Por Mariana Fabrício

Com o fim das férias do meio do ano, a reta final da preparação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai exigir adaptações dos feras em função das mudanças no formato da prova. Nesses pouco mais de três meses que restam, os professores aconselham os alunos a revisar os conteúdos, com o cuidado de não intensificarem o ritmo demais para evitar cansaço na hora da prova.

Outra questão importante é o que fazer nos seis dias que separam os dois domingos de provas (5 e 12 de novembro), a serem realizadas com esse intervalo pela primeira vez. Aproveitar esse período estendido e administrar bem o novo formato estão entre as principais preocupações dos participantes.

Para o professor de biologia do Colégio Damas, Andrey Freire, a mudança foi positiva, mas vai exigir adaptação. “Durante as duas primeiras semanas de novembro é importante focar nas provas seguintes. Não é legal se desconectar totalmente dos estudos, já que o aluno vem de uma rotina. O ideal é praticar bastante fazendo exercícios”, aconselha. Ele acrescenta que os alunos devem procurar os benefícios do novo formato, como mais tempo para descansar entre os testes e organizar os estudos de acordo com as áreas de cada prova.

“Acredito que o melhor a fazer é se manter focado, diminuindo o ritmo de estudos criado no ano letivo para não ficar exausto no momento da prova. As semanas que antecedem o Enem não devem ser de tensão. O descanso se torna o principal aliado para não chegar exausto no dia do exame”, aponta.

Fera de medicina, a estudante Beatriz Miranda Carneiro, de 17 anos, pretende fazer revisões na semana que antecede o segundo dia de provas. “Não quero me desligar totalmente dos estudos. Prefiro dar uma olhadinha em alguns assuntos para não comprometer as provas seguintes. Na segunda-feira pós-provas vou procurar relaxar, porque o fim de semana vai ser cansativo e a segunda etapa promete ser mais complicada”, explica.

Nos anos anteriores, o Enem era realizado em um fim de semana. O novo formato foi definido por meio de consulta pública realizada pelo Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Uma nova medida de segurança também entra em vigor neste ano. Os cadernos de prova serão personalizados com nome e número de inscrição, assim como os cartões de resposta. Outra modificação é a divisão por áreas de conhecimento. No primeiro domingo os candidatos farão provas de linguagens, ciências humanas e redação, tendo cinco horas e meia de duração. Já no dia 12, será a vez de matemática e ciências da natureza e os feras terão quatro horas e meia.

Dicas para estudar

Agosto
A três meses do exame, você pode revisar de conteúdos mais antigos, estudados no primeiro semestre
Outra dica é assistir a filmes que ajudem a compreender assuntos abordados nas provas
Dê maior ênfase ao estudo de matérias que têm peso maior para o curso que você escolheu

Setembro
Teste seus conhecimentos em simulados online e aumente o ritmo de leitura de jornais e revistas para se preparar para a redação
Não deixe de manter a rotina de estudos diários

Outubro e início de novembro
Priorize as revisões, com resolução de questões de provas anteriores e de exercícios recomendados pelos professores
Nos dias que antecedem as provas e no intervalo entre os dois domingos, revise conteúdos, mas dê maior espaço para atividades que você gosta de fazer e descanse