Consulados e confrarias do Trio de Ferro representando os clubes fora do Recife

Historicamente, as torcidas do Trio de Ferro são concentradas no Grande Recife. A pesquisa mais recente na região metropolitana, feita pela Exatta, em 2014, apontou um percentual agregado de 79% entre os quase 4 milhões de habitantes. Domínio absoluto, que se esvai pelas BRs, embora a presença dos seguidores de Náutico, Santa Cruz e Sport siga considerável. Além das redes sociais, com a integração nos perfis oficiais, os clubes criaram outras soluções para manter viva essa paixão longe dos Aflitos, Arruda e Ilha do Retiro.

As direções vêm oficializando “consulados” e “confrarias”, organizados pelos próprios torcedores e/ou sócios. Não só no interior de Pernambuco como em outros estados, com encontros para os jogos dos times como visitantes país afora. Ou na televisão ou presencialmente mesmo. As maiores “colônias” estão nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Confira os detalhes de cada associação oficial fora da capital…

Confraria Alvirrubra

Confraria Alvirrubra

O alvirrubro conta com confrarias há mais de uma década. Destaque para a mais tradicional delas, criada por pernambucanos residentes em Brasília, em 2004. Com cerca de 200 adeptos, a Confraria do Timbu representa o Náutico tanto nos jogos na capital federal quanto em Goiânia. Com a expansão da ideia, o clube organizou uma seção em seu site oficial, abrindo espaço para outras confrarias, tanto novas quanto grupos já existentes. O cadastro é simples, através do e-mail marketing@nautico-pe.com.br. Já foram mapeadas 19 associações, sendo 12 fora de Pernambuco, destacando também os estados do Rio Grande do Norte (Portimbu), Pará (Ver-o-Timba) e São Paulo (Timbu da Garoa). O clube é o único da capital com uma confraria oficializada no exterior, na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos.

Consulado Coral. Arte: Ivan Neto/twitter (@NetoM1992)

Consulado Coral

No embalo do título pernambucano de 2011 e do acesso à Série C no mesmo ano, o Santa programou para o início de 2012 a criação de “embaixadas”. Inicialmente, a ideia era um pouco diferente, com os locais voltados para o incentivo à associação, na época do “Guerreiro Fiel”, com venda de ingressos e produtos licenciados. Reformulado, já com a campanha de sócios “Santa Forte”, o consulado voltou para as mãos da torcida, liberando pedidos de inscrição via e-mail (consulado@santaforte.com.br). Para isso, o Santa Cruz publicou um regulamento, com uma série de requisitos: ser sócio adimplente e indicar pelo menos outros quatro sócios adimplentes que terão vínculo direto com o consulado (ou seja, no mínimo cinco adeptos por consulado), além de indicar um local fixo para a reunião visando a transmissão dos jogos do time.

Consulado do Leão

Consulado do Leão

Em 30 de outubro de 2015 foi inaugurado o primeiro consulado rubro-negro, em São Paulo, com apoio da “Leões de Sampa”. Na cidade, onde o clube já teve 1.500 pagantes como visitante, foi colocada em prática a ideia: “além de servir como local de encontros e confraternizações para a nação leonina, o Consulado terá o papel de atuar como ponto de apoio para a adesão de novos associados, bem como disseminar a paixão pelas cores do Sport”. O ponto de encontro pioneiro foi o bar Coisas do Futebol, na Vila Madalena. O contato para interessados é por e-mail (marketing@sportrecife.com.br). Com uma burocracia maior, necessitando de uma avaliação antes da aprovação da direção leonina, apenas cinco cidades receberam consulados nos dois primeiros anos: São Paulo, Petrolina, Brasília, Teresina e Campinas.

Presidente do Flamengo diz ter a maior torcida em 24 dos 27 estados do país. Será? Não em Pernambuco

Eduardo Bandeira de Mello, o presidente do Flamengo (2013-2015). Crédito: Alexandre Vidal/FlaImagem

Eduardo Bandeira de Mello assumiu o Flamengo com uma dívida impagável, de R$ 758 milhões. Em dois anos, com uma gestão austera, o dirigente vem quebrando o senso comum. Desde 2013, já reduziu o passivo do clube carioca em R$ 138 milhões. Sem dúvida alguma, um alento ao time mais popular do país. O presidente rubro-negro vem contando com apoio de sua torcida, com o avanço dos sócios-torcedores e o consumo maciço de produtos oficiais do Mengo. Porém, o discurso do dirigente mostra uma torcida além da realidade.

