Mágica coral

Santa Cruz“No futebol não tem varinha mágica não, mas sim trabalho e dedicação”.

A frase acima foi dita nesta segunda-feira pelo técnico Márcio Bittencourt na sua apresentação no Santa Cruz. O mesmo treinador que deixou o clube há 3 meses reclamando bastante da estrutura.

Para colocar panos quentes naquelas declarações, Bittencourt diz ter notado uma evolução no Arruda.

Enfim… Voltando à primeira frase do tópico, trata-se de quase um mantra do técnico.

Na sua primeira passagem no Santa, chegou dizendo isso. Depois, foi para o Náutico. Mesmo com os péssimos resultados (0% de aproveitamento em 5 jogos na Série A), dizia a frase quase diariamente…

Os setoristas que cobrem o Timbu chegaram a articular uma palavrinha com Márcio para que ele dissesse algo diferente! Mas não deu tempo porque ele saiu dos Aflitos. 8-O

A 2 jogos do fim da primeira fase da 4ª divisão, Márcio Bittencourt terá que se contradizer, pois ele precisará fazer mágica. O Santa não pode vacilar.

Obs. Não deixe de participar da enquete do blog… O Santa Cruz vai passar da primeira fase da Série D? Opine!

Finalmente atravessou a rua

Márcio Bittencourt, o novo técnico do NáuticoQuando Roberto Fernandes deixou o Náutico neste ano, o primeiro nome especulado foi o de Márcio Bittencourt, que fazia um bom trabalho no Santa Cruz.

Não houve o acerto e o Alvirrubro acabou fechando com Waldemar Lemos, que curtia um reggae no futebol jamaicano. 8-)

O Timbu seguiu a sua vida e foi somando os seus pontinhos na Série A. Conseguiu 8 em 5 rodadas, em uma boa arrancada na competição.

Lemos deixou o barco e se mandou para Curitiba, para tentar juntar os cacos do Atlético-PR. E o Náutico voltou a buscar um comandante. Surgiram nomes como Nelsinho e Geninho, ambos acima dos R$ 100 mil mensais. Verba inviável (e desnecessária) para o Náutico.

E a “surpresa” acabou sendo Bittencourt, que já estava até jogando showbol. 8-O

No final das contas, acho que quem se deu bem mesmo na história foi o novo treinador alvirrubro, que saiu do Arruda para os Aflitos. Márcio – que se apresentou nesta quinta no CT da Guabiraba – chega em um time em ascensão, bem diferente dos últimos técnicos que assumiram o Náutico no Brasileiro, desde 2007.

Se estivesse desde a 1ª rodada da Série A, Bittencourt teria que vencer a desconfiança da torcida – por ter treinado o rival – já pressionado para somar pontos o quanto antes. É claro que ele precisará das vitórias, mas Márcio chega num clube com um mínimo de gordura, algo raríssimo numa troca de treinador. Já começou com sorte!

Leia mais sobre a apresentação de Márcio Bittencourt no Náutico clicando AQUI.

Foto: Lucas Fitipaldi/DP

Time coral começa a sair do papel

Quadro do Santa Cruz pintado por Bajado, "um artista de Olinda"Considerando a provável hipótese de que o técnico do Santa Cruz, Márcio Bittencourt, irá escalar o time com jogadores do pacotão de 21 reforços (contabilizando Sandro e Parral), como seria o esboço da equipe para 2009?

Ainda não vi nenhum treino do Santa, e nem teria adiantado muito, pois os jogadores vêm fazendo mais trabalhos físicos. Para completar, 9 jogadores foram anunciados somente nesta segunda-feira.

Por isso, vou montar esse time de acordo com a relação “idade (experiência)/último clube (nível técnico)”. Na minha opinião, um time com a formação 4-4-2 (sendo 3 volantes) ficaria assim:

André Zuba; Parral, Sandro, Thiago Matias e Adílson; Bilica, Elder, Hudson e Leandro Gobatto; Roger e Marcelo Ramos

Caso o time jogue com dois meias tradicionais, sai Hudson e entra Juan Felipe.

Voce concorda? Opine!

