Mais de 3 mil foragidos do livro da SDS já foram presos

Balanço da Secretaria de Defesa Social (SDS) apontou que 59% dos criminosos considerados mais perigosos do estado, listados nas edições do livro Alvos Procurados, foram presos pela polícia. Criado em junho de 2011 como ferramenta para auxiliar na identificação dos acusados, o Sistema de Contenção ao Crime contabilizou 5.746 pessoas apontadas como prioridades no combate à violência. Dessas, 3.410 foram capturadas.

Livro está na 5ª edição. Foto: Teresa Maia/DP/D.A.Press

Livro está na 5ª edição. Foto: Teresa Maia/DP/D.A.Press

No livro, cuja quinta edição foi publicada em dezembro passado, estão catalogados, com fotos e histórico criminal, os homens e mulheres que possuem maior número de acusações por homicídios e latrocínios (assalto seguido de morte). Há ainda aqueles que praticaram apenas um assassinato, mas são responsáveis por outros delitos graves. A iniciativa veio para auxiliar as ações policiais, contando com o apoio de operações qualificadas, como a Operação Malhas da Lei, cuja missão é cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão.

“Com a criação do Sistema de Contenção ao Crime, conseguimos qualificar as nossas buscas aos procurados. Conseguimos também uma melhor performance nessas capturas, porque trabalhamos com informações qualificadas desses alvos”, afirmou o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio.

Além dos presos em território pernambucano, quatro alvos foram capturados em outros estados. O último deles, Jobson Severino Bispo, foi preso em 3 de janeiro deste ano, no município de Parnamirim, no Rio Grande do Norte. A ação foi realizada por policiais da Delegacia de Polícia Interestadual e Capturas de Pernambuco.

Na última edição do livro, o maior número de prisões aconteceu na Região Metropolitana do Recife. Foram 21% dos casos. Já na capital pernambucana, a SDS capturou 20% dos procurados presos.

A única mulher entre os 100 criminosos mais procurados

 

Janaína Maria Cardoso da Silva, 30 anos, está sendo “procurada” pela polícia há quase um ano. No dia 2 de abril do ano passado, por volta das 19h, segundo a Justiça, Janaína matou uma mulher identificada como Samira Maria da Conceição, utilizando uma arma de fogo. O crime aconteceu no bairro de Amaro Branco, em Olinda, no Grande Recife, e desde de então ela não foi encontrada pela polícia. No dia 21 de julho de 2011, Janaína teve a prisão preventiva decretada pela juíza Simone Cristina Barros. Como não foi localizada até agora, passou a fazer parte do livro Alvos Procurados, material desenvolvido pela Secretaria de Defesa Social (SDS) onde estão reunidos os nomes das pessoas acusadas de crimes de homicídios e tentativas de homicídios que estão com as prisões decretadas e ainda não foram presas. Atualmente, Janaína é a única mulher entre os cem primeiros nomes mais procurados. A lista completa com fotos e informações sobre os crimes e criminosos, além dos mandados de prisão podem ser acessados através do site: www.sds.pe.gov.br. A população pode e deve ajudar a capturar esses foragidos. Quem tiver informações sobre o paradeiro de algum deles, basta telefonar e fazer a denúncia. O anonimato é garantido. Os telefones são: 0800.081.5001, da Ouvidoria da SDS, e (81) 3421.9595, do Disque-Denúncia.

 

 

O mandado de prisão expedido contra Janaína determina que um oficial de Justiça ou qualquer outro agente da força pública prenda e recolha à Colônia Penal Feminana do Recife ou outra unidade destinada ao mesmo fim a denunciada Janaína Maria Cardoso da Silva. Entre os 100 mais procurados pela SDS estão ainda dois acusados de homicídios de grande repercussão em Pernambuco. O primeiro deles é o comerciante José Ramos Lopes Neto. Em 1989, segundo a Justiça, Ramos matou a ex-esposa Maristela Ferreira Just e ainda atirou contra os dois filhos de 2 e 4 anos e no ex-cunhado. Após ser condenado, o comerciante teve a prisão decretada no dia 2 de junho de 2010. Desde então, encontra-se foragido. Outro acusado de crime que ainda estão solto é o ex-comissário da Polícia Civil de Pernambuco Eduardo Moura Mendes, 50. Ele foi acusado de assassinar com vários tiros a companheira Izaelma Cavalcante Tavares, em dezembro do ano passado. Izaelma ainda passou seis dias internada no Hospital da Restauração, mas não resistiu aos ferimentos. Se você tiver alguma pista que ajude a polícia a encontrar um desses criminosos ou qualquer outro da lista, faça a denúncia a ajude a diminuir a impunidade.