Arranjos da corrida proporcional reunirão opositores e ex-aliados

Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

A eleição proporcional será pródiga em arranjos que unirão opostos e provocarão reencontros.

Mesmo filiado ao PSB, o deputado estadual Isaltino Nascimento disputará vaga para Câmara dos Deputados fazendo dobradinha com gente do PT, sua antiga sigla.

Um deles é o vereador Luiz Eustáquio, que concorrerá à Assembleia.

 

Julio Jacobina/DP/D.A Press

Julio Jacobina/DP/D.A Press

Já André de Paula (foto), que deixou o DEM para dirigir o PSD estadual e, na semana passada, assumiu mandato de deputado federal em substituição a Sérgio Guerra, terá apoio de ex-companheiros do PFL na corrida para a Câmara.

O prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (também no PSD), é um deles.

Carnaval em branco: prefeituras de Pernambuco cancelam festa por conta da crise

sombrinhaCom o pão escasso, o circo sai de cena. A crise que afeta os municípios tem obrigado gestores a suspender a celebração de momo, a maior festa popular do país.

Em Pernambuco, o somatório de sequelas da seca, queda no repasse do Fundo de Participação dos Municípios e a herança maldita (deixada por antecessores) é a justificativa dos prefeitos para reduzir ou mesmo não realizar o carnaval.

Em outros estados também há casos semelhantes. Em Petrópolis (RJ), a prefeitura destinou à saúde municipal os recursos que financiariam os desfiles de escolas de samba.

O assunto motivou matéria publicada nesta quarta-feira pelo Diario. O texto é da repórter Julia Schiaffarino e revela o quão séria é a situação das prefeituras. Afinal, promover um evento como o carnaval é sinônimo de votos para qualquer político.

A suspensão, por outro lado, mostra bom senso dos gestores. Sem recursos para serviços elementares, carnaval deve ir mesmo para um lugar bem distante na fila de prioridades.  Confira o que diz o texto clicando aqui.

Eleições estão distantes, mas aliança governista já trinca

No último domingo, o Diario trouxe matéria sobre as possibilidade de abalos e fissuras na aliança liderada pelo governador Eduardo Campos por conta da aproximação das eleições municipais quando os partidos medirão forças rumo a 2014.

Pois bem, nesta quarta-feira a coluna Diario Político, de Marisa Gibson, traz o seguinte:

Início da sangria? – O senador Armando Monteiro Neto, presidente estadual do PTB, não está participando das negociações sobre o lançamento  de João Mendonça como possível candidato da Frente Popular em Belo Jardim. As conversas estão sendo feitas pelo secretário Ranilson Ramos (PSB) diretamente com Cintra Galvão (PTB), e outras lideranças petebistas no município.

Ligação e clima – Armando Neto tem uma ligação histórica com Cintra Galvão (PTB), que até a saída de João Mendonça do DEM, era apontado como um dos candidatos a prefeito do município. Há cerca de um mês, Armando enfrentou o governador Eduardo Campos por conta da PEC da reeleição, e o clima entre os dois não é dos melhores.

Nesta quarta-feira também, a Folha de Pernambuco traz a notícia do fim da aliança entre PSB e PTB em Araripina, no Sertão do Araripe.

Na semana passada, o Jornal do Commercio tratou do embate interno do PSB na corrida pela sucessão municipal de Petrolina, no Sertão do São Francisco.

Em resumo: aqui e ali surgem fatos que apresentam desafios para a manutenção da ampla aliança governista. E olha que ainda faltam 15 meses para as eleições.

Comoção e civilidade no adeus a José Mendonça

belo jardimEstive por dois dias em Belo Jardim, companhando velório e sepultamento do ex-deputado José Mendonça, político que marcou a história da cidade em que nasceu.

Nesta terça-feira os conterrâneos lotaram as ruas da cidade, no Agreste para se despedir de Mendonção, como o ex-parlamentar era conhecido.

O adeus mobilizou políticos que estiveram ao lado de José Mendonça nos seus 44 anos de vida pública. Aliados, ex-aliados, prefeitos e vereadores foram a Belo Jardim.

O velório que se estendeu por mais de 12 horas no ginásio esportivo do Colégio Diocesano, foi acompanhado por parentes, amigos e eleitores.

Mesmo sem ter ido ao local, o principal adversário de Mendonção, o ex-prefeito Cintra Galvão, foi cumprimentado por familiares do ex-deputado.

Quando o carro que levava o corpo ao cemitério parou em frente à casa de Galvão, a multidão viu, impressionada, a cena de civilidade entre representantes dos grupos que há décadas se confrontam pelo comando da política local.

…Continue lendo…

Só a campanha explica: Maciel de manga curta e jeans

Marco McielA foto já não é tão nova assim, mas retrata uma situação inusitada. Flagra um momento que só a pré-campanha pode explicar: o senador Marco Maciel (DEM) de camisa de mangas curtas e, pasmem, jeans.

Tudo bem, o jeans é escuro e não é lá muito modernoso. Mas o figurino, usado pelo senador no almoço oferecido pelo deputado José Mendonça, no último sábado, em Belo Jardim, mostra do que é capaz um político em busca de votos.

Costumeiramente, Maciel enverga impecáveis terno e gravata. Quando quer “variar”, se permite, no máximo, uma camisa de algodão acompanhada de calça social.

Estava trajado assim na sexta-feira, durante lançamento da pré-candidatura de Jarbas Vasconcelos ao governo do estado, no Chevrolet Hall.

A ‘composição’ vista no almoço, é, portanto, uma daquelas raridades que merecem ser registradas. E foi isso que fez a assessora de imprensa da Prefeitura de Belo Jardim, Polyanna Batista.

União por Pernambuco tenta se reidratar no Agreste

Um almoço que acontece amanhã na fazenda do deputado federal José Mendonça (DEM), em Belo Jardim, no Agreste, será recheado de simbolismo para a oposição em Pernambuco.

Foi lá que, há 17 anos, a antiga União por Pernambuco foi germinada entre uma garfada e outra. O principal convidado àquela época foi Jarbas Vasconcelos, que no ano anterior havia rompido com o ex-governador Miguel Arraes.

Após aquele evento em 1993, Jarbas passou a comandar o grupo que dominaria o cenário político e o governo do estado cinco anos depois (entre 1998 e 2006). As informações estão em matéria publicada hoje no Diario.

No almoço de amanhã, Jarbas será novamente a atração da festa promovida na propriedade rural do parlamentar democrata.

Desta vez, a expectativa entre aliados é de que a feijoada na Fazenda São José marque a reedição da frente jarbista, que passa por um período de vacas magras desde a saída do peemedebista do Palácio do Campo das Princesas.

Sem o suporte das máquinas estadual e federal, a dieta política da oposição tornou-se ainda mais rígida durante a “onda Lula” e após eleição de Eduardo Campos (PSB) em 2006, que acarretou na transferência de muitos prefeitos e lideranças locais da ala jarbista para o grupo governista.

O almoço no Agreste, que promete reunir todos os principais políticos dos partidos aliados (DEM, PMDB, PPS, PSDB e PMN), seria na opinião de muitos jarbistas bem mais significativo do que o evento de hoje no Chevrolet Hall.

…Continue lendo…