Lideranças da base de Dilma que não conquistaram mandato figuram em lista de ocupantes de cargos em órgãos federais

...

A mesma expectativa que cerca deputados governistas de Pernambuco não reeleitos de serem nomeados para cargos no Executivo ou mesmo assumirem o mandato por conta da convocação de eleitos para secretarias existe entre os nomes de oposição que não obtiveram êxito nas urnas.

Oponentes ao governo no plano estadual, mas alinhados à gestão da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT), muitos deles aparecem nas listas de nomes especulados para ocupar espaços em organismos federais.

...

Os deputados federais Fernando Ferro e Pedro Eugênio, ambos derrotados, seriam cotados para comandar, respectivamente, a Companhia Hidrelétrica de São Francisco (Chesf) e uma diretoria no Banco do Nordeste.

Também deputado federal Paulo Rubem (PDT) foi candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo senador Armando Monteiro (PTB) e, obviamente, deixará Brasília em janeiro. Ele também estaria entre possíveis convocados por Dilma.

camara

camara

No mesmo caminho estão o deputado João Paulo e ex-vereador Dilson Peixoto, ambos do PT.

O primeiro concorreu ao Senado e o segundo disputou cadeira na Assembleia Legislativa do Recife. Ambos perderam.

Marcelo Soares/Esp. DP/D.A Press.

Marcelo Soares/Esp. DP/D.A Press.

O ex-vereador do Recife Mozart Sales, que atuou como secretário de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, no primeiro governo Dilma, também surge entre os que podem ser aproveitados.

Ele concorreu à Câmara dos Deputados, mas também não obteve sucesso. Ficou na primeira suplência da coligação (PTB/PT/PDT). Quer dizer, caso o novo ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro, convoque algum dos eleitos para a sua pasta, Sales tomará posse como deputado federal.

A seguir, post sobre os derrotados que devem ser “ajeitados” por Paulo Câmara:

Paulo Câmara deve chamar deputados para secretariado e garantir vagas a Augusto Coutinho, Fernando Monteiro e Cadoca

Oficialização de Armando no ministério segura PTB na base de Dilma e amarra partido ao PT em Pernambuco para 2016

facebook-reprodução

facebook-reprodução

Entre os muitos predicados que levaram o senador Armando Monteiro ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, um deles, o poder de aglutinação do PTB, teve efeito imediato após a oficialização da sua escolha para o cargo.

Na terça-feira da semana passada (02), dia seguinte ao anúncio, o senador reuniu a bancada de congressistas eleitos e reeleitos pelo partido e deixou claro que a sua chegada ao primeiro escalão será fator de união dos petebistas em torno do segundo governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

Nos bastidores de Brasília, especulou-se que, ao convidar Armando, a petista estaria, entre outros objetivos, agindo para garantir o PTB na bancada governista e, assim, facilitar a aprovação de projetos de interesse do Planalto e travar investidas da oposição.

De fato, na campanha presidencial, a direção do PTB – cujo presidente é o ex-deputado Roberto Jefferson – decidiu se aliar ao candidato do PSDB, Aécio Neves, rachando a legenda.

Porém, a ascensão de Armando, um dos mais atuantes da ala minoritária, reduziu o fôlego da direção nacional. Tanto que os 25 deputados e os três senadores do partido estiveram com ele, reconhecendo sua liderança e se comprometendo a reforçar o exército dilmista.

Paulo Paiva/DP/D.A Press.

Paulo Paiva/DP/D.A Press.

“Armando recebeu a solidariedade e o apoio de toda a bancada”, sublinha o deputado federal eleito Ricardo Teobaldo (PE). Ele esteve na reunião em que a presidente decidiu, ao lado de Armando, na segunda-feira, como seriam os detalhes do anúncio que oficializaria o nome do senador para a pasta de Desenvolvimento.

“A bancada federal votou e fez campanha para a reeleição de Dilma. Apenas um, de Minas Gerais, votou em Aécio por conta da questão local”, diz. “O comando do partido decidiu apoiar Aécio, cedeu o tempo de TV, mas os deputados estavam em outro palanque.”

