Ilha do Retiro – Parte VII

Vista geral da Ilha do RetiroA Ilha do Retiro poderá passar por mais uma transformação em breve. E não estou falando do gramado, que já era uma questão mais do que necessária (e que será finalmente trocado), mas sim de uma possível 7ª ampliação do estádio rubro-negro.

Inaugurado em 1937 e com capacidade atual para 34.500 pessoas, o estádio Adelmar da Costa Carvalho vem sendo alvo de um estudo sobre a viabilidade das lacunas da Ilha, entre a arquibancada frontal e as duas gerais.

Dirigentes do Sport evitam comentar sobre assunto, mas o presidente do clube, Milton Bivar, já revelou até o nome da empresa, em uma coletiva virtual no site do clube. A empresa é a Plurisport, a mesma que está desenvolvendo o projeto do novo estádio do Palmeiras. Um plano B vem sendo traçado há bastante tempo junto à portuguesa Lusoarenas, que construiria um estádio para ser compartilhado por Sport e Náutico. “Estamos dando andamento a duas propostas de estudo de viabilização”, disse Bivar.

O assunto foi levantado logo após o título da Copa do Brasil, pois a torcida rubro-negra (sem medo de pensar grande) já questionou sobre a capacidade do estádio, uma vez que para a final da Taça Libertadores o mínimo exigido é um estádio com 40 mil lugares. Tudo bem que o recorde da Ilha é de quase 57 mil pessoas (antes da última ampliação), mas isso não serve como parâmetro, pois aquela partida (em 1998) estava longe das atuais normas de segurança da Fifa.

Entre os projetos, estão o complemento da arquibancada no lado do sapotizeiro e até mesmo a construção de camarotes no lado oposto (ao lado da geral do placar). Em 2007, o então vice-presidente de futebol leonino, Homero Lacerda, afirmou que o projeto do Sport era fechar todo o anel do estádio até 2012.

Vista do setor de cadeirasRaio-x da Ilha
Capacidade: 34.500 pessoas
Recorde de público: 56.875 espectadores (Sport 2 x 0 Porto, em 7 de junho de 1998)
Área construída: 10 mil metros quadrados
Custo por jogo: R$ 9.570
Funcionários por jogo: 204
Dimensões do campo: 105 metros x 78 metros
Inauguração: Sport 6 x 5 Santa Cruz (4 de julho de 1937)
Primeiro gol: Artur Danzi (Sport)
Ampliações: 1938, 1950, 1955, 1984, 1996 e 2007
158 camarotes, 10 cabines para a imprensa e 2 elevadores

Fotos: Juliana Leitão/DP (2007)

Libertadores 2009 update – 2

Sede da ConmebolO sorteio dos grupos para a 50ª edição da Taça Libertadores da América será realizado no próximo dia 25 de novembro, em  Assunção, capital do Paraguai e sede (foto) da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Ao todo, 38 clubes participarão da maior competição das Américas.

O Sport irá estrear apenas na segunda fase, ao lado de mais 31 clubes, divididos em 8 grupos de 4 equipes. Como o sorteio acontecerá no final da Série A (faltarão apenas duas rodadas), o Rubro-negro terá tempo mais do que suficiente para se preparar bem para a sua segunda Libertadores.

Público na Libertadores
2007 – 2.198.919 torcedores / média: 15.934 (138 jogos)
2008 – 2.959.170 torcedores / média: 21.443 (138 jogos)

Público na Série A
2007 – 6.582.976 torcedores / média: 17.461 (377 jogos)
2008 – 3.559.092 torcedores / média: 15.407 (231 jogos)*
* Em andamento…

Público no Pernambucano
2007 – 405.812 torcedores / média: 4.509 (90 jogos)
2008 – 786.590 torcedores / média: 5.959 (132 jogos)

Você pode ler mais no blog sobre a Libertadores AQUI.

