Seja mais gentil em 2015 e perdoe as grosserias no dia a dia do trânsito

A gentileza no trânsito reduz o estresse Foto - Reprodução/internet

A gentileza no trânsito reduz o estresse Foto – Reprodução/internet

 

Um novo ano começa e com ele novas esperanças de que o ano que se inicia seja melhor que o anterior. E pode ser. Mas também depende de ações de cada um de nós. E se pensarmos bem, a capacidade de perdoar deve ser um exercício diário em todos os aspectos da nossa vida.

Como seria, por exemplo, o trânsito se fôssemos mais tolerantes. Não levando em conta aquela ocasião em que um certo motorista tentou ser mais “esperto” e passou na nossa frente, ou que estacionou na calçada ou em uma via impedindo a fluidez do tráfego e do pedestre. Antes de atirarmos a primeira pedra é importante lembrarmos que em algum momento das nossas vidas podemos ser esse motorista. E isso ocorre todas as vezes que as nossas necessidades vêm em primeiro lugar em detrimento do coletivo.

Uma boa forma de fazer diferente em 2015 é pensar primeiro no próximo e dar bons exemplos. A gentileza no trânsito é uma arma poderosa. Imagine a cena do mesmo motorista espertinho passando na sua frente e ao invés de criticá-lo, você oferece a vez. As chances dele perceber a gentileza são muito maiores do que uma buzinada no ouvido.

Mas sei que não é fácil. E dependendo do dia é quase impossível. Ainda mais no trânsito onde todo mundo tenta chegar a algum lugar. Às vezes a vontade mesmo é de baixar o vidro e soltar a voz. Os resultados, quase sempre, são os piores possíveis e não por acaso muita briga de trânsito termina em morte. Mas não é assim que quero terminar o primeiro comentário do ano de 2015, prefiro acreditar na esperança de que podemos ser pessoas melhores para as outras pessoas e esperar que elas também sejam para outras.

O perdão deve ser estendido para além das fronteiras de nossos lares e local de trabalho. É o que chamo de “perdão urbano”, mas claro que não há fronteiras para o perdão. Ele deve fazer parte de nosso cotidiano onde quer que estejamos. Feliz 2015!

Os comentários estão fechados.