Concurso para delegado da Polícia Civil de Pernambuco vai sair do papel

Foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira a nomeação da Comissão Coordenadora que ficará responsável pela normatização e acompanhamento de execução do concurso público para o provimento de 100 vagas para o cargo de delegado de polícia.

Casarão onde hoje é a chefia da Polícia Civil fica na Rua da Aurora

Polícia Civil sofre com falta de delegados. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

O anúncio para concurso de delegados em Pernambuco foi feito em julho do ano de 2012 pelo então secretário de Defesa Social, Wilson Damázio. O anúncio, embora não seja do cronograma do concurso, deixou animada muita gente que está se preparando para ocupar uma das vagas disponíveis.

Farão parte da comissão:
Maurison da Costa Gomes
Leoardo Henrique Fernandes Bezerra
Margareth Carvalho Sá
Richardson Silva
Ana Catharine Barbosa de Melo

O que ainda precisa melhorar na segurança pública do estado

Por Sávio Gabriel, do Diario de Pernambuco

Gestões diferentes. Problemas persistentes. A segurança pública em Pernambuco sempre precisou de uma atenção especial por parte dos governadores, principalmente pelos altos índices de homicídios que eram registrados. Apesar de apontarem os avanços ocorridos nos últimos anos, os especialistas do setor ainda se queixam de problemas que se arrastam há décadas.

 (ARTE: SILVINO/DP)

A falta de estrutura de algumas delegacias, sobretudo no interior, a ausência de um plano de cargos e carreiras para os policiais e a concentração do efetivo na Região Metropolitana são alguns deles.

Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), o estado possui pouco mais de 19 mil policiais militares. Um número significativo, mas que, na avaliação do coordenador-geral da Associação dos Cabos e Soldados (ACS-PE), Alberisson Carlos, ainda é insuficiente se levarmos em consideração a recomendação da Organização das Nações Unidas (ONU), que estipula um policial para cada 250 habitantes. “Hoje, temos um déficit de seis mil agentes”, disse. Apesar de não haver uma estimativa oficial, Alberisson acredita que 60% do efetivo da PM esteja na RMR.

Apesar das críticas, Alberisson afirma que a criminalidade diminui no estado – um índice médio de 12% ao ano, segundo ele. O presidente do Sindicato dos Policiais Civis, Cláudio Marinho, ressalta que, para reduzir ainda mais os índices, é preciso focar no tráfico de drogas, uma das principais causas dos homicídios. “O problema é que não temos efetivo suficiente”, ressaltou, informando que 38% pediram exoneração nos últimos anos, devido aos baixos salários.

O professor da Faculdade dos Guararapes Isaac Ribeiro também afirmou que o estado avançou em alguns pontos, mas precisa rever outras questões. “O Pacto Pela Vida precisa de uma reformulação que conte com uma maior participação dos municípios”.

Por meio de nota, a SDS informou que a proporção de PMs é de 236 por 100 mil habitantes, enquanto o de policiais civis é de 59. A entidade informou que o estado ocupa a 17ª posição no ranking de relação população x policiais. Sobre os problemas de infraestrutura, a SDS afirmou que foram investidos mais de R$ 10 milhões em obras de recuperação e em construções, beneficiando 81 unidades.

Valorização dos policiais e modernização do sistema

Com tantos desafios para serem enfrentados, o próximo governador do estado precisará de disciplina e ações efetivas que possam trazer mudanças profundas na segurança pública. Entre as principais propostas dos seis postulantes que disputam o cargo de chefe do executivo estadual destacam-se a valorização dos policiais (civis e militares), a modernização do sistema e o foco nas ações preventivas.

O candidato Armando Monteiro (PTB) pretende preservar, ampliar e fortalecer o programa Pacto Pela Vida, criado pelo ex-governador Eduardo Campos, em 2007. Para resolver o problema da infraestrutura, apontado pelos especialistas da área e pelos próprios policiais, o petebista, caso eleito, promete modernizar e equipar todas as delegacias do estado, além de garantir a manutenção física dos locais.

