Podcast – A análise da vitória do Santa Cruz e das derrota do Náutico e Sport

Brasileiro, 24ª rodada: Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Roberto Ramos/DP), Oeste 1 x 0 Náutico (Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão conteúdo) e Flamengo 2 x 0 Sport (Gilvan de Souza/Flamengo)

Jogos do Trio de Ferro na sexta-feira, no sábado e no domingo. Começou com a goleada coral, no primeiro resultado positivo do clube do Arruda após quase dois meses. Bastou para sair do Z4. Seguiu com o terceiro revés seguido do alvirrubro como visitante, potencializado após uma expulsão infantil. Por fim, o duelo rubro-negro na elite, com o pernambucano jogando mal e perdendo pela 4ª vez seguida. Também passou a brigar contra o Z4. O 45 minutos comentou os três jogos em gravações exclusivas, nas questões técnica e tática, além de análises individuais. Ao todo, 105 minutos de podcast. Ouça!

15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (41 min) 

16/09 – Oeste 1 x 0 Náutico (29 min)

17/09 – Flamengo 2 x 0 Sport (35 min)

Sport perde do Flamengo no Rio e chega a 4 derrotas seguidas e 7 jogos de jejum

Série A 2017, 24ª rodada: Flamengo 2 x 0 Sport. Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O Sport perdeu no Rio e ampliou a má fase na Série A. A boa atuação na Sula parece ter sido um ponto fora da curva em uma sequência que derrubou o time da briga por uma vaga na Libertadores para a disputa contra o descenso, um perigo enorme. Hoje, o Z4 está a apenas dois pontos. O futebol no período justifica o temor. No estádio Luso Brasileiro, o rubro-negro pernambucano começou em ritmo de amistoso. Na escalação, não pôde repetir a dobradinha na esquerda (Sander/Mena) porque o brasileiro sofreu com uma virose na véspera. Vaga aberta para Oswaldo, que não se encontrou no domingo, mesmo revezando nas pontas. Na outra, Lenis limitou-se à recomposição, pois ofensivamente foi nulo, como todo o Sport no primeiro tempo.

O Flamengo não fazia uma grande partida. Abriu o placar aos 8, quando Magrão cortou mal um cruzamento rasteiro, nos pés de Guerrero. Depois, o time carioca tentou o controlar o jogo na posse de bola (66%), esperando que Everton Ribeiro decidisse sozinho. No meio, Diego, reconvocado à Seleção, ia sendo parado com faltas. Ainda assim, criou duas chances.

Série A 2017, 24ª rodada: Flamengo 2 x 0 Sport. Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

No Sport, o ritmo do jogo era um reflexo da formação de Luxemburgo, que optou por Wesley no meio. Indicado pelo treinador, o volante/meia foi omisso na marcação e arriscou muito pouco em termos de passes com profundidade. Sem isso, o Sport encostava no ataque com o mandante já recomposto. Na segunda etapa, aos 17, o volante Patrick foi expulso de maneira irresponsável, tomando o segundo cartão por reclamação após o amarelo numa falta dura.

Talvez pela acomodação do Fla com a situação, o Sport acabou tendo mais espaço, criando as suas três chances, desperdiçadas por André, Rogério e Wesley. Nos descontos, no tudo ou nada, acabou tomando o segundo gol, com Everton Ribeiro, 2 x 0. Foi a 4ª derrota seguida no Brasileirão, com cinco jogos sem marcar gols e sete sem vencer. Evolução técnica/tática paralisada.

O jejum de vitórias do rubro-negro na Série A
02/08 – Sport 2 x 2 Fluminense (Ilha do Retiro)
05/08 – Sport 1 x 3 Corinthians (Arena Corinthians, SP)
13/08 – Sport 0 x 0 Ponte Preta (Ilha do Retiro)
20/08 – Sport 0 x 2 Cruzeiro (Mineirão, BH)
02/09 – Sport 0 x 5 Grêmio (Arena do Grêmio)
10/09 – Sport 0 x 1 Avaí (Ilha do Retiro)
10/09 – Sport 0 x 2 Flamengo (Luso Brasileiro, Rio)

7 jogos; 2 empates e 5 derrotas, 3 GP e 15 GP; – 12 SG

Série A 2017, 24ª rodada: Flamengo 2 x 0 Sport. Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Permanência do Náutico na Série B passa pelo desempenho do mando no Lacerdão

Série A de 2009, Náutico 2 x 1 Santo André, no Lacerdão

Em 8 de agosto de 2009, o Náutico precisou mandar o seu jogo contra o Santo André em Caruaru. A campanha na Série A era péssima, mas uma vitória tiraria o time da zona de rebaixamento na ocasião. Apoiada na esperança, e ainda na época do Todos com a Nota, a timbuzada encheu o Lacerdão, com 13.434 torcedores. A pressão deu resultado, com o triunfo por 2 x 1, com dois gols de Bala. Oito anos depois, o clube se vê novamente obrigado a pegar a BR-232 para atuar como mandante no Brasileiro.

