Crimes de Serra Talhada começam a ser esclarecidos

Por Thaís Arruda, do Diario de Pernambuco

A força-tarefa que investiga a onda de assassinatos em Serra Talhada, a 415 km do Recife, no Sertão, vai retornar ao município para apurar crimes praticados na região desde o início do ano. Ontem, a Polícia Civil apresentou o resultado da Operação Paz no Sertão, que investigou a morte do vereador Cícero Fernandes, o Cição, assassinado no dia 12 de março. De acordo com a polícia, Cícero era o líder de uma organização criminosa acusada de vários crimes.

Cúpula da SDS apresentou conclusão nessa segunda-feira. Foto: SDS/Divulgação

Cúpula da SDS apresentou conclusão nessa segunda-feira. Foto: SDS/Divulgação

Durante a operação, que envolveu 249 policiais, foram presos Luciano de Souza Soares e Cícero Valdevino da Silva, policiais militares de Pernambuco, e Georgenes Alves Pereira, PM da Paraíba. Renato Rodrigues da Silva, suspeito de matar dezenas de pessoas, também foi capturado. De acordo com a Polícia Civil, o assassinato do vereador Cição teria sido motivado por vingança, devido a homicídios que a vítima teria encomendado, além de desavenças entre famílias.

Reforço policial foi enviado para a cidade, como no ano passado. Foto: AnnaclariceAlmeida/DP/D.A Press

Reforço policial foi enviado para a cidade, como no ano passado. Foto: AnnaclariceAlmeida/DP/D.A Press

Cícero Valdevino da Silva e Luciano de Souza Soares eram integrantes do grupo criminoso comandado por Cição. Já Georgenes Alves Pereira, Fernando Fábio Mourato e Gustavo Rafael Ferreira – esses dois últimos também foram assassinados -, são apontados como autores do homicídio. Permanecem foragidos Israel Pereira Lima, que seria integrante do PCC, e Wellington Silvestre dos Santos, também acusado de participar da chacina de Poção, no Agreste.

“Pessoas que tiveram parentes envolvidos em homicídios encomendados por Cição no ano passado juntaram-se para matar o vereador. O policial Georgenes, por exemplo, teve seu irmão assassinado e atuou como mandante da morte de Cição’’, disse o delegado Guilherme Caraciolo.

Delegado Guilherme Caraciolo está à frente do caso. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Guilherme Caraciolo comandou operação. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

“Mesmo que tenhamos esses casos de policiais envolvidos no crime em Serra Talhada, é preciso deixar claro que o estado dará uma resposta. Eles não ficarão protegidos pela farda’’, disse o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho.

Mortes em
Serra Talhada

9 homicídios de janeiro
até ontem

35 homicídios em 2014

18 em 2013

Números da operação

193 policiais civis

56 policiais militares

9 armas apreendidas

Leia mais sobre o assunto em:

SDS envia reforço para elucidar nova onda de crimes em Serra Talhada

Os comentários estão fechados.