Guns N’Roses: Axl Rose usa chapéu de cangaceiro em show em Fortaleza

axllampiao

Parece que Axl Rose ficou bem empolgado com a primeira passagem do Guns N’Roses pelo Nordeste. Depois de trocar o avatar do Twitter por uma foto de placa de aviso de tubarões na praia de Boa Viagem, o vocalista usou um chapéu de cangaceiro durante a música Civil War, no show de Fortaleza, na noite de ontem (17), que encerrou a turnê da banda pela América do Sul. O set-list do show foi bem parecido com o do Recife, com Civil War sendo tocada já na parte final do show.

axlcangaceiro

Axl Rose tira onda e coloca avatar com placa de aviso de tubarões em Boa Viagem

axlavatar

Axl Rose mudou a foto do avatar do Twitter dele para uma foto típicamente recifense: uma placa de alerta de tubarão na praia de Boa Viagem. Quando mudou a foto, o vocalista do Guns N’Roses escreveu:

“They got it all here… Sea sharks, land sharks N’ cock sharks… They are the best!!! Errr.. I mean the worst! Ha!”. Traduzindo, fica mais ou menos assim: “Eles têm de tudo aqui. Tubarões no mar, tubarões na terra e tubarões no pinto….eles são os melhores!!! Err…digo, os piores! ha!”

Galeria: Confira fotos do show do Guns N’Roses no Recife/Olinda

Fotos do show do Guns N’Roses na noite da terça-feira, 15 de abril. Todas as fotos são de Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Cobertura: Guns N’Roses toca por mais de 2,5 horas e faz show inesquecível no Recife/Olinda

guns1

Em mais de 2,5 horas de muito rock n’roll no Chevrolet Hall, Axl Rose botou por baixo algumas suposições sobre ele e sua banda, o Guns N’Roses. Ainda que no seu tempo livre ele saía de casa de pijama e de chapéu de palha, Axl é um rockstar de marca maior no palco. Com menos sex appeal e mais alguns quilinhos que há vinte anos, é verdade, mas com a voz de alcance agudo quase intacta, apesar dos tempos de excessos, e um carisma gigantesco.

O repertório do show é incomparável ao de qualquer banda de hard rock dos anos 80/90. O Guns tem um álbum de estreia perfeito, o Appettite for destruction (1987) e faz um ótimo uso dele até hoje: das 30 músicas da apresentação desta terça-feira, nada menos que oito das 12 faixas do disco foram tocadas. Em todas, todas mesmo, a plateia fez coro.

Outra interrogação que o show responde é a falta ou não que Slash faz. O guitarrista era a outra face do Guns e, na minha opiniāo, faz muita falta sim, principalmente nas músicas em que ele brilhou nos clipes (ah, a memória afetiva!) e nos riffs, como Sweet Child o’Mine e November rain. O pior é que para substituí-lo ( e Izzy Stradlin) agora são três guitarristas – bons, mas sem o carisma, nem a criatividade, de Slash -, que fazem longos, e por vezes entediantes, solos ao longo do show. De longe, o ponto fraco da apresentação. Parece que Axl está fazendo um favor e deixando cada membro da banda fazer um número à parte.

Bumblefoot foi o mais esforçado em agradar o público e tocou na guitarra um trecho do hino de Pernambuco, que foi cantado por boa parte da plateia. Outro momento bem pernambucano foi quando um fã jogou uma bandeira – ou foi uma camisa? – do Sport para o palco e Axl a pegou e levou lá para dentro do backstage.

Escolher um ponto alto do show é difícil. Foram muitos. Muito além do que se podia esperar. Há poucas experiências musicais mais prazerosas do que assistir a um show de uma banda que fez parte da sua vida e saber cantar de cor boa parte das músicas. Isso o Guns N’Roses proporcionou para o público fiel que lotou o Chevrolet Hall, mesmo com ingressos de pista a partir de R$ 200, que esgotaram antes do show começar.

