Inquérito conclui que engenheira não foi vítima de crime de homicídio

Um ano depois do início das investigações sobre a morte da engenheira civil Alzira Cortez de Souza, 58 anos, a Polícia Civil concluiu que a vítima não foi assassinada. O caso foi investigado pela Delegacia de Piedade depois que a família da engenheira afirmou ter suspeitas sobre o ex-companheiro de Alzira. Os parentes acreditavam que Alzira tivesse sofrido espancamento, o que a levou à morte no dia 9 de abril do ano passado.

A engenheira morreu após passar dois dias internada no Hospital da Restauração, onde deu entrada como vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). O inquérito concluído no mês de maio deste ano e já remetido à Justiça, baseado nas conclusões do médico legista e do perito criminal que não concluíram por morte acidental ou de natureza homicida, foi fechado afirmando que a delegada responsável pelas investigações entendeu que não ficou corroborada a materialidade delitava, ou seja, não houve crime.

3 thoughts on “Inquérito conclui que engenheira não foi vítima de crime de homicídio

  1. De quem você obteve a informação que o inquérito já foi concluído e que Alzira Cortez, minha irmã, não foi vítima de homicídio? O processo foi encaminhado ao TJPE em 20/05/2013 e está sendo analisado pela promotoria pública, a qual ainda não expediu nenhum parecer. Uma matéria deve atrair o público e mobilizar a opinião pública mas, com títulos verídicos e que representem a situação real do andamento do processo.

  2. Oi, Maria Luiza, bom dia. Tive acesso ao inquéritro e vi a conclusão da delegada. Talvez o advogado de vocês consiga ter acesso ao resultado apontado pela delegada.

  3. Agradeço o seu esclarecimento, então este é o resultado apontado pela delegada e não a conclusão da promotoria. Continue então acompanhando o caso pois este ainda não foi encerrado e enquanto isto não ocorrer, ninguém pode divulgar que Alzira Cortez não morreu de homicídio.