Ranking dos pênaltis e das expulsões (9)

Nenhum pênalti foi marcado na 9ª rodada do Pernambucano 2018. Por outro lado, foram quatro expulsões, recorde nesta edição. No Arruda, no duelo entre Santa e Pesqueira, o volante tricolor Luiz Otávio foi expulso com apenas 7 minutos – apesar de ter sido no início, foi uma decisão correta, na visão do blog. Na arena, o meia Mardley, do Flamengo de Arcoverde, tomou dois amarelos, sendo expulso aos 33/2T. No último jogo da rodada, entre América e Belo Jardim, dois vermelhos. Um pra cada lado: Popila e Marcus Vinícius.

Eis a atualização das listas levantadas pelo blog, após 43 partidas realizadas.

Pênaltis a favor (12)
3 pênaltis – Náutico
2 pênaltis – Afogados e Vitória (perdeu 1)
1 pênalti – América, Belo Jardim (perdeu 1), Central, Salgueiro (perdeu 1) e Sport (perdeu 1)
Sem penalidade – Flamengo, Pesqueira e Santa Cruz

Pênaltis cometidos (12)
3 pênaltis – América (defendeu 2)
2 pênaltis – Afogados, Belo Jardim (defendeu 1) e Vitória
1 pênalti – Central (defendeu 1), Náutico e Salgueiro
Sem penalidade – Flamengo, Pesqueira, Santa Cruz e Sport

Cartões vermelhos (16)
1º) América – 5 adversários expulsos; 2 vermelho recebido
2º) Belo Jardim – 3 adversários expulsos, 1 vermelho recebido
3º) Central – 2 adversário expulsos; 1 vermelho recebido
3º) Salgueiro – 2 adversários expulsos, 1 vermelho recebido
5º) Pesqueira – 1 adversário expulso, nenhum vermelho recebido
6º) Náutico – 2 adversários expulsos; 2 vermelhos recebidos
7º) Vitória – 1 adversário expulso; 2 vermelhos recebidos
8º) Afogados – nenhum adversário expulso; 1 vermelho recebido
8º) Sport – nenhum adversário expulso; 1 vermelho
10º) Santa Cruz – nenhum adversário expulso; 2 vermelhos
11º) Flamengo – nenhum adversário expulso; 3 vermelhos recebidos

Resumo da 9ª rodada do Pernambucano

Jogos da 9ª rodada do Estadual 2018: Náutico 1 x 0 Flamengo (Ricardo Fernandes/DP), Sport 4 x 0 Vitória (Williams Aguiar/Sport), Salgueiro 1 x 0 Afogados (Afogados/instagram - @afogadosfcoficial) e Santa Cruz 0 x 0 Pesqueira (Ricardo Fernandes/DP)

Saíram 4 classificados às quartas de final do Campeonato Pernambucano de 2018: Náutico, Sport, Central e Vitória. No caso timbu, confirmação também no G4, já assegurando o mando no primeiro mata-mata – naturalmente, o clube deve seguir a campanha no turno para obter mais vantagens, nas possíveis semi (jogo único) e final (o jogo de volta). A verdade é que com oito vagas para onze candidatos, alvirrubros e rubro-negros, sobretudo, não tiveram dificuldades para avançar com três rodadas de antecedência. Nesta 9ª rodada, que teve jogos em quatro dias seguidos, de 24 a 27 de fevereiro, quem se complicou foi o Santa, que tem apenas uma vitória – embora tenha um jogo a menos, a ser cumprido nesta semana. O tricolor perdeu duas posições, caindo para o 8º lugar – hoje, teria um clássico na fase seguinte

Em relação ao público, a média foi de 1.754 pessoas, mesmo com quatro partidas na região metropolitana. Quanto à artilharia, Thomas Anderson, do Vitória, agora divide a liderança com Caxito, do América. Ambos com 6 gols.