Agora na Série B, também querendo evitar o Z4, o timbu jogará quatro vezes na Capital do Forró devido à impossibilidade de uso da Arena Pernambuco, alugada para dois eventos religiosos (!). A o primeiro compromisso é contra o líder do campeonato, o Inter, com a campanha de divulgação já iniciada pelo clube, por meio de vídeos em suas redes sociais – relembrando, claro, a atmosfera de 2009. Em tese, o time volta à arena para os últimos três jogos “em casa”. Dependendo do desempenho no Agreste, talvez fique por lá…

Qual a expectativa de público para o primeiro jogo, num sábado à tarde?

Os mandos de campo do Timbu no Lacerdão pela Série B
25ª) Náutico x Internacional (23/09)
27ª) Náutico x Boa (30/09)
29ª) Náutico x Guarani (14/10)
31ª) Náutico x ABC (21/10)

Classificação da Série B 2017 – 24ª rodada

A classificação da 24ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesporte2

Se a rodada anterior foi excepcional para o Náutico, desta vez foi para o Santa Cruz. Após quase dois meses, o time voltou a vencer (e convencer). O tricolor goleou o Goiás e ganhou três posições, saindo da zona de rebaixamento. Do 18º para o 15º lugar. Todos os concorrentes mais próximos saíram derrotados nesta rodada. Inclusive o rival local. No sábado, em Barueri, diante de um time de Itápolis, o alvirrubro perdeu o terceiro jogo seguido como visitante. Mantendo a 19ª posição, o Náutico viu a diferença em relação ao 15º colocado, o primeiro fora do Z4, aumentar de 5 para 7 pontos.

Na próxima rodada, o timbu inicia a série de quatro jogos em Caruaru, no estádio do Central, devido à impossibilidade de utilizar a Arena Pernambuco, alugada para dois eventos religiosos. Começa já diante do líder, o Inter.

Resultados da 24ª rodada
Boa 2 x 2 Guarani
Criciúma 1 x 2 Juventude
Santa Cruz 3 x 0 Goiás
Ceará 1 x 1 América
Paysandu 2 x 0 ABC
Brasil 2 x 0 CRB
Internacional 3 x 0 Figueirense
Oeste 1 x 0 Náutico
Vila Nova 2 x 1 Luverdense
Paraná 2 x 1 Londrina 

Balanço da 24ª rodada
7V dos mandantes (19 GP), 2E e 1V dos visitantes (7 GP)

Agenda da 25ª rodada
19/09 (19h15) – América x Vila Nova (Independência)
19/09 (21h30) – Guarani x Paraná (Brinco de Ouro)
22/09 (19h15) – Juventude x Boa (Alfredo Jaconi)
22/09 (21h30) – Luverdense x Oeste (Passo das Emas)
22/09 (21h30) – Londrina x Santa Cruz (Estádio do Café)
23/09 (16h30) – Figueirense x ABC (Orlando Scarpelli)
23/09 (16h30) – Goiás x Paysandu (Serra Dourada)
23/09 (16h30) – CRB x Criciúma (Rei Pelé)
23/09 (16h30) – Náutico x Internacional (Lacerdão)
23/09 (19h00) – Ceará x Brasil (Castelão)

Náutico perde do Oeste em SP atuando com um a menos durante 53 minutos

Série B 2017, 24ª rodada: Oeste 1 x 0 Náutico. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão conteúdo

O Náutico perdeu o 3º jogo como visitante sob o comando de Roberto Fernandes, num rendimento inversamente proporcional à condição de mandante, com três vitórias. Longe de casa, o timbu vem tendo como pior característica a inoperância ofensiva, com o 1 x 0 cabalístico. Entretanto, os três jogos (América, Ceará e Oeste) tiveram outras nuances consideráveis.

O primeiro jogo foi simplesmente a maior disparidade possível, com o então líder diante do então lanterna. O excesso de precaução, jogando visivelmente pelo empate, não deu chance a uma reação após o gol bem tramado pelos mineiros. Depois, na capital cearense, um pênalti perdido e uma falha da defesa contra um adversário que jogou mal. Desta vez, na arena na região metropolitana de São Paulo, uma partida estudada pelas duas equipes, mas liquidada a partir de uma expulsão sem sentido do alvirrubro.