Em 2015, o seu mantra tem sido o de apontar o Fla como o detentor da maior torcida em 24 unidades da Federação, considerando os 26 estados e o Distrito Federal. A mais recente foi repercutida no programa Linha de Passe, na ESPN, através do jornalista Juca Kfouri, que considerou os três estados sem domínio como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Confira algumas declarações de Bandeira de Mello sobre o mesmo tema.

“Um clube nacional como o Flamengo, com torcida em todos os lugares, não pode virar os olhos para a sua torcida do interior. Seja no Brasileiro, em amistosos ou torneios, sempre poderão ser realizados jogos em outras praças. Afinal de contas, o Flamengo é o clube mais popular em 24 das 27 unidades da Federação.”
Em entrevista ao jornal O Globo, em 8 de maio de 2015.

“Em 24 dos 27 estados do Brasil, o Flamengo é o time mais popular.”
Em uma palestra na UFRJ, em 15 de maio de 2015.

“O Flamengo tem 40 milhões de eleitores, é o time preferido em 24 estados e a Nação Rubronegra deve acompanhar o voto dos parlamentares.”
Em coletiva em São Paulo, sobre a MP do Futebol, em 6 de julho de 2015

Nota-se que o nosso estado integra a visão do mandatário flamenguista, difundida sem correção. Abaixo, vale relembrar sete pesquisas de torcida realizadas em Pernambuco entre 1983 e 2014, dos mais variados institutos, incluindo o Ibope, o mais conhecido do Brasil. Em nenhum levantamento o Fla aparece à frente. Na verdade, o máximo foi alcançar o 3º lugar no primeiro estudo local feito pelo Instituto Plural, com 8%, um público localizado sobretudo no interior, uma vez que na capital a influência de times de fora é mínima.

Gallup 1983* (520 entrevistados)
1º) Sport 22,4%
2º) Náutico 14,1%
3º) Santa Cruz 12,9%
* O percentual de pessoas sem clube foi de 41%, fazendo com que os demais clubes, somados, chegassem a apenas 9,6%.

Opine 2008 (1.732 entrevistados)
1º) Sport 22,9%
2º) Santa Cruz 17,1%
3º) Náutico 6,1%
4º) Corinthians 5,3%
5º) São Paulo 5,2%
6º) Flamengo 3,9%

Maurício de Nassau 2009 (3.363 entrevistados)
1º) Sport 26,4%
2º) Santa Cruz 15,7%
3º) Náutico 8,0%
4º) Flamengo 6,8%
5º) Corinthians 4,8%
6º) Palmeiras 3,8%

Ibope 2010 (nº de entrevistados não informado)
1º) Sport 33,0%
2º) Santa Cruz 12,8%
3º) Náutico 9,0%
4º) Corinthians 8,1%
5º) São Paulo 4,6%

Instituto Plural 2011 (1.200 entrevistados)
1º) Sport 26,0%
2º) Santa Cruz 16,0%
3º) Flamengo 8,0%
4º) Náutico 7,0%
4º) Corinthians 7,0%
6º) Palmeiras 4,0%

Instituto Plural 2013 (1.200 entrevistados)
1º) Sport 22,9%
2º) Santa Cruz 13,6%
3º) Corinthians 9,3%
4º) Náutico 6,4%
4º) Flamengo 6,4%
6º) São Paulo 4,3%

Ibope 2014 (300 entrevistados)
1º) Sport 26,3%
2º) Santa Cruz 24,0%
3º) Corinthians 7,3%
4º) Náutico 5,3%
5º) São Paulo 4,0%
6º) Palmeiras 3,3%
7º) Flamengo 2,3%

Numa amplitude regional, o Flamengo detém, sim, a maior torcida, com 22,4% segundo a pesquisa mais recente no Nordeste, da Pluri Consultoria, de 2012. Uma popularidade reconhecida. Lembremos, entretanto, que as declarações do mandatário vêm focando os estados. E Pernambuco é um dos cinco do país nos quais as torcidas locais são maioria, com 60,4% (Sport + Santa + Náutico), contra 39,6% dos “forasteiros”, ainda segundo a Pluri.

Por fim, voltando ao último levantamento do Ibope, de 2014, outros dois estados apontam torcidas locais à frente, Bahia (Bahia) e Paraná (Atlético-PR). Logo, esse mantra de Eduardo Bandeira de Mello precisa ser revisto. Ou ao menos ser questionado, tirando o viés de verdade absoluta.