Axl Rose também parecia alegre e à vontade no palco. Ensaiou corridinhas no palco e dancinhas com o pedestal no microfone, mas tudo muito de leve. Tirou os óculos escuros em apenas duas músicas e troucou de jaqueta pelo menos três vezes. Para alegria de quem estava lá, Axl não faz questão de insistir muito nas músicas do disco mais recente, Chinese democracy, apesar de aberto o show com a faixa-título.

guns2

O baixista orginal Duff Mckagan – apresentado por Axl como “o cara novo” – fez bonito cantando duas músicas, Attitude e Raw Power, de The Spaghetti incident?, disco de covers de bandas punks que influenciaram o Guns e gravado pela banda em 1998.

Uma ex-BBB no palco
Fā de longa data da banda, a ex-BBB Clara Aguilar, que ficou em terceiro lugar nesta última ediçāo, conheceu Axl Rose em 2010, quando foi até o hotel em que ele estava hospedado. Hoje, ela estava em cima do palco, e transmitia pelo twitter dela o show ao vivo, gravando em um celular. A amiga de Axl tem até uma tatuagem em homenagem ao Guns.

Estrutura
Quem foi de carro pegou um bom congestionamento. Havia apenas uma entada e que ficava lá no final, já perto da fábrica Tacaruna. Para quem foi de táxi, o perrengue foi na saída. Na pista do Chevrolet Hall, o calor beirava o insuportável, sem nem o mais leve sinal de ar-condicionado. No meio do show já não havia água à venda nos quiosques. Pelo chāo da pista, molhado, muito lixo.

Palco
Com um elevado com acesso por uma escada, onde ficavam a bateria e o teclado, o palco ganhou dramaticidade. As projeções mudavam a cada música e o jogo de luzes foi bem interessante, captando as nuances de “humor” das canções. A pirotecnia foi discreta, mas funcionou. Ao final do show, uma chuva de “pétalas” vermelhas explodiu na plateia. Um clichê que funcionou.

Ps: Ah, sim. Atrasou mais de 1h30. Acho que foi o recorde desta turnê no Brasil.

Abaixo, o set list matador do show (ou o que eu consegui pegar dele):

01 – Chinese Democracy
02 – Welcome To The Jungle
03 – It’s So Easy
04 – Mr Brownstone
05 – Estranged
06 – Nice Boys
07 – Rocket Queen
08 – Attitude
09 – Raw Power
10 – My Michelle
11 – Better
12 – Solo de Fortus
13 – Live And Let Die
14 – This I Love
15 – Solo de Dizzy Reed
16 – Catcher In The Rye
17 – You Could Be Mine
18 – Solo de Ashba
19 – Sweet Child O’ Mine
20 – Jam
21 – November Rain
22- Solo de Bumblefoot (com o hino de Pernambuco)
23 – Dont Cry
24 – Civil war
25 – Knock on heaven’s door
26 – Mais uma jam
27 – Nightrain
28 – Patience
29 – The seeker (?)
30 – Paradise city

Mais fotos e vídeos no Instagram do blog.

Fãs tiram fotos com Axl Rose e fazem vigília em frente ao hotel

transamerica580

Foto: Eduardo Chianca/Cortesia

Cerca de 30 fãs do Guns N’Roses estão fazendo vigília em frente ao hotel onde a banda está hospedada, no bairro de Boa Viagem. No começo da tarde alguns músicos saíram do hotel – até, para nossa vergonha, a mulher de Richard Fortus foi assaltada -, mas nada do vocalista Axl Rose. Ontem, ele foi a um restaurante e caminhou na orla da praia. Amanhã a banda toca no Chevrolet Hall, com ingressos a partir de R$ 200 (pista, meia-entrada).

Ontem, vários fãs conseguiram tirar fotos com Axl. Conseguiu uma foto também? manda pra cá!
axlfas

Agora à tarde, o DJ Ashba, que toca guitarra no Guns, saiu do hotel e tirou foto com todo mundo que pediu. “Ele foi muito simpático e ainda agradecia aos fãs”, contou o fã Eduardo Chianca. Olhaí o registro dos dois:

ashba

No Recife, Axl Rose posta foto com a cantora Alcione

Axl Rose e companhia já estão no Recife. O cantor do Guns N’Roses postou no twitter dele uma foto com a cantora Alcione, que se apresenta hoje com outros sambistas no Parque Dona Lindu. Na legenda, Axl se declara fã da cantora: “Com a maravilhosa Alcione Nazareth”. Ninguém resiste a Marrom!

axlrose

Me dê motivo! Cinco razões para ir ao show do Guns N’Roses! (e cinco para não ir)

5motivos

1- Nostalgia. Quem tem mais de 30 anos (e curtia rock) passou boa parte da adolescência vendo a banda na MTV e escutando as músicas na rádio.

