“Pegou ar!”

Ainda não há uma data para o novo confronto entre o campeão dos Médios, Anderson Silva, e o norte-americano Chael Sonnen. Mas, enquanto o Aranha não nos dá o prazer de calar a boca do falastrão, podemos nos divertir de outra forma. Esta semana, o jornalista canadense Michael Landsberg tirou Sonnen do sério durante um talk show.

Com perguntas sobre Anderson Silva e George St-Pierre, entre outras,  Landsberg irritou o lutador ao ponto de Sonnen deixar o programa no meio da entrevista. Logo no começo da conversa, o jornalista perguntou o motivo pelo qual Sonnen teria desistido da proposta feita ao brasileiro logo após vencer seu compatriota Brian Stann. O norte-americano, que tinha prometido abandonar o UFC no caso de uma nova derrota, respondeu assim:

“Não sei se você sabe quem eu sou, mas nunca desisto de nada! Se eu falar que vou vender meu carro por US$ 10 mil, você acha que daqui a um ano eu tenho que ligar e dizer: ‘eu quero US$ 10 mil pelo carro’?! As coisas não funcionam assim. É assim que vocês negociam no Canadá?! Porque no meu país, que inventou os negócios, ofertas têm prazo. Eu fiz uma oferta e aparentemente ele não aceitou. Não é que eu tenha desistido, mas pelo visto eu tenho que fazer uma nova oferta. Provavelmente, vocês não fazem isso no socialismo, mas na América, numa sociedade capitalista, é assim que fazemos!”.

Vale a pena conferir!

Nick Diaz “fura a fila” e vai encarar GSP

A sina do lutador Nick Diaz é cambaleante. Difícil de definir. Oscila entre a sorte e o azar com o intervalo de dias. Escalado para enfrentar o campeão do peso meio-médio do UFC, George St. Pierre (GSP), ele acabou punido e afastado do card após se atrasar para a coletiva de imprensa do UFC 137. Foi readmitido depois para a luta secundária contra BJ Penn. GSP ganhou como adversário Carlos Condit. Mas o dono do cinturão se machucou. Nick entrou no octógono, aposentou BJ Penn e desafiou o canadense. Tomado pela fúria, St. Pierre aceitou. O duelo estava armado. Só faltava a chancela de Dana White. E ela veio pelo Twitter: “Carlos concordou em ceder a vez a Diaz”.

Nick conseguiu tirar GSP do sério. Era uma tarefa inglória. O canadense é considerado um lutador cavalheiro fora dos ringues. Respeita os adversários e luta com a técnica suficiente para vencer. As declarações de Diaz após a vitória sobre BJ Penn – de que GSP estava com medo de enfrentá-lo – enfureceu o dono do cinturão. George prometeu: “Vou dar a ele a maior surra que o UFC já viu”.

Tomara.

As lutas de GSP costumam ser mornas porque o detentor do cinturão mantém o oponente sob domínio até enfraquecê-lo e vencê-los nos detalhes. E nem sempre a estratégia rima com espetáculo, troca aberta de golpes. Caberá a Nick, depois de aceito o desafio, enfrentar um George estimulado pela fúria. É mais uma chance de a sina dele  mostrar o quanto é volúvel: uma vitória pode consagrá-lo a um título impensado meses atrás. Enquanto a derrota o sentenciará à pecha de mais uma provocação desmanchada à base de socos e pontapés

UFC 137: o adeus de uma lenda

O cancelamento do que seria a luta principal do UFC 137 levantou questionamentos sobre a qualidade do evento. Após o último combate, no entanto, ficou a nostalgia pelas despedidas de dois grandes lutadores do octógono. Um deles, o croata Mirko Filipovic, uma das maiores lendas do extinto Pride. Cro Cop anunciou a aposentadoria com uma derrota para o gordinho Roy Nelson. A terceira consecutiva no Ultimate. O outro adeus pode não ter sido definitivo. Derrotado pelo bad boy Nick Diaz, o havaiano B.J. Penn anunciou o fim da carreira num desabafo logo após o combate.

Atleta no sentido literal da palavra, o canadense George St-Pierre conquistou e mantém o cinturão dos meio-médios sobre os alicerces concretos da disciplina e da aplicação. Uma lesão no joelho, revelada em 18 de outubro, frustrou as expectativas pela defesa do título contra o norte-americano Carlos Condit. O adiamento “promoveu” o confronto entre B.J. Penn e Nick Dias ao evento principal da noite do último sábado, em Las Vegas. Luta que acabou por render grandes emoções. Não apenas a excitação pela trocação franca, mas principalmente pela surpresa do anúncio do fim da carreira do havaiano. “Pra mim acabou. Não queria voltar pra casa dessa maneira, mas acabou”, resumiu ele, desapontado.

