Golpe em academia vira caso de polícia

 

 

Academia na Rua do Espinheiro amanheceu vazia. Foto: Júlio Jacobina/DP/D.A Press

Cerca de 700 alunos e aproximadamente dez funcionários da Power Academia, conhecido endereço de malhação, no bairro do Espinheiro, no Recife, esperam uma resposta da polícia para o que chamaram de um “golpe de mestre”. No início dessa semana, malhadores, professores de educação física e funcionários deram com a cara na porta quando chegaram na academia. Todos os aparelhos de musculação, os vidros e até os vasos santinários haviam sido retirados do local. Como a academia costumava oferecer desconto aos alunos que pagassem as mensalidades antecipadas, muita gente acabou ficando no prejuízo, pois pagou por um serviço que não irá mais receber. O caso foi parar na Delegacia de Repressão ao Estelionato, que abriu inquérito para investigar a situação. Segundo o delegado Rômulo Aires, os proprietários do estabelecimento podem ter a prisão preventiva solicitada, caso não compareçam à delegacia para prestar esclarecimentos.

Apenas as fichas dos alunos ficaram no prédio. Foto: Júlio Jacobina/DP/D.A Press

Clientes e funcionários da academia contaram que o proprietário do local havia avisado que iria fechar o estabelecimento na noite da sexta-feira para fazer uma reforma e que reabriria normalmente na segunda-feira. “A academia funcionava 24 horas e por isso ele avisou que fecharia na sexta-feira para a tal reforma. Ainda ajudei a recolher alguns pesos e durante o final de semana soubemos que ele foi embora com tudo”, contou o advogado Eduardo Nogueira, que malhava no local. Nogueira e outros alunos não conseguiram entrar em contato com os proprietários da academia. O professor de educação física Cleison Souza, que tralhava na Power há cinco anos, também procurou a polícia para formalizar a queixa. “O delegado falou que iria esperar mais pessoas formalizar a queixa e tentar intimar os donos, mas como eles devem ter fugido, o mais provável é realmente o pedido de prisão preventiva”, ressaltou Eduardo Nogueira. Esse caso serve de alerta para as pessoas que costumam pagar antecipado por serviços que irão receber no futuro. Fique sempre atento ao histórico das empresas e das pessoas que estão por trás delas. O Procon Pernambuco não recomenda que serviços sejam pagos com antecedência. Quem quiser procurar a Delegacia de Estelionato, o número é (81) 3182.5174. O prédio fica na Rua São Miguel, no bairro de Afogados.

2 thoughts on “Golpe em academia vira caso de polícia

  1. Que isso sirva de alerta! Eu mesma, só pagava a mensalidade da academia de forma antecipada para barganhar o desconto.

  2. boa noite. continuo apelando e pedindo ajuda fui vítima de um estelionatario em SP no ano de 2010 no valor R$ 28 mil na compra de um microonibus.at o bo q fisso no ipiranga local do crime nao foi registrado pelo escrivao q fazia parte da mesma qudrilha. hj eles continuam com o mesmo golpe na frente da polícia no bairro da Moca.