Campeã da Sula, a Chape torna-se o 12º clube brasileiro com título internacional

Conmebol oficializa título da Chapecoense na Copa Sul-Americana 2016. Crédito: Conmebol/twitter

O pedido partiu do próprio adversário, o Atlético Nacional. No dia da tragédia, no acidente aéreo que matou 71 pessoas, o clube colombiano fez um pedido formal à Conmebol para que a Chapecoense fosse reconhecida como campeã da Copa Sul-Americana de 2016. Não se tratava de uma divisão de título, mas de uma conquista exclusiva. Pois a Conmebol atendeu ao pedido do Verdolaga, num ato de solidariedade institucional como nunca se viu no futebol – com o agora vice-campeão reconhecido com o Prêmio Centenário Conmebol de Fair Play.

Oficialmente campeã, a Chape ergue o primeiro troféu internacional da história de Santa Catarina, sendo o 12º clube brasileiro a conquistar uma competição oficial sob a chancela da Conmebol. Em relação à Sula propriamente dita, essa é apenas a 3ª vez de um time do país, após Inter (2008) e São Paulo (2012).

Além da premiação de US$ 2 milhões pelo título, o alviverde recebe mais US$ 1 milhão para disputar a Recopa Sul-Americana em 2017. Contra quem? Contra o próprio Atlético Nacional, o atual campeão da Taça Libertadores. Desde já, um encontro de muita emoção. Ah, a Chape está na Liberta de 2017, com Santa Catarina voltando a ter um participante no principal torneio do continente após 26 anos! Hiato desde o Criciúma, campeão da Copa do Brasil em 1991.

Parabéns, Chape!

Os 12 times brasileiros com títulos internacionais oficiais
12 – São Paulo (3 Mundiais, 3 Libertadores, 1 Supercopa, 1 Sula, 1 Copa Conmebol, 2 Recopas, 1 Copa Master)
8 – Santos (2 Mundiais, 3 Libertadores, 1 Copa Conmebol, 1 Recopa Internacional, 1 Recopa)
7 – Intrenacional (1 Mundial, 2 Libertadores, 1 Sula, 2 Recopas, 1 Suruga)
7 – Cruzeiro (2 Libertadores, 2 Supercopas, 1 Recopa, 1 Copa Ouro, 1 Copa Master)
4 – Corinthians (2 Mundiais, 1 Libertadores, 1 Recopa)
4 – Grêmio (1 Mundial, 2 Libertadores, 1 Recopa)
4 – Flamengo (1 Mundial, 1 Libertadores, 1 Mercosul, 1 Copa Ouro)
4 – Atlético-MG (1 Libertadores, 2 Copas Conmebol, 1 Recopa)
3 – Vasco (1 Libertadores, 1 Sul-Americano e 1 Mercosul)
2 – Palmeiras* (1 Libertadores, 1 Mercosul)
1 – Chapecoense (1 Sula)
1 – Botafogo (1 Copa Conmebol)
* O clube também venceu a Copa Rio em 1951

Em 1.501 dias, o River Plate foi do rebaixamento ao título da Libertadores

Libertadores 2015, final: River Plate 3x0 Tigres. Foto: http://lapaginamillonaria.com

Em 26 de junho de 2011 o River Plate viveu o pior dia de sua centenária história.

O empate em 1 x 1 com o Belgrano, no Monumental de Nuñez, rebaixou o Millonario no campeonato argentino. Incredulidade nos 60 mil hinchas, testemunhas do desastre. Quatro anos depois, com alegria, o gigante de concreto recebeu 62 mil pessoas. Certamente, muitos estiveram nos dois jogos.

Numa campanha improvável, na qual chegou a ter apenas três pontos a uma rodada do fim da fase de grupos, o River conquistou a Taça Libertadores pela terceira vez. O feito alcançado com o 3 x 0 sobre o Tigres, num campo pesado, foi além do renascimento futebolístico de um gigante das Américas.

O River Plate unificou os títulos da Conmebol. Neste 5 de agosto, tornou-se detentor da Libertadores (2015), Recopa (2015) e Sul-Americana (2014).

Aquele mesmo clube rebaixado à segunda divisão 1.501 dias atrás…

E que mais alguns dias à frente irá ao Japão, rumo ao Mundial.

Curiosidade: O São Paulo é o recordista de títulos internacionais num ano. Em 1993, ganhou Libertadores, Recopa e as extintas Supercopa e Intercontinental.

