Enquete: quem vencerá o Clássico dos Clássicos?

Sport e Náutico irão se enfrentar pela 16ª vez em Brasileiros no próximo dia 19, na Ilha do Retiro (17h10). O jogo será a partida de número 489 dos dois rivais, que jogaram pela primeira vez em 1909. Quem sairá vencedor neste novo duelo?

Capa do Diario em 14 de julho de 2008Sport?

Náutico?

Empate?

Vote na nova enquete do blog. Participe!

Clássico dos Clássicos
488 jogos

191 vitórias do Sport
165 vitórias do Náutico
131 empates
1 jogo de placar desconhecido (disputado em 29 de março de 1931, mas sem registro nos jornais dos dias seguintes)

Na foto da capa do Diario de 14 de julho (ao lado), Bala chuta para abrir o placar na vitória por 2 x 0 sobre o Timbu, no clássico do primeiro turno da Série A. Durval, de voleio, fechou o placar.

Ilha, o pior gramado para a torcida

Para os jogadores, o pior gramado é o dos Aflitos (como mostrou em uma reportagem nacional do Globo Esporte), enquanto a Ilha do Retiro vem em 2º lugar. A enquete do blog mostrou que apesar disso, os torcedores pensam diferente, pois as posições se inverteram. Confiram o resultado final.

Qual é o pior gramado da Série A?

  • Ilha do Retiro (50%, 41 votos)
  • Aflitos (34%, 28 votos)
  • Outro (16%, 13 votos)

Total de votos: 82

Linha cruzada

Cruzada Rubro-negraA revista Coquetel lançou em seu blog a “Cruzada Rubro-Negra”, com perguntas sobre a história do Flamengo. Você pode tentar completar a palavra cruzada do clube carioca clicando AQUI.

Caso você seja torcedor do Sport, terá bastante dificuldade para completar a pergunta “Quem fez o gol do título brasileiro de 1987?”.

Uma dica: o nome tem 6 letras.

Resposta dos leoninos: Marco Antônio (Sport 1 x 0 Guarani).

Ops, mas o nome do zagueiro tem 12 letras!

Poisé… A resposta aí seria “Bebeto”, autor do gol na vitória flameguista sobre o Internacional por 1 x 0, na final do Módulo Verde (Copa União) do Brasileiro.

Tirando essa polêmica questão, a cruzada até que é uma boa idéia e conta com várias curiosidades interessantes do Mengão. No entanto, apenas uma pergunta não foi feita. Qual? Sobre torcida.

“Todos sabem que a torcida rubro-negra é a maior do país. Agora queremos saber se o torcedor flamenguista conhece a história do seu time. O desafio está lançado”, diz Henrique Ramos, editor da Ediouro.

Post com a colaboração de Juliana Aragão

Ano zero do futebol pernambucano – 1

Estação central dos trens e Praça Barão de Mauá

Por Carlos Celso Cordeiro*

No final de 1903, pela persistência de Guilherme de Aquino Fonseca, um pernambucano que estava de volta da Inglaterra, onde fora completar seus estudos, começou a ser implantado o futebol em Pernambuco.

É de se supor que ele não encontrou interesse por parte dos dois clubes esportivos que existiam na época: Internacional e Náutico. O passo seguinte teria sido procurar os funcionários ingleses dos Bancos, do Comércio, da Western Telegraph Company e da Great Western para disseminar o futebol em Recife.

A realização das primeiras práticas de futebol, no ano de 1904, animou Guilherme de Aquino Fonseca a planejar a fundação de um clube de futebol. Este plano foi concretizado no dia 13 de maio de 1905 com a fundação do Sport Club do Recife. No início, a prática do futebol era restrita a sócios do Sport, a funcionários de companhias inglesas e a times organizados por ingleses.

Além do Futebol Association, o Rugby e o Cricket eram praticados por estes desportistas. O Rugby e o Cricket foram praticados durante alguns anos, mas não se consolidaram nos costumes dos pernambucanos. O primeiro jogo de futebol em Pernambuco foi disputado no dia 22/06/1905, e envolveu o Sport Club do Recife e um time de ingleses radicados em Recife. O resultado desta partida foi 2 x 2. Não foram localizadas informações sobre os goleadores do jogo.