Sport 4 x 0 Vitória – Mesmo desfalcado (André e Rithely, em negociação), o Sport enfim se apresentou de forma decente no torneio. Emplacou a maior goleada (ao lado de Náutico 4 x 0 Salgueiro) diante do então último invicto

Salgueiro 1 x 0 Afogados – Na estreia de Sérgio China no comando técnico, o carcará voltou a vencer após três rodadas de tropeços. Com 10 pontos, está quase assegurado nas quartas. Já a coruja perdeu 3 das últimas 4 partidas

Santa Cruz 0 x 0 Pesqueira – Com um jogador a menos desde os 7 do 1T, o tricolor se desdobrou, sendo superior no 2T, com 8 finalizações. Porém, não conseguiu furar a rede adversária, somando o 5º empate em 7 jogos

Náutico 1 x 0 Flamengo – Mesmo atuando pela 3ª vez com os reservas, na arena, o timbu conseguiu construir o resultado, que o manteve na liderança. O clube foi o primeiro a cumprir os cinco jogos como mandante – e venceu todos

América 3 x 1 Belo Jardim – No encerramento da rodada, uma briga direta pelo G8 e contra o Z2. Caxito comandou a vitória alviverde, que acabou um jejum de cinco jogos. O atacante marcou 2 gols e chegou à artilharia

Destaque – Tiago Nascimento. O árbitro da partida entre Santa e Pesqueira precisou tomar decisões difíceis, mas, na visão do blog, acertou rodas. Raro

Carcaça – Luiz Otávio. O volante coral foi imprudente demais na falta logo no comecinho do jogo, comprometendo bastante a atuação do Santa

Próxima rodada (Náutico folga)
01/03 (20h00) – Flamengo x Santa Cruz* (Áureo Bradley) – Premiere
01/03 (20h00) – Pesqueira x Salgueiro* (Joaquim de Brito)
04/03 (16h00) – Afogados x Vitória (Vianão)
04/03 (16h00) – Flamengo x América (Áureo Bradley)
04/03 (16h00) – Pesqueira x Central (Joaquim de Brito) – FPF/internet
04/03 (16h00) – Santa Cruz x Belo Jardim (Arruda) – Premiere
04/03 (17h00) – Salgueiro x Sport (Cornélio de Barros) – Globo
* Jogos válidos pela 8ª rodada (haviam sido adiados)

A classificação após 9 rodadas (verde = quartas; vermelho = descenso).

A classificação do Pernambucano 2018 após a 9ª rodada. Crédito: Superesportes

Os primeiros produtos licenciados do Nordestão. Miniatura da taça a caminho

Mascote de pelúcia e réplica da taça da Copa do Nordeste. Fotos: Bruno Reis/EI e Cassio Zirpoli/DP

A Liga do Nordeste se apresenta como a primeira no continente a lançar produtos licenciados sobre uma competição de futebol. No caso, a Copa do Nordeste. Através de uma parceria com a empresa byFrog Lab – que também tem Sport e Palmeiras como clientes no país -, já foram apresentados alguns produtos, como capas de celulares e times de botão (abaixo, a amostra de Bahia e Náutico). Ainda neste ano chegam dois objetos marcantes para a imagem do torneio regional, o mascote Zeca Brito, de pelúcia, e uma miniatura da taça dourada. A tal tacinha tem um 9,5 centímetros e protótipo metálico já está pronto – o blog havia detalhado o modelo do troféu em 2017.

A plataforma digital de vendas ainda será lançada – lembrando que a liga até hoje não conta com um site oficial, apesar da vertente para o marketing. A expectativa é que a primeira linha esteja à venda ainda com a edição de 2018 em andamento, uma vez que a final será em 10 de julho. Sobre os primeiros produtos no mercado, as capinhas de celulares, com vinte modelos, chegam para 150 aparelhos diferentes. Outros eletrônicos estão na lista, com caixa de som com bluetooth. Seguindo para o vestuário, camisas retrô e modelos casuais também devem surgir. Há projeto até para perfume (!).

Quais produtos poderiam ser atrelados ao Nordestão nesta lista oficial?

