As cotas de participação e premiações dos clubes nordestinos em 2017

As cotas de participação e premiações do sete principais clubes do Nordeste. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Encerrada a temporada 2017, vamos ao balanço econômico dos principais clubes do Nordeste, considerando o desempenho esportivo de cada um nas competições oficiais. Ao todo, em calendários de 45 (Fortaleza) a 80 jogos (Sport), o “G7″ apurou R$ 188.568.165. Neste contexto, se aplicam as premiações recebidas por fases e/ou títulos, além dos recursos recebidos pela transmissão de cada torneio, sem a bilheteria. Apesar da tradição, há de se considerar a distância interna, pois os três cotistas da televisão na região (Bahia, Sport e Vitória) concentram 86,4% do montante, com 163 milhões de reais. Na condição de cotistas, mantêm as receitas no Campeonato Brasileiro mesmo em caso de rebaixamento, com redução de 25% somente após o segundo ano fora da elite. Quanto aos demais, a queda das cotas, como foi o caso do Santa, de 23 mi na A, em 2016, para 6 milhões na B, em 2017.

A maior arrecadação coube ao Bahia, o campeão da Lampions. Mas não exatamente pela orelhuda dourada, mas sim devido ao pay-per-view no nacional. Com o repasse a partir dos dados de uma pesquisa encomendada pela Rede Globo junto aos institutos Ibope e Datafolha, o tricolor de aço acaba tendo uma estimativa de quase 10 milhões a mais que o leão pernambucano. Por sinal, o cálculo para o PPV mudará em 2018, adotando o óbvio, a soma de assinantes cadastrados em cada clube do país. Até porque é, de fato, a plataforma mais ascendente. À parte disso, o rubro-negro só conseguiu reduzir a diferença graças às cotas obtidas nos nove mata-matas disputados  pelo clube nos âmbitos nacional e internacional, com R$ 8,3 mi. Em terceiro na lista, o Vitória segue próximo aos dois rivais regionais.

Em seguida, um abismo separando o trio das outras forças do Recife e de Fortaleza. Em Pernambuco, alvirrubros e tricolores ganharam cotas estaduais maiores que os alencarinos e também faturaram mais na Série B, devido ao novo cálculo – que considerou a campanha no ano anterior, 2016. E o Santa ainda recebeu a cota de participação nas oitavas da Copa do Brasil, onde estreou devido ao título nordestino – numa “compensação” da CBF, uma vez que a vaga original seria na Sul-Americana, retirada numa canetada. Para 2018, entretanto, a situação mudará drasticamente, com Náutico e Santa na terceira divisão, Ceará na elite e o Fortaleza enfim de volta à B, após oito anos. O vozão deverá ter a maior arrecadação entre os quatro, mas ainda longe do trio, companheiro no Brasileirão.

Maiores arrecadações em cotas/premiações em 2017 (R$)
1º) Bahia – 57,6 milhões
2º) Sport – 54,0 milhões
3º) Vitória – 51,3 milhões
4º) Santa Cruz- 9,8 milhões
5º) Náutico – 7,6 milhões
6º) Ceará – 6,3 milhões
7º) Fortaleza – 1,7 milhão

Maiores médias de cotas por jogo (R$)
1º) Bahia – 874.126
2º) Vitória – 755.500
3º) Sport – 675.379
4º) Santa Cruz – 153.182
5º) Náutico – 129.774
6º) Ceará – 108.812
7º) Fortaleza – 37.777

Bahia
Total: R$ 57.692.335
Média por jogo (66): R$ 874.126
Estadual (BA) – R$ 850 mil (valor fixo, vice)
Nordestão – R$ 2,85 milhões (campeão)
Copa do Brasil – R$ 1,12 milhão (39º lugar, 64 avos)
Série A (TV fixo) – R$ 35 milhões
Série A (TV ppv*) – R$ 16,65 milhões
Série A (premiação) – R$ 1.222.335 (12º lugar)
Desempenho: 30V, 19E e 17D, com índice de 55,0%
* Estimativa a partir do cálculo de 2015

Sport
Total: R$ 54.030.320
Média por jogo (80): R$ 675.379
Estadual (PE) – R$ 950 mil (valor fixo, campeão)
Nordestão – R$ 2,15 milhões (vice)
Copa do Brasil – R$ 3,88 milhões (10º lugar, oitavas)
Série A (TV fixo) – R$ 35 milhões
Série A (TV ppv*) – R$ 6,75 milhões
Série A (premiação) – R$ 850.320 (15º lugar)
Sul-Americana – R$ 4,45 milhões (8º lugar, quartas)
Desempenho: 32V, 20E e 28D, com índice de 48,3%
* Estimativa a partir do cálculo de 2015

Vitória
Total: R$ 51.374.030
Média por jogo (68): R$ 755.500
Estadual (BA) – R$ 850 mil (valor, fixo, campeão)
Nordestão – R$ 1,6 milhão (4º lugar)
Copa do Brasil – R$ 2,83 milhões (20º lugar, 16 avos)
Série A (TV fixo) – R$ 35 milhões
Série A (TV ppv*) – R$ 10,35 milhões
Série A (premiação) – R$ 744.030 (16º lugar)
Desempenho: 32V, 16E e 20D, com índice de 54,9%
* Estimativa a partir do cálculo de 2015