Libertadores 2015, final: River Plate 3x0 Tigres. Foto: http://lapaginamillonaria.com

Final com mais de 100.000 torcedores, somando ida e volta, cada vez mais rara

Castelão, em Fortaleza. Crédito: Portal da Copa/Ministério do Esporte

Até a década de 1980 não era incomum ver uma decisão no Brasil com mais de 200 mil pessoas somando os dois confrontos. A limitação da capacidade nas arquibancadas e a recente modernização dos estádios reduziu bastante a lotação. Tanto que a última decisão com mais de 100 mil espectadores, com ida e volta, aconteceu em 2009, no Estadual do Rio de Janeiro.

Na ocasião, o Botafogo levou a Taça Guanabara e o Flamengo ganhou a Taça Rio. Na finalíssima do futebol carioca, dois empates em 2 x 2 no Maracanã, com o Mengão conquistando o título nos pênaltis. Na primeira partida, 63.063 pessoas. No domingo seguinte, mais 84.027, totalizando mais de 147 mil torcedores. Na prática, só é possível superar a marca em dois jogos no Maracanã ou um no Maraca e outro no Mané Garrincha, em Brasília.

Recorde à parte, a barreira dos 100 mil torcedores pode voltar a ser quebrada na final da Copa do Nordeste de 2015, entre Ceará e Bahia. A decisão da Lampions começa em Salvador, em 22 de abril, com 50.223 lugares à disposição na Fonte Nova. No dia 29, em Fortaleza, mais 64.846 assentos no Castelão.

Abaixo, num levantamento a partir da última final com 100 mil pessoas, confira todas as decisões no país (ida e volta) nos 13 campeonatos nos quais havia a possibilidade de um público gigantesco – tendo estádios inscritos com capacidade superior a  50 mil espectadores. Teoricamente, Maranhão (Castelão), Goiás (Serra Dourada) e Pará (Mangueirão) também poderiam registrar marcas próximas, mas não obtiveram públicos suficientes.

Obs. As Séries A e B não têm final, funcionando nos pontos corridos.

Recopa Sul-Americana
2013 – 67.741 (Corinthians x São Paulo)

Copa do Brasil
2009 – 87.724 (Corinthians x Inter)
2010 – 48.171 (Santos x Vitória)
2011 – 49.508 (Vasco x Coritiba)
2012 – 46.375 (Palmeiras x Coritiba)
2013 – 73.485 (Flamengo x Atlético-PR)
2014 – 58.364 (Atlético-MG x Cruzeiro)

Copa do Nordeste
2013 – 26.712 (Campinense x ASA)
2014 – 86.785 (Sport x Ceará)

Copa Verde
2014 – 71.843 (Brasília x Paysandu)

Série C
2009 – 20.292 (América-MG x ASA)
2010 – 16.032 (ABC x Ituiutaba)
2011 – 35.188 (Joinville x CRB)
2012 – 11.245 (Oeste x Icasa)
2013 – 59.788 (Santa Cruz x Sampaio Corrêa)
2014 – 41.539 (Macaé x Paysandu)

Série D
2009 – 16.579 (São Raimundo x Macaé)
2010 – 8.930 (Guarany x América-AM)
2011 – 68.998 (Tupi x Santa Cruz)
2012 – 41.127 (Sampaio Corrêa x Crac)
2013 – 23.643 (Botafogo-PB x Juventude)
2014 – 11.258 (Tombense x Brasil)

Pernambucano
2009 – sem final
2010 – 50.878 (Sport x Náutico)
2011 – 92.412 (Santa Cruz x Sport)
2012 – 76.080 (Santa Cruz x Sport)
2013 – 65.007 (Santa Cruz x Sport)
2014 – 56.234 (Sport x Náutico)

Baiano
2009 – 56.957 (Vitória x Bahia)
2010 – 55.394 (Vitória x Bahia)
2011 – 33.012 (Bahia de Feira x Vitória)
2012 – 63.420 (Bahia x Vitória)
2013 – 51.909 (Vitória x Bahia)
2014 – 59.404 (Bahia x Vitória)

Cearense
2009 – 80.131 (Fortaleza x Ceará)
2010 – 77.682 (Fortaleza x Ceará)
2011 – sem final
2012 – 30.564 (Ceará x Fortaleza)
2013 – 57.861 (Ceará x Guarany)
2014 – 60.981 (Ceará x Fortaleza)