Obs. O Nordestão está confirmado no calendário nacional até 2022, com a liga articulando junto à CBF a extensão do prazo contratual por mais dez anos

Times de botão da Copa do Nordeste. Foto: Bruno Reis/DP

Capas para celulares licenciadas da Copa do Nordeste. Fotos: Bruno Reis/EI

O curto prazo para o Sport decidir se joga ou não o Nordestão 2019. Sem resposta

Sport na Copa do Nordeste de 2019? Arte: Cassio Zirpoli/DP, via pixlr.com

A composição dos três representantes pernambucanos no Nordestão de 2019 será definida após a final do campeonato estadual, programada para 8 de abril de 2018. Entre os demais estaduais da região, apenas um não terminará nesta data. A exceção fica por conta do piauiense, com a final agendada para o dia 14. Além do cumprimento ao calendário do futebol nacional, há outro ponto importante: a seletiva da próxima Lampions, que começará dez dias depois (ou quatro para o representante do Piauí). É isso mesmo, a preliminar começará bem antes do fim o regional de 2018, que ainda estará nas quartas de final. São oito times, com o estado do Ceará sendo o único ausente na etapa, pois os seus dois classificados já estreiam na fase de grupos.

Vagas na seletiva da Copa do Nordeste:
AL – melhor rankeado, à parte do campeão estadual
BA – segundo melhor rankeado, à pare do campeão estadual
MA – melhor rankeado, à parte do campeão estadual
PB – melhor rankeado, à parte do campeão estadual
PE – segundo melhor rankeado, à pare do campeão estadual
PI – melhor rankeado, à parte do campeão estadual
RN – melhor rankeado, à parte do campeão estadual
SE – melhor rankeado, à parte do campeão estadual

No cenário local, a definição passa pela escolha do Sport. Explica-se: o clube é o melhor rankeado de PE e, por isso, já está no Nordestão 2019, inclusive à fase de grupos. Ocorre que mesmo classificado à última edição, na ocasião como campeão pernambucano, o leão desistiu de participar do regional de 2018. Como o pedido junto à CBF é anual, a direção rubro-negra teria que protocolar uma nova desistência. Fará? Pois isso afeta diretamente a lista da FPF, com outros dez candidatos – não por acaso, o Náutico, que ficara de fora, obteve a vaga em 2018 justamente na seletiva. Em 17 de fevereiro, após a eliminação na 2ª fase da Copa do Brasil, o presidente do Sport, Arnaldo Barros, afirmou o seguinte ao ser questionado se havia se arrependido da saída da Lampions (pois o clube só ficou com o Estadual e o Brasileiro):

“Arrependimento nenhum de ter largado a Copa do Nordeste. Para se ter ideia, em dois jogos disputados da Copa do Brasil ganhamos quase a mesma coisa da Copa do Nordeste inteira em 14 jogos. Ninguém tem bola de cristal. Se tivesse que tomar a mesma decisão (sobre a saída), tomaria de novo”

Pela desistência, o clube abriu mão de R$ 1 milhão pela fase de grupos.

A partir deste post, faltam 41 dias para a final estadual. Na prática, porém, o prazo leonino é bem menor, pois precisa protocolar num dia útil, com a resposta saindo também num dia útil – e a final local será num domingo. Fora o período de análise. Em 2017, o Sport formalizou a desistência em 30 de junho, junto à Liga do Nordeste, com a resposta da CBF saindo apenas em 7 de agosto, 38 dias depois. Sobre o novo impasse, o blog entrou em contato com o Sport, em busca do posicionamento do presidente. Através da assessoria, Arnaldo Barros comunicou que ‘não quer falar sobre o assunto’.

Sobre o posicionamento do mandatário:
1) Já ficou claro que Arnaldo manteria a sua decisão, considerando que o Nordestão não terá mudança estrutural alguma no próximo ano

2) O mandato de Arnaldo Barros acaba em dezembro de 2018. Logo, a sua decisão seria aplicada já no início do próximo biênio executivo (2019/2020)

Prazos:
06/04 – Último dia útil antes da decisão do Pernambucano de 2018
08/04 – O jogo de volta da decisão do Pernambucano de 2018
18/04 – O jogo de ida da seletiva da Copa do Nordeste de 2019
26/04 – O jogo de volta da seletiva da Copa do Nordeste de 2019

Rubro-negro, qual é a sua opinião sobre a presença do Sport no Nordestão de 2019?

