Jaboatão deve ganhar 105 câmeras de monitoramento

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes anunciou a realização de concurso público para o prenchimento de 100 vagas da guarda municipal e a instalação do sistema de videomonitoramento municipal. O objetivo é que, ainda este ano, sejam instaladas 105 câmeras de segurança em pontos estratégicos das sete regionais da cidade.
São 24 câmeras que estão ligadas com a central da SDS. Foto: Helder Câmara/DP/D.A/Press

Equipamentos serão instalados ao longo deste ano. Foto: Helder Tavares/DP/D.A/Press

“A princípio, essas câmeras serão distribuídas com um quantitativo voltado para a questão de roubos, furtos, assaltos e homicídios; outras mais focadas para pontos de tráfico e consumo de drogas e algumas voltadas para o controle de uso de solo, como ocupação indevida de calçadas, construções irregulares e veículos estacionados em locais proibidos”, disse Elias Gomes.
 
A secretária executiva de Segurança Cidadã, Karla Vieira, reforçou a importância da integração entre prefeitura e governo estadual no combate ao crime. “As câmeras terão um investimento próprio mas vamos gerar o compartilhamento das imagens ao 6º BPM, contribuindo para ações mais rápidas”, falou.
Com informações da assessoria de imprensa da Prefeitura de Jaboatão

Professor deve ser treinado para identificar abusos contra crianças

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados vai analisar o Projeto de Lei 4753/12, da deputada Benedita da Silva (PT-RJ), que estabelece treinamento para que professores da educação básica, profissionais de saúde, assistência social e segurança pública possam identificar situações de abusos contra crianças e adolescentes.

A proposta, já aprovada pela Comissão de Seguridade Social e Família, determina a inclusão obrigatória, na grade curricular de cursos voltados a professores e profissionais das áreas sociais, de conteúdo programático que forneça instrumentos necessários e orientações para assegurar os direitos de crianças e adolescentes previstos na Constituição.

Henrique Afonso

Benedita da Silva acredita que os profissionais capacitados poderão assegurar a dignidade de meninos e meninas vítimas de maus-tratos. Ela ressalta, ainda, a importância da formação de professores para evitar esse tipo de situação. “Não basta apenas que você seja professor ou professora, você tem que estudar o comportamento daquela criança até chegar à questão do abuso sexual. Algumas crianças são abusadas sexualmente, chegam ao colégio e até falam. Outras não falam. Então, qual o papel do educador nesse contexto?”, ressalta.

Para o relator do projeto na Comissão de Seguridade, deputado Henrique Afonso (PV-AC), essa questão “deve ser tratada como de altíssima prioridade pelas autoridades”. Ele defendeu a proposta, destacando a necessidade de capacitação de todos os profissionais envolvidos com o problema, “oferecendo os elementos de tomada de consciência sobre o tema e a capacidade técnica para detectar sinais físicos e psicológicos de violência contra as crianças e adolescentes”.

Valorização
O professor Gabriel Magno Pereira Cruz, da diretoria do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), acredita que o projeto é importante para valorizar a formação profissional e qualificar o professor. Entretanto, considera que outros setores também precisam estar envolvidos nesse processo para não sobrecarregar os professores com mais atribuições.

Para ele, o Estado precisa garantir apoio e suporte às escolas, com equipes preparadas para atendimento aos casos registrados. “Só isso não basta, só atribuir essa tarefa ao professor. Há outros mecanismos que o Estado precisa garantir. Um acompanhamento mais intenso dos conselhos tutelares, da assistência social nas escolas, dos psicólogos nas escolas… Que tenha uma equipe capaz de identificar e trabalhar com essas questões dentro da própria escola”, afirma.

Da Agência Câmara