Shogun vence. E só…

A postura apresentada no início do confronto parecia ser um indicativo de que o “velho” Shogun estava de volta ao octógono. Levava a crer que a imagem do lutador lento e passivo ficaria restrita ao encontro com Jon Jones. Disposto a resolver o combate rapidamente, o brasileiro partiu pra cima de Brandon Vera, empolgando os seus fãs. A vitória até veio. E por nocaute técnico, diga-se. Mas acompanhada de uma chuva de críticas por conta de seu condicionamento físico. Ou da falta dele.

Ávidos por desempenhos como os do tempo do Pride – ou o da revanche contra Lyoto Machida – os fãs de Shogun animaram-se no início do segundo round, quando o brasileiro emendou uma sequência que por pouco não levou o adversário ao nocaute. Com Vera encurralado e praticamente entregue, bastava encaixar um golpe mais contundente  para encerrar o combate. Mas faltou fôlego. A exaustão estava estampada no semblante do brasileiro.

A vitória veio somente no 4º round, quando os dois lutadores já beiravam à exaustão. A entrega de ambos até rendeu alguns elogios, mas nem todos os que acompanharam o confronto ficaram satisfeitos. Entre eles, o presidente Dana White, que não escondeu sua decepção: “Shogun não mostrou nada para mim de que ele merece a chance de enfrentar Jones agora”, pontuou.

E Dana White está certo. Quem conhece Shogun sabe que o brasileiro pode mostrar muito mais do que tem mostrado no UFC. Por mais que tenha mostrado raça nas derrotas para Jon Jones e Dan Henderson, ele esteve aquém das expectativas. Por outro lado, talvez o resultado do confronto com Vera o coloque de volta no caminho do triunfo. Afinal de contas, o atleta vive de vitórias. Agora, é esperar que ele tenha retomado o gosto pelo sucesso.

Confira os demais resultados do UFC on Fox 4:
Maurício Shogun venceu Brandon Vera por TKO aos 4min9s do R4
Lyoto Machida venceu Ryan Bader por KO a 1min32s do R2
Joe Lauzon finalizou Jamie Varner com um triângulo aos 2min34s do R3
Mike Swick venceu Damarques Johnson por TKO a 1min20s do R2
Nam Phan venceu Cole Miller por decisão dividida dos juízes
Wagner Caldeirão e Phil Davis terminou em No Contest
Rani Yahya finalizou Josh Grispi comum estrangulamento norte sul aos 3min50s do R1
Phil de Fries finalizou Oli Thompson com um mata-leão aos 4min16s do R2
Manny Gamburyan venceu Michihiro Omigawa por decisão unânime
John Moraga venceu Ulysses Gomes por KO aos 3 min 46s do R1

O próximo desafiante do cinturão dos Meio-Pesados

Na segunda-feira, Dana White deu uma declaração surpreendente sobre o próximo desafiante ao título dos Meio-Pesados. O presidente do UFC avisou que o vencedor do confronto entre Maurício Shogun e Brandon Vera – evento principal do UFC on Fox que será disputado no próximo sábado – teria esta primazia.

Mas a repercussão fez com que White voltasse atrás. O público lembrou que a luta que antecede o encontro entre Shogun e Vera não pode ser esquecida. O co-main event colocará dois atletas bem quistos pelo público frente a frente: Lyoto Machida e Ryan  Bader.

E não custa lembrar que no UFC 140, disputado em dezembro de 2011, o brasileiro alcançou um desempenho surpreendente no encontro com o campeão Jon Jones, vencendo o primeiro round.

Por isso, Dana White acabou confirmando o que muitos imaginaram assim que a franquia confirmou o card do UFC on Fox: “Os fãs não gostaram da escolha do vencedor de Shogun e Vera, então é assim: quem vencer da forma mais impressionante no sábado vai ter a sua chance contra o vencedor de Jon Jones e Dan Henderson. Eu promovo as lutas que os fãs querem ver”, resumiu.

Confira o card completo:

Card Principal
Mauricio Shogun vs Brandon Vera
Lyoto Machida vs Ryan Bader
Mike Swick vs DaMarques Johnson
Joe Lauzon vs Jamie Varner

Card Preliminar
Cole Miller vs Nam Phan
Phill Davis vs Wagner Prado
Josh Grippi vs Rani Yahya
Phill De Fries vs Oli Thompson
Manny Gamburyan vs Michihiro Omigawa
Ulysses Gomez vs Johm Moraga

José Aldo enfrenta algoz de Raphael Assunção

Demorou, mas o UFC finalmente divulgou o próximo adversário de José Aldo. Há algumas semanas, a franquia havia adiantado que o brasileiro não figuraria no card do próximo evento no Brasil – a final do TUF – porque defenderia o cinturão dos Penas em 21 de junho, no Canadá.