  • Deve participar (76%, 1.383 Votes)
  • Não deve participar (21%, 378 Votes)
  • Em dúvida (3%, 65 Votes)

Total Voters: 1.826

Loading ... Loading ...

O último acórdão do STF sobre o título de 1987 a favor do Sport. Flamengo multado

Como costuma ocorrer, o Supremo Tribunal Federal demora algum tempo para publicar os acórdãos sobre as suas decisões. Contextualizando isso com o futebol, mais precisamente para o vasto Campeonato Brasileiro de 1987, já havia sido assim no julgamento de 18 de abril de 2017, sobre o “agravo regimental sobre o recurso extraordinário”, interposto pelo Flamengo, com o texto saindo seis meses depois. E agora foram quase três meses para o acórdão sobre a decisão de 5 de dezembro de 2017, acerca do “embargo de declaração com efeitos infringentes”, também através do Fla, com a possibilidade de mudar o resultado – para dois campeões nacionais.

Em ambos os casos a Primeira Turma do STF negou seguimento, mantendo o Sport como o único campeão. Então, confira a íntegra do último acórdão, com as justificavas utilizadas pelos ministros, além dos rápidos debates. O relator do caso, Marco Aurélio Mello, ainda determinou uma multa ao Flamengo.

“Tenho os embargos como protelatórios. Desprovejo-os e imponho ao embargante (Fla) a multa de 2% sobre o valor da causa devidamente corrigido, a reverter em benefício do embargado (Sport)”

Saiba mais sobre a decisões judiciais no Brasileirão de 1987 clicando aqui.

Sport derruba o último invicto do Pernambucano. Na Ilha, 4 x 0 no Vitória

Pernambucano 2018, 9ª rodada: Sport x Acadêmica Vitória. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

O Sport derrubou o último invicto do Estadual. Apesar da ótima campanha, o Vitória não apresentou um futebol competitivo na Ilha, nem ofensivamente, com apenas uma oportunidade, nem defensivamente, com falhas grotescas – incluindo um gol contra. Se o futebol do Sport causou isso, pode ficar o debate, mas, de fato, o leão teve uma apresentação bem melhor, jogando o tempo todo no campo do adversário. Resposta ao empate com o então lanterna, em Caruaru, com Nelsinho voltando a fazer mudanças na equipe – o treinador já escalou 26 jogadores como titulares nesta temporada.

Desta vez, a proposta foi mais leve, com Anselmo (mais fixo), Neto Moura (rodou bem o jogo) e Marlone (apoiando) no meio. Na frente, três atacantes, com Gabriel funcionando também como um quarto homem no meio. Ainda no primeiro tempo houve uma alteração, pois Rogério sentiu a coxa. Porém, o técnico acionou Índio, mantendo a estrutura. Apesar da troca de passes, o primeiro gol saiu numa bola parada, com Anselmo aproveitando o rebote. No segundo, contou com a colaboração do lateral Léo Carioca – autor do gol da vitória diante do Central, o tricolor cabeceou para as próprias redes.

Pernambucano 2018, 9ª rodada: Sport x Acadêmica Vitória. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Com a vantagem de dois gols no intervalo, o time rubro-negro voltou com calma para tentar esticar o placar – o que não vinha fazendo, sempre puxando o freio de mão. No início da etapa complementar, após tentar/errar bastante, Marlone finalmente conseguiu concluir a jogada pela ponta, limpando e cruzando rasteiro para Índio ampliar. Na reta final, com o ritmo já caindo, Marlone ainda mandou de fora da área e decretou o 4 x 0. Assim, o Sport chegou a 4 vitórias em 4 jogos como mandante no Estadual. Já fora de casa, nenhuma vitória em 4 partidas. Não por acaso, tantos testes e pouca torcida.