Goleiros: André Zuba, 22 anos (Mirassol/SP) ; e Adriano, 25 (Santa Cruz/RN)
Zagueiros: Sandro, 35 (Vitória/BA); Thiago Matias, 26 (Santo André); Leandro Camilo, 22 (Diamantino/MT); e Daniel Horst, 27 (Alwak, do Catar)
Laterais-esquerdos: Adílson, 27 (Bahia); e Juca, 22 (Oeste/SP)
Lateral-direito: Parral, 27 (Ituiutaba/MG)
Volantes: Bilica, 29 (Ponte Preta); Hudson, 20 (Santos); Wagner, 32 (Juventus/SP); Elder, 32 (Juventus); e Anderson, 25 (Paulista/SP)
Meias: Juan Felipe, 21 (Mogi Mirim/SP); William, 24 (Gremio Inhumense/GO); e Leandro Gobatto, 26 (Brujas, da Costa Rica)
Atacantes: Roger, 29 (Al Arabi, dos Emirados Árabes); Márcio Barros, 27 (Jiang Su, da China); João Paulo, 20 (Fernandópolis/SP); e Marcelo Ramos, 35 (Bahia)

26,3 anos, a média de idade dos 21 contratados.

Saiba mais sobre o pintor, e tricolor, Bajado clicando AQUI.

Matemática complexa

MatemáticaNo começo da atual gestão, o presidente tricolor, Fernando Bezerra Coelho, afirmou que a folha do futebol do Santa Cruz seria de R$ 500 mil, com o objetivo de brigar de igual para igual com os dois rivais do Recife.

Estamos a menos de 1 mês para o início do Estadual (que para a Cobra Coral irá valer uma vaga na Série D), e 10 reforços já foram contratados: 1 goleiro, 1 zagueiro, 2 volantes, 3 meias e 3 atacantes. Nesse período, Rosembrick finalmente saiu, enquanto Sandro renovou. Além disso, o grupo conta alguns atletas recém-promovidos dos juniores.

Mas vamos às contas (com informações de bastidores):

R$ 100 mil
= Márcio Bittencourt + Luiz Capella + comissão técnica

R$ 50 mil = categorias de base

R$ 350 mil = elenco profissional

O comandante tricolor pretende contar com 28 jogadores no plantel (considerando ex-juniores e contratações renomadas). Ou seja: R$ 12.500 será a média salarial do grupo. Até o momento, nenhum reforço chegou com esse perfil financeiro (cogita-se que o volante Elder, de 32 anos, seja o único com um salário perto de R$ 10 mil).

Segundo os setoristas do Santa Cruz, reforços com um patamar financeiro mais elevado (e, conseqüentemente, com mais qualidade técnica) deverão chegar apenas em janeiro. É bom correr…

O(s) primeiro(s) reforço(s)

Jogador MisteriosoTudo bem, o experiente volante Sandro já foi chamado para renovar o contrato. Mas como já estava no clube, ele foi, na verdade, aprovado pelo técnico do Santa Cruz, Márcio Bittencourt.

Mas em relação aos jogadores que vêm sendo observados pelo treinador coral há algumas semanas, qual deverá ser o perfil do PRIMEIRO reforço do Tricolor para 2009?

Atacante, meia, zagueiro, lateral, goleiro… Alto ou baixo? Idade avançada ou cerca de 20 anos? Estava na Série A, na Série B ou em outra divisão?  Brasileiro ou estrangeiro?

Reforçando: a pergunta é sobre o perfil do primeiro contratado. Até mesmo porque a gestão coral já informou que irá contratar 20 novos atletas.

Dica: a folha será de R$ 500 mil. Ou seja, os jogadores deverão ter um mínimo de gabarito.

Atualização às 14h09: Deu nem tempo para “chutar” nomes, pois o Santa acabou de anunciar os nomes de 4 reforços. Veja:
1) Elder, volante de 32 anos (ex-Sport), e que estava no Juventus
2) Juan Felipe, meia de 20 anos, revelado pelo Santos, mas que estava no São Vicente/SP
2) Leandro Gobatto, meia de 26 anos, com passagem na Seleção sub-17 e que estava no Piacenza (ITA)
4) Adriano Santos, goleiro de 25 anos, revelado pelo Santos, mas que estava no Santa Cruz/RN

Opine! Veremos nos comentários o que os tricolores acharam dos primeiros reforços (que vêm para compor o elenco).

