A seleção do blog para o Pernambucano 2017, desta vez sem o Troféu Lance Final

A seleção do blog para o Estadual 2017. Arte: Cassio Zirpoli/DP, via footballuser.com

O Troféu Lance Final é uma tradição na escolha dos melhores jogadores do Campeonato Pernambucano, com status de seleção oficial desde 2003. Entretanto, com a enorme desorganização da competição nesta temporada, a Globo Nordeste, que prepara a premiação, optou por não realizá-la desta vez. De fato, não haveria timing para um evento do tipo, com os times já modificados, inclusive os finalistas. De toda forma, o blog, que costuma participar da votação aberta à imprensa, apresenta aqui quais seriam os indicados em 2017. O time ficaria num 4-4-2, a divisão mais utilizada, contando apenas com jogadores que alcançaram a semifinal.

No gol, Mondragon, favorito disparado – tomou a titularidade de Luciano. Na zaga, Salles foi o único representante tricolor, ganhando destaque mais pelos gols de bola parada. Ao seu lado, Ranieri, pilar da defesa menos vazada (9 gols na fase principal). Nas laterais, dois leoninos, ajudados também pela limitação dos demais. Na cabeça de área, Rodolfo Potiguar e Rodrigo Souza, ambos com mais destaque no hexagonal. Na articulação, Valdeir e Diego Souza. O primeiro levaria também como craque. Mesmo sem jogar a decisão, comandou o carcará, com 4 gols e velocidade. Já DS87 foi o líder do time campeão. À frente, duas promessas, da Copa São Paulo para o Estadual. Erick chamou a atenção na fase classificatória e Juninho decidiu a semi.

Como seria a sua seleção? É preciso puxar pela memória nesta edição..

Mondragon (Salgueiro); Samuel Xavier (Sport), Ranieri (Salgueiro), Anderson Salles (Santa Cruz) e Mena (Sport); Rodolfo Potiguar (Salgueiro), Rodrigo Souza (Náutico), Diego Souza (Sport) e Valdeir (Salgueiro); Erick (Náutico) e Juninho (Sport)

Técnico: Evandro Guimarães (Salgueiro)
Craque: Valdeir (Salgueiro)
Revelação: Erick (Náutico)

O Troféu Lance Final volta em 2018. Espera-se, também, uma edição melhor.

As maiores audiências na televisão do Campeonato Pernambucano de 2017

As maiores audiências do Campeonato Pernambucano de 2017. Arte: Cassio Zirpoli/DP

A grade de transmissão do Campeonato Pernambucano de 2017 apontou 32 jogos na televisão, totalizando 2.880 minutos de futebol ao vivo. É o maior dado desde que a competição passou a ter a concorrência da Copa do Nordeste, em 2013. Um ano antes, quando reinava sozinho no primeiro semestre local, o Estadual teve 38 partidas exibidas no Grande Recife

Na tevê aberta, a transmissão ocorreu novamente na Globo Nordeste, canal oficial desde 2000. As maiores audiências, sem surpresa, ocorreram no mata-mata, quando a competição ganha destaque, a despeito de um hexagonal sem boa presença na arquibancada. Mesmo com 52 dias de intervalo, a decisão reuniu a atenção de quase um milhão de telespectadores. Campeão, o Sport aparece com as seis maiores audiências na região metropolitana, considerando dados divulgados pelo Ibope e pela própria Rede Globo.

Lembrando que a competição passou em outras duas plataformas, no pay-per-view e para o exterior, com a Globo Internacional replicando o Premiere para 56 países, incluindo EUA e Japão. Assim como nas decisões de 2014 e 2017, os dois jogos finais entraram na grade em sinal aberto e fechado.

Balanço das transmissões do Campeonato Pernambucano de 2017. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Os três grandes clubes do Recife tiveram todos os seus jogos, 14 cada, exibidos na televisão, com o Sport levando vantagem na transmissão aberta, com 9 jogos na Globo – pesou o mata-mata, com quatro. Abaixo, um gráfico com o número de transmissões do Trio de Ferro (Globo, Premiere e geral). De 2012 a 2017, o número de jogos por plataforma foi o seguinte:

Total: Sport 83, Santa 77, Náutico 69
Globo: Sport 53, Santa 42, Náutico 36
Premiere: Sport 41, Santa 41, Náutico 36

Os números de Santa Cruz x Náutico nos 517 jogos disputados no primeiro século

Scout histórico de Santa Cruz x Náutico, em 29 de junho de 2017. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Em um século de bola rolando, tricolores e alvirrubros alimentaram uma rivalidade com mais de 500 jogos e 16 finais de campeonato. Confrontos no Estadual, no Nordestão, na Série B e na Série A. Embora já não aconteça há 24 anos, o Clássico das Emoções valeu pelo Brasileirão em 17 oportunidades.

