Candidatos ao governo de PE participam de debate na TV Clube, às 22h40, nesta sexta (26). Antes, às 22h, Diario faz mesa redonda na internet

TV Clube

TV Clube

A TV Clube/Record (canal 9) promove, nesta sexta-feira (16), a partir 22h40, debate com candidatos ao governo de Pernambuco.

Participarão aqueles cujos partidos têm representatividade no Congresso: Armando Monteiro (PTB), Paulo Câmara (PSB) e Zé Gomes (PSol).

O debate será mediado pela jornalista Isly Viana e contará com quatro blocos.

No primeiro, com 40 minutos, candidato perguntará a candidato a partir de temas sorteados, com direito a réplica e tréplica. Serão seis assuntos e duas questões para cada concorrente.

O segundo terá 15 minutos e nele os candidatos responderão a ingadações feitas por eleitores.

www.joaoalberto.com

www.joaoalberto.com

Também com 40 minutos, o terceiro bloco permitirá que os concorrentes falaz perguntas entre si com temas livres. Serão duas questões para cada, com réplica e tréplica.

O quarto e último terá 8 munitos e será destinado às considerações finais.

Antes de o confronto iniciar na TV, o Diariodepernambuco.com.br e o portal Pernambuco.com vão transmitir, das 22h às 22h40, uma mesa redonda com o repórter especial do Diario Vandeck Santiago e o cientista político da Fundaj Túlio Velho Barreto.

www.joaoalberto.com

www.joaoalberto.com

A mediação será da jornalista Tânia Passos. A pauta da iniciativa será a conexão entre as disputas estadual e nacional, além da avaliação da campanhas dos três candidatos convidados para o debate.

A mesa redonda ainda vai comentar o debate, ao vivo, na internet, entre os intervalos do programa.

Após o encerramento do cara-a-cara, a mesa será retomada para analisar do desempenho dos postulantes.

Vandeck Santiago destacou a importância deste debate e da mesa redonda nesta reta final da campanha.

“É este tipo de debate que pode definir o voto. Qualquer deslize dos candidatos poderá ser utilizado no final da campanha. A nossa expectativa é aprofundar os temas que serão debatidos e fazer uma análise do quadro político em Pernambuco e no Brasil, saindo, claro, da perspectiva do simples noticiário”, disse.

TV Clube

TV Clube

Para ele, este é o melhor momento – faltando pouco mais de dez dias para a eleição – para conquistar o voto dos indecisos.

O editor do caderno de política do Diario, Kauê Diniz, enfatizou a iniciativa, que é pioneira em Pernambuco, em valorizar a convergência de mídias.

Além da mesa redonda, o Pernambuco.com, o Diariodepernambuco.com.br, irão transmitir, ao vivo, na internet, o debate da TV Clube/Record.

“Também vamos ter uma cobertura especial do evento no site de política do Diario desde a chegada dos candidatos, o clima das militâncias e as polêmicas do debate. Nosso leitor terá informação de qualidade e de forma rápida”, completou.

Armando reage à retomada da emoção pelo PSB: “a gente não vota só para homenagear o passado, votamos para construir o futuro”

faceboook

faceboook

A reintrodução da comoção em torno da morte de Eduardo Campos na campanha de Paulo Câmara (PSB) e Fernando Bezerra Coelho (PSB), com depoimentos da viúva, dona Renata Campos, provocou reação de Armando Monteiro (PTB), candidato ao governo pela aliança Pernambuco Vai Mais Longe, reage.

Nesta quarta-feira (24), durante entrevista, ele chamou a atenção para a necessidade de não se votar movido pelo sentimento de homenagem.

“A gente não vota só para homenagear o passado, votamos para construir o futuro”, afirmou, na Rádio JC News.

Paulo Câmara (39%) e Armando (35%) estão tecnicamente empatados, segundo pesquisa Ibope. Comoção bateu no teto?

DP

DP

A corrida eleitoral pelo governo do estado em Pernambuco está tecnicamente empatada dentro da margem de erro entre Paulo Câmara (PSB) e Armando Monteiro (PTB), segundo a nova pesquisa Ibope, divulgada nesta terça-feira (23).

O socialista tem 39% e o petebista, 35%. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, Paulo pode ter de 37% a 41% e Armando, de 33% a 37%.

Os demais concorrentes não pontuaram. Brancos e nulos somam 10% e “não souberam responder” chega a 15%.

twitter/reprodução

twitter/reprodução

No levantamento anterior, divulgado pelo Ibope em 16 de setembro, Paulo Câmara aparecia com 38% e Armando Monteiro, com 32%.

