Gêmeos siameses recebem apoio de aprovados do concurso da PM

Os gêmeos siameses que nasceram ligados pelo abdômen, no Recife, irão receber doações do grupo de jovens que foram aprovados no concurso da Polícia Militar de Pernambuco – Ano 2009. Neste sábado e domingo, uma campanha de arrecadação de leite, fraldas descartáveis e pomadas será realizada, a partir das 8h, em frente à Escola Superior de Educação Física ESEF/UPE, no campus do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no bairro de Santo Amaro.

Irmãos nasceram na maternidade do IMIP. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Irmãos nasceram na maternidade do IMIP. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Ao mesmo tempo, eles vão realizar um PRÉ – TAF (Teste de Aptidão Físico). Foi feito um cadastro de 100 candidatos, que foram divididos em dois grupos. Diariamente, centenas de candidatos aprovados no concurso da PMPE, do ano de 2009, treinam na capital e no interior de Pernambuco, na esperança de uma convocação por parte do governo do estado, que prorrogou o certame até 2015.

Alguns aprovados treinam às escuras, sem ao menos, ter prestado o serviço militar obrigatório. No caso das mulheres, que aspiram um cargo nas “forças auxiliares” PM/PC/ CBMPE, o alto índice de reprovação nos testes físicos é ainda maior, um indicativo da falta de treino e simulação.

Quase 400 jovens foram assassinados no Recife em 2012

Os jovens do Recife, assim com os de todo o Brasil, continuam sendo as maiores vítimas de crimes de homicídios, segundo o Mapa da Violência 2013. Entre os anos de 1980 e 2011, as mortes não naturais e violentas de jovens (acidentes, homicídio ou suicídio) cresceram 207,9%. Se forem considerados só os homicídios, o aumento chega a 326,1%.

Do total de 46.920 mortes na faixa etária de 14 a 25 anos, em 2011, 63,4% tiveram causas violentas (acidentes de trânsito, homicídio ou suicídio). No Recife, das 598 mortes resgistradas no ano de 2012, um total de 399 tiveram como vítimas pessoas com menos de 30 anos. E um dado que preocupa ainda mais: 60 pessoas assassinadas nesse período eram menores de 17 anos.

Esses números fizeram o Recife voltar as principais ações do Pacto pela Vida, lançado nessa quarta-feira, para os jovens de 13 bairros considerados violentos. A criação dos cinco Centros Comunitários da Paz (Compaz) tem como principal objetivo tirar das ruas e afastar da criminalidade os jovens que estejam longe da escola e aqueles que ainda não estão trabalhando.

“O número de assassinatos de pessoas jovens ainda é um fator preocupante no Recife. Quase 400 vidas perdidas no ano passado foram de pessoas com menos de 30 anos. As ações do programa municipal visam mudar esse cenário”, apostou o secretário de Planejamento e Gestão do Recife, Alexandre Rebêlo, durante o lançamento do Pacto pela Vida.

Outra aposta da gestão municipal será a capacitação de 160 jovens egressos da Funase. Eles iriam trabalhar nos Compaz como auxiliares administrativos e agentes multiplicadores da cultura de paz.

Prêmios para bairros que se destacarem no Recife

O Pacto pela Vida do Recife também prevê um grande desafio à população. Será lançado até dezembro deste ano o programa “Eu amo meu bairro”. O secretário de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti, explicou que será uma espécie de gincana em que os moradores de cada um dos 94 bairros da cidade terão que cumprir metas como diminuir a quantidade de lixo nas ruas, acabar com as depredações ao patrimônio público e mediar conflitos entre vizinhos.

Os bairros que obtiverem os resultados estipulados pela prefeitura serão contemplados com investimentos em obras de lazer, como cinema, por exemplo. “O mutirão feito pelos moradores é que garantirá o sucesso desse programa, cujos detalhes iremos apresentar em breve”, pontuou Cavalcanti.

Campo Grande receberá ações de combate à violência (CRISTIANE SILVA/ESP.DP/D.A PRESS)

Os espaços de convivência e áreas de lazer da cidade, além de mercados populares e ambulantes, também passarão por constante fiscalização e ordenamento para contribuir com a queda da violência. Outra proposta, já prevista em lei estadual desde 1990, é retirar de forma efetiva bares, quiosques, barracas e fiteiros que vendam bebidas alcoólicas e cigarros em um raio de 100 metros das instituições de ensino. “Não podemos achar normal que, na porta de uma escola, vendam bebidas”, destacou o governador Eduardo Campos.

O programa estuda ainda gratificar a população que fornecer informações ao Disque-Denúncia para que a polícia apreenda armas de fogo. Os PMs também podem ser contemplados com remuneração extra, assim como já é feito no Pacto pela Vida estadual. Essa possibilidade está sendo analisada pela Secretaria de Assuntos Jurídicos.