Abaixo, um apanhado de estatísticas a partir da pesquisa original de Carlos Celso Cordeiro. Os dados compõem um dos confrontos mais tradicionais do futebol brasileiro, agora com status centenário. Bem disputado desde sempre.

Antes dos números, a curiosidade sobre a origem do nome “Clássico das Emoções”, batizado em 1º de novembro de 1953, através do título no comentário de Alves da Mota, publicado no Diario de Pernambuco. O texto (trecho em itálico) apresentava o clássico do dia, nos Aflitos – e que terminaria com triunfo timbu por 4 x 2. Já eram 36 anos de rivalidade.

“Teremos hoje, à tarde, no estádio ‘Eládio Barros Carvalho’, um ‘match’ que pela excelente forma e posição em que se encontram ambos os preliantes no presente campeonato, está fadado não só a um legítimo record de bilheteria, mas a um desfecho sensacional, numa luta cheia de lances emocionantes que tanto pode fazer vibrar a grande torcida do “clube das multidões”, para cujo lado está mais pendida a preferência do público, como resultar numa espetacular vitória dos alvirrubros.”

Retrospecto geral
517 jogos*
201 vitórias do Santa
149 empates
166 vitórias do Náutico
Primeiro: Santa 3 x 0 Náutico (29/06/1917, torneio amistoso)
Último: Santa 1 x 1 Náutico (16/05/2017, Estadual)
*O jogo ocorrido em 29 de março de 1931, durante a final do Torneio Abrigo Terezinha de Jesus, possui resultado desconhecido

Retrospecto na Série A
17 jogos
9 vitórias do Santa (última em 1984, 2 x 0)
4 empates (último em 1984, 1 x 1)
4 vitórias do Náutico (última em 1993, 2 x 1)

Retrospecto na Série B
12 jogos
6 vitórias do Santa (última em 2014, 3 x 0)
3 empates (último em 2014, 0 x 0)
3 vitórias do Náutico (última em 2015, 3 x 1)

As 16 decisões no Campeonato Pernambucano
Náutico (9 títulos) – 1934, 1960, 1974, 1984, 1985, 1989, 2001, 2002 e 2004
Santa Cruz (7 títulos) – 1946, 1959, 1970, 1976, 1983, 1993 e 1995

As primeiras vitórias
Santa Cruz: 3 x 0 em 29/06/1917 (no 1º jogo, num amistoso)
Náutico: 3 x 1 em 30/07/1922 (no 13º jogos, pelo Estadual)

As maiores goleadas
09/07/1944 – Náutico 5 x 0 Santa Cruz (Aflitos)
06/10/1991 – Santa Cruz 5 x 0 Náutico (Arruda)

Os 7 clássicos acima de 50 mil espectadores, todos pelo Estadual
76.636 – Santa Cruz (6) 1 x 1 (5) Náutico (18/12/1983)*
71.243 – Santa Cruz 2 x 1 Náutico (28/07/1993)*
70.003 – Santa Cruz 0 x 2 Náutico (11/07/2001)*
65.901 – Santa Cruz 1 x 2 Náutico (08/02/1998)
62.711 – Santa Cruz 2 x 0 Náutico (01/08/1976)*
58.190 – Santa Cruz 1 x 1 Náutico (11/12/1983)
53.416 – Santa Cruz 2 x 0 Náutico (01/12/1985)
* A finalíssima do Pernambucano

Manchetes do 41º título estadual do Sport

As manchetes do Diario de Pernambuco e do Superesportes sobre o 41º título pernambucano do Sport

Eis as capas publicadas pelo Diario de Pernambuco após a primeira finalíssima do futebol pernambucano realizada no interior, lá no sertão.

Nas bancas desta quinta-feira, o 41º título estadual do Sport estampa a manchete do jornal (“41″) e também do caderno Superesportes (“Vermelho e preto do sertão ao litoral”), com destaque para o meia Diego Souza, que não falou sobre o seu futuro durante a festa de sua primeira taça no clube.

Confira as capas em uma resolução maior aqui e aqui.

Podcast – Análise da polêmica final do Pernambucano 2017, mesmo com vídeo

Pernambucano 2017, final: Salgueiro 0 x 1 Sport. Foto: Rede Globo/reprodução

A análise da decisão do Estadual foi além da partida. Passa pelo significado da conquista para o Sport, que volta as atenções à dificílima Série A ainda num processo de reestruturação. Sobre o jogo, uma equipe modificada, quase jogando para o gasto, até o golaço de Everton Felipe, que valeu o 41º título do leão. Como não poderia deixar de ser, o 45 minutos se alongou também na discussão sobre o polêmico gol anulado do Salgueiro, após consulta ao árbitro de vídeo. Decisão correta? Incorreta? Estou neste podcast com Celso Ishigami, João de Andrade e Fred Figueiroa. E não houve unanimidade…

28/06 – Salgueiro 0 x 1 Sport (54 min)

100 anos de Clássico das Emoções, iniciado em um torneio beneficente

Os escudos originais de Santa Cruz e Náutico, agora em um clássico centenário...