Como se vê, Armando avançou três pontos percentuais e Paulo oscilou positivamente em um ponto.

COMOÇÃO – O quadro pode indicar que a comoção em torno da morte do ex-governador Eduardo Campos está perdendo força. A emoção que permitiu a escalada fenomenal do socialista chegou ao “teto”? O eleitor decidiu usar a razão?

Coincidentemente, a Frente Popular reintroduziu, nesta segunda-feira (22), o clima de comoção na campanha ao apresentar depoimento da viúva Renata Campos no programa e nas inserções de TV.

Emocionada, ela fala que o marido escolheu Paulo para dar continuidade ao projeto socialista no estado. E, claro, desfia um rosário de qualidades do “selecionado”.

Certamente, a estratégia de usar o depoimento da ex primeira-dama foi adotada diante do empate que os percentuais das pesquisas internas apontam.

facebook

facebook

A aparição de Renata tem por trás, portanto, a clara intenção de retomar o clima de consternação instalado em Pernambuco logo em seguida à morte de Eduardo – fato explorado eleitoralmente à exaustão desde o velório, enterro e na propaganda de rádio e TV.

Voltando à pesquisa: encomendado pela TV Globo, o levantamento é o quarto após o registro das candidaturas.

O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro.

Os resultados são os seguintes: Paulo Câmara (PSB): 39%; Armando Monteiro (PTB): 36%; brancos e nulos: 10%; e não souberam responder: 15%

Informações do G1

Manifesto pró cultura dá resultado e artistas começam a debater com candidatos ao governo. Mas Armando e Paulo não garantem presença

facebook

facebook

O “Manifesto Cultura: direito do povo, obrigação do Estado”, mobilização de artistas e produtores culturais pernambucanos em defesa da instalação de um debate sobre o tema na campanha eleitoral começa a suritir efeito.

Segundo os organizadores, a partir desta terça-feira (23/09) começam os debates com os candidatos a governador de Pernambuco e a “Coligação da Cultura-PE” – denominação assumida pelo segmento articulado.

A ideia, de acordo com informações do release, é confrontar as doze propostas do “Manifesto Cultura: direito do povo, obrigação do Estado” com as posições políticas dos candidatos ao governo em relação ao setor.

O primeiro convidado será o candidato pelo PCB, Miguel Anacleto. Será na ORBE Calworking, 8º. andar do Edifício Pernambuco, Avenida Dantas Barreto, Recife.

O segundo, nesta quarta-feira (24/09), será Jair Pedro (PSTU). Na quinta (25) é a vez de Zé Gomes, do PSOL.

Os candidatos Armando Monteiro (PTB) e Paulo Câmara (PSB), líderes das pesquisas de intenção de voto, não confirmaram presença.

O candidato Pantaleão (PCO), embora tenha se declarado signatário do Manifesto, também não confirmou presença.

Os debates, segundo os organizadores, devem permitir amplo tempo de formulação e interação com o público para cada um dos candidatos, além de tempo para acréscimo de outras propostas que não estão contidas no Manifesto.

A imprensa terá livre acesso, apenas não serão permitidas perguntas no tempo cronometrado do debate.

Relembre o que o Blog trouxe sobre o assunto:

Artistas e produtores de PE fazem “coligação” suprapartidária, lançam manifesto em defesa da cultura e querem debater com candidatos

Na página 2, estão metodologia e regras do debate, situação dos candidatos em relação à proposta do debate

Bem atrás nas intenções de voto no Grande Recife (tem 25% contra 47% de Paulo), Armando volta agenda para a RMR

Armando vê realidade dos problemas habitacionais de Santo Amaro / Twitter

Armando vê realidade dos problemas habitacionais de Santo Amaro / Twitter

Armando Monteiro, volta sua agenda de campanha para Região Metropolitiana do Recife Está sendo assim nesta segunda-feira (22) e assim será nesta terça-feira (23).

De acordo pesquisa Ipespe, divulgada nesta segunda pelo Diario o petebista, que concorre ao governo do estado, tem 25% das intenções de voto contra 47% do candidato do PSB, Paulo Câmara.

A RMR, há que destacar, responde por 42% do total de votos em Pernambuco.

Hoje ele esteve no bairro de Santo Amaro, área central da capital, onde fez caminhada. Mais cedo, almoçou com funcionários da Chesf e Petrobras, no Bongi.