Santa Cruz
Total: R$ 9.803.703
Média por jogo (64): R$ 153.182
Estadual (PE) – R$ 950 mil (valor fixo, 3º lugar)
Nordestão – R$ 1,6 milhão (3º lugar)
Copa do Brasil – R$ 1,05 milhão (15º lugar, oitavas)
Série B (TV*) – R$ 6.203.703 (18º lugar)
Desempenho: 21V, 20E e 23D, com índice de 43,2%
* O valor conta todas as plataformas, incluindo o PPV

Náutico
Total: R$ 7.656.666
Média por jogo (59): R$ 129.774
Estadual (PE) – R$ 950 mil (valor fixo, 4º lugar)
Nordestão – R$ 600 mil (9º lugar)
Copa do Brasil – R$ 300 mil (67º lugar, 128 avos)
Série B (TV*) – R$ 5.806.666 (20º lugar)
Desempenho: 16V, 14E e 29D, com índice de 35,0%
* O valor conta todas as plataformas, incluindo o PPV

Ceará
Total: R$ 6.311.111
Média por jogo (58): R$ 108.812
Estadual (CE) – R$ 800 mil (valor fixo, campeão)
Primeira Liga – sem cota (10º lugar)
Copa do Brasil – R$ 300 mil (67º lugar, 128 avos)
Série B (TV*) – R$ 5.211.111 (3º lugar)
Desempenho: 31V, 16E e 11D, com índice de 62,6%
* O valor conta todas as plataformas, incluindo o PPV

Fortaleza
Total: R$ 1.700.000
Média por jogo (45): R$ 37.777
Estadual (CE) – R$ 800 mil (valor fixo, 3º lugar)
Nordestão – R$ 600 mil (13º lugar)
Copa do Brasil – R$ 300 mil (59º lugar, 128 avos)
Série C – sem cota* (vice)
Desempenho: 20V, 17E e 8D, com índice de 57,0%
* A TV paga apenas as despesas de viagem, hospedagem e arbitragem

6 thoughts on “As cotas de participação e premiações dos clubes nordestinos em 2017

  1. TV ppv* ridículo do Sport. Na realidade é aí que eu vejo as diferenças.

    O ganho de TV ppv* de 10 milhões (16,75 – 6,6Milhões) a mais pró Bahia, é mais que o ganho com a premiação somada da Copa do Brasil do Sport (2,7Milhões) + Copa Sul-americana do Sport (4,45Milhões). Claro que essa duas competições fazem a diferença quando é avaliado o desempenho do time do Sport, por isso foi bem ranqueado na classificação da CBF.

    Mas é bom que o departamento de Marketing do Sport (que anda falho) se preocupe bastante em captar torcedores para os pacotes de TV ppv*, pq além do valor captada, o Sport poderia se dar ao luxo de focar exatamente na competição lhe convier em cada ano – ocupar uma posição melhor no Brasileiro, libertadores quem sabe, ganhar um título com mais expressão, etc – ao invés de ficar com focos divididos em mais de 3-4 competições (por causa do avanço de fase e do $$) e no final acabar desfocado sem ter conseguido retumbantemente nada, apenas uma determinada quantia que poderia ter sido obtida/garantida via TV ppv*.

    O Sport não está sendo eficaz no seu planejamento, não está sabendo organizar as prioridades.

  2. parabéns! Excelente post!
    O esporte interativo não paga nada p transmitir a Série C?
    O Fortaleza está zerado no nacional?

  3. A DIFERENÇA ENTRE AS COTAS DE TV ENTRE SPORT, BAHIA E VITÓRIA ESTÁ EXATAMENTE NA VENDA DE PAY PER VIEW.

    MAS ISSO QUER DIZER QUE A TORCIDA DO SPORT COMPRA MENOS QUE OS BAIANOS?
    PELO QUE EU ENTENDI, NÃO, NECESSARIAMENTE. Pelo menos as cifras recebidas neste ano, são valores estimados ainda em 2015.

    PAY PER VIEW:
    SPORT: 6,75
    VITÓRIA: 10 e pouco
    Bahia: 16,65 milhões
    PORTANTO, NÚMEROS DEFASADOS.
    A PERSEGUIÇÃO CONTRA O SPORT PELO SISTEMA GLOBO CONTINUA.

    A rede globo é o satã do futebol brasileiro.

  4. Outra dúvida: O Ceará ganhou nada pra jogar a primeira Liga?

    Nota do blog

    Nada… Apesar da expectativa de cota na fase de grupos, foi convidado para receber algo (além da bilheteria) apenas a partir das quartas de final. Porém, caiu na 1ª fase.

  5. Cássio, parabéns pelo levantamento.

    Incluiu o valor do prêmio da CEF pago ao campeão do NE 2017 patrocinado pelo banco?
    Abraço

    Nota do blog

    Lucas, o Bahia ganhou R$ 300 mil da Caixa como bônus pelo título do Nordestão. Porém, não considerei pois trata-se de um aditivo de um patrocinador – que não cabia a todos os times. No caso, esse valor entraria num levantamento ampliado. De toda forma, detalhes aqui: http://blogs.diariodepernambuco.com.br/esportes/2017/03/15/os-patrocinios-da-caixa-economica-em-2017-com-bonus-de-titulo-em-7-torneios/

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>