Sport x Vitória (todos os mandos)*
55 jogos
34 vitórias rubro-negras (61,8%)
17 empates (30,9%)
4 vitórias tricolores (7,2%)
* Considera Desportiva Vitória (1991-2007) e Acadêmica Vitória (2008-2018)

Contando só a versão atual: 7 jogos, com 6V do leão e 1V do taboquito

Pernambucano 2018, 9ª rodada: Sport x Acadêmica Vitória. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Um jogador de R$ 300 mil ou três de R$ 100 mil? Debatendo a formação do elenco

Guilherme Beltrão, vice-presidente de futebol do Sport em 2018. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Ao assumir a vice-presidência de futebol do Sport, em 22 de fevereiro de 2018, Guilherme Beltrão trouxe uma análise necessária ao departamento do clube – algo que inexplicavelmente a direção anterior (destituída) ignorou, mesmo com o elenco se esvaindo tecnicamente. Porém, a abordagem do post vai para a opinião do dirigente sobre a (re) montagem financeira do elenco.

No twitter, fiz alguns comentários sobre o assunto, que amplio aqui no blog.

Sobre a visão de Guilherme Beltrão, de que é melhor três jogadores de R$ 100 mil do que um de R$ 300 mil, eu discordo. O que vale é o rendimento do jogador, ponto. Um clube do porte do Sport, com orçamento anual acima de R$ 100 milhões, não pode fechar a porta para oportunidades. Um patamar salarial mais elevado pode ser suplantado por campanha paralelas – como foi a da camisa 87, a mais vendida do clube desde 2014. Além da entrega de resultados, naturalmente. Sobre esse comparativo salário/rendimento, o de Wesley foi caríssimo. O meia, que hoje estaria bem acima do teto estipulado, teve um salário revertido em absolutamente nada no campo. Já Diego Souza, cujo vencimento era estimado em R$ 350 mil, marcou 21 gols em 2018, sendo o vice-artilheiro do time no Brasileirão e convocado à Seleção. No elenco atual de 2018, Pedro Castro pode ser considerado caro. Trata-se de um volante de rotação mínima e com histórico técnico bem questionável. Já o lateral-esquerdo Sander, um dos poucos achados da direção anterior, contribui no elenco – embora ainda seja uma peça substituível.

“O Sport vai ter um teto salarial. Não podemos gastar em dois jogadores o que poderíamos gastar em seis. O Sport tem de voltar às suas origens na questão do futebol coletivo”

Ainda que Beltrão não tenha citado nominalmente, falou de Diego Souza e André. Sem eles, o Sport dificilmente teria escapado do rebaixamento em 2017 – no caso de DS, há duas edições já. Portanto, caro foi o colombiano Lenis, com o leão bancando R$ 3,1 milhões numa aposta. Proporcionalmente, foi o Sport comprando Vinícius Júnior como o Real Madrid – que pagou R$ 164 milhões ao Flamengo. Só que o clube espanhol pode fazer isso. O Sport não podia. E a conta chegou, com o rubro-negro endividado dois anos depois. Mais: e se os tais três jogadores de R$ 100 mil não resolverem? Mesmo com esse preço, é algo recorrente na Série A, simplesmente porque não há embasamento para essa tese – nem mesmo a Chape, também há cinco anos na elite, mesmo com receita inferior. É de fato uma ideologia de gasto. Aí, ok. Também discordo, mas, neste ponto, entendo. Já a questão da coletividade é algo imperativo, sobretudo num time desconectado há tempos – e não é o status do atleta que mudará isso. Por fim, a recuperação do investimento. A venda de Diego Souza deixou R$ 10 milhões no clube e a de André deve deixar mais. Os outros deixaram quanto? Zero. Desconsiderar isso não existe.