Ainda na noite desta segunda-feira (22), faz caminhadas em Chão de Estrelas e Campina do Barreto, Zona Norte da capital.

facebook

facebook

Depois, reúne-se com lideranças ligadas ao vereador Antônio Luiz Neto (PTB), no bairro do Arruda.

Nesta terça, se divide entre Paulista e Recife. Às 9h, visita o mercado de Beberibe, no bairro do mesmo nome.

Às 11h, caminha no centro de Paulista, (concentração na Praça João Pessoa, no Centro).

À tarde, às 15h, faz “Caminhada Lilás” no centro do Recife, saindo da Câmara Municipal, na Boa Vista.

Às 19h30 faz nova Caminhada. Desta vez no Alto do Céu, com saída do CSU do Alto Santa Terezinha, no Recife.

Paulo Câmara abre dez pontos em relação a Armando, que tem a árdua missão de enfrentar o “voto-memória”

O texto abaixo foi publicado na “Coluna do Blog” nesta segunda-feira (22) no Diario de Pernambuco.

Obviamente, o título não é o que está no jornal (O recado da chuva), mas sim “Missão árdua”. Pedimos desculpas aos leitores pelo erro. Pois bem. Segue o texto com o título correto:

Missão árdua

DP

DP

Daqui a exatos 15 dias, Pernambuco já deve estar com o novo governador eleito. E o eduardismo segue firme para se prolongar por mais quatro anos.

Pelo menos é o que revelam os números na pesquisa Ipespe, divulgada na edição de hoje pelo Diario.

Paulo Câmara, do PSB, abriu 10 pontos em relação a Armando Monteiro, do PTB. São 42% contra 32%.

Quando se computam apenas os votos válidos (sem branco nulos e indecisos), o socialista aparece com 56% e o petebista soma 42%, o que indica que a parada será resolvida no primeiro turno.

DP

DP

O cenário é de polarização plena (nenhum dos demais concorrentes está acima de 1%) e abre espaço para duas observações.

A primeira tem a ver com o peso do imprevisível no processo eleitoral de Pernambuco este ano.

A morte do ex-governador Eduardo Campos provocou reviravoltas, desmontou previsões e despertou no eleitorado um sentimento que soma compaixão e gratidão.

Sabia-se que Paulo cresceria, mas é inegável que a tragédia e tudo o que gerou a partir dela deram um impulso gigantesco à candidatura do PSB.

DP

DP

A segunda é questão especulativa: o bloco oposicionista (PT, PTB, PDT) teria errado ao lançar apenas um candidato ao governo?

Se o PT, por exemplo, tivesse optado por entrar na briga com chapa própria, o bolo estaria mais dividido e o segundo turno garantido?

Bom, são perguntas difíceis de serem respondidas, justamente por conta do imponderável.

Concorrer contra votos dados em “memória” ou em “tributo” não é missão das mais aprazíveis.

Na página 2 está a matéria que trata da pesquisa do Ipespe:

Falta de estrada se evidencia e Paulo Câmara sofre em debate. Para contra-atacar, referências constantes a Eduardo

Rapha Oliveira/Esp DP/D.A Press

Rapha Oliveira/Esp DP/D.A Press

No dia em que comemorava crescimento na pesquisa Ibope, Paulo Câmara (PSB) enfrentou teste duro no debate da TV Jornal.

Foi o alvo preferencial dos dois concorrentes que dividiam a ribalta com ele: Armando Monteiro (PTB) e Zé Gomes (PSol).

Sem traquejo para embates do gênero (foi o primeiro confronto na TV), o socialista demonstrou fragilidade nos argumentos quanto questionado sobre temas já colocados na pauta.

Entre eles está a falta do lastro político (apontado por Armando), de experiência, de capacidade de liderança, de trânsito nacional, enfim, carências diretamente ligadas ao fato de ele, um técnico, ter sido escolhido candidato por decisão pessoal do ex-governador Eduardo Campos.

Optou por repetir frases que soavam como texto decorado. As expressões “continuar avançando”, “temos um time”, “vamos liderar esse processo”,  “vamos fazer acontecer” foram usadas em diversos momentos, reforçando a falta de estrada apontada pelo concorrente.

O tema da concessão de incentivos à Bandeirante Pneus foi, mais vez, colocado pelo petebista na discussão. Paulo Câmara, como tem feito, retrucou afirmando, que tudo se deu se forma legal.

