Santa segue no Nordestão, com Náutico em dúvida e Sport possivelmente isolado

O racha entre os fundadores da Luga do Nordeste. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Entre os dias 3 e 13 de julho, Liga do Nordeste viveu a expectativa sobre a decisão do Santa Cruz acerca da disputa do Nordestão de 2018. Seguiria o movimento de Sport e Náutico e deixaria a competição ou aumentaria o apoio ao torneio? Na visão do blog, a posição tricolor era determinante para o “tamanho” da Lampions, uma vez que a saída significaria, de fato, a ausência do Recife na audiência – e os dados da capital são os maiores da região.

Após ponderar sobre o que seria melhor para o seu clube, naturalmente, o presidente Alírio Moraes optou por permanecer. Comunicou a decisão durante a reunião da liga, em Salvador, onde foram definidas as cotas de participação da edição de 2018, com R$ 22,5 mi ao todo. De cara, assegurou R$ 1 milhão na fase de grupos – na situação financeira em que o clube se encontra, seria bem difícil, pra não dizer impossível, convencer o torcedor do contrário.

Com a desistência do Sport, confirmada pela liga, o Santa entra diretamente na fase de grupos, evitando o Pré-Nordestão, que seria contra a Itabaiana.

Fundadores favoráveis à continuidade da Copa do Nordeste
ABC, Bahia, Botafogo-PB, Ceará, Confiança, CRB, CSA, Fluminense de Feira, Treze e Vitória, América-RN e Fortaleza, Sergipe e Santa Cruz

Fundadores que se desfiliaram da Liga do Nordeste
Náutico (sub judice) e Sport

Algumas observações do blog sobre as consequências da decisão coral:

1) O Náutico, fora do Nordestão 2018, passa da cor vermelha, de “saída”, ao amarelo, de “indefinição”, devido ao impasse entre o executivo (que optou pela saída da liga) e o conselho deliberativo (que comunicou a permanência). Com a 3ª vaga do estado em aberto, não surpreenderia uma adesão timbu, visto que a simples participação na fase “Pré” renderia R$ 250 mil – podendo chegar a R$ 750 mil caso alcance a fase de grupos.

2) Caso o Náutico siga mesmo fora da Liga do Nordeste, a 3ª vaga de Pernambuco ficaria com o Belo Jardim, que terminou em 5º lugar no Estadual de 2017. Numa hipotética participação inédita, o calango, cujo estádio está sem os laudos técnicos, entraria num novo sorteio do Pré-Nordestão.

3) Na coletiva em que anunciou a saída do Sport, o presidente Arnaldo Barros falou sobre a formação de um torneio paralelo. Contudo, com 14 dos 16 clubes fundadores confirmando apoio à liga nordestina, a ideia fracassou. Portanto, o Sport vai ao ‘Plano B’, não revelado por ele. Primeira Liga? A princípio, o dirigente simplesmente abriu mão de R$ 1 milhão (por 6 datas), além de confrontar parte da torcida, insatisfeita pela saída do regional.

4) A direção de competições da CBF alega que o Sport não comunicou a saída dentro do prazo legal. Seria um mecanismo para uma possível volta? Em vídeo vazado no twitter, o mandatário leonino afirmou que “não é homem para se torar”, mantendo a saída – e a liga já dá o fato como consumado.

5) Embora o Sport tenha tido três jogos com audiência acima de 1 milhão de telespectadores (recorde em 2017), a sua ausência (pontual?) pode ser digerida pelo Nordestão, como ocorreu com Santa (2015), Vitória (2016) e Ceará (2017) – nesses casos, não se classificaram nos estaduais. Lembrando que o leão também não participou em 2003 e 2010, também por divergências.

Torcedor, o que você achou da posição do Santa Cruz?
Sem um regional paralelo, o Sport deve aderir à Primeira Liga?
O Náutico deveria lutar pela terceira vaga local na Copa do Nordeste?

8 thoughts on “Santa segue no Nordestão, com Náutico em dúvida e Sport possivelmente isolado

  1. Boa Noite,

    O Sport tem razão em deixar a Copa do Nordeste, competição sem atrativo, só times de terceira e quarta divisão, com um elenco caro o Sport estaria colocando em risco os seus jogadores, deixa a lobriga colorida e as barbeis alvirrosada disputar esta competição que só interessa aos que comandam, cada e o dinheiro.

    abraços.