Libertadores 2009 update

Taça LibertadoresAo todo, 15 clubes já estão classificados para a próxima Taça Libertadores da América, que terá a participação de 38 equipes. Até agora, o Sport é o único representante brasileiro garantido na competição. Abaixo, os outros 14 possíveis adversários do Leão nessa aguardada campanha:

River Plate e Lanús (Argentina); Peñarol, Nacional e Defensor (Uruguai); Caracas, Deportivo Táchira e Deportivo Anzoátegui (Venezuela); Libertad (Paraguai); Universitario de Sucre (Bolívia); Everton (Chile); Boyacá Chicó (Colômbia); LDU (Equador) e Universitario (Peru).

O Universitario, de Lima (Peru), foi um dos adversários do Sport na Libertadores de 1988, a única na história rubro-negra até agora. Entre os classificados para 2009, 4venceram a competição: Peñarol (5 vezes), Nacional (3), River Plate (2) e LDU (1).

Boyacá ChicóSobre o curioso nome Boyacá Chicó, aqui vai uma breve explicação. Atualmente sediado na cidade Tunja, o clube nasceu, na verdade, em Bogotá, em 1997. Anteriormente chamado de Chicó (“aliado“, segundo o antigo povo muísca), o clube mudou para a denominação atual em 2004, quando também mudou de cidade (Tunja fica no distrito de Boyacá). E Boyacá também remete aos muíscas, e quer dizer “perto do cacique“. O estádio La Independencia tem capacidade para apenas 8,5 mil torcedores.

O povo muísca (de cultura Chibchan) foi encontrado pelos espanhóis em 1537, na faixa oriental da Colômbia.

Abismo

AbismoCaso o Santa Cruz não consiga ir contra a lógica e seja mesmo rebaixado à Série D, o Tricolor abrirá o maior abismo da história do futebol brasileiro, em relação a uma rivalidade local. Com o Sport na Taça Libertadores do ano que vem e o Santa na Quarta Divisão, o Clássico das Multidões superaria o clássico carioca Vasco x Fluminense. Em 1999, o Vasco jogou a Libertadores (o Gigante da Colina era o atual campeão), enquanto o Flu participou da Terceira Divisão.

O Tricolor carioca, aliás, sagrou-se campeão da Série C daquele ano. Assim como pode acontecer agora, o Flu também foi tri-rebaixado. Como isso foi possível se naquela época só existiam três divisões? A resposta é uma mancha na história do clube carioca, que virou a mesa ao ser rebaixado na Série A de 1996. Como a bola “pune”, o time caiu de novo em 1997, e dessa vez foi mesmo rebaixado.

Em 1998 chegou ao fundo do poço, quando caiu para a Terceirona. Curiosamente, o culpado foi o Santa Cruz, que venceu o Volta Redonda por 3 x 2, na última rodada da Segundona, eliminando o Flu. O gol da vitória foi marcado pelo zagueiro Rau, aos 43 minutos do segundo tempo, em um Arruda repleto por 55 mil pessoas.

Maiores disparidades nas rivalidades locais

2009
Sport – Libertadores
Santa Cruz – Série C (ou Série D)

1999
Vasco – Libertadores
Fluminense – Série C

2003
Paysandu – Libertadores
Remo – Série B

1995, 1996 e 2007
Goiás – Série A
Vila Nova – Série C

2007
América/RN – Série A
ABC – Série C

Olha o gás

Nelsinho, atuando no São Paulo nos anos 70

Nelsinho em ação nos anos 70

A participação na Taça Libertadores da América de 2009 vem mexendo com a imaginação dos torcedores rubro-negros, que sonham com uma bela participação. Por isso já se cobra tanto da diretoria uma melhor preparação, assim como o técnico Nelsinho Baptista também questionado direto sobre a montagem do grupo. O comandante leonino, aliás, tem experiência na competição, com três participações, tanto como jogador quanto como técnico. Após vencer a Série A de 1990 pelo Corinthians, o técnico Nelsinho foi eliminado nas oitavas-de-final da Libertadores do ano seguinte. E o algoz? Quem foi? É claro que foi o Boca Juniors, que passou 45 anos sem ser eliminado por um time brasileiro até a semifinal deste ano, contra o Fluminense.