Armando voltou, então, a perguntar se o oponente sabia da condição do avião quando pegou carona nele e qual a opinião dele sobre a nebulosidade que paira sobre a legalidade e propriedade do jato. Paulo não respondeu. Jogou tudo na conta da Justiça Eleitoral que, segundo ele, já decidiu que não há irregularidades.

A Bandeirante é apontada como possível compradora do avião que era utilizado por Eduardo na campanha e que acabou caindo provocando a morte do ex-governador e mais seis pessoas. A empresa, que já recebia benefícios fiscais antes do governo de Eduardo, teve as vantagens ampliadas na gestão socialista.

O discurso generalista adotado por Paulo acabou lhe trazendo dificuldade. Quando perguntado sobre algo especifico – a falta de consultório para o curso de odontologia da UPE em Arcoverde – foi obrigado a admitir que existiam erros que precisam ser corrigidos.

Além disso, Paulo pareceu ter sido “capacitado” para o debate dentro dos mesmos moldes usados pelo PSB com o prefeito do Recife, Geraldo Julio, em 2012. Manteve um ar de riso e um olhar fixo em grande parte do debate. Obviamente que a tensão é natural num evento como aquele, mas o excesso de cuidados com a performance acabou por tirar a espontaneidade do candidato.

Paulo Câmara está bem, muito bem nas pesquisas, mas sofreu no debate. A missão é, de fato, difícil para um calouro nas ruas e nas urnas como ele. Como Geraldo, ele é uma aposta alta assumida Eduardo – aposta, aliás, exitosa, uma vez que o PSB ganhou a eleição. Agora, Paulo é aposta da vez e, por enquanto, os planos traçados pelo ex-governador vão caminhando bem.

Aliás, como tem ocorrido nessa campanha, o líder socialista, ou a lembrança dele, teve grande “presença” no debate. O candidato do PSB repetiu por diversas ter sido “escolhido por Eduardo”, o que reforça que o PSB, segue cultivando, sem amarras, a dependência da campanha à imagem do ex-governador.

Armando assumiu papel professoral e mostrou a segurança que só os anos na lida política trazem. Sempre que podia ressaltava ser bem mais preparado para governar Pernambuco. Chegou, inclusive, a afirmar que achava Paulo bem intencionado, mas, pela falta do tal “lastro político”, incapacitado para a missão.

Zé Gomes ajudou Armando a elencar falhas na gestão que Paulo representa, mas também não deixou de apontar que o petebista e o socialista eram aliados até o ano passado e que, por isso, representam um mesmo projeto político. Um projeto que, segundo ele, privilegia patrões e as elites e massacra o trabalhador.

Ibope: Paulo Câmara chega a 38%, contra 32% de Armando. Para senador: João Paulo tem 32% e Fernando, 27%

DP

DP

Paulo Câmara virou na corrida eleitoral pelo governo do estado. Levantamento do Ibope, divulgado na noite desta terça-feira (16), mostra que o candidato do PSB não só passou como se distanciou do concorrente, Armando Monteiro (PTB) para trás.

O socialista aparece com 38% das intenções de voto, contra 32% do petebista. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Na disputa pelo Senado, o candidato da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, João Paulo (PT), registrou vantagem de cinco pontos percentuais em relação ao socialista Fernando Bezerra Coelho (PSB). O petista tem 32% das intenções de voto, enquanto seu adversário possui 27%.

Na última pesquisa, divulgada no dia 26 de agosto, Armando liderava a disputa ao governo de Pernambuco, com 38% das intenções, nove pontos percentuais à frente de Paulo Câmara, que tinha 29%.

Ricardo Fernandes/DP

Ricardo Fernandes/DP

O petista João Paulo também liderava as intenções de voto no último levantamento (o ex-prefeito do Recife tinha 35%), com uma vantagem de treze pontos percentuais à frente de Fernando Bezerra Coelho (22%).

Metodologia
O Ibope ouviu 2.022 eleitores em 82 municípios do estado, entre os dias 12 e 15 deste mês. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) como PE-00025/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00652/2014.

Paulo Câmara engrossa ataques em inserções e acusa Armando de quebrar empresas. “Dá pra confiar?”, pergunta ao eleitor

reprodução/TV

reprodução/TV

Um dia depois de afirmar que está pronto para enfrentar o que os opositores quiserem trazer para a campanha, o candidato ao governo pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Armando Monteiro (PTB), vê a Frente Popular, do concorrente Paulo Câmara (PSB), subir muitos tons dos ataques.

Em dois comerciais de TV, veiculados desde a manhã desta terça-feira (16), os socialistas desferem críticas à atuação de Armando como parlamentar, mas entram com força no campo pessoal ao apontar incompetência no desempenho do petebista como empresário.

