, conquistando campeonatos de forma frequente. Somente a soberba, arrogância e incompetência dos seus dirigentes para fazer o clube de maior patrimônio e da torcida mais endinheirada de PE passar vexames diante desses rivais locais. Avante, TIMBA!

  7. CNC melhor e mais valorizado patrimônio de PE, falta estruturar o futebol também, ai não tem pra ninguém!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>