Percentual de torcidas locais e "forasteiras" nos estados. Crédito: Pluri Consultoria 2014/reprodução

O hábito de folhear o jornal no estádio

Capas do jornal Torcida, gratuito. Imagem; divulgação

Além da cobertura diária dos quatro grandes jornais do estado, com o dia a dia dos clubes pernambucanos e análises exclusivas, existe uma linha editorial especial com circulação apenas nos jogos realizados no Grande Recife.

A distribuição gratuita do Torcida acontece na Ilha do Retiro, no Arruda e na Arena Pernambuco, nas apresentações de Sport, Santa Cruz e Náutico, respectivamente. Em ação desde 2010, o jornal traz um material exclusivo de cada time em edições distintas, com quatro páginas cada.

O nome unificado é uma evolução dos antigos JorNau, O Mais Querido e O Rugido, que rodaram nos estádios locais de 2006 a 2010.

A curiosidade em relação a este trabalho é o fato de que a vida útil do “jornalismo impresso”, como um todo, é colocada à prova a cada avanço tecnológico, com a informação cabendo num smartphone. Porém, o velho costume de folhear o jornal parece lutar contra isso. Mesmo no cimento quente de uma arquibancada.

E neste caso estamos falando de uma tiragem de 25 mil exemplares…

Confira algumas capas do Torcida: Náutico, Santa Cruz e Sport.

Cada exemplar tem uma diagramação estilizada nas cores do clube. A exceção fica nos clássicos da capital, com o logo dourado (veja aqui).

A divisão de torcidas de clubes ingleses no Nordeste, segundo o Twitter

Mapa do Nordeste com os seguidores de clubes ingleses no twitter. Crédito: The Guardian, com complemento de Cassio Zirpoli/DP/D.A Press

O Nordeste é Chelsea, ao menos entre os clubes ingleses, considerando os seguidores locais dos perfis oficiais dos times da Premier League no Twitter. A pesquisa, divulgada pelo jornal The Guardian, mostra um mapa que expõe de forma nítida a influência do futebol inglês nos grotões nordestinos (Seria uma versão moderna da Rádio Nacional com os clubes cariocas?).

Preferidos: Arsenal, Manchester United, Liverpool, Chelsea e Manchester City.

Ao todo, este quinteto tem 22,69 milhões seguidores. Uma parte, por aqui…

Considerando as 25 marcações coloridas no mapa, Pernambuco é dividido entre Chelsea (64%) e Arsenal (36%). Obviamente, outras equipes do país têm seguidores por aqui, mas em número insuficiente para “povoar” o mapa virtual.

À parte dos dois times da capital, os demais supracitados aparecem na região numa escala bem menor, com Manchester City interior do Rio Grande do Norte e da Bahia, Liverpool em Feira de Santana e Manchester United, este um caso curioso. Os Red Devils aparecem apenas em Lagarto, no interior de Sergipe. Trata-se da terra natal do atacante Diego Costa, artilheiro do Chelsea. Até o momento, fato insuficiente para angariar a maioria dos seguidores.

Globalizando o estudo, as preferências são bem distintas. No Reino Unido e Irlanda, foco principal dos clubes, o Liverpool está bem à frente. No restante da Europa, nos Estados Unidos e no Japão, o Arsenal leva vantagem.

Já a América Latina é quase “fechada” com o Chelsea. O time londrino Roman Abramovich só perde no Chile, para o também londrino Arsenal. O motivo? O apoio ao atacante local, Alexis Sanchez, ídolo dos Gunners. Apontada como um dos novos (e mais rentáveis) mercados do futebol, a Índia tem uma presença maciça do Manchester United. E você, segue algum clube inglês no Twitter?

Virtualmente, mais concorrência para Náutico, Santa Cruz e Sport…

Torcedores dos clubes da Premier League no twitter. Crédito: The Guardian/reprodução

Revistas para um mercado futebolístico aquecido

Revistas Clássico e Torcida

Os milhares de torcedores nas arquibancadas pernambucanas só deixa claro o potencial do público consumidor do futebol local.

Não por acaso, a cobertura da imprensa é bem considerável, com quatro jornais, meia dúzia de rádios e emissoras de televisão e inúmeros sites voltados para o setor.

Espaço também para revistas mensais, com reportagens mais extensas.

Atualmente, o Recife conta com dois periódicos deste modelo, Clássico.com e Torcida.

Acima, as capas das últimas edições.

Vida longa à cobertura jornalística dos clubes pernambucanos…

Informação, sempre.