Delegados ouvirão 30 pessoas sobre morte de promotor nesta semana

Pelo menos 30 novos depoimentos estão previstos para acontecer até o final desta semana sobre as investigações da morte do promotor Thiago Faria Soares, 36 anos, assassinado no dia 14 deste mês, em Itaíba. Na tarde dessa terça-feira, o advogado Leandro Ubirajara, 28, foi ouvido pelos investigadores na Delegacia de Águas Belas. O depoimento durou aproximadamente três horas.

Thiago Faria foi morto a caminho do trabalho. Foto: Reprodução/Facebook

Thiago Faria foi morto a caminho do trabalho. Foto: Reprodução/Facebook

Além dele, pelo menos outras nove pessoas foram interrogadas por três delegados. Leandro é o filho mais velho de José Maria Pedro Rosendo Barbosa, o Zé Maria de Mané Pedo, que está sendo apontado pela polícia como o mandante do assassinato do promotor. Ele é a segunda da pessoa da família a ser ouvida pela polícia. Na semana passada, a esposa de Zé Maria, a dona de casa Jandira Cruz, 52, também prestou depoimento.

Apesar dos delegados que investigam o caso não estarem falando sobre o assunto, um dos policiais adiantou que essa semana terá depoimentos todos os dias da semana. Também nessa terça-feira, o advogado Anderson Flexa protocolou, no Fórum de Itaíba, no Agreste do estado, o pedido de revogação da prisão temporária do agricultor Edmacy Cruz Ubirajara, 47, que está preso desde o último dia 15 sob acusação de ter efetuado os disparos que matou o promotor.

 

Polícia continua buscando suspeitos. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Polícia procura suposto mandante do crime. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Edmacy foi detido após se apresentar à polícia porque havia um mandado de prisão contra ele por outro crime. No entanto, o agricultor foi reconhecido pela noiva do promotor, a advogada Mysheva Ferrão Martins, 30, como sendo o autor dos disparos que mataram Thiago Faria. Apesar de ter negado o envolvimento no crime, Edmacy foi levado ao Centro de Triagem, em Abreu e Lima, por força de um mandado de prisão temporária.

“Protocolamos o pedido de revogação da prisão temporária de Edmacy e o juiz vai analisar o documento nesta quinta-feira. Nós entendemos que não existem mais subsídios para que Edmacy continue preso. Além disso, no depoimento dele não houve contradições. A família tem esperanças de que ele seja solto antes do dia 9 de novembro porque vai ser o dia da formatura da filha dele. A jovem vai se formar em veterinária e o pai vai ser o homenageado dela na festa”, ponderou Anderson Flexa.

Após sair do Fórum de Itaíba, o advogado seguiu para Águas Belas onde foi pegar cópias das imagens coletadas pela família de Edmacy com as quais pretendem provar que ele estava no centro da cidade no momento do crime. Além dos nomes das testemunhas que podem depor a favor do seu cliente.

 

Os comentários estão fechados.