  2. como já foi mostrado aqui no blog, a receita do Nordestão pouco interfere nas vidas de Sport e Bahia, então pro Sport torna-se possível manter a posição contraria. já o náutico quis aparecer. nem estava na competição. vai seguir os passos do santa cruz e jogar a competição.
    Mas é engraçado como o Sport lutou pelas cotas diferenciadas, saiu porque não obteve resolução favorável. mas assim que o Leão saiu, a Liga do NE resolveu implantar o sistema de cotas diferenciadas…

  3. O Sport está indo de encontro pelo que sempre batalhou, cota mais justas no futebol. Clubes do eixo Rio-São Paulo nadam em milhares, quando na verdade os valores deveriam ser fixos com percentual adicional por desempenho. Vejam o exemplo do futebol Carioca meus amigos, nacionalmente ficaram para trás de eixos como Sul-Minas, mas devido a repartição injusta, não deixam futebol de outras regiões crescer, como é o caso do Paraná, Santa Catarina e o próprio Pernambuco e Bahia. Infelizmente o poder parece que subiu a cabeça dos dirigentes lá pela Ilha, que estão indo inclusive de contra a torcida. Pobre deles, pensando que um dia vão lutar por libertadores ou campeonato nacional, quando na verdade a mudança tem que vir de nós, nordestinos, fortalecendo o que é de casa, e da dupla Atletiba que vem travando uma batalha por mais igualdade nas cotas de TVs. Tomara que o Náutico não caia nessa do Sport, pois ele é o que tem mais a perder.

  4. A justificativa usada pelo presidente é ardilosa. A Copa do Nordeste, e especialmente o trabalho de marketing do Esporte Interativo, é um sucesso absoluto, com interação do público jamais vista em competição alguma no Brasil, aumento progressivo de cotas e ganho incrível na marca.

    A proposta de atingir a estabilidade do torneio por motivos claramente inidôneos pareceu uma tentativa de atingir seu principal organizador, e por motivos obscuros.

    Seria demais imaginar que o maior concorrente do Esporte Interativo, a quem o Sport preteriu na renovação do contrato de tv fechada, mesmo com proposta mais vantajosa, não estaria por trás da tentativa de “golpe de Estado”?

    É vergonhoso ver o time que desafiou essa turma em 1987 sabotar o projeto de campeonato mais promissor do país.

  5. Prezado Sr. Cássio Zirpoli e caros leitores. Mediante situação financeira baixa, acho sim que o Náutico deveria rever seus conceitos e optar pela participação. A copa do nordeste é uma boa alternativa e pode render bons frutos. O timbu tem tudo pára fazer uma boa pré-disputa. O Santa Cruz teve sabedoria em permanecer. Já ao Sport, tem uma situação financeira mais confortável, podendo se dar ao luxo de ficar de fora. Tem um plantel caro em relação aos seus co-irmãos, podendo tentar alçar voo de melhor circunstância. O Salgueiro já anteriormente classificado faz bem em permanecer, precisando dar uns ajustes na equipe para que possa ter uma boa participação e até mesmo chegar ao título. Um abraço a todos.

  6. Agora q já se definiu td, todos devem manter a palavra e, para a Copa de 2019, se discute novamente.
    Para o Sport se não compensa disputar a Copa do Nordeste piorou disputar a primeira Liga q rende a mesma coisa, mas as viagens são mais distantes, só ganha pelo fato de ter menos datas.

  7. Posição do Santa foi de traição e nau caratismo .
    Combinaram os 3 d correu na hora H

    Sport só deveria ir pra 1a liga se for no formato Mini copa

    Opção seria amistosos com times top ou pre temporada maior ( ou até fora do Brasil )

    Ps- se der liberta , morreu o assunto

  8. Sinceramente, o sport fez bobagem, achou que seria líder de algo sem uma causa lógica. O torcedor do sport não tem o mínimo de interesse nessa primeira liga. Quebrou a cara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>