No local deste jogo, o campo do Derby, foi inaugurado, em 27 de abril de 1997, um monumento alusivo ao acontecimento. O marco tem 2,5 m de altura sobre o qual está uma bola estilizada em bronze. O monumento tem ainda duas placas. Numa delas está as escalações dos dois times. Depois do impulso inicial, o gosto pelas atividades futebolísticas ficou arrefecido. A prática do futebol deve ter ficado restrita aos treinos. Tanto que nos anos de 1906 a 1908, não são encontradas, nos jornais de Recife, notícias sobre a realização de jogos de futebol.

*Carlos Celso Cordeiro é escritor e pesquisador do futebol pernambucano

Confira a história completa: parte 2, parte 3, parte 4, parte 5 e parte 6.

Defesa tardia

Bomba...O São Paulo chegou à sua vitória seguida no Brasileiro.

O Timbu somou o revés consecutivo.

O Náutico cumpriu o seu papel durante 82 minutos.

Bem armado. Raçudo. Concentrado.

O Tricolor  jogou mal durante os 90 minutos.

Má pontaria. Confuso. Sem apoio das arquibancadas.

Mas mesmo assim o São Paulo marcou 1 gol, com o pernambucano Hernanes, numa bomba de fora da área.

Com isso, o Alvirrubro chega à marca de 1 ponto em 12 possíveis.

Pouco para quem briga contra o rebaixamento.

Menos ainda para quem terá um clássico na próxima rodada.

São Paulo parou para ver

Abaixo, as maiores audiências da Rede Globo nas transmissões de jogos de futebol para a Grande São Paulo no primeiro semestre de 2008. Cada ponto equivale a 55 mil domicílios, ou 220 mil pessoas.

Rede Globo1º) Brasil x Argentina – Eliminatórias (40 pontos), 8,8 milhões de pessoas
2º) Sport x Corinthians – Copa do Brasil (38), 8,36 mi
3º) Corinthians x Sport – Copa do Brasil (35), 7,7 mi
4º) Palmeiras x São Paulo – Paulistão (32), 7,04 mi
5º) São Paulo x Fluminense – Libertadores (31), 6,82 mi
6º) Paraguai x Brasil – Eliminatórias (31), 6,82 mi
7º) Santos x Corinthians – Paulistão (30), 6,6 mi
8º) Corinthians x Botafogo – Copa do Brasil (30), 6,6
9º) São Paulo x Nacional – Libertadores (29), 6,38 mi
10º) Palmeiras x Ponte Preta – Paulistão (29), 6,38 mi

Obs. Na finalíssima da Copa do Brasil, em 11 de junho, além dos 38 pontos da Globo, o jogo Sport 2 x 0 Corinthians teve ainda mais 10 pontos na TV aberta pela Band, que também passou o jogo ao vivo. Ou seja, naquela noite, 10.560.000 pessoas na maior metrópole do país viram o título rubro-negro. Definitivamente, a cidade que não pára, parou por 2 horas.

Profissionalismo

Muricy, sendo homenageado pelo Alvirrubro em 2007Pela 4ª vez em dois anos, o Náutico enfrentará o São Paulo com Muricy Ramalho no comando do Tricolor. O mesmo Muricy bicampeão pernambucano (2001/2002) pelo Alvirrubro, e agora bicampeão brasileiro (2006/2007) pelo São Paulo.

Apesar de ter sido nomeado conselheiro vitalício do Náutico, Muricy mantém – obviamente – o profissionalismo. Basta ver a forma como ele está encarando o jogo desta noite (20h30).

“Eu só vou voltar a torcer para o Náutico depois desse jogo. Só volto a torcer pelo Náutico na sexta-feira. Não tem jeito, vamos ter de fazer nossa parte dentro de campo”, disse o treinador tricolor nesta semana. E logo agora, com o São Paulo crescendo no campeonato…

A foto acima foi tirada em 20 de maio de 2007, quando o Alvirrubro venceu o Tricolor por 1 x 0 (gol de Acosta). Antes da partida, a torcida homenageou o técnico, que ficou emocionado.