Série B 2017, 24ª rodada: Oeste 1 x 0 Náutico, com a torcida alvirrubra acompanhando num telão nos Aflitos. Foto: Náutico/instagram (@nauticope)

Após baixar de 8 para 5 pontos a diferença sobre o 16º colocado, a torcida alvirrubra se animou com a possibilidade voltar a vencer fora de casa, se reunindo para assistir ao jogo num telão nos Aflitos. Viram o Oeste abusar da bola aérea, levando bastante perigo, com Jefferson atento – desconsiderando um chute de média de distância, quando bateu roupa. Se o visitante não conseguia encaixar um contragolpe, ao menos ia segurando o empate.

Cenário desarmado no fim do primeiro tempo, numa irresponsabilidade tremenda do lateral-esquerdo Ávila. Tomou dois amarelos em sequência, aos 41 e aos 43. Um ao tentar retardar a reposição do goleiro. Outro ao cortar com a mão um lançamento. Comprometeu demais a atuação alvirrubra, com um a menos durante 53 minutos. O gol da vitória paulista, numa cabeça de Robert, aos 26/2T, saiu justamente no buraco deixado pelo ala. Enquanto o Oeste chegou a três vitórias seguidas, o Náutico volta para uma pedreira. Irá encarar o Inter em Caruaru necessitando manter o “perde/ganha”…

Timbu como visitante sob o comando de Roberto Fernandes
20ª) Náutico 0 x 1 América (Independência, Minas Gerais)
22ª) Náutico 0 x 1 Ceará (PV, Ceará)
23ª) Náutico 0 x 1 Oeste (Arena Barueri, São Paulo)

Série B 2017, 24ª rodada: Oeste 1 x 0 Náutico. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão conteúdo

Santa Cruz goleia o Goiás e quebra jejum de quase dois meses. Fôlego contra o Z4

Série B 2017, 24ª rodada: Santa Cruz 3 x 0 Goiás. Foto: Roberto Ramos/DP

Em dois meses, o Santa Cruz entrou em colapso, com a irregularidade em campo resultando na zona de rebaixamento, com direito a seis derrotas seguidas. O jejum era ainda maior, de oito partidas. No período, a mudança de técnico, algum tempo para treinar e a necessidade de voltar a “disputar” a Série B. O empate sem gols com o lanterna pode ter estancado a série de derrotas, mas havia deixado um gosto amargo pelo péssimo futebol mostrado, admitido pelo próprio comandante, Marcelo Martelotte.

Em uma semana cheia, era preciso assimilar isso visando o Goiás, o segundo clube de maior receita segundona, mas que, de forma injustificável, encontra-se na mesma corrida contra o descenso. Um novo tropeço deixaria o tricolor num buraco profundo. E a vitória, claro, traria um alívio potencializado pela tabela, pois o outro concorrente de peso, o Figueira, pega o Inter como visitante. Matemática à parte, era preciso jogar bola. Ou seja, alinhando organização e um jogo mais rápido em relação àquele visto em Natal. Neste caso, não se trata de um sinônimo de pressa, mas de objetividade.

Série B 2017, 24ª rodada: Santa Cruz 3 x 0 Goiás. Foto: Roberto Ramos/DP

Como visto no primeiro gol no Arruda, bem cedinho, com 2min50s. Tiago Costa lançou do meio-campo, André Luís matou no peito, olhou para a área e cruzou rápido, na medida para João Paulo. De surpresa, o meia de 1,67m cabeceou livre, certeiro. Era a mesma vantagem obtida nas três partidas anteriores no Recife, contra Paysandu, Criciúma e CRB. Com Nininho e Tiago Costa mais atentos na recomposição e com João Ananias e Derley num ritmo melhor de marcação (a dupla não vinha bem), o sistema defensivo melhorou, embora o alviverde tenha criado algumas chances, mas sem ‘a’ chance.

Para não correr risco, cabia ao Santa matar logo o confronto. Demorou, mas conseguiu. Aos 39 e 42 minutos, Bruno Paulo – acionado no decorrer – apareceu bem demais. Finalizou colocado no primeiro lance e fez boa jogada individual no segundo, 3 x 0. Foi a primeira vitória de Martelotte nesta sua terceira passagem. Agora, terá mais uma semana cheia para colocar a casa em dia. O mesmo tempo para a direção também fazer a sua parte…

Santa Cruz sob o comando de Martelotte
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)

Série B 2017, 24ª rodada: Santa Cruz 3 x 0 Goiás. Foto: Roberto Ramos/DP

O 10.000º post da história do blog

Acessos no blog de 2008 a 2017. Crédito: Google Analytics/reprodução

Este é o 10.000º post no blog. Soma a partir da estreia, em 3 de agosto de 2008, até 13 de setembro de 2017. Sempre à frente deste canal, eu, Cassio, agradeço a participação de todos, em meio a milhares de críticas e elogios, sempre debatendo o esporte, com foco no futebol pernambucano. 