Os primórdios do futebol no Recife guardam histórias curiosas sobre um esporte flamejante e imerso no amadorismo. Detalhes essenciais eram relevados, como tempo de jogo e critérios de desempate. Num arranjo histórico, onde vale a ponderação, encontra-se o primeiro Santa Cruz x Náutico, há 100 anos, sendo o 15º clássico mais antigo do Brasil.

O jogo aconteceu em 29 de junho de 1917, no “ground” da Liga Sportiva Pernambucana, que hoje, com outro dono, atende pelo nome de Aflitos. E não foi a única partida do dia no novo campo. Foi o 5º dos 7 jogos envolvendo oito clubes! Como houve tempo? Justamente pela releitura da história. Naquela tarde houve o Torneio Associação das Damas de Beneficência, no intervalo do Estadual, com três rodadas. O blog mergulhou no acervo de jornais da época (Diario de Pernambuco, A Província e Jornal Pequeno), relembrando o pioneiro Clássico das Emoções. Porém, os relatos focam mais festa do que nas partidas, entre “35 e 40 minutos”, dependendo do periódico. Na ocasião, os clubes misturaram o ‘primeiro team’ e o ‘segundo team’, vulgo reservas.

No sistema eliminatório, o clássico ocorreu na semifinal, com goleada coral. O Santa aplicou 3 x 0, com os autores dos gols não informados. Abaixo, a integra da reportagem original do DP. A primeira impressão é de um texto repleto de erros (victoria, annunciado, atravez), mas era a grafia da época.

A victoria do “Santa Cruz” 

Realizou-se hontem, no vasto ground da Liga Sportiva Pernambucana, o annunciado torneio de foot-ball entre 8 clubs seus filiados, promovido pela Associação das Damas de Beneficencia em favor das crianças desvalidas. A festa que teve inicio pouco depois das 13 horas, revestio-se de desusado brilhantismo e grande animação, logrando uma concurrencia selecta e numerosa de familias e cavalheiros. 

Tomaram parte no torneio os seguintes clubs: Casa Forte, Sport, Torre, America, Nautico, Santa Cruz, Peres e Flamengo. O jogo transcorreu sempre muito animado, tendo sido valentemente disputado atravez lances admiraveis que mereceram prolongados applausos da escolhida assistencia.

A victoria do torneio coube ao Santa Cruz, que fez jus, assim a artistica e valiosa estatueta de bronze que a Associação das Damas de Beneficencia instituira como premio ao club vencedor.  O 2º lugar foi atribuido ao Sport.

O jornal trouxe a escalação das equipes durante a tarde, com as formações num incrível 2-3-5. Pois é, dois zagueiros, três meias e cinco atacantes.

Santa Cruz
Ilo; Mangabeira e Jorge; Castro, Theophilo e Manoel; Pitota, Sá, Tiano, Alberto e Anizio 

Náutico
Nelson; Cazuza e Zé Maia; Amarinho, Davino e Bibi; Nadu, Fernando, Lopes, Ivan e Maximo

Não havia arquibancada, mas o público que cercou o campo foi numeroso, na base do “olhômetro”. Segundo A Província, ”não exageramos dizendo que alli compareceram cerca de 2.000 pessoas, hontem”. O Jornal Pequeno foi além. “A grande assistencia, calculada em 5.000 pessoas, dispersou-se a passeiar em redor do campo emprestando-lhe um aspecto encantador”.

O Jornal Pequeno foi o único a escrever alguma análise sobre o clássico.

“Victoria dos tricolores sobre o Nautico pelo elevado score de 3 goals e 1 corner” 

Scout de escanteios? Acredite, era este o critério de desempate no torneio – uma tradição também no antigo Torneio Início. Ou seja, mesmo que o Náutico tivesse marcado três gols, seria eliminado por ter menos escanteios a favor. Por sinal, na estreia coral, contra o América, o número de corners foi o destaque: “os tricolores fortes, ageis e seguros conseguiram estabelecer um domínio completo sobre os americanos, arrancando-lhes a victoria pela diferença esmagadora de 6 corners e 1 goal contra 1 corner”.

Eis a tabela completa do Torneio Associação das Damas de Beneficência:
Quartas de final
Náutico 1 x 0 Casa Forte
Santa Cruz 1 x 0 América
Flamengo do Recife 0 x 0 Peres*
Sport 1 x 0 Torre
* O Fla passou porque teve um escanteio a favor

Semifinal
Náutico 0 x 3 Santa Cruz
Sport 1 x 0 Flamengo do Recife 

Final
Santa Cruz 1 x 0 Sport

Confira o post com estatísticas sobre os 517 jogos do clássico aqui.