Paulista
2009 – 54.119 (Corinthians x Santos)
2010 – 68.355 (Santos x Santo André)
2011 – 48.869 (Santos x Corinthians)
2012 – 93.895 (Santos Guarani)
2013 – 53.245 (Corinthians x Santos)
2014 – 64.167 (Ituano x Santos)

Carioca
2009 – 147.090 (Flamengo x Botafogo)
2010 – sem final
2011 – sem final
2012 – 43.544 (Fluminense x Botafogo)
2013 – sem final
2014 – 75.381 (Flamengo x Vasco)

Mineiro
2009 – 85.675 (Cruzeiro x Atlético)
2010 – 71.704 (Atlético x Ipatinga)
2011 – 35.113 (Cruzeiro x Atlético)
2012 – 31.705 (Atlético x América)
2013 – 69.140 (Atlético x Cruzeiro)
2014 – 71.160 (Cruzeiro x Atlético)

Gaúcho
2009 – sem final
2010 – 86.681 (Grêmio x Inter)
2011 – 65.673 (Inter x Grêmio)
2012 – 35.070 (Inter x Caxias)
2013 – sem final
2014 – 52.713 (Inter x Grêmio)

Fonte Nova, em Salvador. Crédito: Governo da Bahia

A 53ª conquista internacional dos clubes brasileiros

Recopa Sul-americana 2012: Santos 2x0 Universidad de Chile. Crédito: Ivan Storti / Divulgação Santos FC

Com o título da Recopa Sul-americana, o Santos chegou a 10 taças internacionais.

O Peixe, de Neymar e cia, venceu a Universidad de Chile por 2 x 0, diante de 23.876 torcedores no Pacaembu, nesta quarta-feira, sacramentando a disputa que reuniu os vencedores da Taça Libertadores da América e da Copa Sul-americana de 2011.

O clube da Baixada Santista ficou a um troféu do São Paulo, o maior detentor de taças internacionais no Brasil. No continente, liderança absoluta do Boca Juniors, com 18.

Essa foi a 53ª conquista estrangeira dos clubes brasileiros. Até hoje, o voo mais alto de um nordestino foi o do CSA de Maceió, vice-campeão da Copa Conmebol, em 1999.

Os argentinos, sempre eles, estão na ponta, com nove taças a mais. Até quando?

Eis o ranking envolvendo os torneios da Conmebol e os intercontinentais, com 161 taças nas 18 competições oficiais organizadas desde 1948, extintas ou não (veja aqui).

Argentina – 62 títulos, com 12 clubes
18 – Boca Juniors, 16 – Independiente, 6 – Estudiantes de La Plata, 5 – River Plate e Vélez Sarfield, 3 – Racing Club, 2 – Argentinos Juniors, San Lorenzo e Arsenal, 1 – Lanús, Rosário Central e Talleres

Brasil – 53 títulos, com 11 clubes
11 – São Paulo, 10 – Santos, 7 – Cruzeiro e Internacional, 4 – Grêmio e Flamengo, 3 – Vasco, 2 – Corinthians, Palmeiras e Atlético Mineiro, 1 – Botafogo

Uruguai – 18 títulos, com 2 clubes
9 – Peñarol e Nacional

Paraguai  – 8 títulos, com 1 clube
8 – Olimpia

Colômbia – 8 títulos, com 4 clubes
5 – Nacional, 1 – Once Caldas, America de Cali e Millonarios

Equador – 4 títulos, com 1 clube
4 – LDU

Chile – 4 títulos, com 2 clubes
3 – Colo Colo, 1 – Universidad de Chile

Peru – 2 títulos, com 1 clube
2 – Cienciano

Bolívia – 1 título
1 – Mariscal

México – 1 título
1 – Pachuca

Recopa Sul-americana 2012: Santos 2x0 Universidad de Chile. Crédito: Ivan Storti / Divulgação Santos FC

Campeão só com o nome

Recopa 2011: Internacional 3 x 1 Independiente. Foto: Inter/divulgação

Sport Club Internacional.

Nunca um nome caiu tão bem para um clube de futebol como no caso do Colorado.

Nesta quarta-feira, o time gaúcho conquistou a 7ª taça internacional desde 2006.

Um fenômeno.

Libertadores e Mundial em 2006. Recopa em 2007. Copa Sul-americana em 2008. Copa Suruga em 2009. Libertadores 2010. Agora, mais uma peça para o memorial.

Num jogo duríssimo contra os argentinos do Independiente, o Internacional reverteu o 2 x 1 de Avellaneda e fez 3 x 1 no estádio do Beira-Rio, no embate que reuniu os campeões da Libertadores e Copa Sul-americana da temporada passada.

