Golpe aplicado em familiares de pacientes é alertado em hospitais

Um golpe que chegou ao Recife nos primeiros meses deste ano segue preocupando familiares de pacientes internados em hospitais particulares da capital pernambucana e também as direções das unidades de saúde. Aproveitando-se da fragilidade emocional dos familiares de pacientes, criminosos telefonam para os parentes se passando por funcionários das unidades e fazem cobranças indevidas de procedimentos. Foram registrados casos no Real Hospital Português, no Paissandu, e também no Hospital Esperança, na Ilha do Leite. Os dois centros emitiram alerta aos pacientes.

Avisos estão espalhados em vários pontos do Hospital Português. Foto: Wagner Oliveira/DP

Avisos estão espalhados em vários pontos do Hospital Português. Foto: Wagner Oliveira/DP

No comunicado amplamente divulgado pela direção do Hospital Português está escrito que “a leitura deste aviso é muito importante e tem a finalidade de esclarecer a forma de cobrança da conta hospitalar e evitar que pessoas de má-fé obtenham vantagens financeiras indevidas.” O aviso alerta ainda que “os valores referentes à conta hospitalar deverão ser pagos somente através da tesouraria do Real Hospital Português.” Portanto, se você tem algum parente ou conhecido internado em hospitais particulares, fique atento. Passe a informação adiante.

Denuncie
A Delegacia de Repressão ao Estelionato fica na Rua São Miguel, 268, no bairro de Afogados, no Recife, mas os cidadãos também podem denunciar golpes através do número (81) 3182-5451. O Disque-Denúncia pode ser acionado através do (81) 3421-9595, Região Metropolitana, ou (81) 3719-4545, Agreste.

Confira dicas para não cair no golpe:

– Fique atento ao receber ligações de números desconhecidos
– Tente verificar a veracidade das informações repassadas
– Não acredite em supostos benefícios mediante pagamentos de qualquer espécie
– Não repasse seus dados pessoais, principalmente número de contas bancárias e cartões de crédito
– Em casos de cobranças indevidas, procure o posto de atendimento bancário ou ligue para a empresa citada para se certificar de que não se trata de golpe

Com colaboração da repórter Adaíra Sene

Os comentários estão fechados.