Morte de criança de 6 anos gera protesto na BR-232

A morte do menino Miguel Almeida de Lima Freitas, de apenas 6 anos, que foi usado como proteção durante um tiroteio, deixou os moradores do bairro do Totó revoltados. Nessa terça-feira, depois do sepultamento do corpo da criança, parentes e vizinhos do garoto saíram em passeata do Cemitério Parque das Flores e bloquearam a BR-232, nos dois sentidos, em forma de protesto.

População foi para a BR-232 com cartazes. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press

População foi para a BR-232 com cartazes. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press

Com pedidos de Justiça, os manifestantes interromperam o trânsito queimando objetos e se deitando no chão. A via só foi liberada por volta das 17h. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local para negociar com o grupo. Devido ao protesto, houve congestionamento nos dois sentidos da rodovia. Atitudes como essa costumam acontecer sempre depois de tragédias como a que vitimou o pequeno Miguel. O povo vai para rua cobrar por uma segurança a qual já deveriam estar recebendo.

Protesto fechou a BR-232 na tarde desta quinta. Foto: Raphael Guerra/DP/D.A Press

Protesto fechou a BR-232 na tarde desta segunda. Foto: Raphael Guerra/DP/D.A Press

O tiro que atingiu Miguel partiu de uma dupla de motoqueiros que tentava matar um rapaz de 19 anos. De acordo com a polícia, os dois suspeitos já foram identificados, mas ainda não foram localizados pelos investigadores. O crime teria sido motivado por uma briga em um pagode na sexta-feira passada.

Leia mais sobre o assunto em:

Garoto de seis anos morreu após ser baleado por criminosos

Policiais federais farão protesto nesta sexta-feira em todo Brasil

Nesta sexta-feira (07), os agentes federais de todo o país participarão de protestos em frente às unidades da Polícia Federal. No ato, os policiais irão “pendurar as algemas” contra o boicote imposto pelo atual governo. Segundo os agentes, há várias décadas a categoria está sem uma lei orgânica que reconheça suas atribuições que exigem formação acadêmica.

De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais, os agentes, escrivães e papiloscopistas da PF se tornaram os únicos cargos públicos que amargam um congelamento salarial de sete anos, com perdas inflacionárias que já acumulam uma deterioração superior a 40%.

No Recife, a mobilização, que a categoria apelidou de “Algemaço”, acontece no Aeroporto Internacional dos Guararapes, a partir das 09h, quando os policiais pernambucanos irão pendurar literalmente as algemas contra o boicote imposto pelo governo federal.

Estatísticas oficiais do Ministério do Planejamento demonstram a impressionante queda no número de Agentes Federais em todo o país, no decorrer do ano de 2013, logo após a realização de um concurso para 500 novas vagas. Somente no ano passado, 230 agentes federais desistiram da profissão. Dos cargos esvaziados, metade desistiu no início da carreira, e o restante se aposentou. E é perceptível a mudança de comportamento dos policiais mais antigos, que não esperam sequer um dia a mais para se aposentarem, mesmo com os incentivos oferecidos.

Com informações da Federação Nacional dos Policiais Federais

Reservas do concurso da PM farão Caminhada da Convocação

Depois de vários outros atos já realizados e de ainda continuarem esperando por uma resposta, os aprovados no concurso da Polícia Militar de Pernambuco do ano de 2009 prometem mais um ato para chamar a atenção do governo do estado.

O grupo está preparando uma Caminhada da Convocação para o próximo dia 5 de fevereiro, a partir das 12h30, na Praça do Derby, no Centro do Recife. A organização do protesto convoca ainda os aprovados em concursos de outros estados como Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte e afirma que o ato deve ser pacífico e organizado, já que os mesmos serão futuros policiais militares.

Polícia acompanhou rolezinhos do Recife bem de perto

Durante todo esse sábado e este domingo, quando grupos de jovens marcaram rolezinhos para os dois maiores shoppings do Grande Recife, dezenas de policiais civis e militares tiveram sua rotina de trabalho alterada. Até mesmo alguns que estavam de folga acabaram sendo escalados para acompanhar de perto as manifestações.

Protesto foi tranquilo no RioMar. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Protesto foi tranquilo no RioMar. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Apesar dos dois centros de compras, RioMar e Shopping Recife, terem reforçado sua segurança particular, policiais civis e militares trabalharam com a função de fotografar, filmar e monitorar os passos de todas as pessoas que estavam participando das manifestações. No caso do RioMar, nesse sábado, não foi registrado nenhum incidente.

