Orla de Olinda terá trânsito no sentido único Norte/Sul e sem os bloqueios

 

 

Bloqueios serão removidos da orla de Olinda que terá sentido único Norte/Sul Foto Aline Soares Especial DP/D.A.Press

Bloqueios serão removidos da orla de Olinda que terá sentido único Norte/Sul Foto Aline Soares Especial DP/D.A.Press

Depois de seis anos em obras, a urbanização de sete quilômetros da orla de Olinda, a um custo de R$ 23 milhões, incluindo as obras de contenção do mar no trecho entre Bairro Novo e Rio Doce, será entregue em maio. A conclusão das obras também significará mudança no trânsito em toda a beira-mar da Avenida Marcos Freyre. A Secretaria de Transporte e Trânsito de Olinda definiu um único sentido para via de Norte a Sul.

Na Beira-mar de Olinda, o trecho de Casa Caiada ainda é mão-dupla Foto- Aline Soares Especial DP/D.A.Press

Na Beira-mar de Olinda, o trecho de Casa Caiada ainda é mão-dupla Foto- Aline Soares Especial DP/D.A.Press

As sinalizações horizontais e verticais já estão sendo instaladas. No trecho novo também serão implantadas quatro lombadas eletrônicas com velocidade de até 40km/h. Para abrir a via de ponta a ponta os dois atuais bloqueios feitos com gelo-baiano nas imediações das ruas Tertuliano Francisco e Manoel dos Santos Moreira serão removidos. “Nós vamos fazer a retirada dos bloqueios em uma segunda etapa. O primeiro passo será educar os motoristas com a via em sentido único”, revelou o secretário de Transporte e Trânsito, Oswaldo Lima Neto.

Cerca de 300 metros no trecho de Rio Doce ainda está em obras. A previsão de conclusão é maio Foto Aline Soares Especial DP/D.A.Press

Cerca de 300 metros no trecho de Rio Doce ainda está em obras. A previsão de conclusão é maio Foto Aline Soares Especial DP/D.A.Press

Ainda segundo o secretário, logo que a sinalização da via estiver concluída, a mudança no trânsito passará a valer. No trecho de Casa Caiada, parte da sinalização já foi implantada, mas os motoristas continuam a usar a via como mão-dupla. Também no mesmo bairro, onde há um dos bloqueios, a via é usada principalmente para estacionamento dos moradores dos prédios. “A gente sabe que algumas pessoas não vão gostar das mudanças, mas iremos manter um sentido único do tráfego da entrada do Bairro Novo até a entrada do Janga”, afirmou Oswaldo Lima Neto.

Parte da ciclovia  em Casa Caiada estava sendo pintada ontem. Já no trecho de Rio Doce, onde antes parecia improvável passar uma via no local, em razão do avanço do mar, hoje já se observa o contorno da pista e do calçadão. “Uma das razões para a demora na entrega da obra foi fazer a contenção do avanço do mar, que é a parte mais significativa da obra, sem ela a urbanização não seria possível”, ressaltou a secretária de Obras de Olinda, Hilda Gomes.

Um trecho de 300 metros na praia de Rio Doce até o início do Janga falta ser concluído. As obras que estão em ritmo acelerado incluem pavimentação da pista, calçadão, bancos, cinco quiosques e a pintura da ciclofaixa. Em sua casa de frente para a orla, a aposentada Maria Lourenço da Silva, 65 anos, comemora. “Antes a rua da gente mal dava para passar uma pessoa. E agora temos uma via passando na frente de casa e um calçadão para caminhar”, contou.

Os comentários estão fechados.