Assim, mais uma Recopa na sacola, com um show do atacante Leandro Damião. Hoje, o nome Internacional corresponde a um clube que atravessa, de fato, fronteiras.

Curiosamente, até o dia 16 de agosto de 2006, no segundo jogo da final da Taça Libertadores, contra o São Paulo, a torcida vermelha viva outra realidade, bem difícil.

Os colorados eram obrigados a ouvir da metade azul do Rio Grande o apelido de “Interregional”, numa provocação ao time que jamais havia vencido nada fora do país…

Até aquele dia, o Grêmio tinha quatro títulos no exterior – Mundial 1983, Libertadores de 1983 e 1995 e Recopa 1996 -, soberano em Porto Alegre…

Pois o tempo passou e o Grêmio segue com quatro taças internacionais. Porém, o Inter virou o jogo (7 x 4) e, não por acaso, é o líder isolado do ranking da Conmebol.

A popular “Gangorra Gre-Nal” virou e não parece indicar que algo vá mudar tão cedo…

Recopa 2011: Internacional 3 x 1 Independiente. Foto: Inter/divulgação

Metamorfose

Internacional 3x0 Chivas, na final da Libertadores, e Estudiantes 0x0 LDU, na final da Recopa. Fotos: Internacionale  Conmebol (divulgação)

Internacional e LDU. Campeões continentais em 2010.

Até 2006, os dois clubes não tinham títulos internacionais em seus currículos. Para o Colorado, o tabu era motivo de gozação. O rival o chamava de “Inter-regional”.

A Liga Deportiva Universitaria de Quito, por sua vez, era uma digna representante do futebol equatoriano. Difícil de ser batida na altitude. E só.

Naquele ano, os times se enfrentaram nas quartas de final da Taça Libertadores da América. O time brasileiro avançou e acabou faturando o seu primeiro título além das fronteiras. A glória desencadeou uma sequência de taças para os dois clubes.

2006 – Libertadores e Mundial (ambos com o Inter)
2007 – Recopa (Inter)
2008 – Libertadores (LDU) e Copa Sul-americana (Inter)
2009 – Copa Sul-americana e Recopa (ambas com a LDU)
2010 – Libertadores (Inter) e Recopa (LDU)

Ao todo, 9 títulos em cinco temporadas! E ainda falta a disputa do Mudial de 2010…

Cinco temporadas e a história reescrita, com a entrada noo “clube dos copeiros.” Uma motivação a mais para outros emergentes de plantão.

O que esses dois times têm em comum? Belos estádios, força jogando em casa, equipes estruturadas, sem tantas mudanças. E uma boa dose de poder de decisão, é claro.

Organização, planejamento e, consequentemente, dinheiro.

Aos emergentes, o sonho de viver um dia de LDU. Ou de Internacional…

Longe do Recife, uma LDU copeira

Recopa de 2010: LDU empata em 0 x 0 com o Estudiantes de La Plata e fica com o título. Foto: Conmebol/divulgação

Um fenômeno. A Liga Deportiva Universitaria de Quito conquistou na noite desta quarta-feira o seu 4º título internacional em três temporadas.

Números que colocam a LDU numa posição privilegiada entre os clubes da América.

Após faturar os títulos anteriores diante de times brasileiros (duas vezes sobre o Fluminense e uma contra o Internacional), os equatorianos agora barraram outro favorito, o argentino Estudiantes de La Plata.

Após a vitória por 2 x 1 na altitude de Quito, há duas semanas, a “Liga” segurou o 0 x 0 em Quilmes, na região metropolitana de Buenos Aires, e ganhou a Recopa, que reúne os campeões continentais do ano anterior.

A galeria de troféus da LDU já causa inveja por aí: 1 Libertadores (2008), 1 Copa Sul-americana (2009) e 2 Recopas (2009 e 2010). Uma potência surreal…

Ainda mais quando nos damos conta das lembranças deixadas pela LDU no futebol de Pernambuco. Há apenas um ano! Em plena disputa da Taça Libertadores.

Sport 2 x 0 LDU, na Ilha do Retiro, em 04/03/2009.

LDU 2 x 3 Sport, no estádio Casablanca (Quito), em 29/04/2009.

Donos do planeta

Clubes mais vencedores do mundo

O jornal argentino Olé fez um levantamento sobre os clubes com mais títulos internacionais no mundo. Dos 5 primeiros, 2 são da própria Argentina. O topo é dividido por Milan e Boca Juniors. O clube xeneize empatou a disputa com gigante italiano ao ganhar o seu 18º título em 27 de agosto de 2008, com a Recopa (veja AQUI).