Depois do rolezinho, outro grupo entrou no shopping

Depois do rolezinho, outro grupo entrou no shopping. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Além dos clientes e funcionários dos shopping, policiais militares do serviço reservado, que já trabalham sem a farda da corporação, e alguns policiais civis estavam registrando toda a movimentação dos rolezinhos em aparelhos de telefone celular e até mesmo em câmeras fotográficas. A medida, segundo uma fonte do blog, é uma precaução para caso seja preciso identificar posteriormente algum integrante do grupo que venha a causar problema nesse ou em outro protesto.

Assista ao vídeo do rolezinho no RioMar

 

Leia mais sobre o assunto em:

Primeiro rolezinho do Recife foi considerado tranquilo

Conheça os 13 mandamentos para normatizar protestos no Recife

Minuta apresentada pelo governo do estado

Art 1º Estado garante a segurança nas manifestações públicas, protegendo seus participantes, transeuntes e agentes públicos

Art 2º A prioridade é proteção à vida e à integridade física das pessoas

Art 3º O patrimônio público e privado será protegido

Art 4º A segurança das manifestações será organizada pelos órgãos operativos da Secretaria de Defesa Social que manterá o diálogo permanente com os organizadores do evento

Art 5º O comandante da Polícia Militar designará um oficial como coordenador de segurança da manifestação

Art 6º O Corpo de Bombeiros acompanhará as manifestações com o pessoal e equipamentos necessários para o exercício de suas competências institucionais

Art 7º Os agentes públicos responsáveis pela segurança da manifestação devem estar devidamente identificados com seus nomes visíveis nos uniformes

Parágrafo 1: O coordenador de segurança da manifestação instruirá todos os agentes que participarão da segurança que a prioridade é garantir a integridade física das pessoas e o patrimônio público e privado

Parágrafo 2: Aqueles que ameaçam a paz e segurança no evento poderão ser conduzidos à autoridade policial

Art 8º Os manifestantes, quando em atitude suspeita, poderão ser identificados e revistados pelo policiamento como forma de prevenção à violência ou cometimento de infrações

Art 9º Nas manifestações, mesmo as previamente comunicadas, quando do cometimento de infrações penais, os policiais deverão fazer uso progressivo da força, observando-se

a) A identificação de quem pratica o crime
b) Correta imobilização do agressor
c) Vedação do uso inadequado de armas de fogo letais e não-letais pelo policiamento
d) Vedação do uso irregular de produtos irritantes químicos

Art 10º A segurança dos manifestantes por policiais poderá ser gravada em áudio e vídeo no momento das confusões ou de uso progressivo da força

Art 11º Serão publicadas pela SDS protocolos de segurança e manifestações com procedimentos operacionais para dispersão de manisfestações quando houver uso de violência por manifestantes, obstrução de vias e consequente cerceamento do direito de ir e vir do cidadão, produção de fogo em logradouro público, depedração do patrimônio público, privado ou em outra situação de interesse da ordem pública

Parágrafo único: As dispersões dos manifestantes serão percedidas de avisos pelo coordenador de segurança da manifestação, pessoalmente ou por um policial por ele indicado

Art 12º A SDS acrescentará nos seus currículos de formação e capacitação disciplina sobre os protocolos mencionados no artigo anterior inclusive com aulas práticas

Parágrafo único: A Secretaria de Desenvolvimento Sociale Direitos Humanos ficará responsável pela capacitação em termos de direitos humanos

Art 13º As demandas porventura apresentadas pelos manifestantes serão encaminhadas ao órgão competente pelo seu representante pela SDS

Polícia acompanha novo protesto pelas ruas do Recife

Um grupo de cerca 100 jovens se reuniu na Praça do Derby, local onde se iniciou a manifestação da última quinta-feira no Recife. Após uma pequena reunião, quando um  dos líderes falou, mas impediu a aproximação da imprensa, eles decidiram deixar o local e interditaram a Avenida Agamenon Magalhães, no sentido Zona Sul.  Não quiseram informar o destino.

Depois de sentar no chão da Avenida da Agamenon Magalhães, no cruzamento com a Rua Paissandu, os manifestantes se dirigiram a outro local. Alguns correm pela a avenida, muitos estão com os rostos cobertos e não querem que a imprensa se aproxime. A polícia acompanha tudo. Apesar de não divulgarem o roteiro, parecem ir para a Avenida Conde da Boa Vista.

Mais informações no portal Diariodepernambuco.com.br

SDS não tem registro de focos de manifestação nesta sexta

Apesar de algumas informações sobre novos protesto na tarde desta sexta-feira, até o momento, a Secretaria de Defesa Social (SDS) não registrou nenhum foco de concentração nas principais vias do Recife.