2- Apesar de não ser mais o mesmo de 20 anos atrás (sério, quem é?), Axl Rose ainda se esforça para fazer bonito como líder de uma banda de rock.

3 - Hits. Poucas bandas podem se gabar de terem tido tantos sucessos nas paradas musicais quanto o Guns N’Roses. O show é um sucesso atrás do outro.

4- A banda é muito boa. Ok, o guitarrista não é Slash. Mas para substituí-lo Axl Rose convidou três (!) ótimos guitarristas, tecnicamente falando.

5 - O show no Recife vai contar com o reforço de peso do baixista original Duff McKagan, que oficialmente deixou a banda em 1997 e só  esporadicamente se reúne com o Guns.

5motivosnao

1- Os ingressos estão caros. A pista, inteira, começou em R$240 e agora já custa R$400. O frontstage está por R$ 800.

2- A falta de estrutura do Recife/Olinda para receber eventos de médio/grande porte. Quase sempre falta táxi, quase sempre é difícil de estacionar.

3- O uso de verba pública, R$70 mil da prefeitura do Recife, para patrocinar um show sem bandas daqui e de ingressos caros é de indignar qualquer cidadão.

4- Os músicos que acompanham Axl Rose fazem alguns momentos solos durante o show, o que pode ser meio entediante.

5 - Você já superou os anos 80/90 e tem mais o que fazer em uma noite de terça-feira.

Mesmo sem ter sido credenciado, o blog vai estar lá cobrindo o show da pista, com os gunners (não, não superei os anos 90!).

Vatz: Banda de Fortaleza vai abrir show do Guns N’Roses no Recife

vatz580

Nenhuma banda de Pernambuco vai ter a oportunidade de abrir o show do Guns N’Roses no Recife. Mesmo com a prefeitura do Recife comprando uma cota de patrocínio de R$ 70 mil, a banda de abertura escolhida é do Ceará, a Vatz.

Será a primeira vez que a banda vai tocar no Recife/Olinda. A Vatz faz uma linha pop/rock, com letras em inglês e autorais, apesar de também tocar covers em shows.

Me lembrou a Papaninfa. E aí, gostaram da escolha da Vatz?

Prefeitura do Recife destina R$ 70 mil para o Guns N’Roses e R$150 mil para o show de Roberto Carlos

robertoguns.jpg

A Prefeitura do Recife vai patrocinar neste mês dois shows privados, ambos com ingressos caros e com ótima procura do público. Para o show da banda norte-americana Guns N’Roses, a Secretaria de Turismo e Lazer da capital comprou uma cota de patrocínio no valor de R$70 mil. Para a apresentação de Roberto Carlos no Arruda, a secretaria disponibilizou mais que o dobro: R$150 mil do dinheiro público municipal usado como patrocínio de um show privado.

Os valores foram publicado no dia 08 de abril, no Diário Oficial da PCR e repercutidos pelo Fórum da Música de Pernambuco no Facebook.

Em nota oficial a pedido do Play, a Secretaria de Turismo e lazer da PCR afirmou que “conforme publicado no Diário Oficial do Município do dia 8 de abril de 2014, entrou com Cotas de Patrocínio para o show do cantor Roberto Carlos, que acontecerá no dia 12 de abril, e para o show da banda  Guns N’ Roses, que acontecerá no dia 15 de abril. Ambas as atrações têm reconhecimento nacional e internacional, mobilizando, além dos recifenses, visitantes de outros Estados brasileiros. Dessa forma, o investimento tem como objetivo proporcionar o fomento do turismo, em especial do turismo regional, valorizando o nome da cidade e seus atrativos turísticos. Eventos como estes também estimulam a cadeia produtiva do Setor, gerando renda e emprego.”

patrocinios