Concorda? Discorda? Debate aberto, além de quantidade x qualidade…

Com 8 rodadas, Estadual 2018 soma 60 mil torcedores e R$ 1,0 milhão de renda

Apenas 3.093 torcedores comparecem aos três jogos da 8ª rodada do Pernambucano de 2018, realizados nesta semana. Lembrando que duas partidas foram remarcadas e a rodada só terminará depois da 9ª (!). O maior público ocorreu no duelo entre Náutico e Afogados, na Arena. Porém, dos 1.438 espectadores, segundo o borderô, foram 909 cortesias – o palco voltou a ser gerido pelo governo do estado. Foram contabilizados ainda 503 pagantes e 26 crianças. Já em Caruaru, onde o Belo Jardim chamou o jogo contra o Sport, menos de mil pessoas – dado raro, considerando apresentações do leão no interior, num indício de estafa sobre o time atual. No geral, média de público é de 1,5 mil pessoas – hoje, seria a pior desde que a federação passou a contabilizar essa estatística, em 1990. Em relação à bilheteria, só agora, após 38 partidas, o apurado superou R$ 1 milhão. Vale lembrar que a FPF tem direito a 8% da renda bruta de qualquer jogo. Logo, já abocanhou R$ 81.193, dado superior à renda de 5 dos 11 clubes.

Abaixo, os rankings de público e renda, com ordem através das médias

Os rankings de público e renda do Pernambucano 2018 após 8 rodadas. Quadro: Cassio Zirpoli/DP

Os 10 maiores públicos
6.015 – Santa Cruz 0 x 0 Náutico (Arruda, 17/02 – 7ª rodada)
4.292 – Santa Cruz 1 x 1 Vitória (Arruda, 18/01 – 1ª rodada)
4.035 – Santa Cruz 1 x 1 Central (Arruda, 25/01 – 3ª rodada)
3.724 – Sport 2 x 0 Pesqueira (Ilha do Retiro, 29/01 – 4ª rodada)
3.685 – Náutico 3 x 0 Sport (Arena PE, 24/01 – 3ª rodada)
3.601 – Central 1 x 1 Sport (Lacerdão, 03/02 – 5ª rodada)
3.389 – Sport 2 x 0 Afogados (Ilha do Retiro, 20/01 – 2ª rodada)
3.000 – Flamengo 0 x 0 Sport (Áureo Bradley, 17/01 – 1ª rodada)
2.147 – Central 3 x 0 Náutico (Lacerdão, 21/01 – 2ª rodada)
2.066 – Afogados 0 x 1 Santa Cruz (Vianão, 15/02 – 6ª rodada)

Balanço geral – 38 partidas
Público total: 60.437 
Média: 1.590 pessoas
Arrecadação total: R$ 1.014.922 
Média: R$ 26.708 

Eis os borderôs da oitava rodada do campeonato estadual de 2018…

Náutico 2 x 1 Afogados; 1.438 torcedores e R$ 10.130

Pernambucano 2018, 8ª rodada: Náutico 2 x 1 Afogados. Foto: João de Andrade Neto/DP

Vitória 1 x 0 Central; 933 torcedores e R$ 9.030

Pernambucano 2018, 8ª rodada: Vitória 1 x 0 Central. Crédito: mycujoo.tv/fpf (reprodução)

Belo Jardim 0 x 0 Sport; 722 torcedores e R$ 21.580

Pernambucano 2018, 8ª rodada: Belo Jardim 0 x 0 Sport. Crédito: TV Criativa/youtube (reprodução)

Ranking dos pênaltis e das expulsões (8)

Pernambucano 2018, 8ª rodada: Náutico 2 x 1 Afogados. Crédito: Premiere/reprodução

Como a 8ª rodada do Estadual 2018 foi desmembrada – acabará somente após a 9ª! – , o blog resolveu atualizar o balanço de público e renda Campeonato Pernambucano após a realização dos três jogos disputados neste meio de semana. Sendo assim, duas penalidades contabilizadas. Ambas no jogo Náutico 2 x 1 Afogados. Ortigoza para o timbu e Tarcísio para a coruja. Ambos os lances bem marcados e bem convertidos

Eis a atualização das listas levantadas pelo blog, após 38 partidas realizadas.