PS. Leia mais sobre o filme “Jogador Misterioso” (2004), clicando AQUI.

Tricolor Porteño

Santa Cruz argentinoComo informou o repórter José Gustavo na edição do Diario desta terça-feira, o Santa Cruz poderá contratar até 4 jogadores argentinos para a próxima temporada.

Os reforços serão articulados pelo ex-goleiro argentino Goycochea, amigo pessoal do técnico tricolor, Márcio Bittencourt, que indicou os nomes.

Desde já, é bom lembrar as regras do Regulamento Geral das Competições (RGC) da CBF, para depois ninguém dizer que não sabia…

No capítulo III (da condição de jogo dos atletas), o artigo 31 deixa claro que só podem ser inscritos 3 estrangeiros por partida. Ou seja, vem gringo passar férias no Recife.

Brincadeira à parte, o Santa faz bem em buscar reforços no exterior. E de quatro jogadores (que podem estar atuando na 1ª e 2ª divisões do país vizinho), pelo menos um deverá se encaixar bem para a temporada toda.

Mancuso dando mais um carrinho, em 1999A medida da atual direção não inédita. Em 1999, o então presidente Jonas Alvarenga sacudiu o marasmo tricolor e anunciou a contratação dos argentinos Mancuso (volante) e Almandóz (zagueiro), ambos com passagens na seleção nacional. Também veio o apagado meia hondureho Mario Reyes.

Mancuso, com 30 anos na época, havia feito sucesso no Palmeiras (também atuou no Flamengo), enquanto o defensor, de 29, havia sido campeão mundial pelo Vélez Sarsfield, em 1994.

A torcida recebeu a dupla com muita festa no Aeroporto dos Guararapes. Mancuso (dando mais uma botinada em um clássico contra o Sport, na foto acima) ainda mostrou alguma técnica e liderança no Recife, ajudando o Tricolor a disputar a final do Estadual. No segundo semestre, a dupla argentina acabou dispensada, durante a Série B, na qual o Santa conseguiu o acesso à elite nacional.

Será que está começando mais uma corrida para reforços estrangeiros, como em 1999?

Naquele ano, o Sport trouxe o lateral-direito Cheppo e o atacante Velásquez, ambos de Honduras, enquanto o Náutico contratou o centroavante uruguaio Cláudio Milar.

Vale a pena investir nessa idéia. Mas é claro que nem sempre dá certo… 8-)

Foto: Arquivo/DP (06/06/99)

Bittencourt: “Estou chegando”

Márcio Bittencourt, o novo técnico do Santa CruzO novo técnico do Santa Cruz, Márcio Bittencourt, chegou no Recife por volta das 19h30 de domingo. Após desembarcar no Aeroporto Internacional dos Guararapes, ele seguiu direto para uma emissora de TV.

Nesta segunda, Bittencourt (que assinou contrato por 2 anos) será apresentado oficialmente à imprensa, em um almoço no restaurante Boi Preto, no Pina.

Frases do comandante tricolor já em solo pernambucano:

Santa S.A.

“A maioria dos clubes está virando empresa. A paixão ficou para trás. A paixão é só para o torcedor. Um clube precisa ter uma gestão profissional ao extremo, pois é muito difícil fazer futebol”.

Futebol coral

“Dá para formar um bom time com R$ 500 mil (folha estipulada por FBC). Mas precisa ser planejado direitinho, porque no dia a dia também se gasta muito. Vamos iniciar um grande trabalho sem esquecer das categorias de base. O nosso país é muito rico em jogadores de futebol, e um grande trabalho no profissional não pode esquecer a base”.

Pernambucano

“Nós vamos montar um time para disputar o título. O Santa Cruz sempre tem que pensar em chegar, porque tem tradição, e é o que nós viemos fazer”.

Carreira
“Nesse ano, fui vice-campeao do interior (dirigindo o Noroeste, no Paulistão). Passei 3 anos como assistente técnico, mas assumi o Corinthians em 2005 (na Série A), e também me considero campeão, pois 83% dos pontos fui que fiz (na reta final, foi substituído por Antônio Lopes). Estou há 3 anos como treinador, e onde estou indo, estou ‘chegando’”.