Polícia já sabe quem matou idosa em Enseada dos Corais

Viver em casas de praia é uma alternativa buscada por muitas famílias que querem deixar a agitação da cidade. Além de estar perto do mar, as pessoas estão livres do engarrafamentos, exceto em feriados e finais de semana, distante do corre-corre e um pouco longe da violência urbana. No entanto, outros perigos moram nesses locais. Seja no litoral Sul ou no Norte, são frequentes casos de arrombamento de imóveis de veraneio, assaltos durante realização de festas e furtos. Essa semana, um crime brutal chocou os moradores da praia de Enseada dos Corais. Uma senhora de 69 anos foi assassinada dentro de casa, possivelmente numa tentativa de assalto. São fatos como esses que fazem refletir sobre a segurança nesses locais e traz o questionamento sobre a atenção da polícia para áreas como essas.

Veja matéria publicada no Diario de Pernambuco desta sexta-feira

A Polícia Civil já possui as características do suspeito de assassinar a aposentada Terezinha Sá de Lucena, 69 anos, numa casa de luxo na Praia de Enseada dos Corais, no Cabo de Santo Agostinho. O crime aconteceu na manhã da quarta-feira. A vítima foi encontrada de roupas íntima, com várias lesões espalhadas pelo corpo, dentro de um banheiro. O autor do assassinato seria uma pessoa bastante conhecida da família, cuja identidade está sendo mantida em sigilo. Apesar de não haver indicativo de que objetos ou dinheiro tenham sido roubados, a polícia não descartou a hipótese de latrocínio.

Crime aconteceu na casa da vítima, na quarta-feira, na praia de Enseada dos Corais (TV CLUBE/REPRODUÇÃO)

Crime aconteceu na casa da vítima, na manhã da quarta-feira. Foto: Reproção TV Clube/Record

O caso está sendo investigado pelo delegado Antônio Resende, titular da delegacia do município. “Estamos fazendo várias diligências em busca de pistas. Por enquanto, não podemos passar nenhuma novidade”, afirmou. De acordo com o perito do Instituto de Criminalística (IC) Jurandir Aureliano, a aposentada foi vítima de socos e pancadas no rosto e no tórax. O instrumento usado nas agressões ainda não foi identificado. “Há lesões em regiões distintas, como nos olhos e no queixo. A perícia deve apontar o que o suspeito usou para agredir a mulher”, disse o perito do IC. O laudo deve ser concluído em dez dias, mas pode ter o prazo prorrogado, caso seja necessário.

A vítima vivia com o marido, a filha e um neto. Segundo a polícia, nenhum dos três estava no local no momento do crime. Além dos parentes, vizinhos e amigos serão intimados, nos próximos dias, para prestar depoimento. O sepultamento do corpo de Terezinha Sá aconteceu na tarde de ontem, no Cemitério Memorial Guararapes, na BR-101 Sul, em Jaboatão dos Guararapes. Muito abalada, a família preferiu não comentar o assunto. O inquérito tem 30 dias para ser concluído. Quem tiver informações que possam ajudar a esclarecer o crime pode telefonar para o Disque-Denúncia, no número (81) 3421-9595.

 

Leia também:

Praia de Porto de Galinhas é palco de vários assaltos

 

Os comentários estão fechados.