Pênaltis a favor (12)
3 pênaltis – Náutico
2 pênaltis – Afogados e Vitória (perdeu 1)
1 pênalti – América, Belo Jardim (perdeu 1), Central, Salgueiro (perdeu 1) e Sport (perdeu 1)
Sem penalidade – Flamengo, Pesqueira e Santa Cruz

Pênaltis cometidos (12)
3 pênaltis – América (defendeu 2)
2 pênaltis – Afogados, Belo Jardim (defendeu 1) e Vitória
1 pênalti – Central (defendeu 1), Náutico e Salgueiro
Sem penalidade – Flamengo, Pesqueira, Santa Cruz e Sport

Cartões vermelhos (12)
1º) América – 4 adversários expulsos; 1 vermelho recebido
2º) Belo Jardim – 2 adversários expulsos, nenhum vermelho
3º) Central – 2 adversário expulsos; 1 vermelho recebido
3º) Salgueiro – 2 adversários expulsos, 1 vermelho recebido
5º) Pesqueira – nenhuma expulsão
6º) Vitória – 1 adversário expulso; 2 vermelhos recebidos
6º) Náutico – 1 adversário expulso; 2 vermelhos recebidos
8º) Afogados – nenhum adversário expulso; 1 vermelho recebido
8º) Santa Cruz – nenhuma adversário expulso; 1 vermelho
8º) Sport – nenhuma adversário expulso; 1 vermelho
11º) Flamengo – nenhuma adversário expulso; 2 vermelhos recebidos

Pernambucano 2018, 8ª rodada: Náutico 2 x 1 Afogados. Crédito: Premiere/reprodução

Resumo da 8ª rodada do Pernambucano

Pernambucano 2018, 8ª rodada: Náutico 2 x 1 Afogados (Léo Lemos/Náutico), Vitória 1 x 0 Central (Luciano Abreu/Vitória) e Belo Jardim 0 x 0 Sport (Anderson Freire/Sport)

A 8ª rodada do Campeonato Pernambucano de 2018 só acabará depois da 9ª rodada. É isso mesmo. Devido ao choque nos calendários, os jogos de Santa e Salgueiro, com compromissos no Nordestão nesta semana, foram remarcados. E só serão disputados após a rodada do fim de semana. Sendo assim, o blog traz o cenário com os três jogos realizados na data regular. No caso, com o Náutico de volta à liderança do turno classificatório. Venceu na Arena e contou com o revés do Central no mesmo local, no dia seguinte.

Em relação ao público, a média de foi de apenas 1.031 pessoas, com o pior dado  saindo, de forma surpreendente, em Caruaru (722). Quanto à artilharia, Thomas Anderson, do Vitória, segue na liderança isolada com 6 gols.

Náutico 2 x 1 Afogados – Com muitos reservas, o timbu fez uma partida ruim. Se salvou na noite a estreia do paraguaio Ortigoza. O atacante sofreu um pênalti, converteu a cobrança e ainda deu a assistência do 2º gol

Vitória 1 x 0 Central – No duelo dos último invictos, na Arena, restou apenas um. No caso, o tricolor das tabocas, que venceu com um gol de Léo Carioca. Tem a campanha 3V-4E-0D, mesmo sem jogar em Vitória de Santo Antão

Belo Jardim 0 x 0 Sport – O leão enfrentou o então lanterna e não conseguiu marcar um golzinho, somando o 4º tropeço em 7 partidas. Já o calango aproveitou o pontinho para deixar a lanterna, agora com o Fla de Arcoverde

Pesqueira x Salgueiro – a disputar (01/03, às 20h)

Flamengo x Santa Cruz – a disputar (01/03, às 20h, com Premiere)

Destaque – Fernando Lins. O técnico do Vitória faz um trabalho surpreendente, com o time invicto mesmo sem atuar em sua cidade

Carcaça – Nelsinho. O técnico leonino não vem conseguindo arrumar o time (em crise, frise-se), com seguidas mudanças, algumas sem justificativa

Próxima rodada (Central folga)
24/02 (18h30) – Sport x Vitória (Ilha do Retiro) – Premiere
25/02 (16h00) – Salgueiro x Afogados (Cornélio de Barros)
25/02 (17h00) – Santa Cruz x Pesqueira (Arruda) – Globo
26/02 (20h00) – Náutico x Flamengo (Arena PE) – Premiere
27/02 (20h00) – América x Belo Jardim (Ademir Cunha) – FPF/internet

A classificação após 8 rodadas (verde = quartas; vermelho = descenso).

A classificação do Pernambucano 2018 após 8 rodadas. Crédito: Superesportes