De acordo com o secretário Wilson Damázio, que monitora a cidade pela telas da central de monitoramento em seu gabinete, a Praça do Derby, possível foco de concentração, não apresenta nenhuma movimentação fora do normal.

Desde o início da tarde dessa quinta-feira, o titular da pasta de segurança do estado e outras autoridades da Polícia Militar não tiram o olho da Central de Monitoramento. Atualmente, mas de 500 câmeras cobrem diversos pontos do Grande Recife.

Quanto à ocorrência referente a um policial militar esfaqueado na tarde dessa quarta-feira, o secretário esclareceu que o fato não teve ligação com a manisfestação. “O policial foi tentar evitar uma tentativa de homicídio e acabou saindo ferido. O caso aconteceu na Praça Maciel Pinheiro, na Boa Vista, mas teve ligação com o protesto”, garantiu.

 

PMs e manifestantes em clima de paz

Apesar das pequenas confusões, dos 30 registros de ocorrências e das 28 pessoas detidas, o que se viu nas ruas do Recife, na tarde desta quinta-feira, em sua maioria, foi um clima de harmonia entre manifestantes e policiais militares. Em vários pontos onde os militares passaram, as pessoas que faziam parte do protesto os aplaudiam. A foto abaixo foi postada no perfil do Vemprarua Recife no Facebook e está sendo bastante compartilhada e curtida pelos internautas.

Dentre as pequenas confusões registradas até o momento, algumas pessoas foram feridas a pedradas e um policial militar chegou a ser esfaqueado no braço quando trabalhava na Praça Maciel Pinheiro. Até o momento desta postagem, nenhum incidente mais grave havia sido registrado. O movimento que iniciou no Derby terminou no Marco Zero, no Bairro do Recife.

 

Cúpula da Segurança Pública acompanha protesto pela central de imagens

Enquanto o protesto segue pelas ruas do Recife sem grandes problemas, a Polícia Militar está acompanhando a manifestação bem de perto. Até agora, apenas pequenas confusões foram registradas, algumas pessoas detidas por atos de vandalismo e outras feridas após terem sido atingidas por pedras.

Pessoas seguem com cartazes. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Pessoas seguem com cartazes. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

O secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, está observando tudo pelas telas que existem em seu gabinete. Acompanhado pelos seus assessores, Damázio está vendo através das câmaras de monitoramento tudo o que está acontecendo na rua. Já outras autoridades da Polícia Militar estão monitorando as ações diretamente das telas do Centro Integrado de Comando e Controle Regional de Pernambuco (CICCR), no bairro de São José.

PMs acompanharam o movimento. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

PMs acompanharam o movimento. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Organização do protesto monitorada pelas redes sociais

O serviço de inteligência da Secretaria de Defesa Social (SDS) está monitorando os passos da organização do protesto desta quinta-feira no Recife. As redes sociais são um dos instrumentos. “As informações abertas dos perfis estão sendo acompanhadas pela inteligência”, admitiu o secretário Wilson Damázio.

Alegando questão estratégica, Damázio não divulgou o número de policiais que vão participar do esquema montado para fazer a segurança do protesto. “Será o suficiente para manter a tranquilidade”, disse. Em reunião da Polícia Militar, realizada ontem, o comando geral da PM explicou que todos os 21 batalhões e companhias sediadas na Região Metropolitana estarão de prontidão.

Secretário garantiu pagamento das bolsas. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

Secretário confirmou monitoramento das redes. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

Os policiais, segundo o esquema da PM, serão distribuídos ao longo do percurso da manifestação. Grande parte deles atua na polícia comunitária. O Batalhão de Choque e o Regimento de Polícia Montada vão ficar em locais estratégicos, podendo entrar em ação caso o comandante geral da PM, coronel Carlos Pereira, ordene. Não haverá armas letais e a corporação não utilizará balas de borracha.

O contigente policial demonstra uma preocupação não só com a multidão que deve participar do protesto, mas com possíveis atos de vandalismo. “A procedência é grave. Temos informação de que entidades e grupos de fora do estado, que patrocinam badernas, se mobilizam para infiltrar pessoas”, informou Damázio. Se houver vandalismo, acrescentou, a polícia terá que agir.

O esquema envolve ainda o Corpo de Bombeiros, a Guarda Municipal do Recife e a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU). A presidente da CTTU, Taciana Ferreira, diz que os agentes de trânsito vão acompanhar a manifestação e, caso necessário, mudarão o tráfego dos ônibus das vias principais, como a Avenida Conde da Boa Vista, para as paralelas. Isso para facilitar a passagem dos manifestantes.

Do Diario de Pernambuco, por Jailson da Paz