Restava, entretanto, saber quem seria o desafiante ao título do manauara. Depois de analisar os candidatos, a cúpula da franquia decidiu pelo norte-americano Erik Koch, que nocauteou o pernambucano Raphael Assunção em março do ano passado. Aos 23 anos, Koch é considerado uma das maiores promessas da categoria, ostentando um cartel de 13 vitórias e somente uma derrota.

O único revés, vale ressaltar, foi diante do californiano Chad Mendes, último lutador a sentir o peso dos golpes de José Aldo. Em 14 de janeiro, Mendes foi nocauteado pelo brasileiro no Rio de Janeiro.

O card do evento contará ainda com outros quatro brasileiros. Recuperado da fratura no braço, sofrida no combate com Frank Mir, Rodrigo Minotauro encara o francês Cheick Kongo. Além disso, os meio-pesados Maurício Shogun e Thiago Silva se enfrentam num combate importantíssimo para as carreiras de ambos. Por fim, o cearense Thiago Pitbull encara o japonês Yoshihiro Akiyama.

Hora de falar: coletiva do UFC 139

Primeiro round: as palavras. O Ultimate Fighting Championship promove, na tarde de hoje, a coletiva de imprensa da edição de número 139, direto de San José, nos Estados Unidos. O evento promete ser um dos mais disputados. Nomes de peso estão escalados no card principal – Dan Henderson, atual campeão do Strikeforce, evento de MMA comprado pelo UFC, os brasileiros Maurício Shogun Rua e Wanderlei Silva, além do estreante Cung Le.

Do torneio, deve sair o postulante ao título do peso meio-pesado (do confronto entre Shogun Rua e Dan Henderson). O brasileiro quer derrotar o adversário e partir para  revanche contra Jon Jones – o jovem talento lhe roubou o cinturão logo na primeira luta pela defesa do título.

O card também decide o futuro de Wanderlei Silva. Lenda do Pride, extinto torneio de artes marciais mistas japonês, o lutador precisa vencer para ganhar confiança de Dana White, presidente do UFC, e dar continuidade à carreira. Se perder, dificilmente voltará ao octógono – ele vem de duas derrotas seguidas, sendo a última por nocaute antes dos 40 segundos de luta. 

A coletiva de imprensa está marcada para as 17 horas e pode ser assistida, ao vivo, no site do UFC: www.ufc.com.br

Siga o Ringue Diário no Twitter: twitter.com\ringuediario

A nova chance de Shogun

Um lutador de altos e baixos. É assim que podemos classificar o brasileiro Maurício Shogun Rua. O curitibano surgiu como um furacão no Pride, na época, o principal evento de MMA do mundo. Nas oito primeiras lutas, oito vitórias, sendo sete por nocaute. Com socos, pontapés, joelhadas e cotoveladas, colocou adversários de peso para dormir, como o norte-americano Quinton Jackson, o holandês Alistair Overeem (duas vezes) e o brasileiro Ricardo Arona.

A transição para o UFC, porém, não foi das melhores. Estreou com derrota, finalizado por Forrest Griffin. Na sequência, vingou-se de Mark Coleman nocauteando o adversário para quem perdera três anos por conta de um braço deslocado. Três meses depois, nocauteou o também veterano Chuck Liddell. Por conta dos desempenhos, muitos acreditavam que ele estava pronto para desafiar Lyoto Machida pelo cinturão dos meio-pesados.

Estes dois confrontos merecem um post exclusivo, por isso não vou me alongar. No primeiro encontro, em outubro de 2009, deu Machida, em decisão polêmica dos jurados. Em maio do ano seguinte, veio a revanche. Mais agressivo e disposto a provar que fora injustiçado, Shogun apresentou ao compatriota sua primeira derrota. Vitória incontestável e o cinturão tão desejado.

O sonho, porém, durou muito menos do que Shogun esperava. Irreconhecível, Rua foi massacrado pela sensação Jon “Bones” Jones, perdendo o título da categoria. A nova volta por cima veio sobre o norte-americano Forrest Griffin, que sucumbiu diante de um Shogun como nos melhores momentos: agressivo e letal.

Nesta quinta-feira, o brasileiro recebeu uma grande notícia de Dana White. O presidente do UFC adiantou que o vencedor da luta entre Shogun e Dan Henderson, marcada para 19 de novembro passará a ocupar o segundo lugar na lista de desafiantes ao título da categoria. “Seria difícil não dar ao vencedor dessa luta a próxima oportunidade após o Rashad (Evans). Rashad é o próximo”, justificou Dana.

Contra mais um veterano, Rua terá a chance de provar que merece figurar entre os maiores lutadores da atualidade. Certo é que o desafio não é dos mais simples. Henderson é um lutador experiente e perigoso, que não costuma falhar quando o adversário dá espaço. No entanto, caso o Shogun que suba ao octógono seja aquele que deixou o mundo boquiaberto, as chances de o brasileiro desafiar o campeão são enormes.