Além de assegurar os petebistas na base de apoio ao governo, a presença de Armando no ministério amarra o partido ao PT em Pernambuco.

Durante a campanha estadual, observou-se que o senador, que concorreu ao governo apoiado pelos petistas, aproximou-se do deputado Daniel Coelho, virtual candidato do PSDB à Prefeitura do Recife.

Na época, os dois trocaram elogios e comentou-se que o tucano teria votado em Armando. Especulou-se ainda que o líder petebista se desvencilharia do PT após a disputa de 2014, o que seria um indicativo de possível aliança com Daniel em 2016.

No PTB, a eleição de 2016 está, naturalmente, fora de pauta. O partido prefere falar da mobilização  em torno da nova missão do senador. “Temos 2015 todo para reforçar a estrutura do partido, aumentar as filiações, mobilizar as lideranças”, diz deputado estadual José Humberto Cavalcanti.

 

PTB-PE iniciará processo para punir infiéis. Entre eles, estão seis prefeitos que fizeram campanha para Paulo Câmara

faceboook

faceboook

Revigorado pela escolha do senador Armando Monteiro para o Ministério Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o PTB pernambucano prepara-se para punir os filiados que votaram e fizeram campanha para o candidato do PSB, Paulo Câmara, na eleição para governador.

Na tarde desta quinta-feira, o presidente do partido, deputado federal José Chaves, comandou reunião para definir projetos e metas para 2015 e também o tratamento que será dado aos que, desobedecendo a determinação do partido, deixaram de votar em Armando (candidato derrotado) e subiram no palanque do socialista.

Paulo Paiva/Esp. DP.D.A/Press

Paulo Paiva/Esp. DP.D.A/Press

Na lista dos infieis estão seis prefeitos, dentre eles os de Gravatá, Bruno Martiniano; Exu, Leo Saraiva; João Alfredo, Maria Sebastiana; e de Arcoverde, Madalena Brito.

De acordo com o secretário-geral do PTB-PE, deputado José Humberto Cavalcanti, tudo vai ser feito à luz do estatuto do partido, com prazos e direito de defesa.

“O processo será iniciado nos próximos dias, mas não iremos agir de modo açodado. Todas as denúncias serão documentadas com material publicado na imprensa e encaminhadas para apreciação da nossa comissão de ética”, diz. Dentre as punições previstas, estão advertência, suspensão e expulsão.

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

CHAVES PRESIDENTE – Na reunião, foi decidido ainda que José Chaves segue na presidência da legenda. Assume efetivamente o lugar de Armando Monteiro, a quem já vinha substituindo interinamente desde a campanha.

Em maio, quando será realizada convenção regional, o deputado, que desistiu de concorrer a novo mandato este ano, será reconduzido ao posto para o biênio 2015/2017.

Pernambuco no 1º escalão: oficializado nome de Armando Monteiro para ministério

facebook/reprodução

facebook/reprodução

O senador Armando de Queiroz Monteiro Neto será o novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O nome do parlamentar do PTB de Pernambuco foi anunciado há pouco no Palácio do Planalto. Ele assumirá o lugar ocupado hoje por Mauro Borges.

Por meio de nota, a presidenta Dilma Rousseff agradeceu a dedicação e lealdade de Mauro Borges.

Acrescentou que ele permanece no ministério até que seja concluída a transição e formação da nova equipe.

O novo ministro nasceu, em 1952, no Recife (PE), e descende de uma tradicional família de políticos pernambucanos. Seu pai, Armando Monteiro Filho, foi ministro da Agricultura de João Goulart.

O avô, Agamenon Magalhães, foi governador de Pernambuco. Antes de entrar na política, exerceu atividades como administrador de empresas, industrial e advogado.

Armando Monteiro iniciou a vida política em 1990, como filiado do PSDB. Em 1997, deixou a legenda tucana e filiou-se ao PMDB, partido pelo qual conquistou, em 1998, o primeiro mandato de deputado federal.

Em 2003, deixou o PMDB e vinculou-se ao PTB, reelegendo-se deputado federal em 2002 e em 2006. Em 2010, foi eleito senador pelo estado de Pernambuco, na chapa liderada pelo então candidato a governador Eduardo Campos.