São Paulo x Náutico, em Sampa
20/03/1974 – São Paulo 1 x 1 Náutico – Série A
10/02/1982 – São Paulo 1 x 1 Náutico – Série A
21/05/1992 – São Paulo 2 x 0 Náutico – Série A
26/08/2007 – São Paulo 5 x 0 Náutico – Série A

Retrospecto geral – 19 jogos
5 vitórias do Náutico (19 gols)
6 empates
8 vitórias do São Paulo (37 gols)

Post com a colaboração do alvirrubro Vitor Hugo Vilarim

Palavra de quem sabe

Geraldo em ação no dia 21 de outubro de 2007, quando ele marcou - de pênalti - o gol da vitória por 1 x 0 sobre o Corinthians, aos 45 minutos do segundo tempoEm 2007, quando o uruguaio Acosta deslanchou e passou a marcar muitos gols, ajudando o Náutico a escapar do rebaixamento no Brasileiro, o seu grande companheiro na equipe, o meia Geraldo, disse certa vez que o gringo era, na opinião dele, o craque do Brasileirão.

Ainda restavam muitas rodadas, mas Geraldo já havia feito a sua escolha. Confesso que na época – quando eu era setorista do Alvirrubro – achei que pudesse ter sido uma boa forma de deixar Acosta ainda mais confiante. Nada mais que aquilo.

Mas não é que o uruguaio ganhou o prêmio de melhor atacante da Série A e ainda ficou com a prata na escolha para o craque do campeonato (atrás apenas de Rogério Ceni)?

Poisé… Conversando na terça-feira com Geraldo, após o treino “secreto” do Alvirrubro, no CT da Guabiraba, o meia fez uma nova profecia (olha a concorrência, Bala…): o craque de 2008 será o atacante Kleber Pereira, do Santos.

“Na minha Seleção, eu escalaria o Kleber Pereira. O time dele não estava bem, mas mesmo assim ele fazia gol direto. E continua fazendo. Ele está em grande fase”.

Vale ressaltar que o craque timbu jogou com o santista em 2001, durante a sua passagem pelo Atlético-PR.

Por sinal, Kleber Pereira formou um ataque infernal naquela Série A com ninguém menos que Alex Mineiro. Cada um marcou 17 vezes com a camisa do Furacão, que conquistou o único Campeonato Brasileiro de sua história.

Hoje, Kleber, no Santos, é o artilheiro do Brasileirão, com 20 gols.

Alex Mineiro, do Palmeiras, é o vice, com 17.

Eu acho que Geraldo irá acertar novamente…

Obs. A foto acima foi tirada em 21 de outubro do ano passado, quando o Náutico ganhou um jogo-chave contra o Corinthians, nos Aflitos. Geraldo marcou o gol da vitória numa cobrança de pênalti, aos 45 minutos do segundo tempo, quando o jogo parecia caminhar para um péssimo resultado para o Timbu.

Por que então não acreditar nesta noite, às 20h30, contra o São Paulo, no Morumbi?

Nem levantou defunto nem enterrou

Zé do CaixãoO cronômetro marcava 46 minutos dos segundo tempo. Foi o momento em que comecei a escrever o post sobre o jogo entre Sport e Vasco, na noite desta quarta, na Ilha.

A imagem ao lado era para ilustrar a fama que o Sport tem de levantar defuntos… “Levanta-te, Lázaro“, dizia o Leão para o clube carioca até aquele momento, quando Ciro – mesmo capengando – empatou.

Um 2 x 2 ruim, apesar do ponto conquistado no finalzinho. O Vasco havia perdido os últimos 6 jogos na Série A. Mas mesmo assim, ainda teve forças para virar a partida na Ilha, com 2 gols de Leandro Amaral. O Sport havia feito primeiro, com o quase xará Kassio.

Em 8 jogos contra times cariocas neste Brasileirão foram 5 derrotas, 2 empates e apenas 1 vitória, contra os reservas do Fluminense. Quase um Madureira.

Pelo menos ficou uma certeza: contratem logo o Leandro Amaral para a Libertadores…

Você pode ler mais sobre o cineasta José Mojica Marins, o Zé do Caixão, clicando AQUI.

Brincando de ir para a Série B

Se a canoa não virar...20º lugar (lanterna)

26 pontos

28 jogos

7 vitórias

5 empates

16 derrotas

42 gols pró

57 gols contra

E mesmo assim, o Vasco goleou o Sport no primeiro turno por 4 x 0, no dia 10 de julho, em São Januário.

O que mostra que os dados acima são apenas números frios de um clube em crise. Mas nunca é tarde demais para reagir.

Por isso, cuidado para não levantar outro defunto, Sport!