Com um número tão emblemático, jamais imaginado quando fui convidado pelo Diario de Pernambuco para assumir o blog – já era repórter do jornal desde 2004 -, vou utilizar a postagem para dividir com vocês alguns números que fizeram esta história. O estilo do blog mudou bastante durante quase uma década, aprendendo, testando e errando, sempre querendo melhorar. Abaixo, dados do Google Analytics em mais de 15 milhões de visualizações. Valeu!

Mês com mais acessos: maio de 2016 (512.233 views)

Mês com menos acessos: agosto de 2008 (6.075 views)

Recorde de acessos em um dia: 19 de julho de 2015 (47.852 views)

60.226 comentários aprovados, com média de 6 por postagem

184.639 comentários de spam devidamente bloqueados

18.141 imagens cadastradas e 282 enquetes (com 243.348 votos)

Os posts mais acessados:

1º) 81.031 page views (06/12/2015) - A fila de espera dos brasileiros para a Sul-Americana 2016, com Sport e Santa

2º) 74.215 page views (06/12/2015) - A distribuição dos milhões das cotas de televisão nas Séries A e B de 2016

3º) 73.756 page views (07/10/2009) - Os 100 escudos mais bonitos

4º) 55.267 page views (19/07/2015) - Os recordes de público no Arruda, na Ilha, nos Aflitos e na Arena Pernambuco

5º) 53.868 page views (19/05/2015) - As medidas dos campos do Brasileirão, com ou sem Padrão Fifa

O primeiro post:

Se não fossem os números, o que seria do esporte?

O post mais comentado:

5.599 comentários (19/03/2009) – Fifa sobre o Recife: “Capital do Nordeste”

Os clubes pernambucanos mais citados:
1º) 4.846 posts – Sport
2º) 4.056 posts – Náutico
3º) 3.900 posts – Santa Cruz
4º) 942 posts – Salgueiro
5º) 813 posts – Central

Os clubes de outros estados com mais citações:
1º) 573 posts – Flamengo
2º) 486 posts – Bahia
3º) 471 posts – Corinthians
4º) 378 posts – Palmeiras
5º) 346 posts – São Paulo

As competições mais citadas:
1º) 2.569 posts – Pernambucano
2º) 1.831 posts – Série A
3º) 1.248 posts – Série B
4º) 1.108 posts – Copa do Mundo
5º) 566 posts – Nordestão

Navegadores mais utilizados:
57,3% – Chrome
11,8% – Firefox
10,4% – Internet Explorer
5,6% – Safari
4,5% – Android

Abaixo, os rankings de acessos por estados e cidades do Brasil…

Os rankings de estados e cidades com mais acessos no blog. Crédito: Google Analytics/reprodução

Podcast – A análise da vitória do Sport no jogo de ida das oitavas da Sul-Americana

Copa Sul-Americana 2017, oitavas: Sport 3 x 1 Ponte Preta. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

O Sport venceu a Ponte no jogo de ida das oitavas da Sula, abrindo vantagem no confronto internacional. O time pernambucano chegou a abrir três gols de diferença e embora tenha tomado um gol no fim, deixando a chave aberta, deu confiança à torcida pelo bom futebol apresentado na Ilha do Retiro. O 45 minutos analisou a partida, com os desempenhos individuais (Rithely, DS, Mena…) e o coletivo. Estou nessa com Fred Figueiroa e Lucas Fitipaldi. Ouça!

13/09 – Sport 3 x 1 Ponte Preta (31 min)

Sport vence Ponte Preta e abre vantagem visando inédita vaga nas quartas da Sula

Copa Sul-Americana 2017, oitavas: Sport 3 x 1 Ponte Preta. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

A duradoura má fase no Brasileirão, há seis rodadas sem vitória, trouxe uma desconfiança enorme para a meta paralela do Sport neste segundo semestre, a Copa Sul-Americana. Após eliminar um time do Uruguai e outro da Argentina, os leoninos teriam um duelo nacional nas oitavas de final. E em dois jogos pela Série A, sequer conseguiram balançar as redes da Ponte. Ajustes na escalação (4 mudanças) e na organização (volta dos pontas) e imposição, um combo necessário para reverter o cenário. O que aconteceu.