Em 2014, disputou o governo do estado, mas foi derrotado em  primeiro turno pelo candidato do PSB, Paulo Câmara. Ele também foi deputado estadual por três legislaturas.

Entre 2002 e 2010, o novo ministro presidiu a Confederação Nacional da Indústria (CNI). No mesmo período acumulou as presidências do Sesi e do Senai. Antes, chegou a dirigir o Conselho de Administração do Sebrae.

Monteiro também foi presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco e do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais Elétricos de Pernambuco.

Como deputado e senador, Armando Monteiro atuou em defesa de temas como a geração de empregos, desenvolvimento econômico, inovação tecnológica e fortalecimento das micro e pequenas empresas.

No Senado, Armando Monteiro integra as comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), Assuntos Econômicos (CAE) e Educação, Cultura e Esporte (CE).

Informações da Agência Brasil

Escolha de Armando esgota cota de PE no governo federal? Na lista estão Ferro, Pedro Eugênio, Joao Paulo, Paulo Rubem…

...

O convite para o Ministério do Desenvolvimento e Indústria e Comércio indica prestígio do senador Armando Monteiro (PTB) junto à presidente Dilma e assegura a ele uma vitrine e tanto para novos voos majoritários em Pernambuco.

A informação do convite foi veiculada na imprensa, mas o governo federal desistiu de confirmá-la nesta sexta-feira, o que deve ocorrer na próxima semana.

Derrotado, o petebista, derrotado em outubro na corrida pelo governo do estado, foi o candidato do PT e da presidente Dilma em Pernambuco.

Tocando uma campanha marcada por dificuldades financeiras e, na reta final, engolida pela comoção que envolveu a morte do ex-governador Eduardo Campos (PSB), Armando não chegou ao segundo turno.

O socialista Paulo Câmara sagrou-se vencedor, com 68,08% ou 3.009.087 votos. O senador obteve 31,07% ou 1.373.237 votos.

A presença do senador no ministério pode ser entendida também como apreço da presidente pelo estado.

No entanto, cria uma expectativa sobre o “aproveitamento” de nomes do PT estadual para cargos federais: com a entrada de Armando no primeiro escalão a cota de Pernambuco estaria esgotada?

Na lista estão os deputados federais João Paulo, que tentou, mas não foi eleiro senador, e Fernando Ferro e Pedro Eugênio, que não conseguiram de reeleger para a Câmara.

O deputado, Paulo Rubem Santiago (PDT), que foi candidato a vice na chapa de Armando, é outro nome a integrar a relação dos possíveis ocupantes de cargos.

OUTROS NOMES – Além de Armando estão anunciado extraoficialmente os nomes de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda e Nelson Barbosa para o Planejamento.

Com fim do guia, candidatos dão carga nas redes sociais. Lembram que a campanha segue nas ruas e na internet e incentivam a cola

facebook

facebook

Na reta final e já sem o guia eleitoral de rádio e TV os dois candidatos ao governo de Pernambuco mais bem colocados nas pesquisas incrementam posts nas redes sociais para manter militância e apoiadores em alerta.

Paulo Câmara (PSB) e Armando Monteiro (PTB) publicaram posts alusivos ao “dia d”, incentivando os eleitores a irem às urnas.

facebook

facebook

O petebista sugeriu que se coloque um recado na geladeira. O socialista sugere “pintar” o estado de amarelo e apresenta desenhos com várias configurações de famílias.

Há, inclusive, exemplares formados por dois homens e duas mulheres.

Tudo muito ajustado ao marketing eleitoral desenvolvido em torno de um tema que incendeia debates e costuma contrapor, erroneamente, direitos civis e preceitos religiosos (ou supostamente religiosos)

Câmara lembra que o eleitor pode sair de casa com cores e adereços alusivos à campanha desde que fique atento às regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

facebook

facebook

“Você pode manifestar a sua opinião política utilizando broches, bandeiras e adesivos, mas nada de distribuir os famosos santinhos nem de sair em grupo fazendo festa antes da vitória”,  diz a publicação.