Em dois comerciais de 15 segundos, o locutor vai fazendo perguntas, que aparecem também em frases escritas em letras azuis sob um fundo preto. Ao final, as imagens são agrupadas e formam uma grande interrogação. O arremate é feito com a questão: “dá pra confiar?”.

Leia, abaixo, o conteúdo dos dois comerciais:

1 – Dá pra confiar o governo de Pernambuco a um empresário mau patrão, que deixou centenas de empregados sem receber salário? Um candidato conhecido por votar contra os trabalhadores? Dá pra confiar?

2 – Dá pra confiar o governo de Pernambuco a um candidato que quebrou as empresas da própria família? Um candidato que tem banco falido, usinas endividadas e dezenas de negócios em ruínas? Dá pra confiar?

A reação da Frente Popular acontece exatamente uma semana depois de Armando covocar a imprensa para informar um fato relevante ao processo político.

Na entrevista, ele cobrou de Paulo explicações sobre a concessão de incentivos fiscais do governo do estado à empresa Bandeirantes Pneus.

A Bandeirantes é empresa citada como uma das possíveis compradoras do avião que caiu no dia 13 de agosto Santos (SP) matando o ex-governador Eduardo Campos e mais seis pessoas.

Em maio deste ano, um grupo de empresários pernambucanos assinou compromisso de compra da aeronave de um grupo econômico do interior de São Paulo.

Nesta segunda, a coluna do Blog informou que, antes da coletiva, o PSB alertara a Armando que revidaria, caso o petebista carregasse nos ataques.

O candidato do PTB, informou, porém, nesta segunda, que não está na vida pública com medo do que possa ser colocado em relação a ele.

“Eu fiz a coletiva para acentuar e para dar ênfase a uma questão que está pendente de esclarecimento ainda, e que ao meu ver a própria imprensa de Pernambuco deveria valorizar mais”, disse.

Bom, na semana passada (dia 11), o Blog trouxe análise sobre o incômodo que a cobrança de Armando causou. E questionava sobre a possibilidade de revide. Relembre:

Avião na pauta: “rato parido” pela “montanha” de Armando vai incomodando campanha de Paulo Câmara. Vem revide por aí?

Pois, nesta terça-feira, a Frente Popular deixou claro que vai engrossar nas investidas sobre Armando.

Armando nega que PSB tenha ameaçado e feito PTB recuar em coletiva: “o que eles quiserem trazer, eu enfrentarei”

ALLAN TORRES ESP DP/D.A PRESS

ALLAN TORRES ESP DP/D.A PRESS

Na coluna do Blog dessa segunda-feira (15) publiquei nota tratando dos bastidores que envolveram a coletiva convocada por Armando Monteiro (PTB) para anunciar fato relevante e a reação da aliança liderada por Paulo Câmara (PSB). Confira:

Pólvora no paiol

O que se fala por trás das cortinas da campanha é que o PSB desativou a bomba que a campanha de Armando pretendia soltar na semana passada.

Minutos antes de a coletiva ser iniciada um emissário socialista procurou o PTB e avisou que, a depender do que fosse dito, Paulo Câmara responderia com munição pesada.

O PSB diz ter um arsenal poderoso prontinho para ser usado. “E tu acha que a gente ia ficar parado, era?”, indaga um socialista graúdo.

Na noite da mesma segunda-feira, Armando tocou no assunto afirmado o seguinte:

Quem me conhece não compraria essa notícia. Eu não estou na vida pública com
medo do que possa ser colocado em relação a mim.

Eu fiz a minha vida pública toda de forma aberta, pelo voto, no debate público.

O que eles quiserem trazer, sobre qualquer questão, eu enfrentarei. Nada tem a ver com esse fato, com essa ilação, completamente injustificada.

Eu fiz a coletiva para acentuar e para dar ênfase a uma questão que está pendente de esclarecimento ainda, e que ao meu ver a própria imprensa de Pernambuco deveria valorizar mais.

Relembre, nos posts abaixo, fatos relacionados à cobrança de Armando e as reações de de Paulo Câmara:

Armando cobra de Paulo Câmara explicações sobre incentivos a Bandeirantes. E o socialista diz que senador está desesperado

Paulo Câmara confirma ter viajado no avião de Eduardo de Serra Talhada ao Recife e que nada tem a esconder

Com informações de Andrea Pinheiro e Sávio Gabriel, do Diario.