O socialista Paulo Câmara também pretende fortalecer o Pacto Pela Vida. Outra proposta dele é a de ampliar a atuação da Central de Monitoramento em Pernambuco – atualmente, apenas seis cidades têm o serviço. O combate aos crimes contra as mulheres é outra diretriz que faz parte do programa de governo do socialista, assim como a luta contra o tráfico de drogas.

O candidato Zé Gomes (PSol) promete fortalecer as ações preventivas, por meio da reestruturação educacional e da implementação de políticas públicas. Já o candidato Jair Pedro (PSTU) deseja desmilitarizar as polícias Civil e Militar e criar uma polícia única. A proposta é semelhante à de Pantaleão (PCO), que promete acabar com a PM e criar um regimento formado apenas por policiais civis e guardas municipais. O candidato do PCO, Miguel Anacleto, quer promover capacitações aos policiais e pretende integrar a polícia às comunidades.

Polícia colhe depoimentos sobre morte de menina de 9 anos

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga a possibilidade de três pessoas estarem envolvidas na morte da menina Vitória Batista Nascimento dos Santos, 9 anos. A criança foi assassinada com tiros na cabeça na manhã do último domingo, dentro de casa, no Ibura de Baixo, Zona Sul do Recife. O crime chocou o bairro. A mãe dela também foi baleada. Segundo o delegado Paulo Furtado, da 3ª Delegacia de Homicídios, uma equipe de investigação já foi ao local do crime e identificou os apelidos dos supostos executores.

O corpo de Vitória Batista dos Santos foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro (REPRODUCAO TV CLUBE)

O corpo foi sepultado na tarde de ontem, em Santo Amaro. Hoje, a polícia começa a ouvir depoimentos para tentar esclarecer o caso. A mãe de Vitória, a dona de casa Ana Cristina do Nascimento, 32, está internada no Hospital Otávio de Freitas. Segundo a polícia, a família estava sendo ameaçada desde a semana passada.

De acordo com Furtado, além da hipótese de o crime ter sido motivado por uma dívida de drogas do irmão da garota, um menino de 12 anos, outra linha de investigação está sendo analisada. A primeira informação é de que o garoto estaria devendo R$ 250 a traficantes da comunidade de Terra Nostra, também na Zona Sul, onde a família reside. “Mas também estamos apurando uma informação de que um traficante queria comprar a casa e a mãe da menina que morreu não queria fechar negócio com ele. Além disso, parece que ela também tinha dívidas.” Ana Cristina e filho seriam viciados em crack, segundo familiares.

Vitória ajuda a cuidas dos irmãos mais novos

Vitória ajudava a cuidas dos irmãos mais novos

De acordo com a polícia, além de Ana Cristina e Vitória, outras quatro crianças, todas filhas de Ana, estavam dormindo quando dois homens chegaram de moto ao local para cometer os crimes. Uma das meninas, de seis anos, conseguiu tirar os três irmãos menores de casa e fugiu com eles para a casa da tia, que fica próxima. Vitória teria sido baleada porque estava gritando muito. A mãe dela tentou se esconder debaixo da cama, mas foi atingida várias vezes. Ambas chegaram a ser socorridas e foram levadas para a Políclinica Arnaldo Marques. A criança não resistiu. Até o fim da tarde de ontem, ninguém havia sido preso pelo crime.

Cirurgia
Ana Cristina foi submetida a uma cirurgia na manhã de ontem e segue internada na sala de recuperação. Os outros filhos estão com o pai, que é separado dela. Ele e as crianças se encontram na casa de parentes. “Estamos aqui no cemitério para enterrar minha sobrinha. Os outros meninos ficaram todos em casa. É um momento muito triste”, lamentou Alexandre Vicente, tio de Vitória.