Identificados suspeitos de furto no valor de R$ 22 mil em shopping

A Delegacia de Boa Viagem está concluindo o inquérito que apurou o furto de cinco relógios de uma loja de marca famosa instalada em um shopping da Zona Sul do Recife. Segundo o delegado Carlos Couto, as cinco peças furtadas estavam avaliadas em R$ 22 mil. Apenas um relógio foi recuperado. Um adolescente e um adulto entraram na loja em horário comercial e furtaram os objetos. Ainda de acordo com a polícia, uma vendedora da loja facilitou o crime. Uma quarta pessoa que estava revendendo os relógios foi identificada. Todos os suspeitos confessaram o crime. Ninguém está preso.

Caso está sendo apurado pelo delegado Carlos Couto. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A Press

Caso está sendo apurado pelo delegado Carlos Couto. Foto: Julio Jacobina/DP

“O furto aconteceu no dia 16 de dezembro. Um adulto e um adolescente entraram na loja no momento em que a amiga deles, que era vendedora do estabelecimento, estava sozinha. Ela facilitou a ação. Temos gravações que comprovam isso. Todos eles já foram ouvidos e confessaram o furto. Os donos da loja também já foram ouvidos. Agora os suspeitos serão indiciados pelo crime de furto. Um receptador que estava revendendo os relógios também foi identificado”, explicou o delegado Carlos Couto. A prisão dos suspeitos vai depender do entendimento da Justiça.

Família de comerciante morto em delegacia vai processar o estado

A família do comerciante Cristiano Araújo Gomes, 40 anos, encontrado morto na manhã da última quarta-feira dentro de uma cela da Delegacia de Boa Viagem pretende entrar com uma ação contra o estado de Pernambuco. Os familiares de Cristiano estão inconformados com a morte dele. Eles acreditam que se houvesse um pouco mais de atenção por parte da polícia, a vítima poderia estar viva.

IML retirou o corpo da delegacia. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

IML retirou o corpo da delegacia. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Em até 20 dias, deverá sair o laudo pericial do Instituto de Criminalística (IC) que poderá comprovar se Cristiano realmente cometeu suicídio por enforcamento, como está afirmando a polícia. A vítima teria rasgado sua própria camisa, enrolado no pescoço, amarrado na grade da cela e se sentado, provocando a própria morte.

“Vamos entrar com um processo contra o estado. É muito estranho tudo o que aconteceu com o meu irmão. Se ele foi detido à noite deveriam ter avisado à família. Outra coisa errada é o fato de terem o deixado sozinho dentro de uma cela embriagado, como estão dizendo. Se meu irmão tivesse sido algemado, ele não teria morrido. Além disso, ele não era um criminoso. Queremos saber se realmente foi um suicídio”, ressaltou o comerciante Wilton Araújo Gomes, 38, irmão de Cristiano. Segundo a polícia, a vítima foi detida após ter se recusado a pagar uma despesa de R$ 4 e ter brigado com um comerciante em Boa Viagem.