O Sport venceu por 3 x 1, um placar até econômico para a disparidade vista na Ilha. O mandante foi superior o jogo inteiro, com posse de bola, criação de jogadas e finalizações certas (11 x 2). No lado esquerdo, Luxa voltou à composição Mena/Sander, deixando o chileno à frente, região onde rendeu mais – e também foi o responsável pela bola parada, de melhor aproveitamento que os demais companheiros. Na direta, Raul Prata ganhou a preferência do técnico, ocupando o lugar do inconstante Samuel Xavier. Não teve uma grande atuação, mas a regularidade na recomposição já foi suficiente para melhorar o setor – no fim, seria premiado com uma assistência.

Copa Sul-Americana 2017, oitavas: Sport 3 x 1 Ponte Preta. Foto: Conmebol/twitter (@conmebol)

Mas foi no meio-campo onde ocorreu a transformação para uma atuação consistente. Patrick foi o motorzinho do time, tendo, enfim, um companheiro de ótimo rendimento técnico. Em baixa e cobrado, Rithely conseguiu fazer o time andar, na antecipação e recuperação de bolas e na distribuição, sobretudo nos passes verticalizados. Com o time jogando acima da média, seria natural que outras peças também melhorassem, como Diego Souza. O meia, que na Sula joga com a 10, voltou a carregar a bola a partir do círculo central, como em seus melhores momentos no clube, na visão do blog.

Num jogo em que o placar eletrônico chegou a registrar 3 x 0, com gols de Ronaldo Alves, Rithely e André, o tento campineiro, através de Felipe Saraiva, aos 37/2T, acabou sendo um “castigo”. A enorme vantagem virou uma boa vantagem, devido ao gol qualificado, mas com a vaga ainda ao alcance de uma classificação inédita para o futebol nordestino…

Os jogos do Sport como mandante na Copa Sul-Americana
20/08/2013 – Sport 2 x 0 Náutico – 16.125 pessoas (Ilha, 2ª fase)
23/10/2013 – Sport 1 x 2 Libertad (PAR) – 17.575 (Arena PE, oitavas)
28/08/2014 – Sport 0 x 1 Vitória – 6.025 (Ilha, 2ª fase)
27/08/2015 – Sport 4 x 1 Bahia – 8.201 (Ilha, 2ª fase)
23/09/2015 – Sport 1 x 1 Huracán (ARG) – 7.726 (Ilha, oitavas)
31/08/2016 – Sport 0 x 1 Santa Cruz – 6.570 (Arena PE, 2ª fase)
06/04/2017 – Sport 3 x 0 Danubio (URU) – 13.582 (Ilha, 1ª fase)
06/07/2017 – Sport 2 x 0 Arsenal (ARG) – 7.694 (Ilha, 2ª fase)
13/09/2017 – Sport 3 x 1 Ponte Preta – 6.254 (Ilha, oitavas)

9 jogos; 5 vitórias, 1 empate e 3 derrotas; 16 GP e 7 GP; 59% de apto.

Copa Sul-Americana 2017, oitavas: Sport 3 x 1 Ponte Preta. Foto: Conmebol/twitter (@conmebol)

Uniforme preto completa a primeira linha do Santa através da marca Cobra Coral

O uniforme III do Santa Cruz para a temporada 2017/2018. Crédito: Loja Cobra Coral/reprodução

O Santa Cruz completou a sua primeira linha de uniformes oficiais por meio da marca própria “Cobra Coral”. Visando a temporada 2017/2018, o padrão preto, com estreia prevista para a 24ª rodada da Série B, traz a mensagem “nova pele”, com “escamas renovadas” a partir dos detalhes remetendo ao mascote.

Para a pré-venda, uma tiragem de mil modelos por R$ 200. A partir disso, já nas lojas, a camisa sai por R$ 230. Lembrando que os dois primeiros padrões foram apresentados em 12 de maio, com a substituição da Penalty já no Campeonato Brasileiro. Curiosamente, o uniforme clássico, o coral com listras horizontais, foi o único ausente, guardado para a próxima linha.

Lançada em maio, a marca vendeu 13 mil peças no primeiro trimestre, com R$ 476 mil de receita líquida. A produção é feita numa fábrica terceirizada no estado do Ceará, a Bomache, que também tem contratos semelhantes com outros clubes do país, como o pioneiro Paysandu, dono da “Lobo”.

Confira mais detalhes do padrão preto clicando aqui.

Tricolor, o que você achou da primeira linha da Cobra Coral? Qual a melhor?

A primeira linha de uniformes do Santa Cruz via "Cobra Coral"