Tiro que matou professora de Bom Conselho pode ter entrado pelas costas

O exame tanatoscópico que está sendo aguardado pela Polícia Federal e foi realizado no corpo da professora Alexandra Machado, 33 anos, vai esclarecer se o tiro que a matou teve entrada pelas costas ou pelo peito. Até o momento, o delegado federal que investiga o caso não sabe se Alexandra foi morta pelo assaltante que a fez de refém ou se a professora foi atingida por um dos tiros disparados pelos policiais militares que perseguiam o carro dela sem saber que a mesma e um bebê estavam no veículo com o suspeito.

Se o exame apontar que o tiro que matou Alexandra teve entrada pelas costas, a possibilidade dela ter sido morta pelas armas dos PMs ganha força. Na cidade de Bom Conselho, os comentários são de que a professora foi morta com um tiro pelas costas. Segundo o assessor de comunicação da PF, Giovani Santoro, além do exame tanatoscópico, o delegado aguarda o resultado do exame de balística que está sendo feito no projétil encontrado no corpo de Alexandra.

Leia matéria completa na edição impressa do Diario desta terça-feira.

Confira mais detalhes sobre o assunto em:

PF fará retrato falado dos suspeitos de assalto em Bom Conselho

Os comentários estão fechados.