Cro Cop, por sua vez, pareceu decidido a dar um ponto final na carreira. O ex-policial croata (daí o apelido Croatian Cop) foi derrotado pelo casca grossa Roy Nelson e sua barriga protuberante. O norte-americano, que cultiva a forma física a base de muita lasanha, mostrou uma vez mais que absorve pancadas como poucos. No final de uma luta que parecia encaminhar-se para uma vitória por decisão dos jurados para Mirko, o gordinho surpreendeu com uma manobra no solo e venceu por nocaute técnico.

Dono de um dos chutes mais perigosos da história do MMA, Cro Cop fez combates históricos com Wanderlei Silva, Fedor Emilianenko, Rodrigo Minotauro, Mark Coleman e outros. Vai deixar saudade!

Ossssss

Resultados

CARD PRINCIPAL

B.J. Penn vs Nick Diaz
vencedor: Diaz, por decisão unânime

Cheick Kongo vs Matt Mitrione
vencedor:
Kongo, por decisão unânime

Mirko Cro Cop vs Roy Nelson
vencedor: Nelson, por nocaute técnico no 3º round

Scott Jorgensen vs Jeff Curran
vencedor:
Jorgensen, por decisão unânime

Hatsu Hioki vs George Roop
vencedor:
Hioki, por decisão dividida

CARD PRELIMINAR

Dennis Silver vs Donald Cerrone
vencedor: Cerrone, por submissão no 1º round

Tyson Griffin vs Bart Palaszewski
vencedor:
Palaszewski, por nocaute técnico no 1º round

Brandon Vera vs Eliot Marshal
vencedor:
Vera, por decisão unânime

Ramsey Nijem vs Danny Downes
vencedor:
Nijem, por decisão unânime

Chris Camozzi vs Francis Carmont
vencedor:
Carmont, por decisão unânime

Dustin Jacoby vs Clifford Starks
vencedor:
Starks, por decisão unânime

A maldição dos cinturões do UFC

Uma lesão no joelho do canadense George St-Pierre frustrou os fãs do MMA, sempre ávidos por disputas de títulos. Campeão dos meio-médios do UFC, GSP enfrentaria o norte-americano Carlos Condit na edição 137 do principal torneio de lutas do mundo, que agora terá o confronto entre BJ Penn e Nick Diaz como evento principal. Dos atuais detentores de títulos do UFC, St-Pierre era o único que ainda não havia sido prejudicado por uma lesão.

Confira a lista:

23 de outubro de 2010

Cain Velasquez (Pesados)

Lesão – Machucou o ombro durante a luta contra Brock Lesnar (UFC 121), onde conquistou o título da categoria.

Situação – Recuperado de cirurgia realizada em janeiro deste ano, se prepara para encarar o brasileiro Júnior Cigano no UFC on Fox, em 13 de novembro.

 

24 de novembro de 2010

José Aldo (Penas)

Lesão – Se preparava para enfrentar Josh Grispi em sua estreia no UFC, quando lesionou a coluna e precisou cancelar o combate.

Situação - Recuperado, defendeu o cinturão contra o canadense Mark Hominick (UFC 129) e depois contra o norte-americano Kenny Florian (UFC 136).

 

25 de abril de 2011

Jon Jones (Meio-pesados)

Lesão – Sofreu uma grave lesão no ligamento da mão direita durante os preparativos para encarar Rashad Evans no UFC 133.

Situação – Jones enfrentaria Evans no UFC 135, mas dessa vez foi seu oponente que se machucou. Sobrou para Quinton Jackson, que foi completamente dominado pelo campeão.

 

9 de maio de 2011

Frankie Edgar (Leves)

Lesão – Machucou a coluna e uma costela durante os treinos para a revanche contra Gray Maynard, que ocorreria no UFC 130.

Situação – O aguardado combate foi realizado no UFC 136, com uma vitória surpreendente de Edgar, que nocauteou o oponente após sofrer dois knock downs no primeiro round.

 

Julho de 2011

Anderson Silva (Médios)

Lesão – Ainda se recuperava da dura vitória sobre Chael Sonnen, quando machucou o ombro nos preparativos para o UFC Rio.

Situação – Apesar da lesão, resolveu enfrentar o japonês Yushin Okami e manteve o cinturão da categoria. No entanto, a lesão se agravou e só voltará ao octógono em 2012.

 

1º de outubro de 2011

Dominick Cruz (Galos)

Lesão – Contestado por se estilo conservador, Dominick Cruz foi ao limite e fraturou a mão direita durante o combate contra Demetrius Johnson, no UFC on Versus 6.

Situação – Apesar da lesão, Cruz não apenas seguiu no combate, como também conseguiu derrotar o adversário e manter o cinturão. Agora, o campeão se recupera da cirurgia.