Aposta na inovação para driblar a crise econômica

Especialistas acreditam que, neste momento adverso, é hora de reforçar a presença no mercado

Tanto as marcas quanto o mercado publicitário nacional passam por um momento em que é preciso adotar novas estratégias para driblar os reflexos da crise econômica. Para se ter uma ideia, a Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap) estimou, no fim do ano passado, um encolhimento de 10% no mercado em 2015, em relação a 2014, e as perspectivas para este ano não eram animadoras. Diante desse cenário, as agências pernambucanas apostam, entre outros pontos, na inovação dos serviços oferecidos aos clientes e na prospecção de novas marcas. Enfatizam, também, que a crise pode ser uma excelente oportunidade para que as marcas reforcem sua presença no mercado.

“É preciso buscar um novo mix de serviços e se manter relevante para o cliente. Isso significa procurar soluções para os problemas deles, mesmo fora do tradicional leque de serviços que a empresa presta”, diz Aguinaldo Viriato, presidente da Ampla. Ainda segundo ele, é preciso olhar também para a gestão da agência. “Não podemos sacrificar a qualidade da prestação do serviço nem perder o foco na valorização do capital humano. Precisamos sempre de uma equipe motivada e qualificada”, enfatiza, ressaltando que a atual conjuntura “não comporta soluções convencionais.”

 

Ilustração: Silvino/DP

Ilustração: Silvino/DP

 

No caso da Italo Bianchi, a prioridade é diversificar a carteira de clientes, já que o reflexo da crise pode ser maior ou menor, dependendo do segmento ao qual determinada marca pertence. “Priorizamos uma pauta mais propositiva para os clientes, com novas fontes, novos veículos, sempre buscando agregar mais do ponto de vista do conteúdo”, afirma Miguel Melo, diretor da empresa. Ainda segundo ele, é um erro das empresas deixar de investir em publicidade em momentos como esse. “Na crise surge a oportunidade. A hora de ultrapassar o concorrente é agora, e quem investir pode se sobressair no atual momento.” Segundo ele, existe uma tendência de otimismo no mercado, e a expectativa é de que o cenário melhore nos próximos meses.

Presidente do Sindicato das Agências de Propaganda de Pernambuco e presidente da Arcos, Antônio Carlos Vieira concorda. “Como estamos entrando no segundo semestre, a gente vai ter uma sequência de sazonalidades e de oportunidades que seguramente vão movimentar a atividade de modo geral”, diz, salientando que as agências não estão de braços cruzados. “As marcas também não estão fora da mídia, apesar de todas as dificuldades. A atividade publicitária está retraída, mas não há relatos de agências fechando”, garante.

“É preciso buscar um novo mix de serviços e se manter relevante para o cliente. Isso significa procurar soluções para os problemas deles”

Aguinaldo Viriato

presidente da Ampla

“Na crise surge a oportunidade. A hora de ultrapassar o concorrente é agora, e quem investir pode se sobressair no atual momento” Miguel Melo

diretor da Ítalo Bianchi

“A gente vai ter uma sequência de sazonalidades e de oportunidades que seguramente vão movimentar a atividade de modo geral”

Antônio Carlos Vieira

presidente da Arcos

Ampliando horizontes

Apesar de projetar uma redução de 10% a 12% na oferta de voos neste ano, a Latam continuará investindo na melhoria dos serviços que são essenciais para os clientes (sejam eles de lazer ou de negócios). A companhia aérea garante que tais serviços, a exemplo da conectividade, conveniência, pontualidade e regularidade, representam uma melhoria que atrai o passageiro para os voos.

Além disso, a empresa tem concentrado seus esforços e operações nos mercados mais rentáveis. A aviação é uma indústria de custos fixos e capital intensivo, contudo agora está trabalhando com horizontes mais curtos de planejamento”, diz a companhia
aérea. Recentemente, a empresa anunciou novidades, como a implementação da Vamos/Latam, uma plataforma de conteúdo. Além disso, ainda este ano será lançada uma nova carta de vinhos latino-americanos para todos os voos internacionais da companhia.

Portfólio diversificado

Para enfrentar o atual momento econômico, a Sky tem investido em um grande portfólio de produtos, atendendo assim a diversos perfis de público. “O momento econômico do país trouxe desafios para todos os setores. Consideramos esse cenário no nosso planejamento estratégico e somos uma das empresas melhor preparadas para esses desafios”, garante Agrício Neto, vice-presidente de marketing e programação da empresa.

Segundo ele, uma das opções adotadas foi o Sky pré-pago, que está disponível em todo o Brasil. “É a TV que o cliente recarrega quando quiser, com opções econômicas e flexíveis para quem não quer se comprometer com uma assinatura mensal”, explica  ele. O executivo ressalta que a empresa sempre busca inovar de maneira permanente para atender os consumidores. “Esse é o jeito de fazer negócios da SKY e é o que contribui para que a operadora estivesse entre as empresas mais lembradas pelos pernambucanos.”

Novidades para clientes

Com um portfólio de mais de 3 mil produtos de diversas faixas de preços, a Rommanel está ciente das dificuldades econômicas, mas tem atuado para que o clima de crise não deixe afetar a empresa. Entre as estratégias adotadas, está a de sempre oferecer novidades aos clientes e também treinamento dos consultores, assim como a captação de novos.

“Sabemos das dificuldades econômicas, mas não podemos parar de oferecer novidades, pois o mercado de moda é extremamente dinâmico. Por este motivo, as nossas coleções tendem a oferecer produtos mais leves e com muita diversidade para que o público-alvo possa continuar consumindo”, diz o sócio-fundador da Rommanel, Antônio Carlos Martins. “Sabemos que, mesmo em crise, as mulheres continuam consumindo. Elas investem em acessórios, mesmo que fluxo de compra sofra alterações.”