Seleção do Nordeste

O fim do jejum

O fim do jejum

Dando início à série de posts com “datas de aniversário”, começaremos hoje com a final do Estadual de 1975. No dia 10 de agosto daquele ano, o Sport venceu o Náutico por 1 x 0, nos Aflitos, e saiu de uma longa fila de 12 anos sem vencer o Campeonato Pernambucano. Aquele título – o último dos rubro-negros na casa do rival – foi o 20° da história do clube. Presidido por Jarbas Guimarães, o Leão montou uma equipe fortíssima, que ficou conhecida como “Seleção do Nordeste”. Um título para acabar com a gozação dos rivais, que já chamavam o Sport no início da competição de “Leão XIII” (nome de um Papa e de um clube paraibano).

O lema daquela campanha foi “Sport 75 – 20 vezes campeão”. Dario, conhecido como Dadá Maravilha , foi o artilheiro do campeonato, com 32 gols (ele já havia sido artilheiro da Série A em 1971 e 1972, jogando pelo Atlético-MG, e ainda seria mais uma vez em 1976, pelo Inter). Aquele ano também ficou marcado por uma das maiores enchentes que o Recife já viu.

Time base do Sport: Tobias; Marcos, Pedro Basílio, Alberto e Cláudio Mineiro; Luciano, Assis Paraíba, Garcia e Perez; Dario e Miltão. Técnico: Duque

Ao todo, o time jogou 33 vezes, conseguindo 25 vitórias, 7 empates e apenas 1 derrota.

Sobre o Papa Leão XIII: http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Le%C3%A3o_XIII