O único entre os 206.220 candidatos de Pernambuco que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 a tirar tira mil na redação não é um “devorador” de livros, mas ama assistir filmes, ver documentários, ouvir músicas de diversos gêneros e ler notícias. Thiago Nakazone, de 18 anos, consegui a nota máxima nas provas de produção textual do Sistema Seriado de Avaliação (SSA), da Universidade de Pernambuco (UPE), e do Enem. Já aprovado na universidade estadual no curso de engenharia de controle e automação, ele vai agora em busca de uma vaga em arquitetura e urbanismo da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

O resultado do Enem foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) nesta sexta-feira (17). Dos 3,9 milhões de participantes do Enem 2019, apenas 53 participantes a nota máxima. A maioria dos estudantes com mil na redação é de Minas Gerais, que teve 13 textos com a maior nota. Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro tiveram seis candidatos com nota mil, cada. Na região Sul do país, nenhum candidato conquistou a pontuação mais alta. Por outro lado, o Enem 2019 teve 4% dos participantes com nota zero na redação. Ao todo, 143.736 candidatos zeraram a prova. Os principais motivos para nota zero foram redações em branco (56.945), fuga ao tema (40.624) e cópia do texto motivador (23.265). A média ficou em 592,9, superior à registrada em 2018, que foi 522,8.

Na prova, que tinha como tema “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, Thiago Nakazone, aluno do Colégio Boa Viagem (CBV), denunciou a elitização do cinema no país. “Argumentei que os ingressos são caros e que a maioria das salas de cinema está nos centros urbanos”, disse. Para iniciar o texto, o estudante mencionou o Cinema marginal, um movimento cinematográfico brasileiro que se propagou pelo país entre meados de 1968 e 1973. “Não costumo ler muitos livros, apesar de gostar de obras de suspense, mas consumo muita notícia e gosto muito de ver filmes”, contou.

Professora de redação de Thiago no cursinho, Fernanda Bérgamo ressaltou que o interesse do estudante por diversas artes e pela filosofia foram determinantes. “A nota mil para um candidato de 18 anos, que conseguiu esse resultado ainda no terceiro ano do ensino médio, mostra que a dedicação leva ao êxito. O que sempre chamava a minha atenção era que, nas aulas, ele sempre corrigia na redação seguinte as falhas que havia cometido na anterior”, afirmou.

Outro destaque em Pernambuco foi a estudante Fernanda Nascimento, 18 anos, do Colégio Núcleo. Ela, que foi aprovada em primeiro lugar no curso de direito da UPE pelo SSA, conquistou a nota máxima na prova objetiva de linguagens, códigos e suas tecnologias. De acordo com o balanço do MEC do Enem 2019, a maior pontuação nessa área do conhecimento foi de 801,7. “A prova deste ano foi mais direta, com textos menores, então eu não sabia como eu tinha me saído quando terminei o exame”, disse a aluna que também vai tentar uma vaga em direito pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), desta vez na UFPE.

Resultado de todas as áreas do conhecimento:

Linguagens

Nota mínima – 322,0

Nota máxima – 801,7

Nota média geral – 520,9

Ciências humanas

Nota mínima – 315,9

Nota máxima – 835,1

Nota média geral – 508,0

Matemática

Nota mínima – 359,0

Nota máxima – 985,5

Nota média geral – 523,1

Ciências da natureza

Nota mínima – 327,9

Nota máxima – 860,9

Nota média geral – 477,8

Nota mil na redação do Enem:

Minas Gerais: 13
Rio Grande do Norte: 6
Rio de Janeiro: 6
Goiás: 4
São Paulo: 4
Distrito Federal: 2
Pará: 2
Piauí: 2
Alagoas: 1
Bahia: 1
Ceará: 1
Maranhão: 1
Mato Grosso do Sul: 1
Paraíba: 1
Pernambuco: 1

Como usar a nota do Enem:

Sisu: o estudante interessado em ingressar em alguma instituição de ensino superior pública deve escolher até duas opções de cursos. Ao final, o sistema seleciona os mais bem classificados em cada curso, de acordo com as notas no Enem e eventuais ponderações, como pesos atribuídos às notas ou bônus. É pré-requisito não ter zerado a redação. As inscrições vão de 21 a 24 de janeiro. São 237 mil vagas.

ProUni: o estudante interessado no ingresso em instituições privadas de ensino superior pode concorrer a bolsas integrais (100%) e parciais (50%). Para se inscrever na iniciativa, o aluno que participou do Enem deve ter obtido média de ao menos 450 pontos e não ter zerado a redação. As inscrições vão de 28 a 31 de janeiro. São 249 mil bolsas.

Fies: com duas modalidades — juros zero a quem mais precisa (renda familiar de até três salários-mínimos por pessoa) e escala de financiamento que varia conforme a renda familiar do participante —, as regras para a nota são as mesmas do ProUni. A partir de 2021, será preciso nota mínima de 400 na redação. As inscrições vão de 5 a 12 de fevereiro. São 70 mil vagas.

Ingresso direto: Para realizar o ingresso direto em uma instituição privada, o estudante não precisa realizar provas nem pagar taxas, apenas se inscrever no site ou diretamente na instituição de interesse e aguardar o resultado da seleção. Só é necessário não ter zerado nenhuma das provas.

Enem Portugal: Em 2020, 47 instituições portuguesas — 10 delas por convênios firmados em 2019 — aceitam a nota do Enem como forma de ingresso. Cronograma e regras são definidos pelas próprias universidades.