Lembra ainda que se há restrições nas ruas, na internet, a regra é outra. “Todo cidadão pode e deve se manifestar através das redes sociais, blogs e mensagens instantâneas”.

facebook

facebook

Armando destaca que o eleitor pode levar a cola com os números. “No Domingo, 05 de outubro, antes de sair para votar, pegue sua fila e leve às urnas com você!”, indica o post.

A quatro dias da eleição, Paulo Câmara abre oito pontos e tem agora 42%, contra 34% de Armando. Zé Gomes tem 1%, diz Ibope

www.joaoalberto.com

www.joaoalberto.com

Na corrida pelo governo de Pernambuco, o candidato da Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), se distanciou ainda mais do concorrente da aliança Pernambuco Vai Mais Longe,  Armando Monteiro (PTB).

Segundo pesquisa Ibope divulgada pela TV Globo na noite desta quarta-feira (01.10), o socialista, que na última pesquisa (dia 23.09) aparecia com 39%, agora tem 42%.

Já o petebista, que contava com 35%, oscilou para baixo e tem ficou com 34%.

Zé Gomes, do PSol, surge com 1%. Os demais não pontuaram. Brancos e nulos somam 9% e 13% não souberam responder.

A situação de Armando se complicou. Faltam apenas três dias para a eleição e o oponente aparece oito pontos à frente.

Neste momento, fica evidente que o peso eleitoral do ex-governador Eduardo Campos garantiu vantagem tranquila ao seu afilhado e escolhido para sucedê-lo.

No embate dos padrinhos, ponto para o líder socialista que, depois de morto em agosto, tornou-se um cabo eleitoral valoroso.

Do outro lado, no palanque de Armando, estão o ex-presidente Lula e a presidente Dilma.

Curiosamente, o eleitor descasou o voto em Pernambuco. Mesmo com Paulo na dianteira, a presidenciável do PSB, Marina Silva, perdeu terreno pra petista. São 36% contra 43% das intenções para Dilma.

O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro. Os resultados são os seguintes:

Paulo Câmara (PSB) tem 43%e  Armando Monteiro (PTB), 34%. Brancos e nulos são 8% e não souberam responder totalizam 14%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 28 e 30 de setembro, a pesquisa contou com 2.002 entrevistas em 81 municípios.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número PE-00034/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00916/2014.

As informações são do G1.

Candidatos ao governo de PE participam de debate na TV Clube, às 22h40, nesta sexta (26). Antes, às 22h, Diario faz mesa redonda na internet

TV Clube

TV Clube

A TV Clube/Record (canal 9) promove, nesta sexta-feira (16), a partir 22h40, debate com candidatos ao governo de Pernambuco.

Participarão aqueles cujos partidos têm representatividade no Congresso: Armando Monteiro (PTB), Paulo Câmara (PSB) e Zé Gomes (PSol).

O debate será mediado pela jornalista Isly Viana e contará com quatro blocos.

No primeiro, com 40 minutos, candidato perguntará a candidato a partir de temas sorteados, com direito a réplica e tréplica. Serão seis assuntos e duas questões para cada concorrente.

O segundo terá 15 minutos e nele os candidatos responderão a ingadações feitas por eleitores.

www.joaoalberto.com

www.joaoalberto.com

Também com 40 minutos, o terceiro bloco permitirá que os concorrentes falaz perguntas entre si com temas livres. Serão duas questões para cada, com réplica e tréplica.

O quarto e último terá 8 munitos e será destinado às considerações finais.

Antes de o confronto iniciar na TV, o Diariodepernambuco.com.br e o portal Pernambuco.com vão transmitir, das 22h às 22h40, uma mesa redonda com o repórter especial do Diario Vandeck Santiago e o cientista político da Fundaj Túlio Velho Barreto.

www.joaoalberto.com

www.joaoalberto.com

A mediação será da jornalista Tânia Passos. A pauta da iniciativa será a conexão entre as disputas estadual e nacional, além da avaliação da campanhas dos três candidatos convidados para o debate.

A mesa redonda ainda vai comentar o debate, ao vivo, na internet, entre os intervalos do programa.

Após o encerramento do cara-a-cara, a mesa será retomada para analisar do desempenho dos postulantes.