Mas Nelsinho também já foi bem longe na “Liberta” (como os torcedores dos times coperos y peleadores costumam falar). O então lateral-direito do São Paulo na década de 70 participou da Taça Libertadores de 1974. Naquele ano, o Tricolor Paulista chegou à 1ª de suas seis finais disputadas. O São Paulo acabou com o vice-campeonato, perdendo o título para o argentino Independiente (até hoje o maior vencedor, com sete conquistas, sendo a última em 1984). Após uma vitória para cada lado na decisão, “El Rojo” venceu a negra por 1 x 0, em Santiago, no Chile, no dia 19 de outubro (gol de Pavoni).

O ex-lateral Nelsinho (na foto acima) disputou 12 das 13 partidas daquela campanha, e marcou um gol. Mas o que o agora técnico – já com saudade da Libertadores – lembra mesmo daquele ano foi da partida na cidade boliviana de Cochabamba. E foi na veeeelha altitude, com 2.560 metros acima do nível do mar. “Hoje os times se preparam bastante para jogar na altitude. Fazem a aclimatação, chegando dias antes. Ali, a gente já chegou para jogar! Eu me senti com 200 quilos naquele dia. A perna não obedecia ao cérebro. Pelo menos foi 0 x 0″, disse o técnico, lembrando da partida contra o Jorge Wilstermann (sim, esse é o nome do time). A memória do treinador está 95% certa, porque o resultado foi ainda melhor, pois o São Paulo ganhou por 1 x 0, em 14 de abril.

Questionado se apelou para os cilindros de oxigênio extra colocados à beira do gramado, Nelsinho, porém, diz logo que ele não teve problema algum. “Muitos jogadores pediram várias vezes o gás, que estava num botijão pequeno.Mas o meu condicionamento era bom, e não precisei”, falou o técnico, sem esconder a risada. Acredito que Nelsinho tenha se poupado nessa partida…

Romerito longe da Libertadores 2009

Saiu faz tempo, mas ainda é o artilheiro

Saiu faz tempo, mas ainda é o artilheiro do Sport em 2008. Foto: Ricardo Fernandes/DP

A provável transferência do meia Romerito para o futebol árabe irá encerrar de forma triste para a torcida rubro-negra o sonho de ver um meio-campo formado pelo hoje jogador do Goiás e por Fumagalli, na disputa da Taça Libertadores do ano que vem. O ainda ídolo leonino recebeu uma proposta milionária de um clube do Catar (curiosamente, o mesmo destino de Fumagalli em 2007). O clube estaria disposto a pagar ao Goiás a multa rescisória do jogador, que é de R$ 1,5 milhão.

É impossível não lembrar que o Sport teve a chance de pagar R$ 400 mil, ainda durante a Copa do Brasil, para ficar com o atleta até o final do ano, já com um acerto previsto para 2009. Muito se falou, porém, de um pré-contrato assinado entre o Rubro-negro e o meia, mas nem isso existe, como o próprio Romerito revelou em entrevista ao repórter Marcel Tito, do Diario de Pernambuco.

Assim, a barganha dos dirigentes do Sport acabou não dando certo. Longe disso. Tão longe quanto o novo destino de Romerito, que – para deixar claro a sua importância no Sport – ainda é o artilheiro do Leão na temporada, com 15 gols em 31 jogos. Fez falta na reta final da Copa do Brasil – apesar do título sensacional dos rubro-negros -, e faz ainda mais agora, na dura Série A.

Link da reportagem sobre a transferência de Romerito: http://www.esmeraldino.com.br/conteudo.php?ver=noticia&idnot=4779