Na matéria do Olé, destaque para o Barcelona, que conquistou nada menos que 3 taças internacionais na temporada 2008/2009 (Mundial, Liga dos Campeões e Supercopa Europeia), chegando a 14 títulos, a apenas um do grande rival, o Real Madrid.

Abaixo, a lista completa de títulos dos 5 maiores vencedores. Veja também os rankings títulos do site RSSSF para a Conmebol e Uefa.

Milan – 18
Mundial Interclubes – 1969, 1989, 1990 e 2007
Liga dos Campeões – 1963, 1969, 1989, 1990, 1994, 2003 e 2007
Recopa – 1968 e 1973
Supercopa Europeia – 1989, 1990, 1994, 2003 e 2007

Boca Juniors – 18
Mundial Interclubes – 1977, 2000 e 2003
Taça Libertadores – 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007
Supercopa da Libertadores – 1989
Copa Sul-Americana – 2004 e 2005
Recopa – 1990, 2005, 2006 e 2008
Copa de Ouro – 1993
Copa Master – 1992

Independiente – 15
Mundial Interclubes – 1973 e 1984
Taça Libertadores – 1964, 1965, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1984
Supercopa da Libertadores – 1994 e 1995
Recopa – 1995
Copa Interamericana – 1972, 1974 e 1975

Real Madrid – 15
Mundial Interclubes – 1960, 1998 e 2002
Liga dos Campeões – 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1966, 1998, 2000 e 2002
Copa da Uefa – 1985 e 1986
Supercopa Europeia – 2002

Barcelona – 14
Mundial Interclubes – 2009
Liga dos Campeões – 1992, 2006 e 2009
Recopa – 1979, 1982, 1989 e 1997
Copa da Uefa – 1958, 1960 e 1966
Supercopa Europeia – 1992, 1997 e 2009

Para completar o calendário

Recopa Sul-BrasileiraAcredite se quiser, mas o último torneio profissional de futebol no Brasil em 2009 AINDA vai começar.

Tem time de férias, equipe contratando para a próxima temporada… E até clube sem presidente. Mas, paralelamente, existem 4 clubes que ainda vão em busca do último título regional do ano. Com a chancela da CBF, diga-se.

Trata-se da Recopa Sul-Brasileira.

Já ouviu falar? Quase ninguém. Mas existe sim. É uma competição que reúne os vencedores das copas estaduais do Rio Grande do Sul, do Paraná, de Santa Catarina e de São Paulo.

Criada em 2007, o torneio terá apenas a sua 3ª edição (Marcílio Dias/SC campeão em 2007 e Brusque/SC em 2008). A Recopa não contará grandes clubes. Veja abaixo a tabela do mata-mata, que já começa na semifinal, no dia 19 (saiba mais AQUI).

Votoraty/SP x Serrano/PR
Porto Alegre/RS x Joinville/SC

Todos os jogos vão acontecer em Votorantim, no interior paulista, sede do Votoraty, campeão da Série A3 e da Copa Paulista. Em 2010, a competição será disputada no RS.

Levando em consideração que a maioria dos estados do Nordeste tem uma copa estadual no 2º semestre, até que uma ideia assim poderia ser estudada aqui. 8-)

Campeã de quase tudo

LDU, campeã da Copa Sul-Americana de 2009

Taça Libertadores da América, em 2008.

Festa no Maracanã, diante do Fluminense.

Recopa de 2009.

Festa no estádio Casa Blanca, em Quito, no Equador. Diante de outro time brasileiro. Dessa vez contra o Internacional.

Copa Sul-Americana de 2009.

Derrotada por 3 x 0 na noite desta quarta-feira. Mais uma vez no Maracanã. Novo confronto contra o Fluminense. Mas a festa aconteceu de novo!

Campeã de tudo pela Conmebol. Essa é a Liga Deportiva Universitaria.

Ou simplesmente LDU.

Só não foi campeã mundial… Perdeu o título de 2008 para o Manchester United. Vendeu caro a derrota no Japão, por 1 x 0. 8-)

Mas o time equatoriano já se tornou uma potência no continente.

Logo logo voltará ao Mundial. Para tirar o “quase” do seu caminho.

É curioso saber que o Sport, lanterna do Brasileirão, conseguiu vencer essa mesma LDU 2 vezes na Taça Libertadores deste ano… Inclusive em Quito!