Vandeck Santiago destacou a importância deste debate e da mesa redonda nesta reta final da campanha.

“É este tipo de debate que pode definir o voto. Qualquer deslize dos candidatos poderá ser utilizado no final da campanha. A nossa expectativa é aprofundar os temas que serão debatidos e fazer uma análise do quadro político em Pernambuco e no Brasil, saindo, claro, da perspectiva do simples noticiário”, disse.

TV Clube

TV Clube

Para ele, este é o melhor momento – faltando pouco mais de dez dias para a eleição – para conquistar o voto dos indecisos.

O editor do caderno de política do Diario, Kauê Diniz, enfatizou a iniciativa, que é pioneira em Pernambuco, em valorizar a convergência de mídias.

Além da mesa redonda, o Pernambuco.com, o Diariodepernambuco.com.br, irão transmitir, ao vivo, na internet, o debate da TV Clube/Record.

“Também vamos ter uma cobertura especial do evento no site de política do Diario desde a chegada dos candidatos, o clima das militâncias e as polêmicas do debate. Nosso leitor terá informação de qualidade e de forma rápida”, completou.

Armando reage à retomada da emoção pelo PSB: “a gente não vota só para homenagear o passado, votamos para construir o futuro”

faceboook

faceboook

A reintrodução da comoção em torno da morte de Eduardo Campos na campanha de Paulo Câmara (PSB) e Fernando Bezerra Coelho (PSB), com depoimentos da viúva, dona Renata Campos, provocou reação de Armando Monteiro (PTB), candidato ao governo pela aliança Pernambuco Vai Mais Longe, reage.

Nesta quarta-feira (24), durante entrevista, ele chamou a atenção para a necessidade de não se votar movido pelo sentimento de homenagem.

“A gente não vota só para homenagear o passado, votamos para construir o futuro”, afirmou, na Rádio JC News.

Paulo Câmara (39%) e Armando (35%) estão tecnicamente empatados, segundo pesquisa Ibope. Comoção bateu no teto?

DP

DP

A corrida eleitoral pelo governo do estado em Pernambuco está tecnicamente empatada dentro da margem de erro entre Paulo Câmara (PSB) e Armando Monteiro (PTB), segundo a nova pesquisa Ibope, divulgada nesta terça-feira (23).

O socialista tem 39% e o petebista, 35%. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, Paulo pode ter de 37% a 41% e Armando, de 33% a 37%.

Os demais concorrentes não pontuaram. Brancos e nulos somam 10% e “não souberam responder” chega a 15%.

twitter/reprodução

twitter/reprodução

No levantamento anterior, divulgado pelo Ibope em 16 de setembro, Paulo Câmara aparecia com 38% e Armando Monteiro, com 32%.

Como se vê, Armando avançou três pontos percentuais e Paulo oscilou positivamente em um ponto.

COMOÇÃO – O quadro pode indicar que a comoção em torno da morte do ex-governador Eduardo Campos está perdendo força. A emoção que permitiu a escalada fenomenal do socialista chegou ao “teto”? O eleitor decidiu usar a razão?

Coincidentemente, a Frente Popular reintroduziu, nesta segunda-feira (22), o clima de comoção na campanha ao apresentar depoimento da viúva Renata Campos no programa e nas inserções de TV.

Emocionada, ela fala que o marido escolheu Paulo para dar continuidade ao projeto socialista no estado. E, claro, desfia um rosário de qualidades do “selecionado”.

Certamente, a estratégia de usar o depoimento da ex primeira-dama foi adotada diante do empate que os percentuais das pesquisas internas apontam.

facebook

facebook

A aparição de Renata tem por trás, portanto, a clara intenção de retomar o clima de consternação instalado em Pernambuco logo em seguida à morte de Eduardo – fato explorado eleitoralmente à exaustão desde o velório, enterro e na propaganda de rádio e TV.

Voltando à pesquisa: encomendado pela TV Globo, o levantamento é o quarto após o registro das candidaturas.

O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro.

Os resultados são os seguintes: Paulo Câmara (PSB): 39%; Armando Monteiro (PTB): 36%; brancos e nulos: 10%; e não souberam responder: 15%

Informações do G1